As vergonhas astronômicas de uma apostila do Observatório Nacional

Nova onda: Glitter na bacurinha, com sabor tutti-frutti
Ímãs são usados para segurar olho que mexe muito

Meus espiões trazem sempre novidades do mundo de Hades. Uma delas é o curso de ensino a distância do Observatório Nacional, com a maravilhosa (pelos motivos errados) apostila que eles estão usando, com uma qualidade… olha, esta obra é tão única que eu nem sei como classificar, porque até tosqueira tem alguma qualidade perto daquilo.

A apostila é tão vagabundérrima que, para eles, Plutão ainda é planeta, as unidades estão erradas e há uma zona de diagramação, mediante o melhor do pior que o Poder Público pode prover!

A apostila que compõe o curso de Educação a Distância promovido pelo Observatório Nacional, iniciado no último dia 3 de julho, estava disponível para download, mas o buchicho do lixo que estava fez com que o pessoal tirasse do site.


Clica aê!

Só que aqui temos para a posteridade. Você pode baixar NESTE LINK. E não. Dizer que “a apostila saiu sem ser revisada” não engana ninguém. Saiu uma merda e ia ficar daquele jeito se ninguém falasse nada.

A Yara fez uma postagem apontando vários erros. Eu também marquei. Se vocês baixaram a apostila que eu coloquei na nuvem (blé!), verão que eu fiz umas marcações. Basicamente, aquilo tudo que a Yara disse, como falta de referência nas fotos, claramente chupadas de qualquer jeito da Internet, Plutão ainda ser planeta, Ceres apenas um asteroide e mais um monte de defeitos, como não saberem o básico de símbolos de elementos químicos, mesmo porque, o símbolo químico do silício não é 10,8, seja lá de onde a mula inventou isso. As unidades estão expressas erradas e a parte do “vírgula imaginária” me mistificou.

Para falar a verdade, o que mais me impressionou foi isso aqui:

Run, Barry, Run!

Em todo o documento tem vários ícones do Flash (a plataforma, não o super-herói). Era para ter uma animação ali? Mas isso não é um PDF? COMO AÇIM?

Aquilo está vergonhoso e ainda bem que tiraram do ar. Espero que parem com esse negócio de EAD, pois já mostraram que são bons de marketing (bonito, o troço está, ainda mais na hora de puxar o saco), mas como conteúdo está uma merda sem tamanho, e o Observatório Nacional não merece ser conhecido por aquela ignomínia. Eu fiquei com vergonha alheia, ainda mais por saber que não foi cagada de estagiário, mas de gente que deveria saber um pouquinho.

Claro, ninguém é obrigado a saber tudo. Então, não façam apostilas, não criem um sistema de Ensino à Distância. Fiquem só lá, amargurando os anos de glória do Imperial Observatório Nacional, criado por Dom Pedro I, cujo legado está sendo jogado na lama pelo descaso do poder público e, pior ainda, por quem trabalha lá, que deve ser considerar brasileiro suficiente para odiar ciência e fazer qualquer coisa de qualquer jeito, tocando um foda-se.

Para finalizar: o melhor vídeo do canal do Observatório Nacional, apesar de estar lotado com “vídeos” de programas de rádio, pois Soundcloud é coisa de hipster.

Nova onda: Glitter na bacurinha, com sabor tutti-frutti
Ímãs são usados para segurar olho que mexe muito

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • Como ex-funcionário do Observatório Nacional e ex-membro do seu Conselho Técnico e Científico, deixo aqui meu protesto contra o tom de avacalhação deste artigo

    Eu tenh doutorado em Química e se tiver que avacalhar qualquer instituto de química por fazer besteira, EU VOU FAZER! E sabe o que mais? Nem você NEM NINGUÉM pode me impedir. A apostila é um lixo e você pode pegar seu protesto e guardar pra você, filhão! Sua carteirada não tem nenhum poder aqui. Foi membro do COnselho Técnico e Científico? CAGUEI! Volta pra lá e ensine àqueles energúmenos que Plutão não me mais planeta.

