O que são rios voadores? Como ensinar sobre isso?

Por que Hodor só diz "Hodor"? Ciência (como sempre) explica
Estado dos Camelinhos de Allah ataca patrimônio brasileiro

Se você é morador de São Paulo está felicíssimo com rodízio de água e a multa por gastar demais, enquanto a SABESP jogar quilolitros de água literalmente pelo esgoto. Fica difícil para nós, professores, explicarmos sobre ciclo da água para as crianças e, em seguida, dizer que falta água. Como assim falta água? A resposta é que se desperdiça muito mais e você que se dane. Ainda assim, ficamos pensando "de onde vem esta água?". Isso somado à pergunta: "Por que as chuvas estão diminuindo?". Se estamos tão perto do oceano, as chuvas ainda deveriam estar tranquilamente inundando nossas vidas, certo? Tipo: como ensinar aos meus alunos se eles fizerem perguntas desse tipo? Ignoro e mando ficar recortando florzinha?

Todo Caderno dos Professores é um Livro dos Porquês. Peguem seus materiais, aprenderemos Geografia, Biologia, Climatogia e Física.

1ª Parte – Biologia

Você sabe que plantas são seres vivos. Qualquer um sabe isso. Você também sabe que qualquer planta que se preze precisa de água para manter seu sistema vital, além de controlar sua temperatura. Assim, não só manter suas seivas, bruta e elaborada, mas manter suas temperaturas de forma que não torrem, ainda mais que elas não são animais, que possuem sistemas melhores para isso.

Mas como plantas "bebem água"? Bem, elas precisam pegar do solo e, mais importante, ficar com elas. Dessa forma, o modo mais eficiente é gerar pressão negativa, fazendo com que ela "chupe" água do solo. E isso é feito com evapotranspiração.

Evapotranspiração é um sistema em que a água escapa da planta, através de estruturas chamadas "estômatos". Estas estruturas aqui do lado que parecem lábios, e têm a mesma função estrutural: abrir e fechar. Quando os dias estão muito quentes, os estômatos (essas estruturas vistas na foto ao lado, com auxílio d um microscópio óptico) se abrem, deixando passar vapor d’água. Mas isso não é feito de qualquer forma. Cactus, por exemplo, não podem se dar ao luxo de perder água, por isso, a Seleção Natural escolheu qual planta estaria mais adaptada. Ganhou aquela que tinha folhas enroladinhas, ou seja, aquilo que você pensa ser espinhos, na verdade, são folhas modificadas, ficando a água armazenada em seu interior.

As folhas, de uma maneira geral, exercem um papel fundamental para a fisiologia das plantas. Não é à toa que elas têm um formato fino e largo, em que podemos chamar de "formato laminar", pois parece uma lâmina.

Claro, eu citei o caso dos cactus e suas folhas folhas enroladas. Dessa forma, seria complicado eles terem grande área exposta ao Sol, a fim de receber a maravilhosa radiação ultra-violeta, bem como captar oxigênio e gás carbônico. É por isso que eles usam o próprio caule. Sendo assim, se algum livro vier "as folhas são responsáveis pela respiração das plantas" ou "folhas são os pulmões das plantas", sinto muito.O livro está errado.

Você pode fazer um experimento mais que conhecido, mas volta e meia "esquecem" dele. Basta uma planta e um saco plástico. Desnecessário maiores explicações:

Molhando normalmente a planta, colocando um saco plástico e pondo no Sol, veremos o saco ficar orvalhado, isto é, a água perdida pela planta escapará sob a forma de vapor, encontrará as paredes do saco e se condensará. Este experimento é importante, pois faremos uma adaptação dele daqui a pouco.

