Plos One publica artigo criacionista. Ok, virou ciência, certo?

Uso de cannabis aumenta o risco de internação hospitalar
Prepare-se pro fim do mundo que Jesus já veio mas é tímido

Na verdade, não. Mas antes que você, criaBURRIcionista comece a espernear dizendo que a máfia das indústrias farmacêuticas estão boicotando a fosfoetanolamina… hã, quero dizer, antes que eles reclamem do imenso complô dos ateus satanistas que querem acabar com a moral da família cristã espalhando o Darwinismo, vamos dar uma olhadinha do que se trata.

De acordo com uma pesquisa tirada do reto, nossas mãos são perfeitas, logo, foram criadas por um projetista inteligente. Okaaaaay, Okaaaaay.

No artigo, os autores-Ming-Jin Liu, Cai-Hua Xiong, Le Xiong, e Xiao-Lin Huang, da Universidade Huazhong na China deixam claro o quanto nossas mãozinhas são muito bem feitas, e aludem a um Criador (sic) três vezes naquela bosta de artigo. A PloS ONE fez uma revisão tão porca que deixou essa baboseira passar.

Não é de hoje que as publicações de acesso aberto são criticadas, pois basta que o pesquisador pague alguns dólares e o “pesquisador” pague alguns dólares a mais para que o editor acabe deixando pra lá, e o leitor entre em conflito com os 3. Claro, o fato de você pagar pro veículo publicar (pois só assim o periódico consegue deixar o conteúdo de graça, já que eles também pagam contas) não implica necessariamente que seu trabalho é ruim, mas também não significa qualidade 100%, já que temos interesses financeiros ali.

A Wired culpou que os “big dogs”, as grandes revistas como a Science e Nature, dizendo que elas também têm seus problemas, como se o fato de políticos safados dilapidarem os cofres públicos, que Tião Pé-de-Bode pode ter sua boca de fumo em paz. Disse ainda que PLoS ONE está respondendo aos meios de comunicação social, que a maioria das revistas fingem não existir. O que é uma grossa mentira. Sim, até a Nature já postou besteira, mas foram rápidos em desmentir, assim como a PloS ONE também fez uma retratação. Nenhuma das duas é melhor que a outra, mas isso depõe muito fortemente contra o sistema de Pagou/Publicou. Ou, como é ilustrado neste icônico vídeo sobre o Fator de Impacto…

Fator de impacto é o quanto uma revista pode ser considerada mais relevante, em termos de qualidade e replicação. Quanto maior o fator de impacto, mais respeitável sua publicação é, o que nos leva a essas maluquices de “veículos” que pulicam lixo criacionista, em que se for ver, seu fator de impacto é praticamente nulo, pois eles só reproduzem dejetos mentais.

Outro problema são as fontes usadas para a pesquisa. No caso do paper em questão, os autores usam fontes do início do século XX, e totalmente despropositadas. Citações como Thus, hand coordination affords humans the ability to flexibly and comfortably control the complex structure to perform numerous tasks. Hand coordination should indicate the mystery of the Creator’s invention (Assim, a coordenação das mãos proporciona aos seres humanos a capacidade de controlar de forma flexível e confortavelmente a estrutura complexa de realizar inúmeras tarefas. A coordenação das mãos deve indicar o mistério da invenção do Criador) não passam Apelo à Ignorância. A mão é perfeitinha, logo, foi ideia de um Criador.

Claro, se formos levar por este ângulo, então, o Criador do Criador foi mais foda, já que as mãos humanas são mais primitivas que as mãos dos chimpanzés. Realmente, devemos ter um Criador, só que ele é zueiro e apronta das suas, como fazer você nascer com um pinto no meio das costas:

Ah, desculpem. Isso é culpa da Queda de Adão, do Capeta e sua porque… bem, você não deu o dízimo esta semana.

Faltou um imenso critério ao aceitar este lixo, mas merdas realmente acontecem. Plos One colocou uma retratação logo no topo do artigo, dizendo

Retraction

Following publication, readers raised concerns about language in the article that makes references to a ‘Creator’, and about the overall rationale and findings of the study.

Upon receiving these concerns, the PLOS ONE editors have carried out an evaluation of the manuscript and the pre-publication process, and they sought further advice on the work from experts in the editorial board. This evaluation confirmed concerns with the scientific rationale, presentation and language, which were not adequately addressed during peer review.

