Austrália racista não respeita a cultura dos povos

Eu acho péssimo quando um país quer impor sua cultura a todos que moram lá, principalmente estrangeiros, e age de forma racista quando uma cultura diferente quer continuar suas práticas. Muito errado isso, pois, temos a obrigação de aceitar, respeitar e permitir que todos os povos continuem com seus hábitos e costumes.

É por causa disso que eu repudio a Austrália, já que duas mulheres, com idades entre 23 e 50 anos, queriam que suas visões de mundo e cultura fossem respeitadas, mas autoridades fascistas australianas impediram e decretaram a prisão destas duas senhoras inocentes, só porque queriam que um médico fizesse um procedimento, e este racista resolveu denunciá-las às autoridades. Um absurdo isso!

Cortando fora qualquer coisa que afete nossa cultura, esta é a sua SEXTA INSANA!

O magistrado Steven Malley, como todo homem branco fascista e misógino que é, mostrou repulsa pelo que as duas mulheres fizeram, o que nem seria nada demais em seus berços de origem. Elas compareceram ao Tribunal de Magistrados de Armadale na sexta-feira, acusadas de conspiração para cometer um crime acusável e devem reaparecer em 20 de abril.

COMO ASSIM? Como você vai ser acusado dos seus hábitos, de sua cultura? Cadê os valores internacionais? Cadê a Anistia Internacional? Cadê as ONGs que se dizem defensoras dos direitos humanos? Onde estão elas? Como uma autoridade diz o que você deve ou não deve fazer? Eu não aceito isso. Eu repilo, eu repudio! Isso não pode ficar assim, e você também não pode agir assim!

Só porque essas duas mulheres contrataram um médico para fazer mutilação genital feminina num bebê de duas semanas, com medo que esta criança.. sei lá, se torne uma devassa, veio o pesado braço da intolerância e caiu-se sobre ela toda sorte de acusações, chegando até a chamar de criminosas e que estavam colocando a menininha na cova dos leões. É muita petulância dizer o que as pessoas devem pensar ou agir, levando a menininha embora, dos braços amorosos de suas familiares e entregando-a ao Child Abuse Squad, para evitar que as duas mulheres tratadas horrivelmente não possam seguir com suas vidas.

Um completo absurdo!


Fonte: ABC

4 comentários em “Austrália racista não respeita a cultura dos povos

  1. O que me admira é que em algumas áreas de certos países integrantes da URCM (União das Repúblicas do C* do Mundo, também conhecida como África), a infibulação (forma mais extrema de mutilação.. capam o clitóris e costuram os lábios – e não são os da boca) ainda é praticada em mais da metade das mulheres.
    Há uns anos atrás, um médico francês (Pierre Foldès) se voluntariou a fazer cirurgias reparadoras para reverter (dentro do possível) a mutilação na ppk das gurias e… o que aconteceu? O cara foi ameaçado de morte pelas queridas ovelhinhas de Alá..

Deixe uma resposta para Marcelo Zazulak Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s