MEC resolve o problema educacional sugerindo aprovação automática

Eu sempre fico feliz quando leio notícias que demonstrem como nosso país está evoluindo!*

evolucao_ensino.jpg

Os gênios do MEC, ministério cuja existência faz tanto sentido quanto o Ministério da Justiça, decidiram acabar de vez com a repetência e evasão escolar. Segundo a visão magnífica dos técniCUS educacionais – que entendem tanto de ensino quanto o Adauto Lourenço entende de Evolução, Geologia, Física, Biologia, Química e todas as demais ciências – resolveram dar um basta nisso. Acham que a culpa disso, óbvio, é a reprovação. Para tanto, os digníçimus resolveram recomendar simplesmente que as escolas públicas e particulares passem a adotar aprovação automática nos três primeiros anos do Ensino Fundamental, tencionando expandir isso para TODOS os anos escolares.

Estou sem palavras ante a grandiosidade disso. Contei isso pra uma amiga professora e ela chorou de emoção. Obrigado, MEC, obrigado MEEEEEEEEEEEESMO.

Segundo uma inacreditável notícia do jornal O Globo, os retardados eleitoreiros do MEC resolveram ser mais idiotas que de costume, já que vivemos num país de débeis mentais. Para esta classe desclassificada, o péssimo rendimento dos alunos é fictício, apenas uma mostra que nossos sistema educacional está errado, já que o ensino meritório é errado. O mesmo ensino meritório que vinha dando certo há MILÊNIOS! Mas isso inibe os coitadinhos dos alunos e, portanto, deve ser abolido.

Ano passado eu demonstrei as vergonhas que apareceram com o PNAD. O MEC deve ter ficado horrorizado (NOT) com isso e resolveu mudar. Assim, o melhor é igualar a população. Revolução Já,companheiros. Para tanto, o que vamos fazer? Transformar todo o país num bando de analfabetos e analfabetos funcionais, até que consigamos a excelente marca de todo o país ser analfabeto. Daí, o Brasil será um paradigma na História Universal: O único país que passou da História para a Pré-História, já que ninguém mais saberá escrever. Os fóruns de discussão são um belo exemplo deste caminhar.

Em 9 de maio, o jornal Estado de São Paulo veiculou notícia dizendo que, segundo o MEC, o Bolsa Família foi responsável pela elevação do percentual de aprovações. O que uma coisa tem a ver com outra? Citando a reportagem, claramente parcial:

Com um menor grau de abandono dos estudos, os alunos do Bolsa-Família tiveram desempenho na educação semelhante à média dos estudantes matriculados nas classes de ensino fundamental das escolas públicas do País. No ensino médio, os beneficiários do programa de transferência de renda registraram índices de aprovação maiores.

Alguma dúvida que jornais são manipulados? O desempenho é tão bom que os índices do IBGE (que eu mostrei no artigo do PNAD) são alarmantes. Os bolsa esmola ajudaram tanto que o MEC quer aprovação automática, de modo a garantir uma legião de analfabetos. Qualquer dia, durante uma entrevista de emprego, a seleção será feita da seguinte forma:

Examinador: Então, senhor Adamarildo Riquimartim da Silva, o senhor quer uma vaga aqui. Gostaria de propor um teste, pode ser?
Adamarildo: Çim cenhô.
Examinador: Poderia, por obséquio, escrever o seu nome completo e o de seus pais nesta folha de papel?
Adamarildo: Er… mas imdenpidemti diço eu cerei contartadu, né? Afinau, temus apruvassaum tomática. :D
Examinador. Próximo!

Lendo o Visão Panorâmica (blog que eu recomendo), vemos o Arthurius Maximus comentar esta aberração:

Vagas para operários, vendedores, motoristas, operadores de produção (chão de fábrica), e outros trabalhadores com pouca exigência de qualificação, sobram no mercado e não podem ser preenchidas imediatamente devido à degeneração educacional de nosso povo.

Infelizmente, esses dados jamais chegarão aos lares brasileiros. Afinal de contas, mesmo que você fosse procurar, os achariam enterrados numa parte interna do jornal de domingo -quase sem nenhum destaque – e, para piorar, no caderno de economia. Vê-los na televisão, no rádio ou debatidos nas igrejas ou mesmo nas escolas então… uma mera utopia.

Deixe-me ver… Rádios? TVs? Um povo que se preocupa com Copa do Mundo e Big Brother? Os mais… cahan… instruídos estão preocupados com o ultimo capítulo de Lost. Debatidos em igrejas? I-GRE-JAS? O lugar que mais precisa de acéfalos manipulados? O lugar onde não há a menor intenção de ter pessoas com senso crítico? Não, estamos caminhando para o apocalipse intelectual, onde as Forças do Adversário ganharão a parada, pois larga maioria não quer ser culto, larga maioria não quer pensar, larga maioria não consegue ler um artigo com mais de duas linhas. Em compensação, o mesmo jornal O Globo informa uma grande aquisição no currículo escolar fluminense (fluminense é relativo ao Estado do Rio de Janeiro e eu terei que ficar explicando qualquer coisa “complicada”, por medo de não ter mais quem entenda): Ensino de História da MPB. Isso sim! Como eu poderia viver sem aprender algo tão útil e relevante como isso? Como eu poderia arrumar um emprego decente sem conhecer Emilinha Borba, Marlene, Chico Buarque e Lobão! Sim, Lobão; já que, segundo ele mesmo, se ele é músico, é popular e é brasileiro, então ele compõe MPB. Você discorda?