Consequently, the PLOS ONE editors consider that the work cannot be relied upon and retract this publication.

The editors apologize to readers for the inappropriate language in the article and the errors during the evaluation process.

Retratação

Após a publicação, leitores levantaram preocupações sobre a linguagem no artigo que faz referências a um “criador”, e sobre a fundamentação global e as conclusões do estudo.

Ao receber estas preocupações, os editores da PLoS ONE realizaram uma avaliação do manuscrito e do processo de pré-publicação, e procuraram mais informações sobre o trabalho dos peritos no conselho editorial. Esta avaliação confirmou a preocupação com a racionalidade científica, apresentação e linguagem, que não foram abordados de forma adequada durante a revisão por pares.

Consequentemente, os editores da PLoS ONE consideram que o trabalho não é confiável e rejeitam esta publicação.

Os editores pedem desculpas aos leitores pela linguagem inadequada no artigo e os erros durante o processo de avaliação.

Mas e o outro lado?

O dr. Ming-Jin Liu, o principal autor do estudo e pesquisador da Universidade da Ciência e Tecnologia Huazhong, que fica em Wuhan, China, disse que a inclusão de “o Criador” é o resultado de um erro de tradução, e que a equipe de pesquisa não quis insinuar Deus, mas sim que a coordenação mão era o resultado da seleção natural. Que é exatamente o oposto do modo como foi interpretado.

Afinal, quando quando você quer escrever “Natural Selection”, você se confunde e escreve “Creator”. Aham, claro.

Ming estava quase reclamado que estavam sendo impiedosos com ele, já que foi um mal-entendido, pois

O Inglês não é a nossa língua nativa. A nossa compreensão da palavra Criador não era realmente como a de um falante nativo de Inglês. Agora percebemos que tinham entendido mal a palavra Criador. O que nós gostaríamos de expressar é que a característica biomecânica da arquitetura tendínea entre os músculos e articulações é um projeto adequado pela natureza (resultado da evolução) para executar uma infinidade de tarefas diárias.

Ming ainda alega que a mudança da palavra não altera o trabalho. Sim, cara, altera. E não me venha com história “não temos uma boa compreensão de Inglês. vai à merda. Você chega a pesquisador de uma Universidade sem saber o idioma? E lê as publicações como? Jogando no Google Translator? (não que eu duvide, mas pensei que isso só ocorria no Brasil.)

Um comentarista casca grossa chutou o pau da criacionista

Desculpe, mas eu não compro essa desculpa. Como mencionado por outros, não é apenas o uso incorreto da palavra “criador”. Todo o contexto das frases é muito claramente sobre o criacionismo. As palavras “superior”, “bom”, “mistério” e “invenção” são pelo menos tão perturbadores e terríveis como a palavra “Criador” (ver as citações abaixo). E se tudo é apenas um uso incorreto de uma palavra (mencionado nada menos do que 3 vezes no papel) por um falante não-nativo, por que não foi captado pelo editor ou um dos revisores?

– “Uma vantagem importante que faz com que a mão humana superior a outros animais”
– “Projeto adequado pelo Criador”
– “O mistério da invenção do Criador”

Você pode ler toda a thread AQUI. E, sim, por que o editor e os revisores não viram isso? Taí a imensa falha da PloS ONE, que eu espero que não volte a ocorrer. Porque, de tudo e por tudo, ainda precisamos de publicações de acesso aberto à população.

Uso de cannabis aumenta o risco de internação hospitalar
Prepare-se pro fim do mundo que Jesus já veio mas é tímido

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • Lismar Cardoso

    Essa história toda me lembrou daquela do Ray Comfort e a Banana projetada para se encaixar perfeitamente em nossa mão!!

    NestorBendo respondeu:

    Legal o cara do The Atheist Experience dizendo que ela também serve direitinho para enfiar onde as costas mudam de nome.

  • Ninguém entendeu. Isso foi uma trollagem da Plos One.

    Por favor, digam que foi isso. Por favor.

  • Narciso L. Junior

    Provavelmente foi um aluno de doutorado(estagiário de luxo) cujo professor empurrou o trabalho para ele fazer…… quer dizer deu a ele uma ”oportunidade de aprendizado prática”.

  • Leandro, o Almeida

    Coisa feia em Plos One.
    Por um momento achei que tinha se rendido ao lado negro da força pseudociência.

    Igor Embromation respondeu:

    Não conheço outros lados da pseudociencia