Chega de bandidos malvados, quero um vilão toddynho

No tosco mundo de Hades, politicamente correto, nada agrada à grande massa da população, criados a leite-com-pêra e ovomaltine. Todo dia alguém reclama de livro, novela, filme, série e do seu Lourival, porque ele varreu a rua com vassoura de cerdas sintéticas e isso ofende o planeta. No mundo governado por pedagogas, as produções televisivas e cinematográficas, obras literárias e peças teatrais não podem mostrar violência. É feio.

A bola da vez é a série Game of Thrones, porque mostrou o estupro de uma das personagens, e a Interwebs está chilicando com isso.

Pelo que vi o pessoal reclamando, a personagem Sansa Stark foi estuprada de forma violenta, o que é um pleonasmo, já que ninguém chega pra alguém e diz "Dadivosa moçoila! Deixai-me conspurcar vossa virtude, adentrando-lhe com meu órgão viril de forma satisfazer minha bestial vontade de ser inundado com ocitcina". Por isso é chamado "violência sexual".

A gurizada de 12 (anos mentais, de idade ou de QI, ou todos acima) reclama que a série é só violência, e eu imagino alguém da HBO invadindo a sua casa e fazendo isso:

Pois é. Ninguém é obrigado a ver. Eu, por exemplo, detesto novela. Então, o que eu faço? Simples, não faço. Não vejo novela. Não acho tão complicado assim. Mas, na hora do almoço no meu trabalho, estavam numa quase briga, com pessoal indignadíssimo porque o marido (????) meteu a porrada na esposa. Disseram que era uma cena feia, fortíssima, que mexeu.

Sim, eu imagino que sim. Foi essa a intenção do autor: causar ódio e repulsa para com o vilão, porque vilões, tive que explicar são… ruins. A madrasta da Branca de Neve queria assassiná-la, a bruxa da Bela Adormecida, por inveja, a amaldiçoou, Rumpelstiltskin queria roubar bebês de colo. Lex Luthor quer destruir o Super-Homem, MacBeth matou Deus e o mundo para continuar rei, Thanus quer ser um deus para agradar a Morte, sua amada. Vilões existem em todas as obras, eles são necessários. Sem os vilões, as características positivas dos heróis seriam embaçadas, é preciso que tenha o contraponto para realçar e é por isso que os redatores bíblicos colocam o Diabo para tentar Jesus, para que este seja visto como "O Cara". Religião sem demônios, gênios, efrites, espíritos maus, capeta etc não tem graça. Mas querem apenas gente boazinha, se bem que até gibi da Turma da Mônica tem vilão. Qual o problema dessa gente?

A DC comemorou o aniversário da Graphic Novel, A Piada Mortal, de Allan Moore. A capa escolhida deu uma celeuma das infernos. Foi esta aqui:

O mimimi foi tão grande que o autor da ilustração, um frouxo, foi correndo pedir pra DC não veicular este desenho. Não entendo isso. Afinal, na Piada mortal temos esta cena:

E depois disso, quando Bárbara, no hospital, fala com o Batman, o terror nos olhos dela mostram que ele deve ter barbarizado a garota de forma bem eficiente como só um vilão da classe do Coringa seria capaz de fazer. Mas sei lá. Por ser um palhaço, ele é bonzinho, né? Tirando o fato de ter matado Jason Todd com um pé-de-cabra:

Por falar nisso, reclamaram até que ele deu um tapão na Harleu Quinn no filme que estreará do Esquadrão Suicida. Pra que essa frescura toda?

Entendam uma coisa. O Coringa é um vilão. Vilões fazem vilanias. Vilões são ruins. Vilões são um bando de filhos da mãe (ok, ia falar "filhos da puta", mas isso ofenderia algumas pessoas). No mundo leite-com-pêra em que pedagogas fizeram lobos maus comerem cenouras cozidas, vilões não existem. Quando há um crime, trocam de canal, tampam os ouvidos e dizem lálálálálálá, pois não querem enfrentar o mundo real. Nem o de fantasia. Querem um mundo com pôneis, unicórnios e fadinhas. É como mostrar as passagens lindinhas da Bíblia, e quando você mostra as sangrentas, ignoram. A Bíblia TEM que ser boazinha e ponto final.

