Escolas municipais do Rio terão aula de religião, mas vivemos num Estado Laico

Uma das piores formas de exigir certo comportamento de alguém é quando você não segue o modelo, na base do "faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço". É difícil esperar que um filho aja de forma responsável quando seus pais estão com uma vida desregrada. Da mesma forma, é fácil querer um comportamento exemplar de um cidadão respeitador de leis, quando o próprio Estado não só não respeita como estupra suas próprias leis.

Algumas das escolas municipais do Rio de Janeiro terão aula de religião, já todas as religiões são iguais, mas algumas são mais iguais que outras. Só que isso não começou agora.

Eduardo Paes é um inepto como prefeito, mas nesse caso a culpa não é totalmente dele. Tudo começou com uma espécie de convênio que o governo Lula assinou com a Igreja Católica. Por quê? Creio que seja por causa do número de seguidores, trazendo voto atrelado.

Em 2008 foi assinado um acordo entre dois países, o Brasil, um Estado Laico, e o Vaticano, uma teocracia. Nós publicamos a íntegra desse acordo. Dentro daquele monte de besteiras, o daremos atenção aqui é o artigo 11, parágrafo primeiro:

O ensino religioso, católico e de outras confissões religiosas, de matrícula facultativa, constitui disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental, assegurado o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, em conformidade com a Constituição e as outras leis vigentes, sem qualquer forma de discriminação.

Em conformidade com a Constituição. Ok. O que diz a Constituição em seu Artigo 19?

É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

I – estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na formada lei, a colaboração de interesse público;

Esse "subvencionar" estaria incluso as várias isenções de impostos que o governo dá desde o casebre com placa da Assembleia de Deus até os templos faraônicos da Universal? Fica difícil de responder, já que a própria Constituição declara nos termos do seu artigo 150 que qualquer templo de qualquer culto está devidamente imune a todo e qualquer imposto que venha incidir sobre o patrimônio, a renda ou os serviços relacionados com suas finalidades essenciais, as quais são definidas pelos próprios criadores. Maiores detalhes vejam no artigo do Hélio Schwartsman em que ele precisou pouco mais de 400 reais para fundar uma igreja.

Isenção não é subvenção, diram-me os luminares, o que é verdade. Isso é tão-somente um modo de burlar o próprio texto constitucional, mas o resultado é o mesmo. Só quero saber qual é o malabarismo linguístico que esses mesmos luminares usarão para retorcer a parte do texto que diz que à União é vedado manter relações de dependência ou aliança. Afinal, o Vaticano é uma teocracia, a qual possui várias igrejas aqui (temos mais igrejas do que escolas e isso deve ser indicativo de algo com relação ao nosso desenvolvimento cultural), mas isso não seria o mesmo que estabelecer relações diplomáticas com outros países?

Não. Porque se o Brasil estabelecer um acordo semelhante com a Suíça, teremos comitês suíços aqui no Brasil? Passaremos a ter aula da História da Suíça em nossos colégios, implantaremos a cultura suíça aqui? Ah, mas a Suíça não é uma teocracia. Que tal o Irã? Sim, o Irã, que é mui amiguinho do mesmo governo Lula, que teceu elogios àquele psicopata do Ahmadinejad. Vamos implantar o estudo facultativo do Alcorão? Todos as alunas indo estudar nos colégios públicos usando um niqab seria interessante. Se bem que o Irã tem muito mais história que o Cristianismo, em termos de qualidade e quantidade. Ah, não,. Desculpem. Persas têm que ser retratados como assassinos por causa do filme 300, apesar de seu império ter sido, de longe, o mais pacificador da História. enquanto isso, as cidades-estado gregas saíam na porrada entre si, e só quando Roma tomou aquilo tudo na mão grande é que sossegaram o facho.

Palestina who?

Agora, a prefeitura do Rio, ciosa das suas obrigações e com o dinheiro de nossos impostos (às vésperas da eleição, ressalte-se) determina que 80 escolas municipais terão professores de religião. Ok, se rá de uma forma ecumênica, certo? Não, não. Será confessional, mesmo. Então teremos todas as religiões, certo? Sabe como é, temos muitas religiões, então iremos nas principais. Então teremos islã e budismo, certo? Er…, não. Apenas as vertentes cristãs, como Catolicismo, Evangélicos (não disseram quais e é complicado com cada ramificação pregando uma coisa diferente), Kardecismo e religiões afro-brasileiras.

Ei, mas religião afro-brasileira é vertente cristã desde quando? Desde que usam imagens católicas e não venha me falar de sincretismo que funcionava bem na época da escravatura (endossada pela ICAR, lembremos). Os "guias" rezam mencionando Jesus e eu nunca – NUNCA! – vi um caboclo incorporado evocando Tupã, Jaci ou Guaraci. E os kardecistas? Bem, já falei sobre eles quando fiz uma resenha do livro Nosso Lar.