Políticos estão salivando como os cães de Pavlov a essa altura. Uma ideia dessas é excelente para angariar votos. Afinal, analfabetos podem votar e basta dijitá umdôstreis e prontu!

Não há muito mais o que falar sobre isso. portanto, deixo aqui como está a evolução no ensino da matemática (unidades atualizadas e a inflação não é levada em conta):

Ensino de matemática em 1950

Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. Sabendo que o custo de produção desse carro de lenha é igual a 4/5 do preço de venda, calcule o lucro.

Ensino de matemática em 1970

Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é igual a 4/5 do preço de venda ou R$ 80,00. Qual é o lucro?

Ensino de matemática em 1980

Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00. Qual é o lucro?

Ensino de matemática em 1990

Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00. Escolha a única resposta certa que indica o lucro:
( ) R$ 20,00 ( ) R$40,00 ( ) R$60,00 ( ) R$80,00 ( ) R$100,00

Ensino de matemática em 2000

Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00. O lucro é de R$ 20,00. Está certo?
( ) SIM ( ) NÃO

Ensino de matemática em 2010

Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$100,00. O lucro é de R$20,00. Se você souber ler, coloque um X ao lado do R$20,00.
( ) R$20,00 ( ) R$40,00 ( ) R$60,00 ( ) R$80,00 ( ) R$100,00
OBS. Se não souber ler, você está aprovado.


*Evolução nunca significou melhoria.
** Sim, a imagem foi atualizada. Não encha o saco.

67 comentários em “MEC resolve o problema educacional sugerindo aprovação automática

    1. Entre em um chat, e vc vai ver o nivel geral. Eu mesmo me impressiono com as desculpas esfarrapadas qdo reclamo do pessimo portugues…

      1. @Abbadon,

        Realmente. A principal desculpa é aquela repetida ad nauseam “Estou na Internet, não na escola. Não sou obrigado a escrever direito” (e variações). Me dá uma raiva quando eu leio essa resposta.

        Aí, como o Rodrigo disse, alguém retruca e é hostilizado até não poder mais.

  1. Excelente Texto! Este país é o único no mundo que pensa em regredir, ao invés de formar intelectuais de qualidade!

    Brasil, aqui, o palhaço é VOCÊ!

  2. Nossa! Quase rachei de rir só com o título! Vou ler com calma para saber em que essa proposta está “baseada” (haxixe, maconha, pepino…).

  3. É de assustar se lembrarmos que o IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) usa as taxas de aprovação dos alunos pra fazer o cálculo da nota que a educação precisa…

    Dou aulas no plantão de dúvidas de Ciências em uma escola particular e fiquei indignado com uma aluna que, durante a prova que eu estava aplicando, me perguntou o que “internacional” significava e se a região no mapa onde ela apontava (África) era a Ásia…

    1. @RodrigoGarcia,

      Não é privilégio de escola de ensino médio.
      Eu dou aula de Cálculo em uma faculdade particular e já teve aluno que me pediu pra resolver “passo a passo” um sistema de equações 2×2 enquanto eu estava na introdução para falar sobre o método de cálculo de determinantes utilizando o método de Sarrus…

      Sad but true… :sad:

      1. Grandes coisas! Um aluno meu viu a equação d = m/V (sob a forma de fração, aqui fica complicado escrever), e me perguntou o que era o traço do meio.

        1. Nas minhas aulas eu até me arrependo de sair simplificando as contas porque eles não sabem pra que serve uma simplificação. Como fazem tudo na base da calculadora, acham mais fácil digitar os números maiores do que tentar reduzí-los pra facilitar…

          1. Eles ainda tentam usar a calculadora? Os meus nem copiar a matéria copiam. Na véspera da prova correm pra biblioteca pra tirar xerox da matéria que os poucos copiaram.

          2. Até conseguem sim, mas é meio tosco um aluno de nono ano não ter “coragem” de fazer uma divisão no braço. Tudo pra eles é muito “difícil” mas aí você pergunta o nome dos 3 integrantes da banda “Jonas Brothers” e eles acertam sem piscar, enquanto que a Ásia permanece um lugar desconhecido…

  4. O Brasil é o país do futuro!(tomara que eu não faça parte desse futuro)
    E quando eu falo para algumas pessoas, que tem muita coisa para mudar nesse país de merda, eles dizem que tudo bem sempre vai ser assim e toca um foda-se.
    Infelizmente a grande maioria do povo brasileiro caiu no conformismo.
    Como dizia meu sargento, “Brasil acima de tudo!”.(Só se for acima dele.) :neutral:

  5. Idiocracy meu caro, é um futuro bem factível não só no Brasil, essa onda de imbecilidade em massa esta no mundo:

    Estou treinando inglês, sou programador e preciso pra caramba, ontem entrei naquele site, o omegle, para conhecer gente nova e principalmente treinar! Cara, que bosta, só ofensas de todos os tipos, gírias como “asl”(asshole) , frases do tipo “m/f?” (male or female?) etc. Não suportei mais, depois de 2 horas desisti! O país ta ferrado, ja lecionei em escola particular e pública e tenho certeza absoluta que a maioria dos pais aprova essa política!

    Ps.
    Para n dizer que foi perda absoluta, consegui conversar uns 10 minutos com um Japonês, foi a única conversa sem gíria e normal que consegui em duas horas, o cara escrevia inglês corretíssimo e me deu um monte de dicas(detalhe, era um frentista)!