Game of Thrones, segundo me parece os comentários, deveria ser um desenho da Disney (a mãe de Bambi foi alvejada e virou janta). Se ao menos tivessem lido os livros, teria visto que Sansa não foi estuprada somente. Primeiro, era Jeyne Poole que foi literalmente sodomizada por vários caras. É violento, mas nada que eu já não tinha visto antes. Ainda assim, prosa é prosa, série de TV é série de TV. Cobraram do George R. R. Martin se pronunciar e ele o fez, calando o pessoal e praticamente mandando-os parar de encher o saco.

A ignorância, a falta de leitura, a incapacidade de ver um mundo mais além do que o seu próprio levou a esse pessoal, leitores de tirinhas retardadas, a reclamar disso tudo. Essa geração Crepúsculo, com vampiro vegetariano, não conseguirá ler nada mais complicado que rótulo de aspirina, e suas reivindicações deixarão o muito mais inculto, sem brilho, chato e sem graça, tal como eles mesmos.

É a idiotização da humanidade seguindo seus passos acelerados, mas eu não quero viver neste mundo. Se os incomodados que se mudem, então SUMAM DO MEU PLANETA!

18 comentários em “Chega de bandidos malvados, quero um vilão toddynho

  1. quando eu era menina achava que o destino tentava equilibrar o livre arbitrio..
    dai quando alguem fazia uma boa açao algo proprorcinal ruim acontecia.
    pra manter o equilibrio natural.
    ate anotava umas coisas pra ver se acontecia mesmo.
    algo muito bom acontecia e logo em seguida uma desgraça ou catastrofe matava um monte de gente..
    se considerar p/ exemplo que o estado islamico ta matando geral, da pra ver que toda acao politicamente correta e de bondade com o proximo ta causando pra manter equilibrio.
    so vai piorar pro ocidente.
    pra quem nao entende como a natureza funciona..

  2. Essa capa causou polêmica porque seria para ilustrar a Batgirl, uma revista feita para meninas de 10 e 14 anos, cuja a história elas ainda nem conhece, eu achei desnecessário, embora a violência e estupro de mulheres seja uma realidade ( alguns fãs dizem que houve estupro) não precisava jogar na cara dessas meninas que sua heroína não é tão fodastica assim que já foi derrotada. A arte do brasileiro ficaria melhor em uma revista exclusiva para os fãs do Batman, que assimilaria a capa na hora, a homenagem faria muito mais sentido e direcionado ao público certo.
    Já em games of thrones só estão indignados por ser uma das personagem principais e popular, já teve cenas piores na série, se fosse outra ninguém ligaria, apenas ficaria chocado por um instante. Não sabemos como isso influenciará na história da personagem daqui para frente, logo não entendo o por que das críticas

    1. eu achei desnecessário,

      Não compre a revista. Olha so como é fácil.

      embora a violência e estupro de mulheres seja uma realidade (…) não precisava jogar na cara dessas meninas que sua heroína não é tão fodastica assim que já foi derrotada.

      Então leia mais.

      Super-Homem foi morto, Batman foi aleijado, Lanterna Verde enlouqueceu e matou várias pessoas, Aquaman destruiu cidades, Homem de Ferro virou alcoólatra, o Demolidor teve a vida virada de cabeça pra baixo e você leu a parte que o Robin morreu com um pé-de-cabra na cabeça, né? VÁRIAS VEZES!

      Chama-se “jornada do Herói”. Ele ensina que o herói (desde Hércules matando sua mulher e filhos até Anakin caindo no Lado Negro da Força) tem revezes e cai, para depois levantar. É uma lição, mas vocês querem menininhas fofinhas que veem um mundinho rosa de lantejoulas, cheio de teletubbies.

