Valles Marineris, um passeio por uma imensa rachadura

Poucas belezas naturais se comparam ao Grand Canyon, no estado norte-americano do Arizona. Sua beleza e imponência mostram como somos ridículos perante escalas geológicas e só mesmo um imbecil acha que aquilo foi feito para agradar a estúpidas amebas de duas pernas. É chocante saber que seus 446 km de extensão (maior que a distância entre Rio de Janeiro e São Paulo), sua largura máxima de 29 km e quase 2 km de profundidade nada mais são que o efeito da água. Sim, água, pois o Grand Canyon foi esculpido durante bilhões de anos de erosão, tendo como principal agente erosivo o rio Colorado. Maiores informações poderão ser encontradas no site da UNESCO.

Nada na Terra se compara ao Grand Canyon, mas o universo não é apenas o pálido ponto azul. Há algo similar… não, MAIOR que o Grand Canyon. É o Valles Marineris, localizado no planeta Marte.

O Valles Marineris é um sistema de canyons, localizado ao sul do equador marciano. Ele tem este nome (O Vale da Mariner) pois foi fotografado pela sonda Mariner 9, a primeira sonda espacial a fotografar outro planeta além da Terra, no início da década de 1970. Na foto de abertura do artigo, vemos uma foto de Marte com o Valles Marineris em destaque, tirada pelas sondas orbitais Viking 1 e 2 (clique AQUI para uma resolução decente).

O Valles Marineris está localizado ao longo do equador marciano, estendendo-se por quase um quarto da circunferência do planeta. O canyon formado é imenso e começa a oeste com o Labyrinthus Noctis e se dirige à leste com um comprimento que chega a ser estúpido: 4 mil km! Para vocês terem uma ideia, a distância entre Porto Alegre (RS) e Macapá (AP) é de cerca de 3.347 km (podem conferir AQUI).  A maioria dos pesquisadores concorda que Valles Marineris é uma grande separação entre duas placas tectônicas, que foi amplificada por fatores erosivos e, com isso, é uma evidência que suporta a teoria da existência de água líquida no passado marciano, mas ainda não se tem certeza do que realmente produziu aquela maravilha. Não só o comprimento é algo de perder o fôlego, como sua profundidade também, que pode chegar a 10 km, ou seja 5 vezes mais fundo que o Grand Canyon.

A história geológica do sistema de desfiladeiros do Valles Marineris é complexa. No site da USGS podemos ver imagens tridimensionais do tipo anaglifo, geradas usando software produzido localmente, onde podemos ver as várias camadas de informação, especificamente unidades geológicas, estruturas geológicas, imagens e topografia. Abaixo, vemos um filme produzido pelo JPL, o Jet Propulsion Laboratory da NASA.

Marte, com certeza, será o nosso próximo destino. Isso se nossos políticos não tiverem a brilhante ideia de matar a todos no planeta Terra antes. Temos muito o que aprender com o Universo, mas mal saímos de nosso quarto e ainda nem exploramos o jardim de nossa casa. Desde as maravilhas de Encéladus até o Valles Marineris, ficamos impressionados como o Universo é tão rico e misterioso e como é tão independente e indiferente às nossas necessidades e frustrações. Talvez, por isso, que tais maravilhas sejam o que realmente são: maravilhas.

6 comentários em “Valles Marineris, um passeio por uma imensa rachadura

  1. Vejam como a percepção humana limitada nos engana. Olhando a foto em alta resolução, Marte parece um planeta quase que completamente liso. Com algumas pequenas imperfeições. O problema é que estamos tão longe que perdemos a noção da escala, mesmo com uma imagem dessas. Aposto que qualquer dessas deformações (círculos) na superfícies é maior que uma cidade grande aqui na Terra.

    Quanto a essa afirmação, “Marte, com certeza, será o nosso próximo destino”. Algum sabe como andam as previsões para o homem pisar pela primeira vez lá? Sempre que escuto, estão revendo as estimativas.

  2. Me impressiona um planeta bem menor do que a Terra e ainda apresentar estruturas impressionantes como Monte Olimpo e o Valles Marineris.Sonho que um dia as escalaremos. :D

  3. O universo é incrivelmente misterioso e maravilhoso. Pena que nossa geração está tão longe de explorá-lo do jeito que deve ser. Se é que um dia vai. :cry:

  4. Me fizeram uma pergunta e fiquei pensando, se encontrarem água em marte, com formas de vida bacteriana etc…, isto seria um novo marco para a Teoria da Nova Panspermia? Sobre o “supercanyon”, só tenho a admirar estas poderosas maravilhas que nosso sistema tem a oferecer, acho que este século será marcado do que chamo de Viagens estelares…!

  5. Sobre a causa inicial ser por placas tectônicas, fico pasma, nunca li nada que dissesse tal. Mas sobre Marte, acho suas tempestades sazonais o fator mais incrível daquele planetinha (planetinha sim! É um toco comparado com a Terra, não perde o charme, mas ainda é um toco). E até que há bastante avanço nas pesquisas de futura colonização (Marte já tem bandeira até! Vê lá na Sociedade Planetária de Marte), ainda este século o homem chegará lá, tenho certeza.

    Marte pode não ser meu planeta favorito, mas em termos de satélites, ganha disparado. Seria incrível viver em um planeta que os satélites se chamam Phobos e Deimos! E esses satélites ainda poderão se tornar anéis!! É muita emoção ‘-‘ me divirto horrores nessas pesquisas.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s