A real virtualidade do deserto do real… ou algo assim

Quando eu vejo certas coisas, eu acho que as pessoas andam lendo, ou melhor vendo, ficção científica demais. Como cientista de uma disciplina puramente experimental, olho atravessado pesquisas de campo puramente teóricas E, não. Não existe Química Teórica. Pesquisar um novo composto baseado em propriedades físicas e químicas não é química até comprovar que este composto pode existir. Mendeleyev fez um bom trabalho prevendo elementos que ainda não tinham sido descobertos, mas isso ainda não era Química.

Então, eu vejo uma matéria na Popular Science – que mais parece a versão gringa da Superinteressante de hoje – onde questionava se não vivíamos numa simulação computadorizada. Um artigo muito bom e divertido… pelos motivos errados.

O artigo tem o título "How Do We Know We’re Not Living Inside A Massive Computer Simulation?". A resposta simples é: Não sei nem temos como saber. Pronto! Podem ir pro 9GAG ler besteira, mas se você, no auge de sua insânia, quiser saber pelo modo mais complicado, acompanhe-me.

O besteirol começa questionando se nosso Universo não seria nada mais do que uma simulação de computador enorme, e se o que vemos e vivemos hoje não seria como no filme Matrix. Depois que os irmãos-de-nome-cheio-de-consoantes escreveram aquela história, um bando de lunáticos começou a se questionar, a questionar o mundo e se trancarem no banheiro "pensando" a respeito. Um fenômeno que sempre acontece quando idiotas assistem a filmes assim ou mesmo novelas, para depois brigar com os atores que fizeram o papel de vilão. Regina Duarte já apanhou na rua por causa disso e o pessoal se benzia quando passava perto do Almir Sater.

O filme dos Wachowski induzia que o mundo estaria todo ferrado e as máquinas dominaram tudo, ‘tava tudo dominado. Os humanos eram fonte de energia e as máquinas simplesmente… bem, eu nunca entendi essa parte, já que elas não faziam nada, apenas estavam lá, como fungos também estariam. Para deixar os humanos felizes, eles criaram a Matrix, que era um mundo idealizado, gerado por computador. O herói chega e liberta todo mundo (ou quase), deixando-os num mundo devastado, em condições precárias, tendo que brigar por comida, sustento etc, Mas isso é liberdade. Uhuuuuu!

O filme teria se baseado, entre outras coisas, no livro Simulacros e Simulação, de Jean Baudrillard, por sinal chato pra cacete numa verborragia psicossociologicafelozófica que o pessoalzinho pedante adora citar como se aquilo fosse as Tábuas da Lei. A Superinteressante disse que mudou a humanidade "porque expõe uma nova ótica sobre as mudanças impingidas pela mídia na vida contemporânea."

Este livro mudou a minha vida: me fez ser mais criterioso para não ler besteiras como essa.

No artigo da PopSci é dito que pesquisadores estudam como partículas subatômicas interagem e que, mediante supercomputadores além de nosso tempo ainda, o estudo seria tão elementar para a construção do Universo, que é basicamente uma simulação do próprio Universo. Daí vem a questão asinina: "Como podemos saber que não estamos vivendo dentro deste mesmo tipo de simulação?"

O dr. Silas Beane, professor associado do Departamento de Física da Universidade de New Hampshire estuda quais os parâmetros para isso. Segundo o artigo, as coisas podem ser mais ou menos ilimitadas, mas em computadores elas teriam que ter limites. Quais são esses limites? As Leis da Física.

Então, pensemos na possibilidade de estarmos numa simulação num hipermegaultramotherfucking computador. Essa simulação criou tudo, inclusive as condições básicas como átomos, partículas subatômicas e interação entre partículas. Teria que construir equações matemáticas que representassem entidades físicas, como força, energia etc. Estamos entendidos até aí?

