Fosfoetanolamina saiu na Nature. Mas não como você esperava

FINALMENTE! Depois de termos reclamado, exigido, sacaneado e sermos xingados (links abaixo), o magnífico tratamento com a fosfoetanolamina acabou parando na Nature. E em dois artigos, olha que chique! O único problema é que o artigo não é como vocês possam imaginar. Pelo contrário, a Nature critica como uma coisa dessa e possível. Mas, claro, né? Eles não moram no Brasil.

A começar pelo artigo

Brazilian courts tussle over unproven cancer treatment

Tribunais brasileiros brigam sobre o tratamento do câncer não comprovado

Sentiram o tamanho do problema? A própria Nature concorda que esse “tratamento” não foi cmprovado. Etão, peguem seus vídeos com depoimentos e enfiem no rabo! Depoimento eu vejo até de gente dizendo que transou com ET e pariram caveirinhas de plástico.

O artigo reitera o que já tínhamos apontado: A fosfoetanolamina era excelente para matar células tumorais em placas de Petri e em ratos de laboratório (basicamente, tratando de câncer que só afeta ratos, não servindo para nada em termos humanos). A Nature chuta logo o pau da barraca enquanto joga um balde de água gelada com gelo e tudo ao dizer que

Drogas muito promissoras em estudos de laboratório e em animais têm um notoriamente elevada taxa de insucesso em testes em humanos.

Já no artigo

Drugs on demand: Controversy in Brazil over access to a purported cancer cure could set a harmful precedent.

Drogas sob demanda: Controvérsia no Brasil sobre o acesso a uma suposta cura de câncer poderia criar um precedente perigoso.

A Nature volta a criticar o modo Brasil de ser, em que esta palhaçada ganha um avanço imenso, mesmo que a USP tenha insistido que a fosfoetanolamina era algo não foi testado, mas mdsmo assim muitas pessoas, movidas pelo desespero, largando os seus medicamentos prescritos, ainda mais quando aquele irresponsável disse para largar mesmo porque a fosfoetanolamina era a cura absoluta, acabava com as cáries e tinha cheiro de pompom protex.

A Nature encerra dizendo que:

A triste verdade é que é pouco provável que a [fosfoetanolamina] seja um milagre. Nos Estados Unidos, por exemplo, apenas um em cada dez medicamentos que passam a fase 1 dos ensaios clínicos estão destinados a obter a aprovação da Food and Drug Administration (FDA). E a fosfoetanolamina não chegou nem perto. A sua promessa é apoiada por algumas publicações com base em testes de laboratório e animais.

Vão acusar a Nature de ter sido financiada, subornada, ameaçada e coagida pelas indústrias farmacêuticas? Sim, CLARO que os idiota irão flar isso. Por isso são idiotas, imbecis, ignorantes e iletrados. Mas se você acha isso pouco, o 7 x 1 fica pior ainda quando você sabe que um deputado pedirá ajuda ao Vaticano para a fosfoetanol amina. Por quê? Segundo ele mesmo:

As pílulas do religioso não são um remédio como os da farmácia. São, sim, remédio para a alma e o corpo para todo fiel cristão que tem fé. E é isso que tem acontecido com as pessoas que enfrentam o câncer.

Que bom que ele concordou que este “remedinho mágico” não é científico, e sim uma bosta de placebão, sem nenhuma comprovação científica. No Brasil que odeia Ciência, o deputadinho quer que a Igreja Católica interceda junto ao Judiciário e ao Executivo brasileiros para que a substância seja considerada um “remédio espiritual”. Porque é isso que salva vidas: remedinhos milagrosos que não passam de placebos. A Pontifícia Academia das Ciências, do Vaticano, deve estar com um facepalmo do tamanho da Basílica de São Pedro.

Afinal, soberania e laicidade do Estadoi são ótimos, mas só quando vemos deputados que representam lindamente a ignorância de uma população que acredita em pratos de pipoca mágicos e em cobras falantes, temos certeza que ainda etamos vivendo na Idade das Trevas.


Para saber mais

56 comentários em “Fosfoetanolamina saiu na Nature. Mas não como você esperava

  1. Tacale o pau, Nature!

    A fosfoetanolamina não chega a ser nem promissora na cura do câncer, pois se assim o fosse as indústrias farmacêuticas já teriam investido pesadamente nela.

    Gostei do posicionamento que a Nature tomou.