    1. Me lembro quando comecei a usar internet (tem pra mais de 10 anos). Usava o ICQ e conversei com um bocado de gente legal, popos ótimos, muito diferente dos retardados aborrecentes de hoje. Fiz amizade com uma menina do Canadá e até hoje trocamos emails e cartões-postais. Uma de Kuala Lampur e um carinha do País de Gales tb sempre conversavam comigo.

      Saudade desse tempo!

  6. Gostaria de agradecer a citação do blog e dizer uma coisa: Ou mudamos a forma como o brasileiro encara sua própria respomsabilidade nisso tudo ou ficaremos cada vez mais afundados nesse mar de lama e entregues aos burocratas a serviço dos messias que aparecem de tempos e tempos.

    Um povo que não pensa e é incapaz de criar seus próprios cérebros será escravo para sempre.

    Um abraço.

  7. ”Portaria publicada nessa segunda-feira (24), no Diário Oficial da União, instituiu o Exame Nacional de Ingresso na Carreira Docente. A prova, que será realizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), avaliará os profissionais que tenham concluído ou estejam concluindo cursos de formação inicial para a docência e que desejam ingressar na carreira do magistério…”
    Será o Enem para os docentes, que há possibilidade de substituir os concursos públicos (cabide de emprego). Basta saber se os professores se preocuparão ou não estarão ENEMaí como alguns alunos.
    Também em um dos boletins do SECOM li uma matéria falando que o governo tá com um projeto pra jovens que não estão cursando a série compatível com a idade, aí entra o lance de jovens que nasceram no meio do ano e os cabeças-de-bagre que tem 20 anos e ainda estão na quinta série, por exemplo.
    A última, Cristovam Buarque tava querendo nivelar o ensino de federais com publicas, pra acabar com esta viadagem de quem estuda em federais são mais “balas” em relação aos demais. Conheço uns manes que faziam educação física e aprenderam muito de otorrino obrigatoriamente, após quase fuderem as ventas do nariz, de tanto cheirar coca, sei que não vem ao caso isto.
    To querendo dizer o seguinte “TEM ENSINO PRA BURRO” o lance é saber onde tá realmente o erro, tem governantes aí que tão querendo números, pra mostrar pros gringos que aqui nóis sabe iscrevê o nome todo.
    E outra; numa nação de tupiniquins onde o governante maior tem a 4ª série, alguns põem em xeque a importância de estudar…

    1. Ensino pra burro? Realmente, estamos produzindo burros. A questão dos professores é simples: bata abolir as disciplina (perdão da expressão) pedagógicas, fundamentando o que eles realmente tem que ensinar e ão propagar pseudoteorias educacionais dos Piagets da vida ou dos Paulo Freires. Paulo Freire nunca deu aula meeeesmo. Se soltasse o barbudão num colégio estadual, ele não duraria 5 minutos.

      O Ensino no Brasil melhorará o dia que extinguirem a pseudoprofissão de pedagogos.

      1. @Rachel Schroeder,
        O “Pra Burro” foi em duplo, triplo ou quadrúpede sentido – com todo respeito aos animais que usam ferraduras.
        É o seguinte, quando criança a informação adicional que tinha de animais era quando compravas aquelas barras de chocolate “surpresa”. Nome de países, bandeiras, era nos álbuns de figurinha. Quando comecei a tocar, tirava música “de ouvido”, etc. Quero dizer que hoje tá tudo muito mais fácil, mais acessível, tem internet, programas educativos na TV, programas de auditório, guitar pro, etc. Pra burro é mais ou menos como numa música do Tianastacia “Na prateleira FARTA literatura, Belas palavras mas tão pouca atuação”
        E tu Rachel, faça mesmo sua pós em museus e/ou restauração, dizem que o mercado é bom e gratificante. Minha esposa é formada em história e pretende focar nesta área também

        1. @Tiburcius, Pois é, depois que inventaram o CTRL+C e CTRL+V a formação em massa é de um bando de preguiçosos semi letrados, e semi analfabetos também. A minha decepção é diária, acredite, quando comecei a cursar História nem era pela Licenciatura. Tive que me enquadrar nessa realidade de “ser professor” e ouvir seqüências de discursos demagogos pedagógicos que me davam sono. Tinha que ir de sábado de manhã e ficar até o meio dia engolindo Paulo Freire e companhia. Contudo só pensei, “estou aqui pelo museu, pelo patrimônio histórico, pela pós em sociedade e cultura ou algo mais” e assim me desvirtuei de minha decepção. Pois é fato: se eu ficar engajada nessa decepção, vou pensar sinceramente que meu meio ano que falta pra terminar minha faculdade de História faz valer mais dois anos perdidos anteriormente. Eu assumo que meu pensamento e talvez minha forma de agir não seja correta, mas odeio ser hipócrita como esses que escrevem sobre educação e não tem a menor coragem de entrar em uma escola pública. Aí sim, nós professores de hoje podemos entender que a pedagogia é realmente um câncer nos dias de hoje.

  8. Na minha condição de professora, há de ser um assunto que incomoda muito e gera muitos encalços no nosso dia-a-dia: progressão continuada. Mas há de se ver também que, a pedagogia que se aprende na faculdade deveria se chamar demagogia, e alguns só estão dando aula para completar mais um lugar na cadeira de funcionário público. E muitas vezes tiram o lugar de pessoas que querem ensinar, que querem EDUCAR, porque ser educador não é tarefa para qualquer um. Isso eu posso dizer em voz alta. E também posso assumir claramente que, é difícil trabalhar como professor num Estado onde um governinho conservador distribui cartilhas ‘lhe ensinando o que vc tem que ensinar’. Educação neste país está longe de alcançar algum ímpeto. Somente em alguns Estados brasileiros dá pra ver que é levada a sério mas não em todos os pontos. Em SP a decadência é geral, tanto no ensino quanto no salário que os professores ganham. Muitos pontos devem ser considerados. Estou a fazer minha pós, mas meu foco em História são os Museus e não a educação, assumo. Mas não fico feliz com isso. E nota: Paulo Freire tinha um pensamento bonito, mas infelizmente utópico.

