Um dia de Campus Party: Seus amores, seus pecados

Eu não sei se vocês ficaram sabendo, mas ocorreu o Campus Party. Eu, junto com os figurantes do SciCast, fui convidado a participar. Foi uma experiência bem diferente do que eu estava acostumado. Teve prós, teve contras, teve até gente saindo com "pulseira". Teve case do Homem de Ferro e até evocações demoníacas. O que falar do Campus Party, em termos de divulgação científica e inovação?

Pra começar, eu adorei a Campus Parte por causa da quantidade de ironia que existe no evento. A começar pelo fato de ser um evento de Ciência & Tecnologia que tem um site podre. O troço é tão gambiarrento que parte do texto está em português, parte em espanhol, você tem que logar diversas vezes cada vez que muda uma página, e eu só vim saber direito o endereço do local pelo G1, e quando sua fonte principal de informação é o G1, você está com sérios problemas!

O lugar escolhido foi a São Paulo Expo Imigrantes, algo nos Cafundó do Judas. Eu estava esperando virar à esquerda na rua e sair na casa do Marcelo Guaxinim. Então, eu pensei: "pô, o aeroporto será o de Congonhas, que é ali próximo". Nah nah nah. O aeroporto era o de Guarulhos, na outra ponta do planeta. Desembarquei e dei de cara com o lindo clima paulista, com uma chuva torrencial e vários habitantes locais correndo com baldes, toneis e sacola plástica para recolher a água. Por que, né?, nunca se sabe…

Peguei a van, com mais dois caras. Um deles não calava a boca e falou desde games até a Fátima Bernardes e como o William Bonner tuitava coisas maneiras. Nesse momento eu estava pedindo para, ao invés de cair água, caísse um meteoro.

Chegamos no hotel (muito bom, por sinal), que fica em Moema. Mas não pude subir pro quarto, porque só liberavam depois das 14h. Você que se dane. Saí pra almoçar, sem nenhum problema para encontrar lugar pra comer. Deve ser por isso que paulistano é gordinho, porque não tinha mais nada em volta além de prédios e restaurantes.

Pegamos outra van e ralamos peito pro evento. EEEEEEEEEEEE!!!!!!!!!. Fomos entrar para pegar as credenciais e o segurança não quis deixar, mandando a gente ir pra um lugar não sei onde. Eu e outros apontando os guichês e o cara achou que era o Gandalf. Entramos assim mesmo, o que prova que o Balrog era um bundão, mesmo.

Primeira coisa que fiz foi catar o pessoal do SciCast e avisar que Deus estava presente. Encontrei o Silmar na fila para… CUMPRIMENTAR O BEAKMAN???? Já é!  problema é que tinha que ser foto grupal.:

Claro, alguns DESGRAÇADOS, como o Gilmar do E-Farsas conseguiu numa cagada tirar foto sozinho com o Beakman quando este estava saindo de uma coletiva. Quando eu fui tentar fotografá-lo andando pela Campus, os segurança quase me deram uma porrada. E-FARSAS, SEU MISERÁVEL!

De uma maneira geral, é muito legal. Exceto a parte da comida. Além de ser cara, é horrível e estavam vendendo cachorro quente com purê. Qual é o problema de São Paulo, hein????

Mas e como estavam as palestras? Todo mundo usando powerpoint. Sei lá, pensei que iam usar algo mais… tecnológico? E o que mais me chamou a atenção: a maioria do pessoal lá não largou o próprio computador, com todas as palestras sobre diversos temas acontecendo. Não sei, mas para uma lan house o ingresso era meio carinho, não? Ainda mais que alguns pontos de rede não estavam funcionando, o wifi ainda está no futuro e o Campus Party não conhece ainda e boa parte do pessoal não conseguia fazer o 3G do celular funcionar. O meu funcionou perfeitamente. Será que é por ser da Vivo? Nah, isso seria feio, não?

O suporte deles, entretanto, é muito bom. A Ivani ajudou muito com minhas perguntas. Até resolveu o problema de transporte para eu voltar, já que a palestra do SciCast era às 10h30min, meu transporte pro hotel era às 11h, e o transporte do hotel pro aeroporto era ao meio-dia. Um taxista me cobrou 180 dilmas para me levar o aeroporto. Me arrumaram um carro para me levar do Campus Party pro aeroporto. Show de bola, cheguei a tempo tranquilamente e fui assaltado num queijo quente gourmet.

E como foi as palestras de divulgação científica. Bem, elas eram realizadas no Palco Sol, e por algum motivo que eu não sei dizer colocaram os Irmãos Piologo, do Mundo Canibal, para falar lá. Não era pra ser em Mídias Sociais? Por sinal, a "palestra" deles lotou mais que as de divulgação científica. Isso deve significar algo.