Ok, vamos a outro ponto. Vamos ver o Universo das histórias em quadrinho, HQ. O Universo da DC é policiado pela tropa dos lanternas Verdes. Seu poder vem d força de vontade, que molda a realidade com o poder do Anel Energético, cuja energia vem da bateria que cada um deles tem e é alimentada pela imensa bateria em OA. De princípio, de onde vem a energia da bateria em OA? No Universo da DC, as leis da Termodinâmica foram dobradas, bem como as leis de Newton, já que o Super-Homem pode levantar um prédio sem que ele afunde no chão (ação e reação). Na Marvel, temos os X-Men, onde mutações genéticas conferem poderes especiais e a Ororo Monroe pode… controlar o clima?

Voltemos.

No texto é dito que as  Leis da Física teriam que ser obedecidas, mas é ilógico pensar assim, já que eu posso criar qualquer lei que eu quiser, pois eu estou criando um Universo particular, como qualquer produtora de vídeo-game faz. Eu posso criar uma história, uma simulação em 2D, posso criar até em 4D, com personagens indo e voltando no tempo, como qualquer livro, filme, desenho, HQ etc já cansaram de explorar.

Beane, ao que pude entender, não estava com arroubos pseudointelectualoide. Seu artigo (paper my ass) visa muito mais que isso. Visa entender o mundo como ele é e, para isso, criar uma simulação dele. Qualquer pseudoconjectura a esse repsito fica a cargo de jornalistas, e jornalista falando de Ciência…

Se estamos vivendo numa simulação será praticamente impossível saber. No Universo "de verdade" as leis da física e da química serão totalmente diferentes do que nós conhecemos. As entidades biológicas serão diferentes, tudo será diferente. Os computadores não serão como os nossos, o próprio conceito de informática será diferente, as máquinas calculadoras seriam absurdamente mais complexas, e se mal entendemos os computadores mecânicos que os gregos e chineses usavam, que dirá algo fora de nossa "realidade". Tudo será tão diferente que jamais teríamos condições de entendê-las, o que faz as palavras de John Burdon Sanderson Haldane soarem como uma predição ao dizer  "A minha suspeita é de que o universo seja não apenas mais estranho de quanto supomos, porém mais estranho do que podemos supor."

26 comentários em “A real virtualidade do deserto do real… ou algo assim

  1. Um dos males que Matrix trouxe foi o grande número de pseudo-filósofos que argumentam algo como “a filosofia é o estudo que tenta desvendar se estamos dentro de uma simulação”. Sério, já vi pessoas querendo pagar de filósofos citando Matrix, e só.

    E é óbvio que não estamos dentro de uma simulação. Se estivéssemos, o sistema travaria toda hora, visto que o universo possui muitas variáveis rodando em múltiplas threads, que acessam os mesmos dados em memória. Haveria muitos death-locks e o banco de dados seria muito lento.

    Ou não…

  2. Teorias científicas que estão ganhando um grande número de adeptos, como a dos multiversos, se pararmos para analisar, parece de certa forma que os teóricos estão “tentando tornar sério possibilidades infantis”. Em minha opinião deve ser testada todas as possibilidades, mesmo as mais absurdas, dando sempre enfoque naquelas que apresentam uma maior quantidade de evidências.

    E sim, existem cientistas que estão se deixando levar muito por FC, o que me fez lembrar que as ideias de Lamarck, na biologia, eram bastante aceitas, até que veio um jovem inglês inflamando por ideias florescentes de sua época transformar assuntos como hereditariedade, variabilidade de espécies, adaptação ao meio, com mais cara de ciência.

  3. “A Superinteressante disse que mudou a humanidade “porque expõe uma nova ótica sobre as mudanças impingidas pela mídia na vida contemporânea.” Este livro mudou a minha vida: me fez ser mais criterioso para não ler besteiras como essa.”

    Meio off-topic, mas sempre gostei da idéia da Superinteressante, aquela coisa de colocar o conhecimento científico numa forma fácil de entender. Isso até pegar um dia pra ler.

