As maravilhas de Enceladus

Enceladus é, na minha opinião, a mais bela e enigmática lua de Saturno. Nos habituamos a falar “lua” para nos referir aos satélites naturais. A saber, só existe UMA lua no Sistema Solar, e é a nossa Lua; só que Enceladus não tem muito a ver com a nossa Lua. Pelo menos, uma coisa é bem diferente entre os dois astros: a Lua não possui gêiseres nem é feita de água. Mas Enceladus, sim, o que foi uma grande surpresa para os astrônomos. Mas que segredos se escondem numa pequena lua num pequeno satélite natural, largado a milhões de quilômetros longe da Terra? Hora de abrir o Livro dos Porquês.

Saturno, o deus romano da agricultura, justiça e força, filho do Céu e da Terra. Com uma foice dada por sua mãe mutilou o pai, Urano, tomando o poder entre os deuses; mais tarde foi expulso dos céus por Júpiter, indo para a região do Lácio, onde deu origem à Roma, antes que dois gêmeos fundassem uma cidade que se tornaria um dos mais famosos impérios que o mundo já viu.

Pelo menos, é o que diz o mito.

Os velhos astrônomos de outrora deram este nome ao sexto planeta do Sistema Solar, mas até Galileu apontar seu telescópio para ele, pouco se sabia sobre o planeta Saturno. Aos olhos de Galileu, Saturno apareceu diferente, com o que o velho pisano disse que Saturno possuía “orelhas”. Só depois, através das observações de Christiaan Huygens – tão brilhante e temperamental quanto um certo inglês que fez pouca coisa na vida, como criar 3 leis que servem para pouquíssima coisa, como descrever o comportamento de corpos que estão se locomovendo – é que viu-se o que eram aquelas “orelhas”: eram os famosos anéis de Saturno.

Matematicamente, ficou demonstrado que Saturno não poderia ter anéis sólidos, e que eles nada mais eram pequenos pedaços de rocha, poeira… e gelo! Muito provavelmente, resultado de meteoritos e cometas que tiveram a desgraça de passar pelo segundo maior  planeta do Sistema Solar. Mesmo sendo um gigante feito majoritariamente de gás, assim como Júpiter, a massa de Saturno é enorme e a gravidade, apesar de ser uma força ridícula se comparada com a elétrica, magnética ou nuclear, é poderosa o suficiente para destroçar corpos que se aventurem muito perto do seu raio de ação.

Enceladus foi descoberto em 28 de agosto de 1789 perlo astrônomo William Herschel. É um dos astros mais refletivos do Sistema Solar, mas também é muito pequeno: cerca de 400 km de diâmetro, enquanto o diâmetro equatorial da Lua (a “nossa” lua) possui mais de 3400 km de diâmetro. Em 1980, quando a Voyager passou por Enceladus, foram tiradas algumas fotografias, onde via-se um satélite com muitas crateras em seu hemisfério norte, mas poucas crateras no hemisfério sul. A existência de crateras indica que meteoritos bombardearam Enceladus no passado (e ainda hoje é bola seis na caçapa do lado). Mas, por que razão o hemisfério sul quase não possui crateras? A melhor resposta é que há atividade geológica recente lá.

Quando a sonda Cassini-Huygens (foto ao lado) chegou no local em 2004, suas fotos nos trouxeram algo novo, pois a referida sonda conseguiu chegar mais perto que a Voyager. Perto do polo sul de Enceladus, um show que só alguns recantos da Terra dispõem: gêiseres, como os do parque de Yellowstone. Gêiseres estavam brotando do interior de Encelado com força e pressão, vaporizando a água e mandando-a para cima, onde o frio extremo do espaço a converte em gelo. Parte deste gelo é atraído de volta à Enceladus e outra parte foge do campo gravitacional do satélite, mas não do poderoso deus-planeta Saturno, onde este gelo finamente pulverizado ficará circulado ao redor do mais belo dos planetas, por toda a Eternidade.

E será eterno enquanto durar.

Mas o que causaria os gêiseres? A saber, um gêiser – como os de Yellowstone – são fontes de águas termais alocadas num lugar muito quente. Quanto maior a temperatura, maior a pressão. A água passa por seu ponto de ebulição sem ferver, num equilíbrio metaestável, pronta pra soltar sua fera interior. Quando a pressão é extrema, uma mistura de água e vapor jorra, alcançando muitos metros. Pelo menos, aqui na Terra, onde a gravidade terrestre impede que os jatos possam ir muito mais alto.

Quando a sonda Cassini-Huygens passou por Enceladus, tirou fotos de uma área no hemisfério Sul que recebeu o nome de “Garras de Tigre”. São quatro fendas paralelas, semelhantes às falhas geológicas que separam as placas continentais, como acontece no limite entre a placa das Américas e a da Europa (maiores informações AQUI). No casso de Enceladus, a Cassini-Huygens tirou uma foto infra-vermelha, a fim de registrar gradientes de calor e o que se viu foi algo espantoso (clique para ampliar), direto do JPL (Jet Propulsion Laboratory):

Cada fenda recebeu um nome diferente, como podem ver: Alexandria, Cairo, Bagdá e Damasco. Na fenda Damasco, o gradiente de calor é muito elevado e isso significa que existe atividade térmica por debaixo da capa de gelo da fabulosa lua Enceladus. Mas não é só isso, vemos esta outra foto também (clique para ampliar):

Eis os gêiseres de Enceladus, em sua magnificência!

