As prateadas fases de luar para 2021

Olá, como estão as férias de vocês? Ops, vocês não estão de férias, nem passeando nem se divertindo nem nada que um ser humano normal faz quando está de saco cheio de tudo e tem uma brecha no tempo? Que pena! Eu estou aqui curtindo meu tempo. Onde estou, o ar é limpo e posso ver o céu estrelado, o nascer do Sol e o brilho da Lua ainda que não seja exatamente o brilho dela, mas quem se importa com extrema correção científica? Continuar lendo “As prateadas fases de luar para 2021”

O balé de Júpiter

Júpiter em seu poderio gravitacional gigantesco é um sistema completo só para ele. Sua vastidão é esmagadora, só sendo superado pelo Sol. Ainda assim é belo ao se passar por cima dele. Sua imensa nuvem de gases e a fantástica tempestade que dura séculos (e é muito maior que a Terra) revolvem num balé mágico e lindo de se ver.

Continuar lendo “O balé de Júpiter”

Um eclipse visto de cima

Eclipses são uma maravilha da Natureza entre muitas maravilhas. Um dos motivos é sua raridade. Afinal, pôr-do-sol tem todo dia, Lua cheia, já nem tanto. Eclipses então, são bem mais raros.  Estamos acostumados a vê-los daqui “embaixo”, mas como é a aparência da Terra durante um eclipse solar total?

Continuar lendo “Um eclipse visto de cima”

O esverdeamento causado pelo aumento da temperatura global

Todo mundo está preocupado com a perda de áreas verdes. Há também o problema de aumento das áreas verdes, mas a mudança climática que está acarretando isso. À medida que os verões árticos esquentam, as paisagens do hemisfério norte mudam. Usando os dados do satélite Landsat para rastrear os ecossistemas globais da tundra ao longo de décadas, um novo estudo descobriu que a região se tornou mais verde, à medida que o ar mais quente e as temperaturas do solo aumentam o crescimento das plantas.

Continuar lendo “O esverdeamento causado pelo aumento da temperatura global”

Quando comprava-se revistas para procurar sites

Estava conversando outro dia e relembrei como era a Internet nos tempos d’antanho. Uma época tão longe que só velho que escreve “d’antanho” teria vivenciado. Imaginem que houve uma era imaginada depois que as águas abraçaram Atlântida e o Google subisse ao poder. Uma época que tinha o Altavista e o Yahoo! Mas o mais legal era saber que as pessoas faziam busca na internet por meio de… revistas. Continuar lendo “Quando comprava-se revistas para procurar sites”

O segredo nebuloso das partículas atômicas

O século XIX foi a Era da Invenção, da Inovação. A Era que ficou conhecido os processos que envolvem a Termodinâmica e o alvorecer da Era Atômica. O problema é a natureza elusiva do átomo. Como determinar algo tão pequeno? Charles Thomson Rees Wilson, em 1897, criou o que viria a ser chamada de “Câmara de Wilson” ou “Câmara de Nuvens”. Continuar lendo “O segredo nebuloso das partículas atômicas”

O Rock do Espaço, bismillah!

Música é algo comum entre os humanos. Difícil quem não gosta de música, seja qual gênero for. A sonoridade mexe muito com nossa psique e não por acaso cursinhos apelam pra isso para “ensinar” o conteúdo. Sabem quem gosta também de música? O pessoal da Agência Espacial Europeia, a ESA. Sendo assim, eles gravaram um vídeo cantando uma melodia que vocês reconhecerão, a não ser que vocês sejam jovens malditos e jovem só presta para uma coisa: acabar. Continuar lendo “O Rock do Espaço, bismillah!”

TESS e as observações do céus amigos do norte

O TESS é o Transiting Exoplanet Survey Satellite (Satélite de pesquisa em trânsito de exoplanetas) tem como missão vasculhar o céu em busca de exoplanetas ao redor de estrelas brilhantes próximas. Ao examinar o céu aparente do hemisfério norte, o TESS dá aquela fuxicada para saber quais os potenciais de encontrar um planeta semelhante ao nosso ou de qualquer outro do Sistema Solar, de forma a pensar naquela velha hipótese: estamos sozinhos?

Continuar lendo “TESS e as observações do céus amigos do norte”

A queda do gigante que esmagou nossos corações

O Observatório de Arecibo é um imenso observatório que fica em Arecibo, Porto Rico. Também conhecido como Centro Nacional de Astronomia e Ionosfera (NAIC), o observatório contava com o que estamos acostumados de chamar de Telescópio Arecibo, que na verdade é um radiotelescópio, cujo disco refletor de 305 m de diâmetro fora montado numa depressão natural, construído em 1963.

Continuar lendo “A queda do gigante que esmagou nossos corações”

Guia para viajar à velocidade da luz

Muitas pessoas sonharam em dar aquele rolé no Espaço interestelar. Já pensou em fazer aquela viagem maneira entre planetas e galáxias? Eu acho uma ideia pra lá de incrível! O problema é que é tudo longe. Então, a saída seria andar rápido, bem rápido, muito rápido. O mais rápido que se pode viajar é na velocidade da Luz.

Mas como seria esta viagem?

Continuar lendo “Guia para viajar à velocidade da luz”