Voz dos Alienados 72

UFA! Desde agosto não temos um Voz dos Alienados. Eu até estava pensando se ia terminar o ano sem o melhor exemplo da estupidez humana, mas eles nunca nos decepcionam… pelo menos, não nesse sentido. De qualquer forma, ia ficando triste e desolado. Poxa, Papai Noel, nem um retardadinho para eu ficar tripudiando neste final de ano? Pô, cora, dá uma força, vai!

E eis que ouço guizos, uma risada bonachona e vejo um monte de viadinhos voando pela minha janela.

– HoHoHo, Merry Xmas, Motherfucker!
– Papai Noel? Eu farei parte da Iniciativa Vingadores?
– Não! Contente-se com mais um idiota falando besteira, meu filho. Pois este será mais uma edição do Voz dos Alienados!

Regiane
regian_e@hotmail.com
186.226.172.252

Só quero fazer um humilde comentário sobre as falácias utilizadas pelo autor do texto, na parte 1. Não estou com tempo e paciência para ver o restante.

Tradução: Eu posso escrever o textão que quiser, mas não lerei seu artigo, pois meu cérebrozinho só processa foto de cachorrinho no Facebook.

Vou começar por: “Nós, seres humanos, somos apenas uma ridícula e insignificante porção da biodiversidade. Somos tão ridículos que só há uma única espécie do gênero Homo.” Porque somos ridículos? Cabe esse adjetivo aqui?

Bem, coube, né? O espaçamento não deu nenhum galho.

Para ressaltar a importância da proteína animal é necessário mesmo rebaixar o ser humano a seres ridiculamente insignificantes?

Somos uma única espécie que não passa de 7 bilhões de indivíduos. Insetos estão na ordem de quintilhões. Do the math.

Um fato verdadeiro é que nós sobrevivemos.

O outro fato verdadeiro é que somos onívoros.

Claro que nos adaptamos e isso nos ajudou a sobreviver, mas o autor reduz essa adaptação a exclusivamente ingerir proteína animal e isso é simplificar demais as coisas.

Porque interpretação de textos é pra fracos!

Faltou alguma informação aí? Mas juntar esses fatos para dizer que sobrevivemos porque somos onívoros não vai de encontro com o fato de animais herbívoros terem sobrevivido também? E se somente os seres que comem carne sobreviverem, como ficaria o equilíbrio?

Do que esta animoa está falando?

Em segunda ordem: “A diferença é a ingestão da proteína animal”. Então eu posso dizer que o Leão deveria dominar o mundo e que o elefante não existiria.

Leões têm competidores: as hienas, que se alimentam de…? Agora, matar um elefante à dentada é algo meio difícil, não acha, veganzinha?

Proteína nesse contexto deixa de ser um dos nutrientes e passa a ser a deusa nutriente, a força motriz da vida humana, o centro da alimentação humana…

E é o que ela é, ora.

Claro, numa cultura cuja carne fica no centro da mesa, a proteína animal tem que ser cultuada mesmo e é fácil encontrar alguma citação científica que fale da importância da proteína. Logo, basta abusar dessa citação para atacar o vegetarianismo estrito.

Eu prefiro adorar um bife do que me agarrar com uma mandioca e chorar de emoção.

” Vegans, como costumam ser os religiosos fanáticos, não leem nada que divirja de sua opinião pré-concebida e preconceituosa, isto é, eles costumam não entender NADA de bioquímica.” De um modo geral, o texto desconstrói e desvirtua o argumento vegan, para assim atacá-lo da melhor forma possível. Isso é conhecido como falácia do espantalho.

Eu ouvi refutação?

A leitura do texto me fez interpretar que o autor desconhece e tem dificuldade em compreender a filosofia vegana, por isso prefere dá a entender que não seja verdade, sendo essa a falácia da Incredulidade Pessoal.

Realmente, me é muito esquisito seguir uma filosofia de comer vegetais.

