Os antigos e fiéis amigos dos egípcios

Eu estava pensando no meu amiguinho hoje, no meu chapa, e pensei como as pessoas tem tido animais de estimação desde longos milênio. A rigor, os pets fazem parte da Humanidade desde os tempos antigos, e os egípcios não foram exceção. Animais de estimação no Egito Antigo eram companheiros amados e até mesmo mumificados após a morte. Os cães eram os animais de estimação mais populares no Egito Antigo, por sua referência direta ao deus Anúbis, mas gatos e outros animais também eram companheiros do pessoal do Nilo. Continuar lendo “Os antigos e fiéis amigos dos egípcios”

A Verdadeira História do Desastre da Mars Climate Orbiter

Há muito tempo me falaram que não existe outra causa de um desastre aéreo se não falha humana. Máquinas não aparecem do nada nem se reproduzem. Essencialmente, são construídas e operadas por humanos. Se deu algum erro, é falha humana. Se teve algum problema estrutural, foi problemas no projeto, em copo o equipamento ia ser operado, as condições que não foram estudadas adequadamente etc. Aliás, isso serve para tudo, não? Desde o desastre da Challenger até a cagada que fizeram no projeto do iPhone 4. Continuar lendo “A Verdadeira História do Desastre da Mars Climate Orbiter”

Querendo fazer suas próprias esculturas? Há um robô pra isso

Esta notícia vem direto de Carrara, Itália. Sim, é daí que vem o tal mármore, cuja sabedoria popular corrompeu o ditado para que os filhos fossem cuspidos e escarrados. E se você olha triste para suas mãos achando que nunca será um Miquelângelo, você tem toda razão, nunca será; mas não é por causa disso que você não poderá ser um escultor. É tudo uma questão do principal mote da engenharia: nada é impossível tendo tempo e dinheiro, ainda mais tendo o primeiro.

Continuar lendo “Querendo fazer suas próprias esculturas? Há um robô pra isso”

A magnificência austral de uma aurora

Os Pólos (Norte e Sul) são os pontos mais extremos da Terra, em termos de distância, não de altura, lógico. Todos queriam ir até lá, vencer o desafio dos grandes oceanos e varar por terras congeladas. O Pólo Norte até é tranquilo em cmoparação ao Pólo Sul. Este, sim, é pros destemidos.

Continuar lendo “A magnificência austral de uma aurora”

Só os antigos atenienses mais ricos pagavam impostos; e eles se gabavam disso!

Por Thomas Martin
Professor de Clássicos, College of the Holy Cross

Na antiga Atenas, apenas as pessoas muito ricas pagavam impostos diretos, e estes iam para financiar as despesas nacionais mais importantes da cidade-estado: a Marinha e as honras dos deuses. Embora hoje possa parecer surpreendente, a maioria desses principais contribuintes não apenas pagou alegremente, mas se gabou de quanto pagou.

Continuar lendo “Só os antigos atenienses mais ricos pagavam impostos; e eles se gabavam disso!”

Uma questão de referência

A Física é uma Ciência Exata; claro, você sabe disso. Entretanto, nem sempre ela lida com a exatidão. O que é exato é a forma como ela aborda certas questões. No contexto da Física dos movimentos, tudo depende de referenciais, inerciais ou não. O movimento não é absoluto e nossas impressões são enganosas.

Continuar lendo “Uma questão de referência”

Uma eulogia

Eu me lembro quando te vi pela primeira vez. Você era brincalhão como toda criança. Gritava alto, mordeu os meus sapatos e arrancou as minhas meias. Isso faz mais de doze anos, e me lembro como se fosse hoje. Eu vi quem vive era é você viu quem eu era. A diferença é que você não se importou com o tipo de pessoa que eu era, mas eu percebi o tipo de cãozinho que você era.

Continuar lendo “Uma eulogia”

De onde vem as cegonhas que trazem os bebês?

Você conhece a velha história que cegonhas trazem bebês. Mesmo que você tenha crescido e (espero) deixado de acreditar nisso, elas ainda estão presentes em cartoons, desenhos animados, cartões, produtos infantis e ainda povoam o nosso imaginário. Tudo muito bem, tudo legal, mas, cá pra nós, você nunca parou para pensar o que cegonhas tem a ver com bebês, certo? Continuar lendo “De onde vem as cegonhas que trazem os bebês?”