O Control+Tab dos antigos

Quando eu escrevo artigos, não nem que sejam informações paralelas e adicionais, que não necessariamente farão diferença, mas ajudam em trazer mais subsídios para o melhor entendimento ou simplesmente porque é legal saber mais. No caso dos artigos especiais, eu fico com mais de uma janela dedicada a isso, com trocentas abas. É um trabalhão monumental, além de eu me perder várias vezes, mas no fim tudo dá certo.

Entretanto, fica a dúvida: como os antigos historiadores, eruditos, pesquisadores e cientistas faziam quando precisavam consultar mais de uma obra? Continuar lendo “O Control+Tab dos antigos”

A história do livro assassino e papéis de parede mortais

No romance O Nome da Rosa, um livro assassino foi o algoz de alguns monges numa abadia esquecida no interior da Itália. Olhando para o livro (ou filme), podemos pensar que isso seria um pouco (ok, muita) de maluquice, mas não é. Realmente existiu livros venenosos, e papéis de parede mais venenosos ainda!

E tudo por causa de uma tinta de cor verde. Continuar lendo “A história do livro assassino e papéis de parede mortais”

O caso do inexistente escritor que humilhou vários jornais por causa de um livro que não existia

Eu paro para refletir de vez em quando sobre a psique humana. Eu acho fora de série o que nos faz ser o que somos, em toda nossa peculiaridade. Isso fica evidente em certas histórias que nos são contadas e daí vemos como são estranhas as pessoas grandes. Para isso, tomemos um exemplo simples, mas interessante: o monte de pessoas que leram um livro, comentaram esse livro, fizeram resenha, críticos aclamaram, jornais elencaram-no como um best-seller e um “must read”. Um verdadeiro fenômeno editorial, com várias pessoas discutindo a trama, os personagens, o desenrolar da história.

Só tem um pequeno detalhe: este livro não existia. Continuar lendo “O caso do inexistente escritor que humilhou vários jornais por causa de um livro que não existia”

Que livro você faria questão que outras pessoas lessem?

Eu vi esta pergunta rolar pelas redes sociais estes dias. Sim, que livro sugerir? Dom Casmurro? Grandes Sertões Veredas? Algo daquela chata da Clarice Lispector? Vi sugerirem “O Mundo Assombrado pelos Demônios”, de Carl Sagan, na tola e vã ideia que as pessoas teriam pensamento crítico.

E foi aí que eu ri. Continuar lendo “Que livro você faria questão que outras pessoas lessem?”

Toscas discussões idiotas proferidas por quem quer aparecer

Como sempre, a falta do que fazer leva as pessoas a criarem tretas no Twitter. E a de hoje é por que temos que ter aula de Literatura estudando Machado e Assis, quando crianças deveriam ler Harry Potter. Óbvio, esta ideia retardada não poderia vir de outro lugar se não do cu de um youtubeiro (cu é aquele negócio de onde sai merda, né?). O problema, mais uma vez, é não entender para que ser escola e muito menos aula de Literatura. Continuar lendo “Toscas discussões idiotas proferidas por quem quer aparecer”

Deputada cria lei para torturar presos lendo a Bíblia

Foi aprovado um projeto de lei aprovado pela Assembleia Legislativa do Maranhão (que os idiotas do G1 acham que o acrônimo seja Alesp) visando melhorar os presidiários. A maravilha? Torna obrigatória a leitura da Bíblia por parte dos bandidos que estão presos. Eu até entendo vagabundo ir em cana por ser bandido, mas alguns castigos são exagerados.

Continuar lendo “Deputada cria lei para torturar presos lendo a Bíblia”

Liberada a primeira parte do livro

Então chegou o prometido. A primeira parte do livro que estou escrevendo  já foi liberada para os apoiadores. Basicamente, o assunto deste livro será religião, como a origem do Cristianismo e seu primeiro milênio, entre outros assuntos. Como eu tinha prometido, estou liberando os textos aos poucos para aquele pessoal que me deu uma forçam imensa me mandando doações. Achei justo dar um bônus para eles, um presentinho ou agrado. Chamem como preferirem.

Mas e os outros, André?

Continuar lendo “Liberada a primeira parte do livro”

Novidades sobre o novo livro, pires na mão e… você falou em irmã?

Dentro em breve, terei novidades. Uma delas é que eu estou preparando um novo livro; dessa vez, focado em religião, crítica textual bíblica e história (da religião, óbvio). Como o sábio filósofo disse, quem quer rir tem que fazer rir, e alguns de vocês me fizeram rir um bocado com o financiamento que vocês me direcionam. Então, resolvi dar um presentinho.

Continuar lendo “Novidades sobre o novo livro, pires na mão e… você falou em irmã?”