  9. A conquista de um pouco de liberdade depende de muito conhecimento, o pensamento crítico, o ceticismo, ficara cada vez mais restrito a poucos.

    O sucesso e a democracia, depende da aceitação popular, não da análise crítica e bem elaborada dos especialistas, que realmente deveriam ter voz ativa.

    Não acredito na democracia. O respeito que devemos ter as pessoas não inclui aceitar a forma insana delas verem o mundo, não acredito que o voto de milhões seja mais importante de que de um especialista. O engôdo não esta na razão e sim na emoção gerada por algumas falácias.

    Mesmo antes, dessa medida IDIOTA dada pelo MEC, O sistema de ensino já era muito falho.

    “Ensino de matemática em 1950”

    “Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. Sabendo que o custo de produção desse carro de lenha é igual a 4/5 do preço de venda, calcule o lucro”.

    “Ensino de matemática de 2050”

    “Um cortador de lenha vende um carro de lenha por (?). Sabendo que o custo de produção desse carro de lenha é igual a 4/5 do preço de venda, calcule o lucro”.

    (?) não julgo necessário.

    (*) Ora fessor, o senhor já respondeu a questão (5/5) = 100 % (4/5) = 80%, sobra (1/5) = 20% = lucro

    (*) esse aluno tem 7 anos em um sistema de ensino onde o básico se constitui, nas 3 mais importantes disciplinas da época, Lógica, Lingüística e Filosofia.

    Posso ao menos sonhar.

    Se não.

    “Ensino de matemática de 2010”

    “Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$100,00. O lucro é de R$20,00. Se você souber ler, coloque um X ao lado do R$20,00.
    ( ) R$20,00 ( ) R$40,00 ( ) R$60,00 ( ) R$80,00 ( ) R$100,00
    OBS. Se não souber ler, você está aprovado”.

    “Ensino de matemática de 2050”

    “Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$100,00. O lucro é de R$20,00. Se você souber ler, coloque um X ao lado do R$20,00.
    ( ) R$20,00 ( ) R$40,00 ( ) R$60,00 ( ) R$80,00 ( ) R$100,00
    (*)OBS. Nesse caso o aluno não precisa dar o trabalho de ir ao local, pois quem decide por ele é uma máquina que plugada em sua cabeça dita as ordens e responde por ele.

    (*) Essa máquina esta interligada ao um sistema central, onde quem comanda todas as máquinas é um MACACO.

    Valeu André, muito criativo o quadro da evolução do ensino da matemática.

  10. Penso que educação publica brasileira vai melhorar no dia em que escolas, diretores e professores tiverem autonomia pra atuaram, de acordo com as necessecidades de cada escola e comunidade a quem eles servem, sem que haja interferências externas. Veja que, normalmente, que cria regras e normas educacionais são pessoas que nunca, quase nunca ou não entram numa sala de aula para ministrar qualquer disciplina ha muito tempo.

    1. Esses que criam as regras sem sequer entrar numa sala de aula têm nome, são os famosos PEDAGOGOS, essa racinha infernal que tenta inventar e só faz merda. Eu era contra o ensino tradicional (o dos meus pais e avós) mas a cada dia que passa eu sou mais e mais à favor.

      1. @RodrigoGarcia, Bem, Rodrigo! Não creio que sejam os pedagogos, os responsáveis, pois também são vítimas desse sistema! Me refiro a esses indivíduos que criam e recriam teorias educacionais, sem nunca terem ministrado uma aulinha sequer. Falo de tecnocratas que trabalham em salas confortáveis, com ar condicionado, recebendo altos salários, limitando-se apenas em elaborar teses copiadas ou escritas baseadas em pesquisas tipo “PERGUNTAS E RESPOSTAS”, tirando disso conclusões mirabolantes!

        1. Falo de tecnocratas que trabalham em salas confortáveis, com ar condicionado, recebendo altos salários, limitando-se apenas em elaborar teses copiadas ou escritas baseadas em pesquisas tipo “PERGUNTAS E RESPOSTAS”, tirando disso conclusões mirabolantes!

          Refere-se aos pedagogos?

          Nota: isso foi uma pergunta retórica.

          1. @Demente, Falo dessas pessoas que passam a vida fazendo mestrado, doutorado, pós doutorado, elaboram teses e sistemas educacionais, sem nunca terem entrado numa sala de aula. Teimam em implantar seus projetos sem antes testa-los ou ainda, sem antes nos consultar. Sou professor ha 23 anos anos, e nunca vi ninguem consultar a mim ou meus colegas, sobre qual a forma mais adequada pra melhor a educação nas escolas públicas. Ja chegam com planos prontinhos pra serem executados. Se der certo, eles recebem as honrarias, Se der errados, as escolas e professores não sabem trabalhar e precisam de reciclagem. Por isso afirmei acima, que a educação pública vai melhorar quando as escolas e professores tiverem autonomia pra aturem.