      A arte do brasileiro ficaria melhor em uma revista exclusiva para os fãs do Batman, que assimilaria a capa na hora, a homenagem faria muito mais sentido e direcionado ao público certo.

      Estou procurando aqui onde a DC obrigou as pessoas a comprarem a revista. Não encontrei.

      Sobre o pq as pessoas estão enchendo o saco com Game of Thrones: Geração de gente que quer tudo certinho.

      1. Fala sério, continuo achando desnecessário e fora do contexto, as leitoras da batgirl não conhecem toda a saga do batman e muito menos a piada mortal, a não ser que os fãs do batman e coringa lêem a revista batgirl, o que dúvido.
        Todas essas histórias violentas que você citou estão descrita nas revistas, apenas os leitores, na maioria adultos, conhecem. O menino ou menina que acompanha a saga dos super heróis pelos filmes e desenhos não conhecem para eles seus super heróis são apenas super heróis, aquele que é invencível e derrota os vilões. Porque as leitoras da batgirl, que ainda são meninas de 10, 13 anos, não podem ver sua heroína assim também. tinha mesmo que jogar na cara delas que sua super heroína, batgirl, é uma merda nem derrortar um vilão consegue?
        Toda violência sofrida por Barbara em a piada mortal não foi para fortalecer ela ( jornada do super herói), e sim para mostrar a crueldade do Coringa e testar os limites e enfraquecer o Batman, na revista Bárbara é segundo plano e não protagonista.
        Sei que ninguém é obrigado a comprar, mas a revista batgirl é voltado para o público teen, que sempre compram, e não seria nessa série que deixariam de comprar, logo cabia aos produtores revisar, e revisaram e viram que a proposta da arte do brasileiro não se encaixava no contexto da revista, simples, aliás foi o próprio brasileiro que pediu ( vai ver se deu conta que sua obra naquela revista seria um desperdício) . Todo esse furô que teve foi culpa da mídia que distorceu dizendo que feminista mandaram tirar a capa porque era machista, trazia um homem humilhando uma mulher. Mas não vi ninguém falando mal da capa, só vi elogios, e quem é fã ou leitor(a) das revistas do batman entenderam a homenagem, o único questionamento era a capa no lugar errado, mas mídia adora causar e vender polêmica.

        1. continuo achando desnecessário e fora do contexto, as leitoras da batgirl não conhecem toda a saga do batman e muito menos a piada mortal

          O que vc considera desnecessário ou não é irrelevante, lamnento. O mundo não temporque se curvar ao que vc pensa.

          a não ser que os fãs do batman e coringa lêem a revista batgirl, o que dúvido

          Vc acha MEEEEEEEEEEEEESMO que menina de dez anos chega no jornaleiro e compra revista da Batgirl?

          Todas essas histórias violentas que você citou estão descrita nas revistas, apenas os leitores, na maioria adultos, conhecem.

          Tony Stark é mostrado alco[olatra no Ironman 2, por exemplo. DC e Marvel não têm culpa se ela está neste ramo há mais de 80 anos. Não conhecem? Procurem conhecer. Ninguém é obrigado a fazer trocentos reboots.

          O menino ou menina que acompanha a saga dos super heróis pelos filmes e desenhos não conhecem para eles seus super heróis são apenas super heróis

          Geração leite-com-pêra. Herói também se ferra. Ponto! Mas o mundo paulofreireano acha que tudo tem que ser lindinho, e os vilões como nos desenhos do Scooby Doo.

          Porque as leitoras da batgirl, que ainda são meninas de 10, 13 anos, não podem ver sua heroína assim também.