  2. Á espera dos Uruk-hai’s digitarem parágrafos e parágrafos de apelo à misericórdia e depoimentos de curas milagrosas sem laudos médicos!!!

  3. Agora os conspirólogos terão que colocar a CIA, o FBI e a Nova Ordem Mundial no meio. Logo chegam na Opus Dei e no Illuminatis

    1. Não se esqueça dos greys, reptilianos, Obama e a NASA (o que p@#$% ela tem a ver com isso? Não sei, mas deve estar no meio).

  4. Eu não sei bem… mas, talvez seja o momento de (re?)fazer até um hino para esta ocasião. Pelo menos reflete o ápice que até a sapiência nacional jurídica atingiu. Cada um pode dar uma idéia para o nome…

    Já podeis da Pátria filhos
    Ver contente a mãe gentil,
    Já raiou a estupidez
    No horizonte do Brasil!
    Já raiou a estupidez
    Já raiou a estupidez
    No horizonte do Brasil.

    Burra gente brasileira
    Longe vá saber ciência
    Ou ficar a Pátria burra
    Ou morrer pelo Brasil
    Ou ficar a Pátria burra
    Ou morrer pelo Brasil

    Os grilhões que nos forjava
    Da realidade astutos testes,
    Houve coice mais poderoso,
    Zombou deles o Brasil.
    Houve coice mais poderoso
    Houve coice mais poderoso
    Zombou deles o Brasil.

    Não temais sápias falanges,
    Que apresentam face nobre:
    Vossos coices, vossos zurros
    São muralhas do Brasil.
    Vossos coices, vossos zurros
    Vossos coices, vossos zurros
    São muralhas do Brasil.

    Parabéns, oh Brasileiros,
    Já com rosto imbecil
    Do Universo entre as Nações
    Resplandece a do Brasil.
    Do Universo entre as Nações
    Do Universo entre as Nações
    Resplandece a do Brasil.

  5. (In)felizmente, essa situação apenas fez com com que eu percebesse o óbvio: muita gente simplesmente não quer ser questionada, quer ficar num mundo mágico e cheio de conspirações, MUAHAHAHAHA!
    A única coisa que se consegue é que fiquem com raiva e fazendo esperneio, pensando que debate é como discussão com baixarias e aos gritos, e ainda acham ruim quando se mostra que o argumento delas não passa de falácia.
    E o pior: se você tem uma posição eloquente, é chamado de arrogante.
    Alguém sabe onde vende uma porção de esperança na humanidade? Gostaria de comprar.

  6. A revista Nature nem foi contra e nem descretibilizou os resultados obtidos com o fosfoetalomina nos pacientes brasileiros que a utilizaram de forma clandestina quando distribuída avulsa na USP. Acredito ter sido você o desenganado aí e alterou o contexto do título do fascículo para ir de encontro aos seus intentos apesar de sociais,com uma pitada excessiva de hedonismo.

    Lógico, houve lacunas, como a não estabelecimento de uma dosagem e etc por não terem sido concluídas as etapas de experimentação oficiais. Contudo, conforme voce próprio disse em um outra matéria escrita aqui no seu blog.foi por conta de faltarem verbas destindas pelo governo para avanço da pesquisa. Algo agora sanado com o destino de mais de “10 milhões” de reais realizados pelo Ministério da Ciência graças, principalmente “à pressão popular” diante do caso.

    Sugiro a você deixar de ser arrogante e aprender melhor a interpretar os textos.

    1. Nature falou o ue eu disse antes: foi por clamor popular, não por pesquisa séria. Ela é enfática em dizer que a maioria dos medicamentos que se mostraram maravilhosos nas placas de petri não serviram para porra nenhuma.

      Sua fosfoetanolamina e nada é a mesma coisa. Mas foi investido 10 milhões de reais? Lindo, uma MIXARIA para quem sabe como se faz trabalho laboratorial. Esse dinheiro dura um ano, ou menos. Nem da fase 2 vai passar.

    1. Eu não apaguei, seu imbecil. Está escrito nas regras de comentários que eles passam por pré-aprovação. Aprenda a ler antes de discutir políticas de saúde pública

  7. Aproveitando que está lendo e apagando minhas mensagens, sugiro procurar respeitar mais as pessoas já que você também um analfabeto funcional. E acha normal publicar ofensas públicas numa modalidade de rede aberta a todos da sociedade.