2ª Parte – Geografia

Bem, estamos com sérios problemas de chuvas, atualmente. Os reservatórios estão secando, mas não deveriam. O problema principal: está chovendo no lugar errado, e pouco importa que você more na Vila Mariana, em São Paulo, e está chovendo torrencialmente, se não chove no complexo da Cantareira. O máximo que você pode fazer é separar uns baldes, caixas d’água, panelas entre outros utensílios para coletar essa água. Agora, no início de abril, é que está chovendo nos reservatórios, mas eles ainda estão no volume morto, isto é, é a parte do reservatório abaixo das comportas das represas. É uma espécie de tanque reserva, que nem tem no seu carro. Como alguns idiotas olham o indicador de combustível e acham "meh, ainda tenho 5 litros de combustível", estando no meio do caminho ao sair de São Paulo pro Rio de Janeiro, o tanque reserva ainda lhe dá mais alguns metros para você encontrar algum posto de combustível. O nível "zero" de uma represa não é zero, zero mesmo. É um zero técnico. tem mais alguns metros de profundidade, mas nada muito OHHHH. Praticamente, dá pra molhar os pés.

Com o baixo índice de chuvas, o sistema vem secando, secando, secando… Alguém viu isso? Viram, sim! Mas quem liga pro que os chatos alarmistas falam? E isso desde a ECO 92, que foi um excelente evento turístico de líderes de outros países, mas que não se resolveu praticamente nada.

O problema não está no sudeste, que apesar de ter alto índice de chuvas, está com índices pluviométricos cada vez menores. Mas por que chove muito no sudeste e não no Nordeste? Resposta: por causa de duas coisas: A Amazônia e os Andes.

Eu sei, você pensa que as chuvas acontecem por causa da evaporação das águas dos mares e oceanos. Sim e não. As águas dos mares e oceanos realmente evaporam e formam nuvens de chuva, mas se fosse só por isso, choveria mais nas regiões litorâneas, e devemos lembrar que a cidade de São Paulo não tem contato com o mar. De onde vêm as chuvas, então? Do Tietê? Não, da Amazônia!

A Amazônia tem muitas plantas (you don’t say!). Imaginem aquele lindo cenário, com todas as plantinhas do tamanho de um prédio bebendo muita água e evapotranspirando. A imensa quantidade de umidade no ar não vem, então, dos oceanos., Vem das plantas. Essa imensa quantidade de água vem pelos céus e a quantidade é tão grande que foram chamadas de "rios aéreos" ou "rios voadores". Sim, é meio absurdo pensar que tem um monte de água correndo pelos céus sob a forma líquida, mas meus queridos, é isso que nuvens são: água em forma líquida. Nuvens NÃO SÃO água no estado de vapor.

Já começa que a floresta amazônica nem deveria estar ali. Peguem um mapa e vejam bem as regiões tropicais:

Vemos as regiões desérticas em áreas tropicais, como é o caso do Saara, o Atacama etc. Isso se dá por causa de algo chamado Célula de Hadley, um modelo de circulação fechada da atmosfera terrestre predominante nas latitudes equatoriais e tropicais e você não está entendendo nada, não é?

Vejam que nas regiões acima da linha do Equador e os Trópicos de Câncer e Capricórnio (vocês sabem oque é isso, né?), há predominância de desertos. Isso porque o Equador recebe a maior quantidade de luz solar, e por convecção, o ar quente circula do meio para os lados, dando de cara com os ventos vindos das camadas mais frias, e voltando. Afinal, o ar é péssimo condutor de calor. Essa convecção é chamada de Célula de Hadley.

Mas reparem que na linha da Austrália, não temos desertos na América do Sul, mas temos na África. Por quê? Por causa da Cordilheira dos Andes. E é por causa delas que ocorrem o fenômeno dos rios aéreos. Algumas animações mostram como são esses rios aéreos, mas não é bem assim. A água não conseguiria viajar por toda a extensão da Amazônia. Esse volume de água vem dos rios da região. Estes rios também evaporam e formam nuvens. As plantas absorvem água, transpiram e este vapor formam nuvens, também. Estas nuvens vêm pro meio do país, certo? Errado! As nuvens são carregadas pelos ventos alísios de forma a seguir a linha do Equador, mas dão de cara com a imensa cordilheira dos Andes, assim, a umidade, que ainda funciona como um fluido, vai seguindo a cordilheira e vai descendo, passando bem longe do sertão nordestino. por isso o índice de chuvas é tão esparso lá (entre outros motivos).

