Conselho de Educação quer proibir uso de livro de Monteiro Lobato

O MEC é uma das mais fantásticas áreas do Governo, onde o absurdo é algo comum e a bizarrice é a ordem do dia. Antes, eles queriam acabar com o problema da repetência com o sistema de aprovação automática, a secretária do MEC acha que escolas não servem pra nada e o PNAD mostrou o lixo como as coisas andam. Mas você achou que nada de pior podia acontecer, mas aconteceu: O MEC acha que Monteiro Lobato era um escritor racista e resolveu banir os seus livros das escolas públicas, pois eles incitam preconceito, chauvinismo, maus tratos com animais e até pedofilia… Ok, a parte da pedofilia é um tanto de exagero, mas convenhamos que falta pouco.

Defrontando-se com a ignorância e o analfabetismo governamental, esta é a sua SEXTA INSANA!

Estamos num mundo onde tudo tem que se bonitinho, alegrinho, fofinho e afrescalhadinho. Crianças devem ser protegidas, pois os floquinhos de neve não podem ver o mundo real. Agora, os psicopedarretardados do Conselho Nacional de Educação (CNE) resolveu pegar no pé daquilo que déspotas sempre odiaram: livros. A bola da vez são os livros do Monteiro Lobato, principalmente a obra Caçadas de Pedrinho, que já foi distribuído pelo próprio MEC a colégios de ensino fundamental pelo PNBE (Programa Nacional de Biblioteca na Escola).

Tudo começa porque o livro chama Tia Nastácia de negra. Deveríamos chamar de “senhora afro-brasileira explorada pela burguesa capitalista”? De acordo com o parecer dos idiotas do CNE, o racismo estaria na abordagem da personagem Tia Nastácia como por exemplo: “Tia Nastácia, esquecida dos seus numerosos reumatismos, trepou, que nem uma macaca de carvão”. Ok, é um pouco forte, pros tempos politicamente corretos. Mas reclamar do trecho “Não é à toa que os macacos se parecem tanto com os homens. Só dizem bobagens”, é simplesmente reiterar o que o autor falou. Interessante como os débeis mentais do CNE não sabem interpretar textos, pois a comparação “macaco/ser humano” se dá nas bobagens e não no tom de pele, posto que seres humanos podem ser de diversas etnias. Isso todos sabem, menos os imbecis do MEC, os quais são a perfeita ilustração do que o Monteiro Lobato disse.

Vejamos, pros dias de hoje  texto é preconceituoso; ahan, sei. Então, vamos banir machado de Assis, pois ele usa figuras de linguagem e sempre aborda temas que falam de pessoas mulatas, negras, escravos etc. Vamos banir Lima Barreto, por causa do livro Clara dos Anjos. Hummm, também não devemos ler Jorge Amado, por causa da sacanagem que tem lá. Ei! Nada de José de Alencar, por fomentar feminismo (além de ser chato pra cacete) e muito menos Érico Veríssimo, pois o Capitão Rodrigo passava todo mundo na cara. Bem, sobrou o que? A porra do Crepúsculo, com aquele vampiro aboiolado que não quer traçar a garota?

Os estudantes já não leem (sim, imbecis, podem mandar quantos livros quiserem para as bibliotecas dos colégios que eles ficarão intocados), agora ficam de palhaçada querendo censurar (sim, censurar!) estes ou aqueles livros, pois os vigilantes do politicamente correto ficam de guarda. Não se pode brincar de polícia e bandido, não se pode ler clássicos da literatura, como a Ilha do Tesouro (céus, os piratas fumam e são bandidos!), muito menos Lady Chaterrley pois ela tinha um amante! No entanto, querem ensino religioso, com a Bíblia cheia de racismo, etnocentrismo, sexismo, homofobia, guerras, violência, pedofilia e outras coisas mais selvagens.

Este é o governo brasileiro, onde “nosso” (na verdade, “seu”. Eu moro em Tuvalu) presidente fica orgulhoso em ser o semi-analfabeto, o povo elege analfabetos para o senado e os analfabetos-funcionais arrumam cargos no ministério que deveria cuidar da Educação, num país estupidamente iletrado.

“Oh! maravilha!
Que adoráveis criaturas temos aqui!
Como é bela a espécie humana!
Ó ADMIRÁVEL MUNDO NOVO
que possui gente assim!”


Fonte: A imprensa golpista. Nada do que você leu acima é de verdade. We’re Off To See The Great Wizard of Oz! La-La-La-La

24 comentários em “Conselho de Educação quer proibir uso de livro de Monteiro Lobato

  1. Me sinto um pouco idiota, cheguei na parte do texto q diz “Não é à toa que os macacos se parecem tanto com os homens. Só dizem bobagens” e ainda estava esperando aparecer a parte com racismo…

  2. Incrível a capacidade de regressão da sociedade. As pessoas não querem mais saber, pensar ou aprender. Pessoas que passam anos estudando como educar as demais deveriam estar atentando para esses fatos, mas NÃO. A CIÊNCIA, em geral, avança prodigiosamente, mas nossa educação, caráter, objetividade, compreensão e raciocínio estão em grave declínio. Quanto mais a ciência avança, menos se estuda sobre. Tem alguma coisa errada aí.Estamos criando e preparando uma legião de completos imbecis, incapazes de escrever de maneira razoável, realizar cálculos simples, dialogar, debater (mesmo a nível coloquial). Parabéns…estamos no caminho certo.

