Voyager 1 liga o turbo e vai pra mais longe, mais rápido

A Voyager 1 é uma sonda fantástica. Lançada em 5 de setembro de 1977, está a absurdos 21 bilhões de quilômetros da Terra, ou cerca de 141 vezes a distância entre a Terra e o Sol, viajando a uma velocidade de mais de 60.000 km/h. Alguns dizem que ela já saiu do Sistema Solar e já está no Espaço interestelar, mas isso ainda é discutível. Não se sabe ainda os limites de nossos Sistema. No entanto, ainda podemos comunicar com a Voyager através dessa distância.

Só que os cientistas do projeto fizeram algo um tanto especial (mas muito amado): Eles deram instruções para a Voyager disparar um conjunto de quatro propulsores de trajetória pela primeira vez em 37 anos para determinar sua capacidade de orientação.

Continuar lendo “Voyager 1 liga o turbo e vai pra mais longe, mais rápido”

Os Errantes pelo Sistema Solar em português PT-BR

Há 3 anos, em 2014, claro, eu postei um vídeo de um artista digital sueco chamado Erik Wernquist. Ee fez um belíssimo vídeo que não deve nada às melhores produções de ficção científica. Só que ele era legendado. Perguntando a algumas pessoas, me disseram que nem sempre os leitores de tela funcionam direito. Já que eu estou com um canal novo só para postar videos sobre ciência, resolvi fazer algo um pouquinho diferente. Eu sublei o o vídeo em português.

Espero que gostem e que assinem o novo canal, que ainda está cheirando a tinta.

Continuar lendo “Os Errantes pelo Sistema Solar em português PT-BR”

Os muitos quilômetros de beleza da Noruega

E começa mais um ano. Um ano que eu espero que seja de muitas maravilhas, naturais ou produzidas pelo homem. Eu, particularmente, ainda estou de férias (e trabalhando mais em casa do que quando estou no serviço). Ainda assim ando bem vendo essa zoeira aí de vocês, pois, zoeira é que nem ano: mal acaba uma já emendam outra. De qualquer forma, compartilharei com vocês um vídeo que o Carlos me mandou. São as maravilhas da Noriega, cheias de curvas, de uma forma toda especial.

Continuar lendo “Os muitos quilômetros de beleza da Noruega”

Mais um time lapse. Quem se cansa deles?

Mesmo uma praia é lugar para belas fotografias que não sejam barquinhos ou bundas desfilantes. É bom para se ver o céu, as estrelas e riscos mostrando o trajeto de aviões. O movimento de tudo ao redor, seja uma pessoa calmamente sentada na areia a poucos metros de nós, seja estrelas há muitos bilhões e bilhões de quilômetros daqui. Jack Fusco é um perfeito exemplo que mesmo perto de casa podemos ter algo maravilhoso da qual nem sempre nos damos conta.

Continuar lendo “Mais um time lapse. Quem se cansa deles?”

Voyager finalmente deixa o Sistema Solar. Só que não!

Com muito alarde, imprensa anunciou na quinta-feira p.p. que a sonda Voyager finalmente deixou nosso Sistema Solar. Ela está agora onde nenhum, homem jamais esteve, apesar que não passamos nem mesmo da Lua. Entretanto, parece que finalmente a Voyager está fora da influência do Sol, nosso amigo Sol. Sendo assim, a Voyager está confirmada como fora de nosso sistema… ou, pelo menos, foi isso que os jornais noticiaram. Mas o Sistema Solar não é simplesmente uma estrela em um dos focos (e não "no centro") com alguns poucos planetinhas (e um planeta-anão ridículo) descrevendo órbitas elípticas.

Continuar lendo “Voyager finalmente deixa o Sistema Solar. Só que não!”

Uma ode ao maior explorador de todos os tempos

No fatídico dia de 25 de agosto de 2012, o Universo parou por um segundo em luto. Falecia, Neil Armstrong. Engenheiro, piloto, mestre Jedi e aquele que colocou o dedo no nariz e fez "Blé" para todos os aventureiros, pois ele chegou primeiro aonde nenhum homem jamais estivera antes. Já faz um ano de seu passamento, e ainda temos a saudade quando homens faziam acontecer e não apenas se escondiam atrás de telas brilhantes, puxando briga e xingando muito por aí.

A NASA e toda a sua equipe não poderia deixar de fazer um tributo ao maior dos viajantes. Por isso, Eric Brace nos dá de presente uma música em homenagem a Neil do Braço Forte e sorriso amigo.

Continuar lendo “Uma ode ao maior explorador de todos os tempos”