          Podem, têm e devem. Batgirl não é uma deusa, e mesmo deuses fazem merda. Por isso, Thor perdeu o Mjolnir, dando lugar a Jane, como a única merecedora. Hal Jordan perdeu o anel energético e até o Super-Homem, com poder de um semi-deus foi morto. O ensinamento é este: vc cai hoje para aprender a se levantar.

          tinha mesmo que jogar na cara delas que sua super heroína, batgirl, é uma merda nem derrortar um vilão consegue?

          Vaticinado: vc nunca leu nenhuma HQ. Nunca sequer leu A Queda de Murdock, que entrou num inferno pq a namorada era uma drogada e vendeu a identidade dele pro traficante, que repassou pro Rei do Crime.

          Toda violência sofrida por Barbara em a piada mortal não foi para fortalecer ela ( jornada do super herói), e sim para mostrar a crueldade do Coringa e testar os limites e enfraquecer o Batman, na revista Bárbara é segundo plano e não protagonista.

          Engano seu por três motivos.

          1) O alvo não era o Batman era Bárbara e o Comissario Gordon. O Coringa ueria provar a todos que q1ualquer um enlouqueceria tendo um péssimo dia.

          2) A parte em que ela aparece é só sobre ela. Muito mal o Batman fala. É só ela, a angústia em pessoa.

          3) Seu mimimi, levando em conta o monte de bobagens que vc está escrevendo, se suicida pelo ponto que as “meninas de 1–13 anos que não conhecem a história” NÃO LERAM A Piada Mortal. Só viram a capa. Só quem leu fez a associação.Duhhhh

          Sei que ninguém é obrigado a comprar, mas a revista batgirl é voltado para o público teen

          A capa é alternativa. Compra quem quiser. Ademais, os pais é que têm que decidir o que seus filhos leem, não as editoras.

          cabia aos produtores revisar, e revisaram e viram que a proposta da arte do brasileiro não se encaixava no contexto da revista, simples

          MENTIRA! O autor que ficou com cagaço e ELE pediu para não ser publçicado. Eu não quero que editotras decidam oque meus filhos possam ou não ler. Cabe a mim!

          vai ver se deu conta que sua obra naquela revista seria um desperdício

          Não, foi pq ele é um covarde e se rendeu ao mimimi, que nem esse seu. A gurizada não se importou.

          Todo esse furô que teve foi culpa da mídia que distorceu dizendo que feminista mandaram tirar a capa porque era machista, trazia um homem humilhando uma mulher. Mas não vi ninguém falando mal da capa, só vi elogios, e quem é fã ou leitor(a) das revistas do batman entenderam a homenagem

          Então do que vc tá reclamando, criatura?

          o único questionamento era a capa no lugar errado, mas mídia adora causar e vender polêmica

          POrque gente como vc adora essa polêmica que não existe,.

          Pobres mocinhas de 13 anos.. chuif!

          1. Do que eu reclamo? De nada, nunca reclamei da arte do brasileiro, como disse o único questionamento que fizeram foi a necessidade de ilustrar a revista Batgirl com uma história de uma outra revista adulta da qual leitores não conhecia. A mídia é que distorceu criando uma grande polêmica.
            Você está falando com uma visão de adulto que conhece as HQs de cabo a rabo. Um menino pequeno que agora esta entrando nesse universo não sabe do espancamento do Robin- ah não ser que os pais tenha dado a revista para ele ler.
            Sabemos da importância dos vilões, na batgirl ela irá se ferrar várias vezes e levantará, porém tudo será mostrado de acordo com a idade. Desculpa, as editoras tem sim responsabilidade sobre aquilo que mostra, se Maurício escrevesse uma tirinha da Mônica onde ela fode com o Cebolinha, e depois mandassem os outros se danar, compra quem quer, mesmo sabendo que o público alvo são crianças, você não reclamaria? Acharia legal, falo da revista de criança, e não daquela Monica adulta.
            Bom, não vou continuar você vai continuar dizendo que digito besteiras, eu vou discordar e não sairemos disso, pois ao contrário do que você diz, minha opinião e ponto de vista é sim importante, tanto quanto o seu, afinal também sou leitora. Se não se curva a mim, também não se curva para você, você é apenas o outro lado da discussão.