  3. “…as bibliotecas dos colégios que eles ficarão intocados”.
    Aí que voce se engana André, eles irão usar as pagina pra fazer um baseado.

    1. Onde dei aula, a biblioteca estava permanentemente fechada, pros alunos não irem trepar ou fumar maconha ou ambos (EU NÃO ESTOU INVENTANDO!).

      1. @André, na minha escola, os próprios alunos construíram um “pequeno” espaço no canto do terreno que muitos anos mais tarde seria lembrado “carinhosamente” pelos psicopedabobos como “o motel das crianças” – apesar do lugar ter sido frequentado apenas por aborrescentes e eventuais alunos da educação de jovens e adultos.

        E antes que alguém pergunte, nossa biblioteca era perfeitamente funcional, obrigado.

  4. Daqui à pouco vão proibir as crianças de lerem os gibis da Turma da Mônica. Vão dizer que o Cascão incentiva a falta de higiene,a Magali a glutonaria,o Cebolinha a falar “elado” e a Mônica,a violência. Como disse Regina Duarte sobre um então candidato a presidente: Tenho medo!

  5. “Mas reclamar do trecho “Não é à toa que os macacos se parecem tanto com os homens. Só dizem bobagens”, é simplesmente reiterar o que o autor falou. Interessante como os débeis mentais do CNE não sabem interpretar textos, pois a comparação “macaco/ser humano” se dá nas bobagens e não no tom de pele, posto que seres humanos podem ser de diversas etnias. Isso todos sabem, menos os imbecis do MEC, os quais são a perfeita ilustração do que o Monteiro Lobato disse.”
    .
    Opa, opa, opa. Quer dizer então que o pessoal do CNE fez, de imediato, a assossiação dos macacos com os negros?
    .
    Bom saber. É bom ver quem são os verdadeiros preconceituosos. E, como sempre, são os agentes do PC.

  6. Ao ler o título já falei alto “QUÊ?” e continuo travada na indagação. Agora eu sou totalmente a favor de proibir José de Alencar, porque, né, romance Peri e Iracema são drogas altamente perigosas. É necessário ter utilizado outras drogas pesadas como Machado e Mario de Andrade (na minha opinião, o LSD da literatura brasileira) para aguentar o tranco do Alencar. Mas ok, se estão perseguindo o querido Monteiro que só fez lutar pelo Brasil lá fora, quero ver quando vai ser a inquisição ao Mauricio de Sousa, Pedro Bandeira e João Carlos Marinho. Não vai demorar, 1º de Janeiro será logo mais, né?

      1. @André, fui ler o link, mas o assunto já conheço desde aqui (http://champ-vinyl.blogspot.com/2010/03/carta-aberta-ao-sr-dioclecio-luz.html) e não achei tão devastador, pois o texto referido é cheio de falhas e argumentos um tanto esdrúxulos na minha opinião (e de muitos que comentaram no artigo original), invés do texto em que o MEC deseja ou quer proibir Monteiro Lobato.

        Outra coisa, quem fez a denúncia sobre o racismo de Monteiro é da UnB, a mesma faculdade do gênio que viu tantas e tantas falhas na Turma da Mônica. É, o nível de educação de Brasília está excelente.

          1. @André, Turma da Mônica aliena? Fiquei sem palavras. Quero nem saber as mensagens subliminares que possam ter em “A Princesa e o Robô” ou na série do Sítio do Pica-pau Amarelo. Preciso apenas fugir deste país, e rápido.

          2. Pedrinho caça e mata animaizinhos indefesos, Dona Benta é uma burguesa exploradora, Visconde de Sabugosa representa a elite intelectual que subjuga os pobres e a Emília é o levante feminista que destroi os pilares de uma sociedade organizada (sim, eu já ouvi isso).

  7. É um tanto absurdo o que vou dizer, mas fico feliz que Emilia seja apenas o levante feminista. Como ela é uma boneca de pano, vai que, representava pedofilia. Ah, fiquei curiosa, se a Emilia é casada com um porco (Marquês de Rabicó), teria conotação zoofila na história ou eu viajei muito? E o tio Barnabé…? Só a Tia Nastácia que sofre preconceito é? Só porque ela é mulher, né? Sei.

  8. Como meus pais são semi-analfabetos e ninguém aqui em casa leu Monteiro Lobato na infância, tenho certeza que existem muitas outras origens (talvez inatas, até) para a capacidade do ser humano em querer destruir o outro com xingamentos numa discusão (o negócio é reduzir o outro à coisa, bicho ou ao ridículo mesmo). Sendo de uma família mestiça e com alguns com a pele um pouco mais escura que os demais – digo que eram comuns “xingamentos racistas” pelos mais mais brancos. Da mesma forma retribuiamos xingamentos específicos: baleia para os gordos, bicha para os mais “sensíveis” e outros: esqueleto, coelho… Mas o arsenal deles era maior: carvão, macaco, criolina, creolina, preto fedorento… Pois é, o mundo não é bonito mesmo… portanto se resolverem queimar os livros do Lobato (por melhor que sejam) também não vai adiantar ficar chorando.

  9. Pingback: Blog do Lucho

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s