    Em um artigo sobre aquela bactéria feita no computador (que tinha até Shakespeare no DNA dela) havia uma ilustração que fazia um chiste (ou assim pensei) com a criação do mundo. Dia 1 – Deus criava o Universo, Dia 2 – Deus criava a Terra, o céu e o mar. Dia 3 – Deus criava os organismos unicelulares. (…) Dia 7 – Cama.

    Abaixo da “linha do tempo” começava com os seres humanos: Dia 2 374 125, os seres humanos criam os organismos unicelulares. Piadinha boa, até pegar o papel e dividir o número por 365.25 e ver que dava algo em torno de 6000 anos e uns trocados.

    Assim não dá para confiar no que eles escrevem.

  4. Confesso que quando leio um artigo cético, sinto uma espécie prazer, pois a assimilação e compreensão do que é exposto, é total. Sair dessa situação de conforto é sempre estressante.

    O universo é lógico, as leis da física são lógicas, tudo é calculável e passível de experimentação nesse universo 3D. O universo é tão lógico, que retroceder até milionésimos de segundo após o big-bang foi moleza para os físicos e cosmologistas. Tudo muito bom, tudo muito bem, até ai. Mas, e depois, ou melhor, e antes, o que houve antes? O que deu origem ao big-bang? Neguinho começa a coçar a cabeça.

    O limite dos cálculos lógicos é a singularidade. Então, para explicar o ilógico, começaram pipocar teorias ilógicas, que após o desenvolvimento da física quântica, já não pareceram tão ilógicas assim. É apenas o universo visto de uma perspectiva diferente.

    Certo, há muita bobagem baseada em física quantica. Basear teorias em algo que a ciência ainda não compreende, é claro, é bobagem. Mas, não dá pra negar que as experiências quanticas e seus resultados nos mostram que há algo além do convencional, não dá pra negar isso. E aceitar isso, nos tira dessa posição de conforto, onde tudo é lógico e passível de explicação fáceis de serem assimiladas (nem tão fácil para alguns).

    Fazendo uma analogia com os europeus com medo de cruzarem os mares e cair no abismo do fim do mundo. A singularidade é o nosso abismo do fim do mundo atual.

      1. @André, Sai do contesto? Acho que não. Vc diz que a hipótese de o universo ser uma grande, mega realidade virtual ou uma realidade simulada, é um grande besteirol. Pode ser fantasioso, improvável, uma teoria que careça de consistência, mas um besteirol, não, não é. Pq besteirol se deixa de lado, se ignora, joga-se pra escanteio. E não devemos fazer isso! Não nesse caso.

        Vc diz tbm que se estamos inseridos numa realidade virtual, que talvez jamais saibamos. Bom, pelos métodos tradicionais, talvez seja mesmo impossível constatar isso, caso seja real essa hipótese.

        Albert Einstein nos mostrou que somos energia, que toda massa é energia em estado latente. A física quântica nos mostrou que tudo está emaranhado, que a percepção de separação no universo 3D é ilusória. A nível subatômico as leis da física vão pelos ares. E no entanto, o universo macrocósmico está inserido no universo microcósmico. Apesar de possuírem leis diferentes, o universo macrocósmico tem por base o universo microcósmico.

        Essas afirmações não foram tiradas de um livro de ficção científica não, são teorias baseadas em testes controlados, que foram repetidos várias vezes e que não pode ser negado ou negligenciado.

        Se quisermos compreender a fundo como o universo funciona, teremos que abrir mão de regras pré-estabelecidas. É uma perspectiva totalmente diferente.

        A ciência não pode correr o risco de se tornar dogmática.

        1. Sai do contesto? Acho que não. Vc diz que a hipótese de o universo ser uma grande, mega realidade virtual ou uma realidade simulada, é um grande besteirol. Pode ser fantasioso, improvável, uma teoria que careça de consistência, mas um besteirol, não, não é.

          Show me proof.

          Pq besteirol se deixa de lado, se ignora, joga-se pra escanteio. E não devemos fazer isso! Não nesse caso.