No artigo publicado pelo O Globo, trazido pelo @Cyber_Ramsés, é dito, segundo as palavras do presidente da Comissão de Educação da Câmara, Paulo Messina, que "o projeto surgiu de um acordo do prefeito com a Igreja Católica. Ao menos garantimos o caráter plural do ensino, ou seja, se um pai disser que quer que seu filho tenha aula de uma determinada religião, ele tem o direito de exigir isso. "

Vou exigir que meus filhos tenham aula de religião budista, xintoísta ou hinduísta. O islã é a religião que mais cresce no mundo, mas não foi "contemplado" com a iniciativa. Teremos a formação de uma nova estirpe de cruzados? Talvez porque islâmicos não sejam cristãos de verdade…

De outro ponto, quero só ver de onde irão tirar professor. Aliás, professor de religião estuda em qual faculdade? Seminário tem caráter de licenciatura? Por que eu não posso dar aula de Ciências para o Fundamental 1 (1º ao 5º ano) e sim pedagogas (desculpem a má palavra)? Se eu, que sou especialista, não posso lecionar, por que um curioso poderia? Se bem que eu poderia dar aula de religião. Falaria sobre o Cisma do Oriente, a Noite de São Bartolomeu, os genocídios descritos na Bíblia, as ordens de matar, estuprar, pilhar e como Jesus ordenou que executassem quem não concordava com ele e que deveríamos odiar nossos pais se quiséssemos segui-lo. Eu poderia ensinar como é legal matar bichos indefesos quando quisermos atrair nossas paqueras ou como fazer uma macumbada contra o nosso chefe. Poderia ensinar como é certo discriminar homossexuais e como nós, brancos, somos superiores aos negros e indígenas, já que eles estão em um plano mais atrasado, não passando de selvagens. Kardec não estava errado, estava? Ele era instrumento das vozes dos espíritos superiores.

O projeto está sendo discutido no Congresso e vai passar, com certeza. Não é pra isso que temos representantes religiosos dispostos em bancadas? Isso é coisa comum em todos os países laicos, não é verdade?

Cientistas são despejados, professores são ridicularizados e religiosos são enaltecidos. É assim que se faz uma Nação! Estou orgulhoso de morar aqui!

O Brasil não está voltando à Idade das Trevas. Ele nunca saiu dela.

[ATUALIZAÇÃO] Verba federal para pesquisa em SP cai 23%. Bom fim-de-semana a todos.

9 comentários em “Escolas municipais do Rio terão aula de religião, mas vivemos num Estado Laico

  1. “[…] Ao menos garantimos o caráter plural do ensino, ou seja, se um pai disser que quer que seu filho tenha aula de uma determinada religião, ele tem o direito de exigir isso. ”

    Opa, hora de exigir aulas sobre alguma vertente obscura do satanismo (preferencialmente que envolva o sacrifício ritual de criaturas fofas e inofensivas); ou, talvez, que o professor ensine aos alunos a beleza da Força, ou a Magni-ficência (Não, não escrevi errado. Se você não entendeu a piada, São Google é seu amigo) do panteão nórdico. Vamos ver quanto tempo eles sustentam essa farsa.

  2. Olha, André… sempre me surpreendo com determinadas coisas que “inventam” no intuito de “melhorarem” o ensino no nosso país. Nesse caso específico, eles apenas estão criando mais um monstro sem controle, como você bem deixou expresso no seu texto. Em alusão a sua pergunta…” quero só ver de onde irão tirar professor. Aliás, professor de religião estuda em qual faculdade?” Aqui vai um site para a prefeitura do Rio http://www.ftu.edu.br/ftu/ … quem sabe eles peguem professores daqui!!? O Rio, bem como todos os outros estados, deveriam é cuidar melhor do ensino pois está entregue às moscas há muito tempo !!!

  3. E o pior é que se o pai do Zézinho optar por ele não participar de nenhuma dessas aulas, ele vai ter que ir para a turma de EMOCI.

    Dilma, tem que ver isso aí…

  4. “Cientistas são despejados, professores são ridicularizados e religiosos são enaltecidos. É assim que se faz uma Nação! Estou orgulhoso de morar aqui!”

    Pô, mas esta onda teocrata já chegou em Tuvalu?

    Nestas horas fico pensando no que eu posso fazer pra mudar o estado atual das coisas. Mas aí lembro que esqueci até em quem votei eleição passada (mentira, foi tudo nulo, o que é tão inteligente quanto esquecer).

  5. O Brasil não está voltando à Idade das Trevas. Ele nunca saiu dela. (2)

    Semana passada foi noticiado na TV que os vereadores do municipio de Apucarana PR aprovaram uma lei onde as escolas municipais serão obrigadas a rezar o pai nosso todos os dias para “diminuir a violência e a criminalidade nas escolas”. A ATEA comprou briga contra essa lei, não sei exatamente em que pé está, mas ao comentar com algumas pessoas sobre o caso, a maioria demonstra indiferença ou no máximo diz que se não funcionar, pelo menos vai ficar uma energia boa. Somos uma nação de otários, definitivamente.

    1. @Lilian Mara Berta,

      sou de apucarana, tal medida é claramente uma tentativa de conseguir uns votos a mais, a cidade hj possui cerca de 120 mil moradores, e mais igrejas do que se pode contar, o vereador que propos tal medida é evangelico, e alegou (se é que podemos chamar de alegaçao), que o pai nosso é presente em varias religiões, e aquele blá blá, de se tornarem melhores pessoas, blá blá, pelo que li nos jornais a porposta teria que ser votada mais uma vez, e esta foi adiada, esta proposta tomou uma proporçao creio que inesperada, um vereador pediu a analise mais uma vez, para averiguar a inconstitucionalidade da proposta.

  6. O que é realmente necessário é um reforço de química, física, biologia, matemática.
    Como diria o Woody Woodpecker, “Religião é pra jacu.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s