Considerando que a popularidade do veganismo é baixa e que muitas pessoas desconhecem e reprovam essa filosofia de vida porque nasceram em um meio social em que a carne é amplamente utilizada na alimentação e o paladar já se habituou a isso

E veganismo não tem esse apelo. É algo beeeeeeeem mais racional.

é oportuno utilizar a falácia Ad Popolum, pois se muitas pessoas concordam em desmascarar o veganismo, então o argumento do autor deve ser validado.

Com evidências, fontes, artigos científicos – como os que eu postei –, sim.

Essas afirmações são verdadeiras, porém o autor não sabe que ao associar o ferro não-heme com a vitamina C, este se torna satisfatório para a nossa absorção enquanto seres vegetarianos estritos.

Sim, mas é uma pena que o organismo não absorva vitamina C direito, e quase toda ela vai pra urina. Mas quem se importa com fatos? Com eles posso provar qualquer coisa.

Portanto, afirmar a deficiência em ferro a partir desse argumento é demonstrar conhecimento limitado.

Eu procurei pelas fontes dela. Devem vir no próximo comentário. Ou não.

O autor também esqueceu de falar sobre o percentual de ferro heme e não heme nas carnes e quantidade diária que precisamos ingerir para eu poder dizer se posso atingir essa meta com uma dieta a base de vegetais. Ou seja, o autor omitiu uma informação importante.

Er… não, porque não era esse o ponto da argumentação, sua acéfala.

Os vegans alegam que a dieta vegetariana estrita é perfeitamente saudável ou quem faz isso é o próprio autor?

Eu faço parte do Veganismo.org.br e não sei.

Os vegans dizem que faz sentido usar suplementos alimentares? A resposta é não!

Sim, Sim, Sim, Sim, Sim, Sim e Sim.

O autor mente.

Links acima provam o contrário.

Faz sentido usar suplementos alimentares? Não faz sentido, mas os seres humanos (vegans e não-vegans) utilizam suplementos alimentares.

Eu não. Porque como direito. E não é alimentação vegan.

Para verificar isso basta ir a uma farmácia ou casa de produtos naturais ou de suplementos para musculação e observar por 10 minutos quantas pessoas entram e saem e o que elas compram e depois perguntá-las se são vegans.

Muitas pessoas saem com absorventes femininos, nem por isso eu comprarei e os enfiarei no rabo porque fiquei com peninha dos animais.

Esse trecho me fez imaginar um filme de terror onde as plantas atacam os humanos e por isso devemos comer carne e não plantas. Não compreendi essa lógica. Isso é uma falácia de apelo à força?

Não, é algo que aprendemos até vendo documentários. Mas gente que só vê novela não sabe dessas coisas.

Ao citar “Seita Vegan”, espero que o autor saiba que o significado da palavra seita é seguidor, e ser seguidor não desvaloriza ninguém.

Sim. Rezar pra um camarada que inventou uma religião no meio do deserto não tem nada demais. Eu até acho legal. O problema é quando acham que

1) Você TEM que seguir esta bosta de religião
2) Ser tido como "antiético" por não querer seguir esta religião
[1] [2]

Por mim, vocês podem comer o que quiserem. Peguem seus blogs xingando "carnistas" e enfiem no rabo enquanto isso.

Tive a impressão de que a palavra “seita” foi apresentada com o sentido negativo. Qualquer um de nós pode ser seguidor de algo que corroboramos e defendemos, exceto no veganismo?

Enchendo o saco dos outros? Não passam de mais uma religião.

Enfim, creio que há bons argumentos contrários ao veganismo, mas não são essas falácias.

"Falácia: Aquilo que eu não concordo, pois não quis ler o artigo. Bem o o Robson avisou desse falacioso carnista"

Creio também que há uso de falácia por parte de um grupo que segue o veganismo, mas isso também não invalida a causa.

"Causa". No furthers comments.

Postado em Veganismo Desmascarado

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s