          OK, então me diga quais as leis da química que existem fora deste Universo.

          Vc diz tbm que se estamos inseridos numa realidade virtual, que talvez jamais saibamos. Bom, pelos métodos tradicionais, talvez seja mesmo impossível constatar isso, caso seja real essa hipótese.

          O pessoal discorda de mim concordando. Nunca entendi este fenômeno.

          Albert Einstein nos mostrou que somos energia, que toda massa é energia em estado latente.

          E tb era contra a Mecânica Quântica. O ponto é?

          A física quântica nos mostrou que tudo está emaranhado, que a percepção de separação no universo 3D é ilusória.

          “Se vc acha que entendeu alguma coisa de Mecânica Quânticam então vc definitivamente não entendeu nada de Mecânica Quântica”.
          — Richard Feynman.

          A nível subatômico as leis da física vão pelos ares.

          Não vão, não. As Leis da Termodinâmica ainda são válidas. A não ser que vc me prover energia aparecendo do nada.

          E no entanto, o universo macrocósmico está inserido no universo microcósmico.

          Esse aí andou vendo MiB demais.

          Apesar de possuírem leis diferentes, o universo macrocósmico tem por base o universo microcósmico.

          Okey, então me mostra um próton se transformando, PLIN!, num elétron, sem haver nenhuma perda, seja de massa, energia ou carga.

          Essas afirmações não foram tiradas de um livro de ficção científica não, são teorias baseadas em testes controlados, que foram repetidos várias vezes e que não pode ser negado ou negligenciado.

          Quero ver vc deduzir um plano de “realidade” superior e que estamos inseridos numa simulação com base nisso. Tenta a sorte aí.

          Se quisermos compreender a fundo como o universo funciona, teremos que abrir mão de regras pré-estabelecidas. É uma perspectiva totalmente diferente.

          Não é o que o pessoal da Nova Era diz?

          A ciência não pode correr o risco de se tornar dogmática.

          Muito menos de virar achismo.

          1. @André, 1º- Eu nunca estive fora desse universo para saber quais leis químicas são inerentes a outros universos. Na verdade eu não entendi muito bem a sua colocação. Vc está insinuando que outros universos só são possíveis se apresentarem o mesmo modelo de reações químicas inerentes ao nosso universo? Pelo que eu saiba, a TEORIA de universos paralelos foi desenvolvida para explicar a dinâmica do universo pré-big-bang.

            2º- Eu disse que PELOS MÉTODOS TRADICIONAIS talvez seja mesmo impossível constatar que vivemos numa realidade virtual. Mas se ousarmos experimentar… quem sabe?

            3º- Sim, Einstein discordava de alguns pontos, mas descordando ele ou não, a mecânica quântica é inerente a física quântica, assim como a mecânica clássica é inerente a física clássica. E quando Einstein morreu, ele estava trabalhando numa teoria que tentava explicar o absoluto, a teoria do campo unificado. Para Einstein nada poderia se mover acima da velocidade da luz. Mas, duas partículas elementares quando correlacionadas, e depois separadas, continuavam se comportando como se estivessem juntas. Elas não estavam se comunicando acima da velocidade da luz, mas sim respondendo a estímulos uma da outra, e vise-versa, instantaneamente. E isso é fato.

            4º- E no entanto, o universo macrocósmico está inserido no universo microcósmico.

            Falei alguma besteira? Não somos compostos de átomos? Os átomos não são compostos de prótons e nêutrons e elétrons?

            5º- O universo, a nível subatômico, é composto de átomos, que são compostos de prótons nêutrons e elétrons. Então, eu posso dizer que o macrocosmo esta inserido no microcosmo, já que toda massa do universo tem por base os átomos. O macrocosmo funciona bem com as leis da mecânica clássica e o microcosmo funciona bem com a mecânica quântica. Um faz parte do outro, e no entanto, possuem leis distintas. Pq? Num sei!