          2. Então, vamos nos livrar dos pedagogos!

            Pedagogia deveria ser, no máximo, uma sub-disciplina como as demais necessárias para lecionar, mas que na prática serve apenas para formar administradores que tratam os professores como bóias-frias!

          3. @joao ribett, Convenhamos que, pedagogia na faculdade é a matéria mais massante e hipócrita… cruzes! Quanto tempo perdido!!! E meus professores, exceto uma, estão longe do contato com a escola pública… Mas esta que dava aula frequentemente na pública, era regada de ideologia demais, que infelizmente não a levará a lugar algum…

          4. @joao ribett, Bom, eu, por minha vez, não tenho do que reclamar dos pedagogos das escola em que leciona. São discretos e atuam em assuntos burocráticos, organizção de pautas, providenciam materiais dos quais precisamos, etc. MAs acho que o problema começa mesmo, nas famílias que não dão o devido valor à educação de seus filhos. Depois vem a educação básica. Se a criança não aprende a ler, evidentemente, terá dificuldade de assimilar outros conteúdos posteriormente. Veja como pessoas de nível superior tem um português sofrível. Alguns contatos que tenho na internet cometem erros grosseiros de português. EX: Usar “N” antes de “P” e “B”. As vezes acontece de a gente digitar apressadamente e cometer alguns erros, mas se erro é recorrente é porque a pessoa não sabe mesmo.

  11. Dei uma boa olhada no texto e suas fontes, e percebi que tudo se resume a “nivelar por baixo”!

    Dessa maneira, o mote “todos têm direito a educação de qualidade”, sob a ótica brasileira de pseudodemocracia, acaba ficando “todos têm direito a educação de mesma qualidade”.

    Mesmo que essa qualidade deixe muito a desejar.

  12. Crianças querem correr atrás de papagaio e jogar bola, meninas só pensam em namorar e meninos em fazer sexo… Se o grupo familiar não incultiu nos mesmos a idéia de que serão admirados por serem inteligentes, espertos e saberem das coisas, nenhuma escola vai fazer isto. No meu grupo familiar e entre os amigos da minha rua, o interesse por livros e idéias mais sofisticadas era coisa passível de deboche, coisa de CDF lerdo e esquisitão. Ninguém tinha vergonha de falar que levou só uma ou duas bombas no ensino fundamental. Mais de duas começava a ficar feio…

    Antes dos pedagogos terem inventado o sistema abolindo o trauma causado pelo fracasso público e com impacto para o resto da vida do sujeito (reprovação), as vítimas do antigo sistema já tinham feito o mesmo através de um eufemismo meio engraçado: “Era só uma bomba… mais duas e viraria bombeiro.”

  13. A educação aqui no Brasil é pífia, e isso é reflexo de falhas em todos os níveis. Os professores são mal formados, mal pagos (a esmagadora maioria merece o salário que ganha, convenhamos, alguns até poderiam ganhar menos). Os melhores graduados acabam indo para outras áreas, em virtude da baixa remuneração do ensino básico e também da pequena valorização profissional. Vira uma bola de neve, como professores ruins formando alunos ruins.
    Aliado a isso, temos os pedagogos, que criam disciplinas inúteis nas licenciaturas e minam o trabalho dos professores que tentam fazer um bom trabalho.

  14. Eu não sei qual a opinião dos outros leitores, embora tenha visto uma pequena amostra.
    Da maneira como vejO as coisas (um tanto nubladas, pelo Famous Grouse, afinal é sexta), eu digo o mesmo que disse a meus colegas de serviço: comprei DUAS cartilhas Caminho Suave, para minha filha (12xº edição, graças a Zeus).

    Brinco com minha filha, conto (e leio) histórias para ela, assisto filmes com ela (alguns diriam que não se adquam à idade dela, mas ela gosta E entende) e fazemos passeios.

    Me preocupo com o que a sociedade? Sim.
    Me preocupo com minha filha? Muito mais.
    Me preocupo com a ética? Pode apostar.

    Confio no Estado, para a educação dela? Nem em pesadelos.
    Confio na idéia de “técnicus” da educação? Vai sonhando.
    Confio que os “ideais burocratas” populares são adequados? Vai nessa.

    Já vi do que as “políticas” do Estado são capazes, e não gostei.
    Já via o que os “técnicus” da educação pensam do ensino, e tenho medo.
    Já vi os “ideais” populares sobre cultura, e não consigo dormir.

    Só posso temer a “aprovação automática”, da mesma maneira que seus defensores temem a meritocracia.

  15. Quero parabenizar o Andre pela matéria, muito boa mesmo.
    Quanto as criticas a pedagogia, acredito, que o problema não esta nessa ciência.
    Mas sim na completa hipocrisia e ignorancia das pessoas que cursam a disciplina, para isso vou exemplificar;

    – Tive acesso á uma monografia de uma aluna do curso de pedagogia(que hoje já é professora), pelo fato de ser muito aplicada fez um otimo trabalho sobre a integração; familia, aluno e escola. Foi quando ela me disse que não acreditava naquilo é que não aplicava aquilo na sala de aula.

    – Conheço uma outra aluna que esta cursando o primeiro ano de faculdade de pedagogia, e acreditem ela não sabe multiplicar, nem dividir usando apenas o cerebro.

    Isso só mostra um ciclo de ignorância, onde o professor sai de uma faculdade de pedagogia e não ensina nada a seu aluno. Esse por sua vez torna-se um asno(me perdoem asnos, não se ofendam…rs) vai para a faculdade de pedagogia e sai de lá um professor.

    Acho a melhor coisa é arregaçarmos nossas mangas e tentar mudar as coisas que estão erradas.