    Se apareceu algo de baixa qualidade no site do ON, foi algo raro e que com certeza será corrigido.

    Minhas crianças do Fundamentalzinho sabem escrever “Plutão” e sabem que ele não é mais planeta. Criancinhas do Fundamentalzinho deveriam substituir o corpo técnico do Observatório Nacional. Ademais, e aquela animação em Flash lá no PDF, hein? Me dá uma explicação pra isso.

    Um documento mal feito não invalida as muitas décadas de atividade de pesquisa de vanguarda e de alta qualidade nas quais o ON sempre se destacou.

    Sim, invalida. Invalida quando as “atividades de pesquisa de vanguarda e de alta qualidade” não sabem que Plutão não é mais planeta e que Ceres não é asteroide. Assuma o lixo produzido e não invente desculpas. Demitam os incompetentes e… OPS! Não pode, né? Elon Musk demitiria sem dó qualquer imbecil que escrevesse um documento na SpaceX dizendo que Plutão é planeta. Por isso a SpaceX em dez anos fez o que o Brasil não tem condições até hoje. E isso por causa do coitadismo do funcionalismo público.

    Se hoje existe alguma coisa que se pode chamar de astronomia profissional no Brasil, foi graças ao esforço sobre-humano de algumas poucas instituições de ensino e pesquisa, entre as quais se destaca o ON.

    Astronomia profissional no Brasil. Aham, não vou rir dessa vez, ok? Mas só dessa vez.

    Foi graças ao apoio e `a luta dessa instituição que se plantou a semente do Laboratório Nacional de Astrofísica, do qual surgiram muitas das iniciativas que hoje permitem ao Brasil dizer que existe astronomia moderna nesse país.

    GRANDES MERDAS! Excelente laboratório de Astrofísica. Imagino o pessoal do NASA Goddard lendo isso. A única coisa que astronomia no Brasil faz é passar vergonha. Pode chiliar o quanto vc quiser.

    Lucho respondeu:

    André, sabe aquele seu vídeo sobre os palestrantes profissionais que são bem pagos para falar um monte de merda? Você disse que um desses palestrantes profissionais disse que existia o funcionário gato, que era o preguiçoso, e existia o funcionário cachorro, que era o funcionário fiel. Uma balela para se referir àquele funcionário descerebrado, alienado e sem senso crítico algum que apoia e defende todas as merdas que a empresa faça.

    Eis que me lembrei desse vídeo com o carteiraço do nosso amigo aí. Realmente existem os funcionários cachorros. Quer dizer, vamos mudar os animais. Não é funcionário cachorro. É funcionário gado.

    Pryderi respondeu:

    Procura o nome da criatura. O sujeito está em Baltimore. ON é excelente, mas não tanto assim que o faça ficar aqui.

  • Pirata Espacial

    “Um documento mal feito não invalida as muitas décadas de atividade de pesquisa de vanguarda e de alta qualidade nas quais o ON sempre se destacou.”
    Mas invalidou, uma atrocidade daquelas não tinha nem como passar batido, como que
    um documento não passou por uma revisão detalhada??? Que tipo de equipe é essa?
    Tudo bem que a astronomia do Brasil está uma palhaçada, mas precisavam melhorar
    a piada?!?!?!?!

    “Se hoje existe alguma coisa que se pode chamar de astronomia profissional no Brasil, foi graças ao esforço sobre-humano de algumas poucas instituições de ensino e pesquisa”
    Estranho, pois o que mais vejo, é a mídia dando bola pra UFOs fugitivos, e ETs desenhistas de
    plantações, e onde que vocês estão quando essa babaquices aparecem?? Por que não
    se manifestam???

    “Foi graças ao apoio e `a luta dessa instituição que se plantou a semente do Laboratório Nacional de Astrofísica, do qual
    surgiram muitas das iniciativas que hoje permitem ao Brasil dizer que existe
    astronomia moderna nesse país.”