            6º- A ideia não é embasar a teórica da realidade virtual em alguns experimentos bem sucedidos da física quântica, mas sim admitir a possibilidade antes de descartar.

            7º- Temos que obrigatoriamente dizer o inverso do que diz o pessoal da nova era? Ou vc está insinuando que eu faço parte desse movimento. Não entendi.

            8º- Toda teoria é achismo até que se prove com experimentações bem sucedidas.

            Cara, adorei seu site. Como disse antes, eu tenho prazer em ler artigos céticos, é quase um gozo. Desculpe qualquer coisa, e pode ter certeza que serei um leitor assíduo. Até +

          2. 1º- Eu nunca estive fora desse universo para saber quais leis químicas são inerentes a outros universos.

            Então, abstenha-se de elucubrações sem sentido.

            Na verdade eu não entendi muito bem a sua colocação.

            Normal.

            Vc está insinuando que outros universos só são possíveis se apresentarem o mesmo modelo de reações químicas inerentes ao nosso universo?

            RTFA.

            Pelo que eu saiba, a TEORIA de universos paralelos foi desenvolvida para explicar a dinâmica do universo pré-big-bang.

            Vc sabe muito pouco.

            Eu disse que PELOS MÉTODOS TRADICIONAIS talvez seja mesmo impossível constatar que vivemos numa realidade virtual. Mas se ousarmos experimentar… quem sabe?

            Se meu pai fosse mulher, eu teria duas mães. Quero ver vc bolar uum experimento que não dependa das nossas leis naturais. :mrgreen:

            Sim, Einstein discordava de alguns pontos, mas descordando ele ou não, a mecânica quântica é inerente a física quântica

            NÃO! SÉRIO?

            assim como a mecânica clássica é inerente a física clássica.

            NÃO! SÉRIO?

            E quando Einstein morreu, ele estava trabalhando numa teoria que tentava explicar o absoluto, a teoria do campo unificado.

            E inventou uma constante maluca para poder dar sentido ao que ele estava fazendo.

            Para Einstein nada poderia se mover acima da velocidade da luz. Mas, duas partículas elementares quando correlacionadas, e depois separadas, continuavam se comportando como se estivessem juntas.

            Qual foi mesmo o experimento que demonstrou isso?

            Elas não estavam se comunicando acima da velocidade da luz, mas sim respondendo a estímulos uma da outra, e vise-versa, instantaneamente. E isso é fato.

            Se vc diz.

            E no entanto, o universo macrocósmico está inserido no universo microcósmico.

            Não está, não.

            Falei alguma besteira?

            Falou.

            Não somos compostos de átomos? Os átomos não são compostos de prótons e nêutrons e elétrons?

            Uma casa é feita de tijolos. Logo, as casas estão dentro dos tijolos. Sua é escrita sofrível e sua fundamentação é pior ainda.

            O universo, a nível subatômico, é composto de átomos, que são compostos de prótons nêutrons e elétrons.

            NÃO! SÉRIO?

            Então, eu posso dizer que o macrocosmo esta inserido no microcosmo

            E eu posso dizer que vc não sabe o significa a palavra “inserido”.

            já que toda massa do universo tem por base os átomos.

            E minha casa está dentro de cada tijolo…

            O macrocosmo funciona bem com as leis da mecânica clássica

            Não funciona não. ;) A Mecânica Clássica não explica O QUE causa a gravidade.

            e o microcosmo funciona bem com a mecânica quântica.

            O que quer dizer bem pouco.

            Um faz parte do outro, e no entanto, possuem leis distintas. Pq? Num sei!

            Porque ninguém disse que algo tinha que obrigatoriamente estar ligada a outra coisa. Seu palavrório passou anos-luz do artigo.

            A ideia não é embasar a teórica da realidade virtual em alguns experimentos bem sucedidos da física quântica, mas sim admitir a possibilidade antes de descartar.

            Não é isso que o pessoal da Nova Era faz?

            Temos que obrigatoriamente dizer o inverso do que diz o pessoal da nova era?

