Guerra de Legos

Em 1º de julho de 1942, as divisões SS Panzer, comandadas por Erwin Rommel, atacaram a cidade de El Alamein, ao norte do Egito, bem na costa do Mar Mediterrâneo, a 240 km a noroeste do Cairo. A ideia de Rommel era tomar conta do Canal de Suez e assegurar o petróleo do Golfo Pérsico para abastecer a máquina de guerra nazista. Começou aí a Primeira Batalha de El Alamein. Continuar lendo “Guerra de Legos”

O Control+Tab dos antigos

Quando eu escrevo artigos, não nem que sejam informações paralelas e adicionais, que não necessariamente farão diferença, mas ajudam em trazer mais subsídios para o melhor entendimento ou simplesmente porque é legal saber mais. No caso dos artigos especiais, eu fico com mais de uma janela dedicada a isso, com trocentas abas. É um trabalhão monumental, além de eu me perder várias vezes, mas no fim tudo dá certo.

Entretanto, fica a dúvida: como os antigos historiadores, eruditos, pesquisadores e cientistas faziam quando precisavam consultar mais de uma obra? Continuar lendo “O Control+Tab dos antigos”

Pinto tá pegando fogo, bicho

Acidentes acontecem, claro. Alguns, realmente, são imprevisíveis, e se algo é imprevisível, como diabos você iria saber? É isso que certamente uma belga deve estar pensando. Ela inadvertidamente provocou um incêndio em casa, e nem foi culpa dela. Afinal, como ela iria saber que uma coisa que ela comprou iria causar um incêndio.

O que ela comprou foi um vibrador. Foda, né?

Continuar lendo “Pinto tá pegando fogo, bicho”

Quando nossas avós ficaram na moleza pra pegar no duro

Malhar não é exclusivo de hoje em dia. Nossos avós também pegavam academia, e isso vale ara nossas avós, também. Até a década de 1940, mulheres só ficavam em casa cuidando da família. Acontece que aconteceu uma coisinha meio desagradável na Europa, e muitos homens tiveram que ser mandados para lá. Isso  acarretou em duas coisas: mulheres tendo que ocupar espaços exclusivamente masculinos no trabalho braçal e desenvolvimento de tecnologia.

Continuar lendo “Quando nossas avós ficaram na moleza pra pegar no duro”

Artigos da Semana 110

De todos os artigos que eu postei esta semana, dois me chamaram a atenção. Primeiro, o que fala do ex-morador de uma casa que sabia que ela seria demolida mas resolvera fazer uma singela homenagem aos ex-moradores, colando sobre as paredes tiras com os nomes de cada pessoa que passara ali. Uma mini viagem no tempo. Outra viagem neste sentido foi postar sobre o Hino de Nikkal, uma peça de música de muito, muito tempo, com um manualzinho de como posicionar as mãos nas cordas da lira e tocá-la. É uma história a ser contada, ouvida e sentida.

Continuar lendo “Artigos da Semana 110”

Idiota vai comemorar casamento e mata amigo por engano

Algumas ideias são absurdamente idiotas. Algo como passar a mão na bunda de lutadora de Vale Tudo, morar com os sogros, invadir a Polônia e levar uma arma para um casamento. Não, não sei o que é pior, não está numa escala de idiotice. Faça a sua própria escala.

No caso do último, um imbecil que estava se casando resolveu comemorar o acontecimento durante a cerimônia puxando uma arma e dando um tiro. O tiro matou um amigo seu.

Alvejando a maluquice alheia, esta é a sua SEXTA INSANA!

Continuar lendo “Idiota vai comemorar casamento e mata amigo por engano”

Um sonho solar

O Sol possui o seu maravilhoso esplendor transformando milhares de toneladas de matéria em luz e calor, possibilitando a vida na Terra. Mal conseguimos olhar pra ele de manhã bem cedo e ao pôr do sol, apesar de, nos momentos finais, um monte de gente aplaude o majestoso acontecimento, para depois irem abraçar umas árvores (ou abraçam as árvores antes?).

Continuar lendo “Um sonho solar”

O Hino para Nikkal

Deixe-me louvar Nikkal e exaltar Hirihbi,
o rei do verão; Hirihbi, o rei da devastação
Nikkal, deixe-me exaltar e louvar!
Yarah é luz; então deixe Yarah banhar-te
Com luz

Este é um poema antigo, bem antigo. Encontrado na região de Ugarit, na atual Síria, este texto está num tablete de argila com escrita cuneiforme, mas não é no idioma ugarítico, e sim em hurriano, idioma dos hurritas, povo que lá vivia lá pelo século 15 A.E.C.. Só isso, já seria fascinante, mas a história não acaba aqui. Este poema é a letra de uma música, o Hino Hurriano para Nikkal, a peça de música mais antiga encontrada, datando entre 1400 e 1200 A.E.C., tendo sido descoberto nas bibliotecas da cidade de Ugarit, hoje chamada Ras Shamra. Continuar lendo “O Hino para Nikkal”

Longo braço da Lei é auxiliado por cidadã preocupada

A Polícia, sempre vigilante, pretende manter a ordem e garantir que as leis sejam cumpridas. Nem sempre consegue, claro. Para tanto, os distintos mantenedores da Lei e da Ordem conta com cidadãos preocupados e ciosos para que a sociedade seja justa e livre de criminosos, como foi o caso de uma menininha que entregou de bandeja dois bandidos.

Continuar lendo “Longo braço da Lei é auxiliado por cidadã preocupada”

Câmara Dos Deputados alerta para o risco de morte violenta de seus pares

E ATENÇÃO!!

Ciosa de assuntos importantíssimos que movem os destinos desta Nação, a Câmara dos Deputados da República Federativa do Brasil se posiciona corajosamente contra um massacre que está acontecendo hoje, a olhos vistos, o que destrói a imagem deste país, posto que é pauta de imensa importância.

Continuar lendo “Câmara Dos Deputados alerta para o risco de morte violenta de seus pares”