    Se acredita que a internet é um playground para jovens mimados como você que se acham os supers, mas não tem coragem de sair e lutar pelo país. Precisa rever seus valores pois sua arrogância extravasa o conteúdo da página e torna seu conteúdo desprezável.

    1. Caguei pra você. Seus comentários retardados estão aqui, à vita de todo mundo, meu caro merdinha que usa e-mail fake mas com ip 177.135.29.150

  8. Você pede papéis de um possível remédio ainda em fase de experimentação não sei realmente se é tão compreendido assim. Os papéis são as melhoras das pessoas frente a um tratamento atuais poucos ieficazes ou de custo altíssimo com resultados poucos amplos. Realmente, entendo porque modera os comentários aqui é para passar a impressão de que conhece algo.

    1. “Os papéis são as melhoras das pessoas frente a um tratamento atuais
      poucos ieficazes ou de custo altíssimo com resultados poucos amplos.”

      Se você acredita nisso, então podemos dizer que as curas de aids e cancêr feitas em certas igrejas e que tem muitos testemunhos também podem ser aceitas como tratamento sério.

  9. Vê se desce do trono e aprende a interpretar textos. A nature não disse que a fosfo não é um milagre mas pode ser uma apesar das estatísitcas disserem ser bastante raros. Você manipula isso e ainda critica a atitudes dos pesquisadores frente a um cenário desolador no qual o Brasil passa atualmente sem investimentos tanto em educacao quanto em ciencia. Eles distribuíram a fosfo sabendo que os riscos colatarais não eram tão graves assim quanto outros piores de tratamentos alternativos. Agora com a verba recebida eles poderão comprovar na prático aquilo que vocês tanto difamam.

  10. O mais importante é que, foda-se o governo, a USP, o FDA e a ANVISA, o Judiciário, enfim. A fosfoetanolamina deve estar disponível para qualquer pessoa que queira usa-la! Não compete a nenhuma dessas entidades atentar contra a liberdade do ser humano e as decisões da escolha da vida dele.

    1. Isso me dá o direito de ir na sua casa, espancar toda a sua família e roubar todos os seus pertences.

      Afinal, não quero que ninguém atente contra a minha liberdade e decisão de escolha. Nem mesmo VOCÊ tem o direito de me impedir de roubar as SUAS coisas.

    2. Quando é um adulto com plenas capacidades de escolha, por mim tudo bem.

      Mas e se for uma criança pequena fazendo tratamento e os pais, que viram no facebook que um remédio que não foi testado é a cura secreta do cancêr e decidem interromper o tratamento?

    3. Seguindo essa lógica de “foda-se o sistema”, quem “precisa” de fosfoetanolamina que “cozinhe” a sua própria, tipo Breaking Bad.

    4. Mas isso seria anarquismo.

      Eu até entenderia se fosse um adolescente falando, já que por razão da idade, os jovens estariam mais naturalmente envolvidos em problemas com a autoridade e em revolta contra as instituições reguladores “cerceadoras da liberdade do ser humano e as decisões da escolha da vida dele.”

    5. Sabe que na lei brasileira a vida não é um bem disponível? Ou seja, você não pode dispor dela como quiser, tanto que eutanásia é proibida. Então, sim, compete a essas entidades impedir que você faça besteiras com sua vida, inclusive obrigando-o a usar cinto de segurança, por exemplo.

    6. O mais importante é que, foda-se você, seu zé ninguém revoltadinho. A fosfoetanolamina deve, antes de qualquer coisa, ser TESTADA, deve ser ESTUDADA, deve ter seus efeitos e eventual eficácia (ou não…) COMPROVADOS. Não compete a uma marmota como você falar do que não sabe.

    7. Pelo amor de Ronnie James Dio, meu rapaz. Que chorume é esse escorrendo do seu teclado para cá?

      O conceito de vida em sociedade é tão difícil assim de entender?

      Deixa eu adivinhar: você caiu naquela lorota de “verwirrung” e “ordung” do V for Vendetta. Coitado. Você está no Brasil, rapaz. Aqui, nós temos governo e verwirrung ao mesmo tempo. Em parte, aposto que por sua causa.

  11. G1: Alckmin diz que vai conversar com secretário sobre a fosfoetanolamina
    Governador de SP falou com paciente que busca substância em Tapiratiba.
    Cápsulas usadas contra o câncer viraram alvo de polêmica e ações judiciais.