            Se eles provarem seu monte de besteiras, claro que não.

            Ou vc está insinuando que eu faço parte desse movimento. Não entendi.

            Seu movimento é da ordem homemdepretianas.

            Toda teoria é achismo até que se prove com experimentações bem sucedidas.

            NOTA ZERO em Ciência. Isso mostra sua boçal ignorância no assunto. Vai estudar, vai: http://pt.wikipedia.org/wiki/Teoria#Teoria_Cient.C3.ADfica

            Cara, adorei seu site. Como disse antes, eu tenho prazer em ler artigos céticos, é quase um gozo. Desculpe qualquer coisa, e pode ter certeza que serei um leitor assíduo. Até +

            Seja boooooooom.

        2. Se continuar com esse argumento você vai cair no mesmo campo especulativo que dita haver um estopim para as leis que nos circundam.

          Um deus transcendente, um programador, o Multiverso, outras dimensões?

          Não podemos testar nada disso com o nosso conhecimento atual, logo cai no campo do achismo, da crença. São hipóteses que são pertencentes ao imaginário e não são passíveis de teste.

          Não temos acesso a nada fora do nosso Universo e é bem provável que no futuro também não tenhamos. E como disse o físico Paul Davies sobre o Multiverso: “Postular trilhões de trilhões de trilhões de universos, apenas para explicar um como o nosso, é trazer excesso de bagagem a extremos cósmicos”.

          Não podemos utilizar dados do nosso Universo para propor algo fora dele.

          1. Faltou esta célebre frase de Paul Davies sobre a Teoria das Supercordas:

            “Talvez os teóricos das cordas tenham tropeçado no santo graal da ciência. Mas talvez eles estejam todos perdidos para sempre na Terra do Nunca.”

          2. Então, abstenha-se de elucubrações sem sentido.

            Se isso:

            Eu nunca estive fora desse universo para saber quais leis químicas são inerentes a outros universos.

            Não fez sentido. Foi pq isso:

            OK, então me diga quais as leis da química que existem fora deste Universo.

            Não fez sentido.

            Já que foi uma resposta a isso:

            Vc diz que a hipótese de o universo ser uma grande, mega realidade virtual ou uma realidade simulada, é um grande besteirol. Pode ser fantasioso, improvável, uma teoria que careça de consistência, mas um besteirol, não, não é. Pq besteirol se deixa de lado, se ignora, joga-se pra escanteio. E não devemos fazer isso! Não nesse caso.

            Só disse que a teoria não deveria ser descartada.

            “Vc sabe muito pouco.”

            Para Einstein nada poderia se mover acima da velocidade da luz. Mas, duas partículas elementares quando correlacionadas, e depois separadas, continuavam se comportando como se estivessem juntas.

            “Qual foi mesmo o experimento que demonstrou isso?”

            Faço de uso de suas palavras: vc sabe muito pouco. Sendo que esse é um dos experimentos mais famoso e bem sucedidos da física quântica. Nota zero pra vc em física quântica!

            “Não funciona não. A Mecânica Clássica não explica O QUE causa a gravidade.”

            Claro, ela é limitada ao macrocosmo.

            “Uma casa é feita de tijolos. Logo, as casas estão dentro dos tijolos. Sua é escrita sofrível e sua fundamentação é pior ainda.”

            Inserir:
            Verbo transitivo direto e circunstancial.
            1.Colocar; introduzir, INTERCALAR; INCLUIR:

            Eu posso dizer que o macrocosmo esta inserido no microcosmo, já que toda massa do universo tem por base os átomos. O MACROCOSMO ESTÁ INSERIDO, ESTÁ INCLUSO NO MICROCOSMO. NA VERDADE, OS DOIS SÃO A MESMA COISA. A SUA CASA, ESTÁ INCLUSA NOS TIJOLOS, JÁ QUE ELA ESTÁ INTERCALADA POR ELES.