  3. “Querem um mundo com pôneis, unicórnios e fadinhas.”

    Há alguns dias meu filho estava assistindo “My little Poney” no Dkids, e pelo que vi, o vilão se fez passar por amigo e traiu todas as pôneis fofuxas pois desejava poder para conquistar o reino. Como pode ver, essa dualidade entre o bem e o mal coexistem até na mais inocente animação infantil, há maldade e traição por ódio, inveja e ambição, nem o mundo de pôneis é cor de rosa, oh wait…

  4. Mais alguns anos e Aquiles e Heitor não vão lutar e sim conversar amigavelmente sobre seus sentimentos…

    Se esse pessoal lesse Watchman iria ter O colapso chiliquento final.

  5. Tirando o spoiler básico. Fui dar uma olhada nos meus dvd’s originais da serie para ter certeza e era verdade. Tanto nos dvd’s e no menu guia da Sky indicam a serie como somente para maiores de 18 anos. Se os pais soubessem alguma coisa sobre o ECA já teriam passado a senha em metade dos canais da TV por assinatura.

  6. Existe uma tendência, não tão atual, de uma espécie de “revisionismo histórico” dos contos-de-fadas, em que os vilões são tradados como indíviduos incompreendidos e mal-orientados, sendo originalmente bons mas desviados para o “lado negro” por motivos alheios à vontade deles. Temos exemplo disso em filmes como “Oz, Mágico e Poderoso”, “Malévola” e o recente “Cinderela” em live action. Vilões e vilãs malvadões até a medula, sedentos de poder e riqueza, motivados por razões mesquinhas e pura crueldade parecem ser políticamente incorretos, no arrazoado moderno.
    A continuar assim, logo teremos aqueles que vão usar o método para afirmar, por exemplo, que os nazistas não eram tão malvados assim, que os mesmos foram vítimas da incompreensão dos historiadores.
    Ooops!

  7. Toda essa gente reclamando enquanto que, num dos links encontra-se isso:

    Em entrevista à revista “Entertainment Weekly”, a atriz Sophie Turner disse que “amou” a cena. “Quando eu li a cena, eu meio que amei. Amo que Ramsay colocou Theon para assistir. Foi tão errado. Também achei intimidador fazê-la. Tenho feito [o produtor Bryan Cogman] se sentir mal por escrever essa cena: ‘não acredito que você esteja fazendo isso comigo’. Mas secretamente eu amei”.

    Tanta coisa mais absurda pra esses otários reclamarem, mas vêm dar piti por causa de uma coisa que até a própria atriz curtiu! Uai, tem gente que gosta, ué! Dum fuc-fuc mais, digamos, mais “enérgico” né… Processem!

  8. Não é a família desestruturada, as drogas, doença mental que causam a violência. São as revistas em quadrinhos. Só falta alegar que Suzane Von Ritchofen matou os pais por ler a DC COmics (onde Lex Luthor causa a morte dos pais num acidente para ficar com o seguro e iniciar sua carreira empresarial).

  9. Se lembrarmos de que, na Idade Média real, Sansa Stark já estaria casada e com filhos antes mesmo da série começar, sendo estuprada pelo marido quando e como ele quisesse; Ned Stark teria sido torturado por vários dias antes de confessar traição e Aria Stark teria virado prostituta nas ruas da capital, a criação de George Martin ainda pega leve com a maioria dos personagens.
    Sobre a capa com o Coringa, foi covardia mesmo da DC não publicar. De que adianta ter o maior e mais famoso vilão dos Quadrinhos se não se pode retratá-lo como ele é?

  10. Olha o coração André, essa geração atual não viveu na grande depressão, segunda guerra ou gerra fria, nenhuma ameça pra endurecer seus tenros corações, e que bom que é assim deixa o mundo ficar mais manso e tenta suportar os efeitos colaterais disso.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s