    E dá-lhe populismo!

  12. Vou lançar veneno de rato no Facebook como se fosse remédio. Um bando de idiotas VAI SIM tomar para se curar, mas antes eu peço para passar os bens pro meu nome.

    1. Eu já pensei isso. Se aparece um maluco dizendo que cocô de cachorro cura câncer essa galera vai cair em cima desse jeito?

  13. Surra de pau mole? Isso é digno de açoite em praça pública, com uma ripa de gameleira passada no remédio milagroso da vó do Cloverfield!

  14. Estava acompanhando pessoalmente pelo Facebook um caso em que uma usuária tinha conseguido a Fosfo e que relatava uma “recuperação milagrosa” de sua avó com fotos e filmagens! Inclusive deu até uma entrevista na Record em sua versão “fantástica”! Pois bem, fui ver hoje a situação e percebi que no dia 15 de novembro de 2015 ela faleceu devido o câncer! Não houve recidiva, não houve cura, não houve nada!!

    1. Só a título de curiosidade: saiu em algum veículo informativo que a senhora morreu?

      Se sim, dê uma curtida na notícia e leve o link desta página para lá. Talvez alguma alma liberta chegue a ler. Se não, saberemos que, de fato, jornalismo informativo já não informa.

      1. A primeira coisa que fiz foi ir ao google e pesquisar se algum portal de notícias informou sobre o óbito dela. Já que apareceu na reportagem da Record, imaginei que teria chances de noticiarem alguma coisa sobre seu falecimento…. que nada!! Ela conseguiu a Fosfo em outubro, fizeram 2 videos mostrando a sua “incrível melhora”, e não muito tempo depois, faleceu!!

  15. Sei lá, não me interesso por políticos que abrem escolas nem pelos que fecham, só me interesso por aqueles que privatizam escolas e desregulamentam. Mas não existem políticos assim no Brasil. Veremos se o Novo vai ser algo novo mesmo.

  16. Se não fossem tão novinhos, vocês saberiam que a fosfo lembra muito a neura do ipê-roxo nos anos 60. Curioso, em SP tb. Alguém vazou que um princípio ativo extraído poderia ser promissor no tratamento do câncer e pronto, foi aquela corrida ao chá de ipê. Quando faltava o roxo, usavam o amarelo porque se era ipê era tudo ”um só”. Seria mais ou menos como se as pessoas pegassem a casca do Teixo para fazer chá achando que seria o mesmo que o Taxol já em fármaco. Sem contar as pílulas de papel do Frei Galvão que ainda existem. Com o advento da internet a família de curas para o câncer parece salada de frutas: graviola e nem sei que mais de tantas frutas e ervas. O lado ‘bom’ é que alguém enche os bolsos vendendo graviola, babosa, cogumelos do Sol, e por aí vai. E também caixões… A novela do ipê só parou quando gente começou a encher leitos hospitalares com sérios danos no estômago, era hemorragia digestiva que não acabava mais, e todos os casos tinham relatos de uso do tal chá bem concentrado, bebidos como se fosse água, em litros, durante meses a fio. Nem era para curar mais quem tinha câncer, era para ”prevenir” de ter um. Tempos sem sequer endoscopias para saber onde estava o ponto de sangramento, até as transfusões de sangue eram ainda em frascos de vidro sem muitas garantias na tipagem. Depois do alerta dos médicos sobre os problemas digestivos é que o povo foi parando e a novela foi acabando, pararam também os casos de sangramentos estomacais. A coisa ficou adormecida e aí agora vem essa tal de fosfo para um vale a pena ver de novo… De novo mesmo, só o nome da panaceia, é chique fosfoetanolamina, passa fita de coisa de ”profissa”, não é chazinho. A neura não mudou nada em 50 anos! Que coisa! Até Vaticano se metendo, ô glória… Já não chega mentirem com promessa de via eterna, agora só falta hóstia de fosfo. tsctstc.

  17. Como eu já disse umas 300 vezes para imbeciis no facebook: A Fosfoetanolamina pode ser O REMÉDIO que vá curar o câncer, um pó inócuo ou o Novo Chumbo (sim, lembram que o Chumbo era considerado medicinal há uns 2 séculos) . Enquanto não houverem testes, não deve ser usado indiscriminadamente.