    Obs.: Desculpem meus erros de português.

    1. De princípio, pedagogia é tão ciência quanto astrologia. Segundo, se no caso da primeira aluna ela era boa profissional e NÃO ACREDITAVA naquela bobajada, minha proposição só se confirma. Quanto à segunda… bem, isso só mostra que qualquer retardado(a) pode ser (perdoem a má palavra) pedagogo(a).

      1. @André,

        “De princípio, pedagogia é tão ciência quanto astrologia.”

        Acredito que não, o que difere uma de outra são seus aportes teoricos enquanto a pedagogia utiliza-se de outras ciencias humanas legitimas, a astrologia é um monte de proposições sem sentido e de caráter ambíguo.

        “Segundo, se no caso da primeira aluna ela era boa profissional e NÃO ACREDITAVA naquela bobajada, minha proposição só se confirma.”

        Não, eu não disse que ela era otima profissional, volte e leia meu comentario, disse que era aplicada na faculdade, por isso o trabalho ficou bom. Agora boa profissional, acredito eu, ela não ser. Algo que me leva a crer nisso foi certa vez uma discussão sobre a oração nas escolas, algo condenado pelos professores dela e por mim e apoiado por ela. Entre outras coisas discussões

        “Quanto à segunda… bem, isso só mostra que qualquer retardado(a) pode ser (perdoem a má palavra) pedagogo(a).”

        Mais um ponto de discordia entre nós, os retardados estão em todos os lugares até nas ciencias exatas que não dão margem a meios termos, conheço alunos de engenharia eletrica que não sabem veloocidade media. Outro bom exemplo é esse tal de Adauto Lourença, um retaradado completo(agora sou eu, que peço perdão pelo tom das palavras).

        Abraço

        1. a astrologia é um monte de proposições sem sentido e de caráter ambíguo.

          Exatamente por isso que as duas são similares. ;)

          Pedagogia não encontra nenhum respaldo no Método Científico e Khun cai na gargalhada sobre isso.

          Não, eu não disse que ela era otima profissional, volte e leia meu comentario,

          Eu o farei se vc apontar ONDE eu falei que vc disse isso.

          Mais um ponto de discordia entre nós, os retardados estão em todos os lugares até nas ciencias exatas que não dão margem a meios termos, conheço alunos de engenharia eletrica que não sabem veloocidade media.

          Sim. Mas é diferente, pois Engenharia Elétrica não defende que devemos amar os elétrons e cuidar para que eles não fiquem traumatizados.

          Outro bom exemplo é esse tal de Adauto Lourença, um retaradado completo(agora sou eu, que peço perdão pelo tom das palavras).

          Eu já o chamei de coisa pior, não se preocupe. ;) Ademais, Adauto não é o que diz ser. Mas isso fica pra um próximo artigo.

          1. @André,

            Andre, me responda uma coisa, você é o que do site (adm ou apenas colunista)?
            Tenho umas ideias para o site e gostaria de saber com quem falar.

            Abraço

          2. Eu sou um dos Sábios Senhores que formam a Santíssima Trindade Cética do Ceticismo.net. Para vc ter uma ideia, até mesmo Chuck Norris me chama de senhor.

            Sugestões são bem-vindas. Para isso existe o e-mail pro Fale Conosco.

  16. KKK, cada uma que é melhor nem comentar, Chuck Norris…rs

    Ok vou enviar as sugestões para o e-mail, valeu.

    Abraço

  17. É um absurdo o tentativa do MEC de amenizar nosso ridículo sistema educacional. Claro que existem vários pontos a serem repensados, mas a aprovação automática não é a solução (claro que ao meu ver). Quanto a desvalorização que vocês dão aos pedagogos, eu discordo. Temos péssimos pedagogos, da mesma forma que temos péssimos engenheiros, mas não desmereça os pedagogos por isso, temos vários exemplos de pedagogos que contribuiriam com a sociedade. E quanto ao seu louvável sistema educacional que a milênios vem funcionando, digo que a milênios vem criando alienados (não me digas que acreditas na Historia que aprendestes no louvável sistema educacional burguês ou melhor que a Miséria no nordeste é por causa da seca e não por causa dos latifundiários). A culpa não é da escola exatamente, mas da sociedade (leia literatura e revolução entenderás o que digo) a escola é um simples reflexo da sociedade. Para que a escola deixe de criar escravos, e sociedade terá que mudar. E discordo quando dizes TODAS as igrejas é certo que algumas alienam é, mas não todas e a maioria que participa da alienação (puxo Trotski novamente) é resultado de nossa sociedade, que costuma alienar para manter a hipocrisia social existente (essa foi de Tolstói). Concluindo acredito que esse sistema que aliena é apenas um instrumento de nossa burguesia e dificilmente alguma proposta educacional será aceita se por algum momento for atingir nosso proscênio social.

    Antes que queiras me chamar de Marxista saibas que não me encaixo bem nessa doutrina vários pontos discordo por exemplo o intenso ataque a religiosidade e uma revolução violenta, fora que não creio que o homem consiga aplicar um sistemas desses na nossa atual conjuntura.

    Não tente me atingir pela religião, sou convicto de minha fé. (da mesma forma que creio que sejas da sua)

    Não tente usar como argumento contra minha teoria meus erros gramáticas (nunca fui bom nisso)

    E caso for me responder, peço que não sejas agressivo não vejo sentido nisso.

    Agora se me permite gostaria de lhe dar alguns conselhos:

    Não seja tão preconceituoso com a religiosidade.

