Ceticismo.net com novo sistema de financiamento

Eu sempre que posso agradeço a todos vocês por ajudar a manter o meu site com suas muito bem-vindas doações. Obrigado de coração, gente. Tem aqueles que por algum motivo ou outro não estão me mandando dinheiro, gorjetinha, pichulés e merrecas em geral. Eu sei, deve ser algum estímulo.

Pensei muito e resolvi ajudá-los a se decidirem.

Continuar lendo “Ceticismo.net com novo sistema de financiamento”

Virgindade, textos e dinheiro no bolso

Vocês viram o artigo sobre o dogma da virgindade perpétua de Maria, né? Digam que sim! Foi um artigo bem demorado, mas muito legal de escrever. Estava com saudades dos textos de temática religiosa, e como eu praticamente parei com textos de divulgação científica, pretendo me concentrar mais nestes.

Continuar lendo “Virgindade, textos e dinheiro no bolso”

YouTube desmonetizou canais anti-vacina. Sabem o que isso significa?

A rigor, Nada. Mas pessoal ainda acredita na bondade do YouTube. Sim, eles realmente estão removendo as monetizações (e não propaganda) de vídeos que promovem conteúdo anti-vacinação, citando a proibição de material “perigoso e prejudicial”. O Tubo foi lá nas empresas que anunciam em canais de anti-vaxxers para dar aquele toquezinho camarada. Obviamente, você é burro e comprou esta ideia, né? Se comprou, não se preocupe, você não foi o único.

Continuar lendo “YouTube desmonetizou canais anti-vacina. Sabem o que isso significa?”

Saiu orçamento da NASA, e é o maior em dez anos

Quando Pato Donald Trump venceu a corrida presidencial, todo mundo ficou chocado (e é isso o que se ganha por chamar os amiguinhos de “deploráveis, né, Hillary?). começaram várias especulações sobre os severos cortes de Ciência e Tecnologia que ia acontecer dali por diante. Foi um Deus-nos-acuda. O problema é que o que aconteceu dali por diante foi bem diferente do que esperavam, e pelo segundo ano consecutivo, a verba à NASA é a maior da última década. Mas tem uma pequena pegadinha. Antes de tudo, vamos examinar o contexto da situação.

Continuar lendo “Saiu orçamento da NASA, e é o maior em dez anos”

Uma brilhante história sobre os óculos

Acabei de me sentar para escrever. Bem, eu não conseguia ler direito o que aparecia na tela. Tive que pegar meus óculos, pois, eu fui premiado com miopia, hipermetropia e astigmatismo, já que meus olhos são fruto de um maravilhoso design de um projetista inteligente. Esses meus óculos são ótimos e eu os adoro. Suas lentes de resina inquebrável ficam escuros mediante presença de radiação ultravioleta, e sua camada anti-reflexiva ajuda a não ver a minha cara refletida na face interior da lente, o que dificultaria ver algo em ambientes claros. A armação é leve, com hastes bem firmes e resistentes (ainda não comprei uma armação de titânio, mas esta quebra bem o galho). Entretanto, o que eu tenho empoleirado sobre meu nariz funciona da mesma maneira que os óculos que meu pai usa, que meus avós usavam, que os anteriores a eles usavam. Que muitos dos antigos usavam.

Ajeitem suas lentes de leitura, para mais um Livro dos Porquês, que envolverá muita História e sobre assuntos que você não faz ideia que possam estar relacionados (e talvez nem estejam, mas aqui a vontade e o pensamento é o poder. Estou acordando suas mentes para o grande saber!)


ÍNDICE


As falcatruas de um Banco nada santo e uma santa rica sem santidade

Madre Teresa de Calcutá foi uma das figuras mais abomináveis do catolicismo do século XX, pertencendo a uma religião cheia de figuras abomináveis. Sobre ela, eu já falei de como era uma maníaca psicopata que obrigava todo mundo a viver na penúria, enquanto era amiguinha de ditadoras e passeava por todo canto de primeira classe, ficando nos melhores hotéis e vendendo a ideia que era pobrezinha. Não era. Segundo uma pesquisa apurada, ficou-se sabendo o que todo mundo sabia, só não tinha certeza: tia Teresa tinha uma bela soma de dinheiro guardadinha no Banco do Vaticano. Tão bela que se tivesse sacado tudo o Banco do Vaticano teria se ferrado lindamente.

Mas o mais abominável ainda é a história do próprio Banco do Vaticano.