  18. Andei conversando com algumas pessoas a respeito da não comprovação científica da fosfo.

    Dentre os vários argumentos que recebi, vou lhe mostrar os principais:

    1. (Para justificar a falta de ciência do projeto) “Ele estão seguindo por vias tortas, mas para um bom fim. Apesar de na mídia pedirem para liberar a fosfo ou já liberarem os testes clínicos, eles têm plena ciência de que isso não é possível. Eles sabem que são necessários vários processos anteriores a aprovação do medicamento, mas pra conseguir atenção da mídia, simplificaram as coisas, mas isso é pra conseguir com que sejam feitos os testes todos da maneira correta. Então apesar de algumas vezes eles divulgarem a fosfo como “cura” e tratarem dela como se fosse comprovada, o que eles querem na verdade é que depois de toda a comoção os testes comecem a ser feitos do ponto em que eles pararam e não conseguiram continuar. Os pesquisadores ficaram de saco cheio de tanta burocracia – dificuldades para conseguir dinheiro para pesquisa e/ou para conseguir profissionais da área para fazer as pesquisas em animais/humanos – e aí resolveram tacar tudo na mídia pra ver se com a atenção do povo conseguiam agilizar alguma coisa”

    2. (Sobre a distribuição da substância) “Concordo que a pessoa não deve parar com os tratamentos convencionais. Mas uma pessoa que não tem mais possibilidade de melhora ou cura com os tratamentos atuais não poderia testar o medicamento? Mesmo que tenha algum efeito colateral, provavelmente deve ser depois de muito tempo, visto quem já tomou e não houve efeito nenhum, mas se o remédio funcionar, melhoraria a qualidade de vida da pessoa e estenderia um pouco seu prazo”

    3. (Sobre a legalidade das liminares) “Na Constituição, é garantido o direito fundamental à saúde. Embora o medicamento não tenha registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a liminar deve ser concedida pela com base na Lei nº 6.360/76, que afasta essa necessidade ao estabelecer que estão isentos os medicamentos novos, destinados a uso experimental. As pessoas têm direito a experimentar esse medicamento.”

    4. (Sobre a pressa) “O mais ético realmente seria apenas distribuir esse medicamento depois da certeza do funcionamento dele. Porém, muita gente está em estado terminal e não pode esperar e os tratamentos convencionais já não surtem efeito. Se o medicamento realmente funcionar, é certo deixar que essas pessoas sofram e morram só pq o medicamento precisava de mais testes? Pra mim, o certo é distribuir para essas pessoas, se não funcionar, a pessoa fica na mesma – piorar não vai-, se funcionar, salvou vidas”

    5. (Sobre a descredibilidade que dão para tratamentos alternativos) “Surgem inúmeros tratamentos diferenciados nas universidades, que passam por todos os processos de testes certinhos, pré-clínicos, clínicos, etc., vão para alguns hospitais e não se expandem, mesmo tendo resultados mais positivos que tratamentos como a quimioterapia. Há, em São Carlos também, um cientista chamado Vanderlei Bagnato que faz tratamento de câncer através de lasers, mas não se ouve falar, só no canal USP. Porque esse tratamento não substitui os demais e é amplamente divulgado? Agora, ele está na Academia do Vaticano e seu projet é mais valorizado no exterior. Será que os pesquisadores da fosfo não querem apenas chamar a atenção para o que está sendo feito nas universidades e posto debaixo dos panos?”

    Como você rebateria esses argumentos?

    Outra coisa que me deixou preocupado foi que estão falando (não sei se é verídico) que conseguiram o início imediato dos testes nas fases 3 e 4 dos testes pré-clínicos. Se isso realmente aconteceu, quais são os riscos?

    Obviamente, é mais chance de dar algum problema com as pessoas que estão sendo testadas, visto que não se sabe nem o que aconteceria nem em animais, é isso?

    Agora, se não der nenhum problema com as pessoas que estão sendo testadas e os resultados forem positivos, isso eliminaria a necessidade de fazer testes pré-clinicos, visto que o objetivo – que é o funcionamento do medicamento em seres humanos – foi comprovado?

    1. Mentira. Inventaram esta baboseira sem prova nenhuma. Dizer ah, é pra chamar a atenção” é achar que não existe nenhum cientista na face da Terra. Cadê os artigos publicados? Não pode, pq não fizeram os testes clínicos.

