Santo Sudário pode ser foto de Da Vinci

Um estudo das características faciais sugere a imagem da relíquia da Vinci é, na realidade, o próprio rosto que poderia ter sido projetado sobre o pano. O Sudário, cujo tema já abordamos aqui, foi considerado por gerações de fiéis que o rosto de Jesus crucificado, que foi o embrulhado, mas a datação por carbono-14 feita pelos cientistas aponta para a sua criação na Idade Média.

A hipótese foi levantada pela artista americana Lilian Schwartz, consultora gráfica da Escola de Artes Visuais de Nova York e famosa por ter associado, na década de 1980, o rosto de Mona Lisa ao autorretrato de Da Vinci. “Estou empolgada com isso”, disse Lilian, segundo reportagem do jornal The Daily Telegraph. “Não há dúvida, na minha cabeça, de que as proporções sobre as quais Leonardo escreveu foram usadas na criação do rosto nesse Sudário”.

De acordo com o estudo, que será exibido pelo Channel Five (emissora televisiva da Inglaterra), o pano pode ter sido pendurado no interior de uma câmara escura e coberto com sulfato de prata, substância fotossensível já encontrada na Itália do século XV. Do lado de fora, Da Vinci teria colocado uma escultura de seu próprio busto, cujos traços foram projetados, através de uma lente encaixada no buraco de uma das paredes da câmera, no tecido em questão. Isso poderia explicar o porquê da imagem ser em 3 dimensões e em negativo.

Lynn Picknett, um pesquisador do Sudário pesquisador e escritor, escreveu: “O falsário da mortalha tinha de ser um herege, alguém sem receio de fingir ser Jesus. Ele tinha que ter uma compreensão da anatomia e ele tinha que ter ao seu alcance uma tecnologia que seria completamente idiota todos até o século 20.(…) Uma vontade grande de deixar algo para o futuro, para fazer sua marca para o futuro, não apenas por uma questão de arte ou ciência, mas também para o seu ego”.

O Historiador de Arte Professor Nicholas Allen, da Universidade Metropolitana Nelson Mandela na África do Sul, foi chamado para mais testes sobre o Sudário para a presença de sulfato de prata. Íons prata (Ag+) em presença de raios ultra-violeta, ganha elétrons se depositando como prata metálica finamente dividida, ou seja, em um pó bem fino. A prata assim depositada é de cor bem escura. Diferente se você tiver uma pulseira de orata. Nesse caso, ela escurece porque reage com íons sulfeto (S–2), formando sulfeto de prata (Ag2S).

Segundo o professor Allen “Se você olhar para o Sudário de Turim como aparece a olho nu, você vê uma imagem negativa de um ser humano, e se você tirar uma fotografia do que você produz uma imagem positiva do que o ser humano, o que significa o sudário está atuando como um negativo. Isso em si é um bom indício de que foi feita fotograficamente”.

A conclusão de Lilian reforça ainda mais a polêmica em torno do Santo Sudário, apontado pela Igreja Católica como o tecido que cobriu o corpo de Cristo em seu sepultamento. Análises de carbono, no entanto, afirmam que o material data da Idade Média, mais especificamente entre os anos 1260 e 1390. De acordo com o documentário, Da Vinci teria forjado o Sudário para repor uma precária versão anterior desaparecida desde 1453.

O programa explica a teoria da falsificação hipoteticamente feita por Leonardo da Vinci – foi contratado para substituir uma versão anterior foi considerada como sendo falsa – havia sido comprada pela poderosa família Savóia em 1453, apenas para desaparecer durante 50 anos. Quando ele retornou à opinião pública, foi aclamado como uma verdadeira relíquia, e especialistas dizem que era realmente uma rélica convincente do artista.

ara a professora Larissa Tracy, da Universidade de Longwood, na Virgínia, Da Vinci possuía os conhecimentos necessários para fazer a falsificação. “Ele sabia o suficiente sobre anatomia, e sobre a estrutura muscular do corpo”, afirmou Larissa, segundo o jornal. “Da Vinci tinha todas as habilidades para criar uma imagem como a do sudário. Se alguém tinha a capacidade de trabalhar com uma câmera obscura ou técnicas primevas de fotografia, era Leonardo Da Vinci”.

Contudo professor John Jackson, diretor do Centro do Sudário de Turim Sudário do Colorado, que acredita que o item data do tempo da suposta crucificação de Jesus, desmentiu o programa, alegando que o registro mais antigo do Sudário data de meados do século XIV, isto é, 100 anos antes de Leonardo ter nascido (1452). Ele ainda acredita que a datação por carbono-14 estava errado. O que ele tem para provar? Apenas a fé de querer acreditar. Assim é fácil.

Se por um acaso vocês descobrirem o vídeo desse documentário num YouTube da vida, não esqueçam de compartilhar com a gente.


Fonte: Daily Telegraph

5 comentários em “Santo Sudário pode ser foto de Da Vinci

  1. Os criacionistas ja estão arrancando os cabelos, chorando e esperneando que isso é um mentira, uma farsa, coisa do demonio, etc…
    Mais um ponto para aciencia, e menos um ponto para o criacionismo. Placar atual: Ciencia 2.109.982 X -2.109.982 criascionismo.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s