O Turbante do Mal

Agora a celeuma do momento é saber quem pode usar a bosta de um pano amarrado na cabeça. Tem gente que diz que isso é apropriação cultural, porque é um símbolo de luta. Legal, um pano tosco amarrado na cabeça é símbolo de algo. Só esqueceram de avisar ao Martin Luther King.

Africanos (os que realmente nasceram na África), estão pouco se importando quem usa ou deixa de usar suas roupas típicas, só os hipster enchem o saco. mas vocês não querem ler (se é que estão lendo aqui), querem é vídeo. TOMA VÍDEO!

Inscreva-se em nosso canal.

https://apis.google.com/js/platform.js
function onYtEvent(payload) {
if (payload.eventType == ‘subscribe’) {
// Add code to handle subscribe event.
} else if (payload.eventType == ‘unsubscribe’) {
// Add code to handle unsubscribe event.
}
if (window.console) { // for debugging only
window.console.log(‘YT event: ‘, payload);
}
}


16 comentários em “O Turbante do Mal

  1. Tenho uma vontade incomensurável de pegar esses SJWs que falam de bosta de apropriação cultural e dar a surra que os pais deles deveriam ter dado.

    É mais uma dessas bichices da geração Ydiota, geração Ymbecil, geração Ygnorante, geração Ynútil (que agora atende pelo nome de Centennials) criada em apartamento com leite com pera pela avó que, vendo que não tinham muito pelo que reclamar, decidiram pegar esse filão da apropriação cultural para mostrar para as outras gerações “Vejam só!! Nós nos preocupamos com os outros!! Não somos um bando de alienados!!”

    E foi bom você ter falado do que aconteceu no curso da humanidade com quem quis fazer com que existisse uma “cultura pura”, uma “raça pura”, sem qualquer tipo de miscigenação ou mistura ou “apropriação”. Os historiadores, arrogantemente dizem (e eles podem dizer isso de maneira arrogante, já que, como disse Dr. House, arrogância deve ser conquistada, e eles conquistaram este privilégio) que quem não conhece a história está condenado a repeti-la. Mas isto é uma lição que os SJWs da geração Ydiota, geração Ymbecil, geração Ygnorante, geração Ynútil não devem saber

    E com relação à “cultura africana”, que eu saiba (e isso é outra coisa que os SJWs da geração Ydiota, geração Ymbecil, geração Ygnorante, geração Ynútil não devem saber) África é um continente e não um país. E assim não dá para falar em “cultura africana” como uma coisa única.

    Se só africanos podem usar a merda do turbante, OK. O povo africâner tem permissão para usar a bosta do turbante, já que é um povo africano. Richard Dawkins, Charlize Theron e Oscar Pistorius também têm passe livre para usar a porcaria do turbante, pois também são africanos.

    1. Um dos melhores textos do site. Bom para esfregar na cara de imbecis. Parabéns André, pela sabedoria e coerência.

          1. O pessoal aqui em casa já deve achar que eu sou um retardado histérico, rindo feito um trouxa de tudo quanto passa na minha frente…

    2. se for surrar esses SJWs faz isso usando o Krav Maggá, só pra te estimular a mata-los na pancada enquanto reclamam de mais “apropriação cultural” kkkkkkkkk

  2. Sério que ninguém manda uma pessoa dessas “se fuder, cuidar da própria vida e eu uso o que eu quiser!!”

    1. Bom, a menina que sofreu esse ataque de extrema insensibilidade a que o André se refere reagiu.

      Tirou o pano mostrando a cabeça raspada, disse que tinha passado por uma sessão de quimioterapia, disse que se tratava apenas de uma bosta de um pano amarrado na cabeça e que ela tinha o direito de usar o que bem entendesse.

    2. Como vovó dizia: ”formiga sabe a roça que corta”, viu a menina com olhar cândido, quentinha e encolhidinha e pensou: ”é nessa que eu vou lacrar hoje”.

  3. E eu achei que aqui no Brasil seria um dos poucos países onde eu poderia praticar Kendô usando kilt e dreadlock, comer um quibe no lanche, tocar gaita de foles na festa e aprender africâner pela internet. Tudo isso sem alguém me encher o saco, pois a miscigenação daqui me permitiria isso.
    Mas de novo o pessoal do politicamente correto aparece para estragar tudo

  4. Realmente não dá pra entender.

    Primeiro querem unir, protestando contra a proibição da entrada de imigrantes, pela inclusão das pessoas pouco importando a nacionalidade, credo ou deficiências…

    Agora querem segregar alegando “apropriação cultural”? É ridículo. Se eu me sinto mal com o turbante que o cara do meu lado tá usando, isso é problema meu e ninguém mais tem a ver com isso.

  5. ‘Mais ninguém pode usar algo pois eu detenho direitos irrestritos de posse pois sou de alguma forma relacionado a quem criou ou descobriu algo” ,Isso não é ”apropriação cultural” já tem um nome PATENTE. A ideia de que algo fluido, ambíguo e sem limites definidos como a cultura pode ser posse de indivíduos ou grupos e só usados com sua permissão e para seu beneficio só poderia ter surgido mesmo nos Campus de Humanidades dos EUA, chegando até aqui pela centopeia humana Universidades americanas-tumblr-blogosfera brasileira.

  6. O que esses idiotas acham de se “apropriar culturalmente” Krav Magga(arte marcial que é “apropriação cultural” de um monte de artes marciais e adaptado para uma situação de guerra).

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s