      2) Sim, mas se é pra testar, tem que obedecer o Método Científico. 20 anos dava muito tempo para fazer os testes. Dar uma caixa de pílulas e dizer “toma essa bosta” sem nenhum controle não é nem má ciência. Não é ciência em absoluto.

      3) Na constituição tb é dito que eu tenho direito à segurança. O Exército vai me dar 5 fuzis, 3 pistolas 9 mm e um helicóptero?

      4) Não importa as pessoas em estado terminal. ANVISA proíbe. Ou muda as determinações por lei, ou nada feito. Se for assim, pessoas em estado termina terão direito de assaltar bancos para poderem comprar remédios no exterior.

      5) Vanderlei Bagnato publicou seu trabalho, né? Pelo visto sim. A hora que aqueles dois desclassificados pararem de ficar de merdinha sentimentaloide e produzir ciência, aí poderão ser levados em conta.

      6)MAIS UMA VEZ: não tem ninguém sendo testado, porque a pesquisa não saiu da fase 1: teste em placas de petri. Quando é que vocês, apedeutas, entenderão isso? Falam um monte de besteiras tadinho dos pacientes”. Se estivessem preocupados com os pacientes, aqueles dois desclassificados que não ficasse às custas do Governo sem produzir nada que tivesse saído da fase 1.

      7) Acreditei muito que foram argumentos “que lhe deram”

      1. Obrigado pelos esclarecimentos até agora, embora eu realmente tenha ficado surpreso com sua desconfiança a respeito da proveniência dos argumentos.

        Brigo até hoje com pessoas próximas de mim que estão defendendo a continuidade da fosfoetanolamina e tenho vindo e comentado no seu blog, nos posts sobre a fosfoetanolamina, apenas para conseguir uma ajuda para argumentar com elas e defender meu ponto de vista, que é o de que esses cientistas não passam de apeladores emocionais que querem conquistar fama para seus egos e que se quisessem avançar com a fosfoetanolamina – e o deveriam -, já teriam feito. Achei que a melhor maneira de fazer isso seria apresentando-lhe os contra-argumentos que me dão e ver sua opinião sobre.

        Senti que algumas coisas não foram esclarecidas do que perguntei anteriormente, então vou tentar fazer as perguntas diretamente:

        1. Realmente há dificuldades econômicas e burocráticas para se fazer pesquisa no Brasil, não é? Depender de CNPq por exemplo, é foda. Só que usam isso de argumento pra justificar a merda que os pesquisadores fazem com a fosfoetanolamina. Pra mim, os pesquisadores poderiam mto bem terem feito as pesquisas da maneira correta – mesmo que nas condições miseráveis de ciência no Brasil – , não haveria nada que os barrasse, no máximo os típicos atrasos burocráticos. O que quero saber é o SEGUINTE: como provar que jogar na mídia do jeito que foi jogado o caso da fosfo não é a melhor maneira de protesto contra as condições miseráveis de ciência e a desvalorização da mesma no Brasil? Pra vc, qual seria a melhor maneira de protestar contra isso? Envolveria a população em geral? Pq?

        2. Você tem algum dado que desminta a história de “tratamentos alternativos não são valorizados, olha todo o trabalho que o Vanderlei teve e ninguém ouve falar”? Sabe onde consigo achar esses dados, pelo menos?

        Minha única ferramente de pesquisa foi o Google Acadêmico, em que achei mais de 15 páginas de artigos sobre os tratamentos de câncer que envolviam o Vanderlei, já desmentindo um argumento que nem te apresentei, que foi o de q “vc procura na internet e não acha nada”. Só que eu estava procurando algo que provasse que estão sim sendo usados os tratamentos. Ou então, se realmente estão sendo pouco usados ou “botados pra debaixo do pano”, encontrar uma explicação plausível, do tipo: “São tratamentos para pouquíssimos tipos de câncer” ou “ainda assim menos eficazes que a quimio”, etc

        3. Novamente, quais são os riscos de se começar uma pesquisa com medicamentos diretamente nas fase clínica 3? Se houverem resultados positivos nos testes diretamente em humanos, ainda é necessário o teste em animais? Pq?

        4. Qdo me falam que “se esperarem os testes, muitos irão morrer esperando – e se o remédio funcionar?” tenho vtd de gargalhar. Pq suponha que realmente funcione. Porém, só depois de testes é que vão descobrir, por exemplo, a dosagem. Se a fosfoetanolamina realmente cura câncer, não tem essa de “distribuam o mais rápido o possível”, pq pra mim é IMPOSSÍVEL um medicamento curar câncer em qualquer dosagem. Vai continuar morrendo gente pq n tomou na dosagem certa. Falei merda no meu raciocínio? Vc complementaria com alguma informação?

