Nefertiti: Rainha, Poder e Mistério

Os pés mundanos caminham pelo terreno outrora sagrado. A luz intensa açoita quilômetros e mais quilômetros quadrados em volta e nada demais aparenta. Apenas deserto, areia, cascalho e pedras, mas há muito mais que os pobres olhos humanos podem ver. Os pés cautelosos temem estragar algo importante, algo irrecuperável se destruído, enquanto outros pés despreocupados caminham pela região, pouco importância dando. Apenas pagaram, faça-se o serviço, e apenas isso. Continuar lendo “Nefertiti: Rainha, Poder e Mistério”

Sumérios ensinam como fazer cerveja. Prove você também

Cerveja é uma coisa que une nações. Ninguém fez amigos ao marcar com um pessoal para beber água mineral juntos. Cerveja está presente desde que começaram as civilizações, talvez até antes. Você sabe, Egípcios faziam cerveja; aliás, a mais antiga cervejaria do mundo foi encontrada lá. Os Babilônios tinham cerveja, os Hititas faziam cerveja, judeus faziam cerveja. Todo mundo fazia cerveja, inclusive o pessoal de Java na era pré-islâmica. Romanos faziam, mas não eram muito chegados na cerveja, mas o pessoal que ficava entre os dois rios (em grego: Mesopotâmia) adorava o suco de cevada.

Já pensou se você pudesse ter um saborzinho dessas antigas cervejas? Bem, você pode.

Continuar lendo “Sumérios ensinam como fazer cerveja. Prove você também”

Espinafre da lata deixa australianos mucho lokos

Surpreendentemente, não é nada que fosse matar alguém, mas estamos falando da Austrália, que nunca facilita, também. No caso em questão, o pessoal dos cangurus foi fazer uma saladinha responsa e ganharam de presente dores de cabeça, alucinações, febre, delírio, visão turva, pupilas dilatadas, náuseas, vômitos, taquicardia e confusão, todos os sintomas de alguém chapadaço. O denominador comum era que as pessoas fizeram salada com espinafre, e muito provavelmente você não se lembra do Popeye loucão. Continuar lendo “Espinafre da lata deixa australianos mucho lokos”

Conheça o tamanho das coisas cilíndricas que te fazem ver estrelas

Dizem que tamanho não é documento. Quem fala isso ou é grandão ou anda armado, porque a realidade sabemos muito bem qual é, e isso vale para foguetes. Não vai ser aquela biribinha da Agência Espacial Brasileira que vai chegar na Lua. Não está chegando nem na Estação Espacial Internacional que é “ali na esquina” em termos de viagens espaciais.

Continuar lendo “Conheça o tamanho das coisas cilíndricas que te fazem ver estrelas”

Grandes Nomes da Ciência: o Homem Velho de Croghan

O Irlandês levantou cedo, como era de seu costume. Tomou um modesto café da manhã, embora estivesse acostumado a boas refeições, ergueu seu corpanzil, ajeitou a tira de couro trançado em seu braço – um símbolo de status que lhe era digno – e saiu de casa; para fazer o que, ninguém sabe, mas saiu. Saiu e era aguardado. Sorrateiramente aguardado.

O Irlandês foi atacado. De surpresa! Ele tenta se defender, se machuca até que uma facada em seu peito é fatal e ele cai, vencido. Seus algozes não terminaram aí. Cortam-lhe fora a cabeça, como se por ordem da Rainha de Copas, partem seu corpo ao meio e jogam o corpo do Irlandês vencido no pântano. O motivo do crime? Ninguém sabe. O Irlandês lá ficará por anos, décadas, séculos, milênios… até ser descoberto. Continuar lendo “Grandes Nomes da Ciência: o Homem Velho de Croghan”

Moeda provada ser genuína nos ajuda a entender um pouco da História de Roma

O problema da História é que em muitos casos não sabemos a diferença entre ficção e realidade. Muitas histórias tidas como verídicas realmente não aconteceram, como egípcios terem escravos (nunca tiveram). Já outras histórias que muitos pensaram ser apenas fantasia, realmente aconteceram. Por exemplo, uma moeda encontrada trazia a efígie de um certo Sponsianus, alguém que teria, em tese, sido um usurpador durante o reinado de Filipe, o Árabe, naquela zona desgraçada chamada Crise do Terceiro Século.

Todo mundo tinha certeza que era uma moeda fajuta, mas pelo visto não é bem assim. O sujeito realmente existiu. Como saber? Graças à Ciência! Continuar lendo “Moeda provada ser genuína nos ajuda a entender um pouco da História de Roma”

Timelapse de todo o Universo

O Universo tem algo mais de 13 bilhões de anos. Eu até falaria algo como “um pouco mais de…”, mas quando falamos de Universo, é tudo tão imenso, tão gigante, tão fabulosamente fantástico que as palavras acabam sem sentido. É um caminho muito longo m termos de tempo e espaço e ficamos maravilhados com todo o esplendor de tudo o que tem lá fora, muito daquilo, sequer fazemos ideia do que seja, mas hoje sabemos muito mais do que no início do século.

Continuar lendo “Timelapse de todo o Universo”