            NUNCA DISSE A PALAVRA DENTRO, SERIA ABSURDA ESSA AFIRMAÇÃO.

            Dentro:
            Advérbio.
            1.Do lado interior; interiormente

            VAMOS DISCUTIR DIREITO, SEI CONTORCER AS PALAVRAS. OK?

          3. Só disse que a teoria não deveria ser descartada.

            Teoria sem base experimental é religião. Simples. Ah, desculpe, vc não sabe o que é Teoria Científica.

            Faço de uso de suas palavras: vc sabe muito pouco. Sendo que esse é um dos experimentos mais famoso e bem sucedidos da física quântica. Nota zero pra vc em física quântica!

            E isso derruba a velocidade limítrofe c ONDE?

            Claro, ela é limitada ao macrocosmo.

            Nuff said.

            1.Colocar; introduzir, INTERCALAR; INCLUIR:

            Sim. E minha casa está incluída nos tijolos que a compõem. JÊNIO!

            Eu posso dizer que o macrocosmo esta inserido no microcosmo, já que toda massa do universo tem por base os átomos

            Massa é uma propriedade. A massa não está nos átomos, da mesma forma que a pia não é o meu banheiro. Sério, cara, isso tá ficando ridículo. Além de não saber fundamentos de Ciência, ainda não sabe nada de português. Se vc não sabe o que é INCLUÍDO, volte pro CA.

            NUNCA DISSE A PALAVRA DENTRO, SERIA ABSURDA ESSA AFIRMAÇÃO.

            incluir |u-í| – Conjugar
            (latim includo, -ere, fechar, encerrar, parar, fazer parar)
            v. tr. e pron.
            1. Pôr ou estar dentro. = ENCERRAR, INSERIR
            2. Inserir num ou fazer parte de um grupo.
            v. tr.
            3. Abranger, compreender, conter.
            5. [Figurado] Envolver, implicar.

            Por inferência:

            incluído
            1. Posto ou dentro. = ENCERRADO, INSERIRIDO
            3. Abrangido, compreendido, contido.
            5. [Figurado] Envolvido, implicado.

            Só na sua cabeça algo externo está implicado, envolvido, inserido, abrangido em algo interno. Minha sala está envolvida no sofá. Shooooooooooooooooow.

          4. Para Einstein nada poderia se mover acima da velocidade da luz. Mas, duas partículas elementares quando correlacionadas, e depois separadas, continuavam se comportando como se estivessem juntas. Elas não estavam se comunicando acima da velocidade da luz, mas sim respondendo a estímulos uma da outra, e vise-versa, instantaneamente. E isso é fato.

            Você está referindo-se a Teoria do Entrelaçamento Quântico que em nenhum momento sugere a quebra do limite de c em suas hipóteses, não há transporte de energia e matéria nesse processo. Acho melhor você estudar um pouquinho mais sobre emaranhamento quântico e suas aplicações, uma delas é no teletransporte quântico que possibilitará o computador quântico em um futuro próximo.

  5. André,você conhece outro navegador para Iphone para que eu volte a acessar o Cet.net em qualquer lugar?Com o Safari não consigo mais.Pelo visto não sou o primeiro que está com esse problema.Agradeço desde já.

        1. Tem os blogs afiliados do http://scienceblogs.com.br/ . O Cardoso posta muita coisa legal sobre ciência no Meiobit.com. O Gizmodo posta muita coisa, mas são matérias ruins, mal traduzidas ou ambos. O AstroPT é um excelente site de astronomia das terras d’além mar e merece uma visita (sou meio suspeito, já fui convidado a escrever lá, mas falta tempo).

          No mais, não conheço nenhum com qualidade suficiente e/ou volume de informações, mas pretendo fazer um post sobre isso qq dia.

  6. Hypescience são basicamente traduções (mal-fetias e/ou tendenciosas, geralmente) de sites gringos (a maioria do nivel do proprio Hypescience). Tem lá um tal de Grossmann que é o único que parece saber do que está falando. O resto…

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s