Além de tirar foto com quem eu não faço a menor ideia que seja (como o que estava com um fantoche), eu ainda tive a chance de conversar com o Átila Iamarino, o Iberê Thenório e o Pìrulla, e declarei o quanto eu os odeio por eles fazerem vídeos infinitamente melhores que os meus. No caso do Pirulla, aquele miserável consegue segurar as pessoas por mais de meia hora sem nenhum recurso mais enfeitado do que o que pode ser feito no Movie Maker.

Fui dar uma olhada no que o pessoal não-famoso estava fazendo. Você sabia que a Universidade de São Carlos também desenvolve próteses feitas com impressoras 3D? Eles até têm cursos sobre como trabalhar com impressão 3D.

Outros fizeram uma "bengala sônica", que nada mais é que um emissor de ultrassons acoplados num óculos, voltado para identificar obstáculos aéreos, como galhos, por exemplo. É a turma de brasileiros da Universidade de São Francisco. Infelizmente, eles não consultaram nenhum cego, ou não teriam feito um cartão de visitas em braile, com o os caracteres braile impressos, sem relevo.

Outra coisa que eu achei o máximo é o projeto de uma smart home. Sim, OUTRO. mas esse era também controlado por um cubo, em que se virando as arestas, muda-se a configuração de controle da casa. Muito interessante para pessoas com necessidades especiais que mal conseguem segurar um celular.

Agora, vem a melhor parte. Eu, lógico. Na palestra Por que a Ciência tem que ser divertida, falamos um pouco de ciência e cm direito a experimentos. Você não viu? Tsc Tsc Tsc. Sinto muito pela sua alma, but I am a mercyfull God. Você pode ver (ou rever) toda a palestra aqui:

Também teve outras excelentes palestras, como a do Caio Gomes, falando como o Cinema fica de zoeira com a Ciência, e do Iberê mostrando as maravilhas da Química, também.

Poderia ter sido melhor? Sim, poderia. Tudo pode ser melhorado. Eu aceitaria ir de novo? Sinceramente, não sei. É meio cansativo, mas foi legal pelo tanto que conversei com o pessoal lá. A Campus Party é organizada? Bem… é Brasil, né? Se eu me diverti? Um pouco. Tenho certeza que nunca será realizada aqui no Rio, mas beleza. Quem sabe alguma outra vez eu volte.

Se eu podia falar mais? Sim, mas ai ficaria um saco e já deve ter 300 milhões de postagens sobre isso. Acabou a minha paciência por hoje. Inté!

9 comentários em “Um dia de Campus Party: Seus amores, seus pecados

  1. Quando eu crescer, quero ter a oportunidade de conhecer vocês.

    Obrigado, Doutor André, pelo seu magnífico trabalho!

    1. Foi para onde o comitê organizador comprou as passagens. Deve ter sido na base do “Ok, eu dou um descontão nas passagens pra vocês, mas só lá pra Guarulhos. Se virem.”

  2. Depois de quase uma década acessado o Cet.net vi a cara do André, eu tava esperando mascara cirúrgica e óculos verde neon

    1. A cara dele é conhecida desde o SciCast que ele foi convidado. Trabalho de primeira qualidade, aquele podcast.

  3. Poxa André. Você fala tanto que odeia o Iberê, o Átila e o Pirulla mas não deu nenhuma porrada neles?

    Sobre o evento. Parece ter sido muito divertido. Gostaria de ir, mas só de ter que pegar mais de 100 quilômetros de ônibus, trem e metrô já dá uma preguiça.

  4. @Andre:
    Man, esse é um comentário em duas partes:

    1 – Vendo esse vídeo, tipo, na moral mesmo… Nunca, jamais, imaginei você como é… Pelo SciCast, sempre imaginei um cara baixinho, gordo, calvo, e bemmm chato kkkkkkkl (Kidding)

    2 – Muito boa a sua palestra na campus (infelizmente, moro no fim do mundo que é Recife, e não tenho muito tempo para poder viajar), tanto ela, quanto, a sua participação no último SciCast… Ao contrário de muitos que vejo aqui (deixando claro, não são todos), eu não concordo com tudo que você fala (pelo contrário, tem horas que discordo e muito), mas, uma coisa eu tenho que falar… seu blog/site é muito bom (de longe, um dos melhores que acompanho), sus opiniões são muito boas e coerentes (mesmo eu discordando, elas me fazem refletir).

    Continue sempre esse ótimo trabalho!! E se um dia eu poder(está certo isso?) ajudar, além das doações, que, por sinal, ainda não fiz nesse ano… (My Bad ) Pode contar comigo! Um grande abraço cara, flws. ;)

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s