        Por favor, peço desculpas se forem muitas perguntas e lhe parecerem idiotas, mas para mim não estão tão claras algumas coisas que podem lhe parecer óbvias. Como já disse em outro post, prefiro perguntar do que sair bostejando e xingando como um idiota. Tomo este blog como uma das poucas boas fontes de divulgação científica, então tudo o que pergunto é na esperança de obter as respostas mais sensatas e esclarecedoras possíveis, dentro dos parâmetros científicos.

        1. Obrigado pelos esclarecimentos até agora, embora eu realmente tenha ficado surpreso com sua desconfiança a respeito da proveniência dos argumentos.

          Eu conheço bem vocês.

          Realmente há dificuldades econômicas e burocráticas para se fazer pesquisa no Brasil, não é? Depender de CNPq por exemplo, é foda.

          O que não pareceu ser o problema dos dois, já que um, apesar de aposentado, estava usando (indevidamente) as instalações, equipamentos e reagentes da USP.

          Pra mim, os pesquisadores poderiam mto bem terem feito as pesquisas da maneira correta

          Poderiam, mas não fizeram.

          como provar que jogar na mídia do jeito que foi jogado o caso da fosfo não é a melhor maneira de protesto contra as condições miseráveis de ciência e a desvalorização da mesma no Brasil?

          Entendi. Os caras criaram um remédio fictício para um protesto sobre o descaso com as espquisas, ganhando verba pra pesquisar durante 20 anos.

          qual seria a melhor maneira de protestar contra isso? Envolveria a população em geral? Pq?

          Procure saber o que a Suzanna Erculano-Houzel está fazendo. Essa baboiseriua ‘estamos usando o caso da fosfoetanolamina para protestar contra o descaso com a ciência é o argumento mais imbecil, estúpido, reatardado que eu já vi.

          Ok, não é o mais imbecil, estúpido, reatardado que eu já vi, mas não fica atrás.

          Você tem algum dado que desminta a história de “tratamentos alternativos não são valorizados, olha todo o trabalho que o Vanderlei teve e ninguém ouve falar”? Sabe onde consigo achar esses dados, pelo menos?

          Falácia do Olha o Avião. Vc está tentando argumentar uma bobagem… Ops, desculpe, foi gente que falou contigo… em comparação com um que usa método científicio e eu que tenho que pesquisar pra vc? Faça-me o favor, né?

          Minha única ferramente de pesquisa foi o Google Acadêmico, em que achei mais de 15 páginas de artigos sobre os tratamentos de câncer que envolviam o Vanderlei, já desmentindo um argumento que nem te apresentei, que foi o de q “vc procura na internet e não acha nada”.

          Ok, parabéns. Mas eu pensei queo artigo era sobre a safadeza que estão fazendo com essa fosfoetanolamina.

          Só que eu estava procurando algo que provasse que estão sim sendo usados os tratamentos. Ou então, se realmente estão sendo pouco usados ou “botados pra debaixo do pano”, encontrar uma explicação plausível, do tipo: “São tratamentos para pouquíssimos tipos de câncer” ou “ainda assim menos eficazes que a quimio”, etc

          Do que vc tá falando?

          Novamente, quais são os riscos de se começar uma pesquisa com medicamentos diretamente nas fase clínica 3?

          Nenhuma cara. Que tal fazermos testes com… sei lá… gente de outras etnias, deficientes… pessoas de outras religiões…?

          Se houverem resultados positivos nos testes diretamente em humanos, ainda é necessário o teste em animais? Pq?

          Nenhuma. Que tal testarmos nuns africaninhos? Sério mesmo que vc é burro o suficiente para não entender normas éticas de pesquisa?

          – Hans, vamos testar cianeto para ver se cura resfriado?
          – Boa igeia, Jurgen. Vamos testar em macacos?
          – Não, não. Tem uns moleques de rua ali.

          Vai procurar sobre talidomida, vai.

          Qdo me falam que “se esperarem os testes, muitos irão morrer esperando – e se o remédio funcionar?” tenho vtd de gargalhar.

          Não tem, ou não me perguntaria essas mesmas bobagens.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s