Continuar lendo “As falcatruas de um Banco nada santo e uma santa rica sem santidade”

YouTube, monopólios e a Terra dos Algoritmos Honestos pero no mucho

AVISO

O artigo está longo. Está enorme. Leia por sua conta e risco. Mimimi no comentário sequer será aprovado e comentarista espertão será banido. Este é meu espaço e escrevo o que eu quiser.

Aviso dado

Era uma vez dois manés. Eles queriam gravar vídeos e compartilhar com os amigos. Assim, criaram um site que você poderia subir vídeos em uma resolução que seria risível hoje, mas na época 480p era excelente para qualquer monitor da época, e mandar isso pela Internet dessa mesma época era ótimo, cala a boca. O serviço era gratuito e muito legal. O ano era 2005 e foi assim que foi criado o YouTube, Broadcast Yourself. Eu adorava o YouTube nessa época. A sua página principal era uma rede social, que você via o RSS dos vídeos que você curtia/assinava, via os seus comentários, as pessoas entravam diretamente em contato com você. Um sonho!

Google tinha o seu horrível sistema chamado Google Vídeos, que demorava uma eternidade para carregar, era pesado, ruim de mexer no player, um verdadeiro cocô. Google fez o que melhor sabe fazer: comprou o YouTube, e não fez algo que nunca soube fazer: melhorar o que compra. Não, nunca na história do Google ele fez algo melhor com aquilo que comprou. O que criou do zero era, é e sempre será uma negação em termos de tosqueira, excetuando o motor de busca. Podem ver.

Continuar lendo “YouTube, monopólios e a Terra dos Algoritmos Honestos pero no mucho”

Snopes de pires na mão pedindo uma grana por incompetência de seu dono

Eu pensei que o Snopes era bem conhecido, mas ainda hoje me perguntaram sobre quem eles eram. O Snopes foi fundado em 1994 e ele é o mais antigo site pega-mentira da Internet. No Brasil, o mais antigo é o E-Farsas.com, mantido pelo Gilmar Lopes, que me prometeu dinheiro pelo jabá. Nesses mais de 20 anos, o Snopes tem refutado muito das insanidades que aparecem pela Internet, que sua tia costuma compartilhar nos Feices da vida, nos Uatizápis do Inferno, e isso quando rede social era, no máximo, mandar PPT de Nossa Senhora por e-mail, lotando sua caixa de entrada com lixo.

Tempo passou e, agora, o Snopes está de pires na mão, pedindo uiúdementi uma contribuição, senhoras e senhores passageiros, pedindo desculpas pela pertubassão da paz e silêncio de sua viagem.

Continuar lendo “Snopes de pires na mão pedindo uma grana por incompetência de seu dono”

Entenda o financiamento da Ciência no Brasil

O título está meio que matéria de jornaleiro em site de notícia, mas em suma é isso mesmo. Grande parte das pessoas não sabem como cientistas pagam as contas das suas pesquisas, seja a compra de material, reagente e instalação, como viagens, coleta de espécimes e comida, porque pesquisador, tal como Soylent Green, também é gente.

O Pirulla tem um canal no VocêTubo muito bom e se seu marido fosse eu, ele o acompanharia. Agora, senhoras, olhem pros seus maridos; Agora olhem para mim. Olhem pros seu maridos, agora olhem para MIM. Infelizmente para vocês, seus maridos não são eu, mas vocês podem ainda assim ver o vídeo do Pirulla sobre como a pesquisa científica brasileira é financiada, logo após o break.

Continuar lendo “Entenda o financiamento da Ciência no Brasil”

Carta do prof. João Batista Canalle esclarecendo sobre a vakinha

No dia 14, eu divulguei um craudifundingui promovido pelo comitê organizador da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. Nele, o pessoal do OBA, coordenado pelo prof. dr. João Batista Canalle, pedia a colaboração para a compra de um planetário digital, a fim de melhorar um pouco o ensino de Astronomia, num pais que ainda vive na Idade Média.

Aquilo realmente mexeu comigo. Eu fiquei bolado, Fiquei irritado. Fiquei puto bagarai. Dinheiro pra Estádio tem. Gente doando dinheiro para político ladrão sentenciado pela Justiça, tem. arrumar uma grana pra melhorar o ensino não tem? Aqui, ó!

Comecei uma cruzada tuiteira. Redes sociais funcionam? Vamos ver…

Continuar lendo “Carta do prof. João Batista Canalle esclarecendo sobre a vakinha”