    Saiba que as outras pessoas a sua volta tem contribuições para dar e tente não xinga-las (alguns veem como ofensa pessoal)

    Como aparentemente você segue o pensamento pós-moderno pelo menos não tenha atitudes hipócritas (caso não seja dessa linhagem desconsidere o que eu disse)

    E saibas que não pode-se encher uma xícara cheia.

    1. temos vários exemplos de pedagogos que contribuiriam com a sociedade.

      Exemplo?

      E quanto ao seu louvável sistema educacional que a milênios vem funcionando, digo que a milênios vem criando alienados (não me digas que acreditas na Historia que aprendestes no louvável sistema educacional burguês ou melhor que a Miséria no nordeste é por causa da seca e não por causa dos latifundiários).

      Mas hein?

      E discordo quando dizes TODAS as igrejas é certo que algumas alienam é, mas não todas

      Exemplo?

      Concluindo acredito que esse sistema que aliena é apenas um instrumento de nossa burguesia e dificilmente alguma proposta educacional será aceita se por algum momento for atingir nosso proscênio social.

      Stalin tinha um programa educacional tão melhor, né?

      Não tente me atingir pela religião

      Pra mim, vc não tem importância nenhuma. Não se sinta especial.

      Não tente usar como argumento contra minha teoria meus erros gramáticas (nunca fui bom nisso)

      Preciso?

      Como aparentemente você segue o pensamento pós-moderno pelo menos não tenha atitudes hipócritas (caso não seja dessa linhagem desconsidere o que eu disse)

      E saibas que não pode-se encher uma xícara cheia.

      Felózofo!

      1. @André, Em algum momento disse que concordo com Stalin? Peço que digas se concorda ou não com o sistema existente? Quanto aos exemplos que pediu posso escrever um artigo para você (só não espere um prazo determinado estou incluso no sistema educacional existente). E a ultima frase tente aplicar um pouco em sua vida pode ajudar-lo a ampliar seus horizontes de conhecimento e viver de forma mais pacifica no que chamamos de sociedade. Não quis me sentir especial apenas quis me sentir humano como um outro qualquer que merece respeito. Só não compreendi bem o seu “Mas hein”

        1. Em algum momento disse que concordo com Stalin?

          Que isso, companheiro?

          Peço que digas se concorda ou não com o sistema existente?

          Sobre a parte da burguesia?

          Quanto aos exemplos que pediu posso escrever um artigo para você (só não espere um prazo determinado estou incluso no sistema educacional existente).

          Só pedi os nomes. Pode citar?

          E a ultima frase tente aplicar um pouco em sua vida pode ajudar-lo a ampliar seus horizontes de conhecimento e viver de forma mais pacifica no que chamamos de sociedade.

          Felozofia: A arte e a técnica de procurar um gato preto que não existe no escuro.

          Não quis me sentir especial apenas quis me sentir humano como um outro qualquer que merece respeito.

          Querer não é poder.

          Só não compreendi bem o seu “Mas hein”

          Empatamos. Suas frases são sem sentido para mim, também.

      2. Impressão minha ou você está cada vez mais lacônico quando responde este tipo de interlocutor? Sem cobranças, afinal, é completamente compreensível!

          1. @André,
            Não devolvo, não devolvo e não devolvo!
            Você parece estar ficando popular entre os marxistas de plantão, isso promete. :cool:

    2. @ighor,
      Quanto a desvalorização que vocês dão aos pedagogos, eu discordo. Temos péssimos pedagogos,
      Pedagogo não serve para nada. Porquê? Porque pedagogia NÃO é um fim em si, é uma ferramenta para se atingir uma finalidade, assim como “didática” NÃO é atividade fim, mas outro instrumento para auxiliar na instrução dos alunos.
      Ninguém se gradua em “Didática”: é apenas um assunto a ser tratado nas licenciaturas. “Pedagogia” deveria seguir o mesmo destino, por não passar de uma graduação de araque.

      da mesma forma que temos péssimos engenheiros,
      O fato de existirem péssimos engenheiros não diminui o fato que as engenharias -pelo menos a maioria delas- serve para algo e são atividades-fim, ao contrário da pedagogia.

      temos vários exemplos de pedagogos que contribuiriam com a sociedade.
      Se sua noção de “contribuição” abraçar especialmente as péssimas contribuições, então você está correto, pois os pedagogos -e seus semelhantes políticos no MEC- ajudaram a fazer da educação do brasileiro esse lixo que vemos todos os dias.

      E quanto ao seu louvável sistema educacional que a milênios vem funcionando, digo que a milênios vem criando alienados
      Em primeiro lugar, cara-pálida, milênios no Brasil? Milênios onde, no mundo? Nem na Chinha há um sistema educacional coerente de milênios, tampouco a Grécia ou Roma tiveram sistemas educacionais que permaneceram intactos por “milênios”.
      Se for usar de palavreado vazio não espere respostas delicadas a descalabros.

      (não me digas que acreditas na Historia que aprendestes no louvável sistema educacional burguês
      Tenho certeza que sua doutrininha esquerdista detém todo o real conhecimento histórico, e que o mundo todo está errado.

      ou melhor que a Miséria no nordeste é por causa da seca e não por causa dos latifundiários).
      “Latifundiários”. Burgês. Alienados. Sabia que chegaria nesse papo furado.

      A culpa não é da escola exatamente, mas da sociedade (leia literatura e revolução entenderás o que digo)
      Que literatura, que revolução? Ah, Orwell e “A Revolução dos Bichos”?

