Professor Kickboxer usa pedagogia pro-ativa e bota moral

Qualquer um que lecionou em colégio sabe que volta e meia temos vontade de meter a porrada em um, outro aluno ou chama a turma toda para a porrada, mesmo no caso do cara dar aula em colégio estadual, com mais de 60 alunos em cada turma (só falo na presença dos meus advogados).

Em Maryland, EUA, um professor substituto foi acabar com uma briga entre os alunos. Bem, ele realmente acabou com a briga…

O caso aconteceu no condado de Prince George, em pleno colejão público. E nos EUA, colégio público não é muito diferente de um daqui do Rio ou de qualquer lugar do Brasil. O Gwynn Park Middle School não é lá um primor de lugar, convenhamos. De qualquer forma o problema começou quando dois ou três alunos estavam brigando na sala de aula e o professor substituto que lá estava resolveu usar o velho adágio do Ensino. Ele deixou o Piaget e evocou o Pinochet. Deu nisso:

– Professor, o que é bom?
– Meter o cinto nos seus inimigos, vê-los fugindo diante de você e ouvir o lamento dos outros estudantes!

O professor, cujo nome não foi divulgado, foi demitido depois que o vídeo caiu nas interwebs. Os pais dos alunos – aqueles pobres coitados que estavam saindo na porrada, o que pode ser visto no próprio vídeo – estão bolados e ameaçam de processo (Oba! Money! Money! Money!), já alguns deram razão ao professor.

A polícia está investigando o caso e a Internet está em dúvida se protege as criancinhas e corre o risco de ser taxada de racista pelo fato do professor kickboxer ser negro. Se o cara deixasse os alunos saindo na porrada, iam reclamar. Tudo o que ele fizesse iam reclamar.

Mas o mais maneiro ainda é a loirinha fugindo com cara de Run to the hiiiiiiiills!!!!!!!!!


Fonte: RT via Cardoso

15 comentários em “Professor Kickboxer usa pedagogia pro-ativa e bota moral

  1. veja se não resolveu a situação em segundos.
    Aluno folgado tem mesmo que ser castigado
    Mas isso ainda vai dar muito pano para manga……

  2. ri demais da referencia do Conan vão pensar que eu sou maluco aqui em casa, será esta manifestação pedagógica a primeira de muitos gritos de ”chega!” de tudo que os professores suportam? eu espero sinceramente que sim 3:-)

    1. Afinal, o que é o melhor na vida?
      Uma planície aberta, um cavalo veloz e o vento nos cabelos.
      NÃO! Pergunte ao professor!

      Até me engasguei quando vi a referência no texto!
      E na boa, o cara ainda podia ter dado mais umas cintadas usado mais pedagogia pró-ativa pra que eles se lembrassem no couro o que acontece com criança mal comportada!

  3. Heheehhe achei mais engraçado o caboclinho levantando e se vendo diante de um dilema: vou ou não pra cima de um cara bem maior do que eu que já provou que não tá pra brincadeira?

  4. Minha mulher tentou dar aulas em escola pública por alguns anos, não deu certo.
    Vejo esse cara e lembro de um amigo meu que jogou o celular do aluno pela janela da sala. Bons tempos.
    Só espero que os processos não ferrem ele, porque o emprego, a essa altura, ele já perdeu.

  5. Lembro de um professor de matemática que tive no 1º ano do E.M., o Ten. Magalhães, que tinha 2,03 m de altura e jogava basquete. Sucedeu que, certo dia, farto do Al. Silas (apelidado pela professora de biologia como futuro dono da concessionária “SilasCar”), o bom homem o avisou 3 vezes que parasse com a bagunça, a peste continuou atirando bolinhas e pedaços de giz, que, pro mal dele, acabaram por atingir a vasta área ocupada pelo armário tenente. Este, lentamente se virou, o encarou, foi até a cadeira dele e o levantou pelos tornozelos para fora da janela (aquelas que ocupam uns 2/3 da parede). “O senhor vai continuar perturbando os seus colegas e atrapalhando a minha aula, senhor Silas?” Nem precisou de cinta!
    Normalmente, o que teria acontecido se fosse pra seguir o padrão de hoje em dia:
    -Ia ter pelo menos um infeliz filmando com o celular;
    -Ia ter gente gritando, reclamando, chorando;
    -Iam colocar o “coitadinho do Silas” como vítima de um monstro;
    -Os alunos denunciariam o professor;
    -O pobre do professor seria criticado até o c# cair da bunda;
    -E ele seria processado muito xingado no twitter…

    1. Rezam as lendas aqui em Fortaleza, que um famoso professor de matemática, após perceber que um aluno havia chegado atrasado e entrado na sala pela caixa de concreto do ar condicionado, obrigou o infeliz a sair por onde entrou. Enquanto isso, aula parada para todo mundo.

      1. No fim das contas, o que aconteceu com o ten. Magalhães: Ele foi, ao contrário do que se espera nesse mundo traumatizador de criancinhas, totalmente apoiado pelos alunos (até pq, se dependesse deles, Silas teria sido solto pela janela), no corredor, o profº recebia discretas palmas e polegares erguidos em aprovação, nenhum aluno denunciou nada (o cara era um ótimo professor, oras, não queríamos ficar sem as aulas dele!), nenhum papai nem mamãe histéricos vieram ao colégio fazer queixa, afinal, o Silas tinha plena consciência do que estes fariam com…ele(!) se reclamasse. E, depois, descobriu-se que o ten. se chamava Rafael Magalhães, pq ele ganhou muitos seguidores no Twitter ^^

      2. Fico imaginando o cara mandando o aluno de volta pra fora pelo buraco do ar, empurrando-o com uma vassoura ou algo assim, tipo minha vó botando pra fora os sapos que entram na casa pelo buraco do fogão à lenha, abaixo de pancada e vassourada… (é uma fazenda, tá, só pra constar)

        1. Ao que me foi relatado, o dito cujo entrou pelo buraco, sentou-se em sua cadeira no auge da cara de pau, e, quando o professor notou, disse apenas “Você. Saia já da minha sala.” Quando o mau elemento ia em direção à porta, o professor interrompeu: “Não senhor. Saia por onde você entrou.”

          Nada além da turma calada, enquanto isso.

          Alguns professores têm Andromeda-sized adamantium balls.

  6. Colégio Visconde de Porto Seguro Unidade II, Currículo B, anos 80-90… Alguém?
    Sério! Cheguei a pensar que alguns professores nunca poderiam erguer demais as mangas para não mostrar a suástica marcada à ferro quente…

  7. Pingback: Blog do Lucho

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s