As nuvens resvalam pro Centro-Oeste e indo pro Sudeste, em que promovem alto índice de chuvas. Em outras palavras, chove muito por aqui por causa da Amazônia. Mas como demonstrar isso pros seus alunos?

O que você está vendo é um aquário, com uma placa de vidro separando-o em duas partes. Na esquerda, colocou-se um potinho com água. Na direita, uma plantinha bem regada, e por cima de tudo um papel de PVC. A luminária está com uma lâmpada incandescente, de forma que possa não só iluminar, mas aquecer o sistema também. A luz e o calor entram, mas o calor fica lá retido, como num efeito estufa.

Após algum tempo, notamos que a parte com o pote de água não teve lá grandes alterações, mas na da planta:

Essencialmente, é a mesma experiência do saco plástico na plantinha. Igual no motivo, diferente na execução.

Então, qual o problema da seca? Simplesmente a Amazônia está sendo devastada por causa do desmatamento. A seguir, vemos uma foto da NASA mostrando o desmatamento em um ano:

No documento O Futuro Climático da Amazônia, vemos quais os impactos que o desmatamento da Amazônia causam. Ficaremos sem oxigênio? Não, já cansei de explicar que ela não é responsável pelo oxigênio e nem é o pulmão do mundo. Mas a grande parte da umidade atmosférica que o Sudeste recebe bem de lá, mas não exclusivamente é claro.

Curiosamente, o clima desértico do Saara é o que mantém a Floresta Amazônica bem saudável, já que os ventos carregam sais minerais pelo oceano até chegar aqui no Brasil. Estes sais minerais caem na terra por causa das chuvas causadas pela evaporação das águas do Atlântico. Plantas adoram água e sais minerais, além da alta incidência de luz solar que a região equatorial recebe. As plantas crescem enormemente e mandam muito vapor d’água para a atmosfera. Estas toneladas de água viajam pelos céus, seguem o contorno dos Andes, encontram áreas mais frias e caem sob a forma de chuva, formando mais rios, que abastecerão os reservatórios de água.

Então, quando você for na cozinha pegar um copo de água, entenda porque é preciso estudar Biologia, Física, e Geografia. Sua vida bem depende delas.

Por que Hodor só diz "Hodor"? Ciência (como sempre) explica
Estado dos Camelinhos de Allah ataca patrimônio brasileiro

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • que artigo sensacional. eu so quero dar os parabéns mesmo por colocar tanta informação tao bem ordenada e condensada (não resisti). realmente impressionante!

  • NestorBendo

    Mas, certas disciplinas são redundantes na grade curricular do ensino fundamental e médio. Sim, agora senta lá, Denise.

  • Tiago Melo

    Ótimo artigo, parabéns!

  • Thiago Cururu

    Muito bom mesmo.

  • Rogerio

    Muito bom o artigo, mas fiquei com uma dúvida.

    No quinto parágrafo da parte de geografia, temos:
    “Nuvens NÃO SÃO água no estado de vapor.”

    No nono, temos isso:
    “Estes rios também evaporam e formam nuvens. As plantas absorvem água, transpiram e este vapor formam nuvens, também.”

    Se alguém puder esclarecer, ficarei agradecido.

    Pryderi respondeu:

    O vapor sobe, encontra temperaturas mais frias e se condensam. Essa condensação faz a água passar pro estado líquido, o estado físico no qual as nuvens estão.

    Rogerio respondeu:

    Entendi. Achei que isso só acontecia no momento em que chovia. Ou seja, achei que a condensação, já era a chuva propriamente dita.

    NestorBendo respondeu:

    As gotas de chuva se formam pela condensação, geralmente com ajuda de partículas de poeira presentes na atmosfera.

    As gotas de chuva só caem quando o peso delas supera a força proveniente da eletricidade estática e da convecção de ar quente. São as mesmas razões que mantém a própria poeira suspensa no ar.

    Ciência do ensino médio, aplicada numa disciplina chamada Hidrologia, da Engenharia Civil (com certeza a Meteorologia também tem essa na ementa) – meu professor fazia questão de passar uma aula a mais só explicando a formação da gota de chuva.

    Bruno Luiz k. respondeu:

    Ou passar aquele documentario “Nuvens” da Tv Cultura