      E discordo quando dizes TODAS as igrejas é certo que algumas alienam é, mas não todas e a maioria que participa da alienação (puxo Trotski novamente) é resultado de nossa sociedade, que costuma alienar para manter a hipocrisia social existente (essa foi de Tolstói).
      Quer dizer que enfiar na cabeça das pessoas arranjos de amigos imaginários não é alienar? Só nos seus livrinhos.
      (Isso está me lembrando um certo Stallone que apareceu por aqui, falando de Tolstoi…)

      Concluindo acredito que esse sistema que aliena é apenas um instrumento de nossa burguesia e dificilmente alguma proposta educacional será aceita se por algum momento for atingir nosso proscênio social.
      Ufa, pelo menos acabou. Tchau.

      Antes que queiras me chamar de Marxista saibas que não me encaixo bem nessa doutrina vários pontos discordo por exemplo o intenso ataque a religiosidade e uma revolução violenta, fora que não creio que o homem consiga aplicar um sistemas desses na nossa atual conjuntura.
      Aff. Não acabou. Odeio quando dão a falsa esperança que tudo acabou, que um “concluindo” realmente encerrasse o discurso.

      Não tente me atingir pela religião, sou convicto de minha fé. (da mesma forma que creio que sejas da sua)
      Não é preciso “atingir” sua fé, seja ela qual for, visto que náo é o objeto do artigo; por outro lado, muitos, por aqui, estão se lixando para qual seja sua fé.

      Não tente usar como argumento contra minha teoria meus erros gramáticas (nunca fui bom nisso)
      Antes fosse apenas nisso.

      E caso for me responder, peço que não sejas agressivo não vejo sentido nisso.
      Pedido recebido, pedido negado.

      Agora se me permite gostaria de lhe dar alguns conselhos:
      Você que precisa aconselhamento, sugiro um psiquiatra.

      Não seja tão preconceituoso com a religiosidade.
      FODA-SE a religiosidade.

      Saiba que as outras pessoas a sua volta tem contribuições para dar e tente não xinga-las (alguns veem como ofensa pessoal)
      Outros podem ver propagandas de esquerdistas de cérebro lavado como ofensa pessoal.

      Como aparentemente você segue o pensamento pós-moderno pelo menos não tenha atitudes hipócritas (caso não seja dessa linhagem desconsidere o que eu disse)
      Não há como desconsiderar, muito menos perdoar. Se você não sabe do que está falando, é melhor ficar quieto, ao invés de fazer especulações sem base.

      E saibas que não pode-se encher uma xícara cheia.
      E, da próxima vez que escrever um “concluindo”, faça o grande favor de concluir MESMO.

  18. Ontem cheguei ao meu trabalho e perguntei: que dia é hoje? A maioria: ‘sexta-feira treze’. Daí eu voltei a perguntar: qual o fato histórico que ocorreu no dia 13 de maio de 1888? Quase todo mundo fez cara de ‘ué?’ . Então voltei-me aos estagiários, afinal, eles ainda estão na escola (média de idade: 16 anos), só uma soube respondeu, assim, ‘de pronto’. Fiquei meio impressionada, mas então eu perguntei a eles se podia fazer um teste rápido, como eles assentiram, comecei:
    a) o que foi a lei do ventre livre?
    b) o que foi a lei dos sexagenários?
    c) o que foi o Bill Alberdeen?
    d) o que foi o dia do ‘fico’?
    e) quais fatos da história brasileira marcaram os dias 21 e 22 de abril?
    f) o que aconteceu de importante no Brasil em 15 novembro de 1889?
    g) o que se comemora em 7 de setembro?
    h) quem inventou o telefone?
    i) quem trouxe essa invenção (telefone) para o Brasil?
    j) dia 15 de outubro homenageamos quais profissionais?

    Só uma estagiária respondeu a maior parte das perguntas (exceto os itens ‘c’e ‘i’) sem maiores problemas. Perguntei onde eles estudavam; todos em escolas públicas. Daí fiquei curiosa para saber onde essa menina estudava (qual o nome da escola), pois me pareceu eles estavam cumprindo a função deles. Ela deu o nome da escola, mas disse ‘a escola não presta, não; sei dessas coisas porque meus pais me contam e desde pequena eu lia os livros que tinha na estante junto com eles’.

    1. @Fátima, Podemos tirar uma lição de grande valor para futuros papais e papais fresquinhos:

      “O olho do dono engorda o rebanho”

      O ditado é tosco, mas representa bem o caso da estagiária. Pais que não podem pagar uma boa educação para seus filhos (não sei se é caso dela), podem fazer a diferença em casa mesmo.

      Em geral, os filhos imitam os pais. Se vc lê vários livros e sempre está fazendo um curso aqui, outro ali, seus filhos terão um bom exemplo. Mas, se vc chega em casa, senta no sofá e começa assistindo a novela das sete e emenda tudo até o BBB, bem… seu filho também estará observando.

      1. @Renato Kistner,
        Yeap. Cem por cento contigo nessa.
        Minha filha acha que fazer as lições de casa não é um castigo, mas uma atividade a se fazer com os pais, e ela gosta que fiquemos os três “trabalhando” na tarefa dela, no fim-de-semana -não TODO o fim-de-semana, bem entendido.
        Desde cedo ela está acostumada não apenas com o ambiente dos livros -temos uma mini-biblioteca em casa- mas com a cultura e a investigação pela curiosidade. Ah, e desde antes dos 3 anos ela gosta do Metallica. ;-)

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s