Viajando nas viagens

Acho que viajar é algo hipervalorizado. As desculpas que dão para viajar é algo ininteligível para mim. Sim, sério. Não consigo entender as pessoas e essa tara por fazer viagens. Tem gente que diz que passaria a vida viajando. Se veem como exploradores ou algo do tipo, verdadeiros bandeirantes, Indiana Jones dos tempos modernos.

Pessoal fala e fala como gostaria de ficar rodando como folhas ao vento, indo de um canto para outro, um dia de cada vez. Para mim, não tem nenhuma diferença de ser mendigo, e nunca vi um único mendigo com aspecto feliz. Me dizem que viajar é ótimo para ver pessoas novas, gente diferente!

GENTE DIFERENTE?? Eu não quero ver nem os que eu estou acostumado. Que mania é essa de catar dinheiro, prepara logística de viagem, malas, roupas, passagens vai para… Sei lá, Argentina, Portugal, Grécia ou Campos do Jordão para ver… gente! Se ainda fosse para ver aliens, até entenderia, mas ver as mesmas pessoas que eu veria indo pra Paquetá ou em Belford Roxo?

— Caramba. Aqui na Coreia tem coreanos. Não é o máximo?

Com a globalização, você tem gente de todos os países nas capitais de todos os países. Podem até me chamar de exagerado, mas acho falta e educação ir nos lugares e ficar reparando nas pessoas. Imagine-se comendo um salgado e um refri. Então, uma tia de outro país fica juntinho de você, te olhando com curiosidade. Ajeita o óculos e comenta com a outra tia ao lado dela alguma coisa num idioma que você não entende. Você gostaria? Não, você daria um passa-fora nela. Eu não sei você, mas eu não quero pros outros o que não quero para mim.

Ah, sim, vão me falar dos aromas e sabores exóticos. Como se eu não pudesse comprar em qualquer Mercado Municipal decente ou pela internet. Já vieram me falar dos mercados marroquinos, como aqueles sukhs que aparecem em reportagens. Mercado? Com um monte de gente com lojinha decadente aberta e gente (ó eles lá de novo) se acotovelando? Vocês conseguem imaginar um grego falando com a esposa que ele está doido para visitar a SAARA, no Centro do Rio, ou no Mercadão de Madureira, enquanto a esposa replica que quer ir na 25 de março na época do Natal? Ir no mercado de outro país para que? Ser roubado?

Sim, eu sei que é chocante, mas todo mundo passa a perna em turista em todos os cantos do mundo. Turista só serve para ser explorado, não é só no Rio que cobram cem reais um pratinho de batata frita só porque você está em Copacabana.

Ok, não é a SAARA e nem a 25 de março

Tudo bem, é colorido e tal. Bem.. exótico, como costumam dizer. Mas suponhamos que você tenha ficado encantado com as comidas e temperos. Guess what. Você não poderá trazer pro Brasil da forma que está pensando. A Vigilância Sanitária vai barrar assim que você puser os pés no Brasil. Ademais, você pode muito bem comprar aqui. A não ser que você queira umas quinquilharias que os artesãos de lá fazem. Será que eles não podem vender pela Amazon ou Mercado Livre?

Agora, se vai para um lugar com um diferencial, MESMO aí é outra história. Tipo museus. Adoro museus. Então você vai na França para ver uns museus. E só museu mesmo, porque Paris é um lugar tosco, sem graça e com gente escrota. É tipo São Paulo, mas pelo menos Paris tem o Louvre. Sim, o Louvre. Então você paga uma entrada cara para ver ela, a Mona Lisa e…

É… você vai ver tudo, menos a Mona Lisa. E ainda tem este monte de pregos FOTOGRAFANDO! Jesus de Lantejoulas, você viaja milhares de quilômetros pra bater foto do quadro (que nem é impressionante como murais)? Apenas para bater uma foto? Imagem na Internet é o que não falta!

Minha ideia de viagem é ir para longe, num lugar afastado. Praia? Olha, praia é o seguinte: quem viu uma viu todas. No máximo você vai ver que em alguns locais se gasta mais com limpeza, mas é só isso. O problema da praia nem é a praia. é legal ficar lá, vendo as ondas, sentindo a brisa, o ar marinho e coisas que em meia hora você já está de saco cheio. O problema é que sempre tem gente lá. Praia se for bom se você alugar uma casa com praia particular, daquelas bem grandes. Sim, sai caro, é o preço que se paga por paz e sossego.

Lugar calmo, de paz e tranquilidade bom é aquele que você não se estressa, em comida e bebida à vontade, por preços decentes e, melhor de tudo, uma companhia agradável. Um lugar que se eu quiser jantar de short sem camisa, não tem problema nenhum, que sempre posso pedir toneladas de comida a qualquer hora, com internet ótima, cama confortável, cobertores quentinhos e travesseiros macios: minha casa.

Afinal, tendo a esposa que eu tenho, qualquer lugar é paradisíaco estando com a digníssima, mesmo quando eu estou viajando com ela, porque ela quer sair de casa COM ESSA MANIA DE VER GENTEEEEEEEEEE!!!!

9 comentários em “Viajando nas viagens

  1. Não gosto de viajar para ver lugares ou pessoas em si, mas adoro a sensação de liberdade.
    Cresci em uma cidade pequena e por muitos anos quis sair de lá, me sentia presa e as pessoas julgavam demais (por todos se conhecerem).
    Talvez não seja sobre viajar e sim sobre achar um local em que me sinta feliz e confortável.

    Mas não gosto de viajar e voltar, prefiro ir me mudando aos poucos e passar 1/2 anos em cada lugar pelo menos. Já que em uma viagem a visão do lugar é totalmente superficial e rapida.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s