    Iniciativas???? Como eu já havia
    comentado, gastam verba pública para encontro de contatados por sonda anal, e investigações de UFOs que aparecem em vídeos com espasmos, quando há uma iniciativa científica, vem político dizer que satélite é dinheiro mal gasto e que criacionismo deve ser ensinado, e onde estão vocês???

  • cloverfield

    A ciência no Brasil é uma piada, mas não uma das boas, é mais como aquela do “pavê ou pra cumê”.

  • cloverfield

    Você veio aqui dar essa carteirada e protestar contra o tom do artigo mas não foi la no ON pra deixar seu protesto por causa dessa apostila ridicula.
    Interessante.

    Pryderi respondeu:

    ON é tão bom que ele picou a mula pros EUA> Querer fazer ciência no Brasil não quis, né?

    cloverfield respondeu:

    Nah… dá muito trabalho.
    É melhor evitar a fadiga.

    Pryderi respondeu:

    Por isso. Aqui mesmo que não faria nada e ainda iq cagar regra de professor-doutor

    Lia Souza respondeu:

    Ele foi ser cientista lá ou reles lambe-botas do Obama? Deve ter trocado fazer não ciência lá melhor que aqui, mas se meter na politica de lá porque nem a daqui entende… Parece um típico agitador de DCE só que em inglês e velho. A idade não está sendo generosa para ele, uma pena…

  • Ivo

    Achei interessante a tempestade de baixaria que meu comentário gerou. Pelo visto, existe ódio até entre pessoas interessadas em ciência e educação. Mas parece que existe ignorância também. Porque muitos comentários se detém no assunto da qualidade da pesquisa científica, especialmente na astronomia, feita no Brasil. Afirmando que é de baixa qualidade, sem saber do que se trata, claro. Tem gente que mencionou UFO e criacionismo em comentários neste post, imagine. Pura baixaria. Pessoal, vocês precisam se informar melhor. Acho que esses comentaristas não são da área, apenas pensam que são. Minhas críticas foram em relação ao tom de deboche do artigo, e não ao assunto da apostila propriamente dita. É claro que a apostila é um desastre e precisa mudar urgente. Mas, insisto, isso não invalida o trabalho de décadas de esforço anonimo de funcionários públicos, muitas vezes com salários ridículos, no ON e em outras instituições brasileiras, para poder fazer astronomia profissionalmente no Brasil. Eu protesto quanto ao fato de se generalizar uma situação pontual de má produção intelectual, para todo o aparato de pesquisa científica no Brasil. Quanto ao fato de eu não ter protestado no próprio site do ON sobre a qualidade da apostila, não é necessário porque eles já sabem dos erros e sei que serão corrigidos. Eu protestei aqui contra a qualidade deste artigo. Quanto ao babaca que mencionou que eu vim trabalhar na NASA porque cansei de fazer ciência no Brasil, posso dizer que eu já havia saído do ON a mais de dez anos quando mudei de emprego e vim para aqui (estava no INPE), trabalhei em ciência no Brasil por 25 anos antes de mudar. Ademais, vim por motivos pessoais, e não porque estava cansado de trabalhar no Brasil (fui convidado pela NASA para trabalhar na equipe do Hubble Space Telescope). Espero que isso esclareça a minha posição.

    Pryderi respondeu:

    Como? A apostila é um desastre? Fim, é só isso que interessa.

    Se quiser, minhas crianças do Ensino Fundamental que ganharam 10 medalhas de ouro na Olimpíada Brasileira de Astronomia, as 15 que ganharam medalha de prata e as 16 que ganharam medalha de bronze podem dar aula pro pessoalzinho imbecil que fez aquela merda de apostila.

    Sua carteirada E MERDA para mim é a mesma coisa. Falacioso não se cria neste site. Permissão para comentar revogada.

    Claudio Luiz respondeu:

    Crítica é crítica, não existe “crítica bonita” , meu caro pêra-com-leite. Merdas são dignas de desprezo, escárnio e deboche.