É estranho que haja tal atividade térmica num corpo celeste tão afastado do Sol, mas a melhor explicação para esta atividade reside sobre a força gravitacional de Saturno. Durante a órbita de Enceladus, o referido satélite fica sendo apertado pelas ondas gravitacionais, o que o faz ficar sendo apertado que nem massa de pão. Como esta força é extensa, ocorre atrito no interior da lua e todo atrito gera calor. Como a força é intensa, o atrito também o é e isso gera muito calor, que faz com que a água congelada passe para o estado líquido e em seguida para o vapor, o que faz aumentar a pressão interna, que é diretamente proporcional ao calor do meio. Calor aumenta a pressão e o aumento de pressão gera mais calor.

Enceladus ainda tem muita história a nos contar e muitos mistérios a serem desvendados. E ele está ali, bem no nosso quintal, aguardando novas sondas, novas pesquisas e novas mentes a se debruçarem sobre os quebra-cabeças que trarão muitas informações no futuro; não só sobre o Sistema Saturniano, mas com relação ao próprio Sistema Solar.

A Missão Cassini-Huygens é um projeto da NASA em colaboração com a Agência Espacial Europeia e a Agência Espacial Italiana.

21 comentários em “As maravilhas de Enceladus

  1. Parabéns pelo artigo André, eu tenho uma perguntinha: Saturno é um planeta gasoso, certo? Isso significa que ele não tem crosta?

    Também tenho outra eu queria saber, como os ateus A.D (Antes de Darwin) explicavam a criação do universo?

    1. Saturno é um planeta gasoso, certo? Isso significa que ele não tem crosta?

      Não como a Terra. Possivelmente, ele tenha algum núcleo sólido, mas não é consenso.

      Também tenho outra eu queria saber, como os ateus A.D (Antes de Darwin) explicavam a criação do universo?

      1) O que ateísmo tem a ver com origem do Universo? Vc sabe que a maioria dos cientistas, como Galileu, Kepler, Tycho Brahe e Newton não eram ateus, né?

      2) O que Darwin tem a ver com a origem do Universo? A TE explica o surgimento das ESPÉCIES.

  2. André se existe água em Enceladus , significa que as chances de alguma forma de vida existir são boas, ou nem sempre é necessário haver esta substância? E outra coisa a existencia da água em um satélite natural , mostra de alguma forma que a água não é exclusivo do planeta terra , portanto te pergunto , – A composição da água é o que determina ser raro ou as condições para que ela exista ou se forme , não sei? E tendo água em lugares tão distante é provável que esta substância não tenha surgido antes em outros satélites, planetas etc…? Excelent post.

    1. André se existe água em Enceladus , significa que as chances de alguma forma de vida existir são boas, ou nem sempre é necessário haver esta substância?

      Pelo que se sabe HOJE, água é uma substância fundamental para manutenção da vida.

      ? E outra coisa a existencia da água em um satélite natural , mostra de alguma forma que a água não é exclusivo do planeta terra

      Não é exclusivo, nem nunca foi. A maior parte da água presente na Terra é de origem extraterrestre, possivelmente de cometas.

      A composição da água é o que determina ser raro ou as condições para que ela exista ou se forme , não sei?

      Em termos de química, água pode existir em qualquer lugar. MAS é preciso levar em conta alguns fatores. Mercúrio é tão quente que a água evaporaria fácil. Em Vênus (o planeta mais quente do sistema solar) praticamente não há água e as nuvens são vapores ácidos e densos. Desde que a água e o oxigênio possam se unir, e houver temperatura propícia, ela pode existir em todo canto do Universo.

      E tendo água em lugares tão distante é provável que esta substância não tenha surgido antes em outros satélites, planetas etc…?

      Pode ser, pode não ser. Tudo o que vemos, desde sua esposa até a sua casa é feito de estrelas, onde há a formação de elementos pesados. Assim, não é certo dizer que a água surgiu antes dos planetas. A não ser que vc considere “planeta” o astro pronto. Mas um planeta é mais do que rocha, é um sistema completo (sistema aberto, em termos de termodinâmica).

      1. @André, Òtimo, gostei de saber que a água existe em cometas, e sendo assim possívelmente nossa água seje deste tipo de fonte no ínicio de formação…, Ainda penso que os satélites naturais deverão se tornar os objetos mais estudados pois o que me parece alguns são mais propensos a abrigar algum tipo de vida. Obrigado.

  3. “Enceladus foi descoberto em 28 de agosto de 1789 perlo astrônomo William Herschel. É um dos astros mais refletivos do Sistema Solar, mas também é muito pequeno…”

    O que faz Enceladus ser tão refletivo? Já que é muito pequeno.

    1. Se vc tivesse prestado atenção, teria visto que Enceladus tem uma camada de gelo em sua superfície, além de praticamente NÃO TER crateras no hemisfério sul. Preciso explicar mais?

  4. Que coisa foda *-* não sou muito apaixonada por Saturno, por isso pesquisei pouco e não tenho tanto a acrescentar, mas adorei as curiosidades de Enceladus. A propósito, sabe-se o motivo da atividade ser concentrada no hemisfério sul?

  5. Andre, a lua titã de Saturno também é fascinante segundo Carolyn Porco ela possui oceanos e rios que desaguam num vale parecido com um pântano, a única dúvida seria do que seriam formados esses rios e oceanos!

  6. Fico abestalhado com a falta de capacidade destes jornaleiros de plantão, tentando dar notícia científica. Os imbecis precisam usar o tradutor do gugou para informar o que o Andre diz com muito, mas, muito mais maestria.
    Hahahahaha…..em Saturno, diz a manchete, não foi na LUA de Saturno. Porra, eu tenho que morrer logo, antes que me matem.

    http://www.jb.com.br/ciencia-e-tecnologia/noticias/2014/04/04/sonda-cassini-identifica-oceanos-em-saturno/

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s