Krampus, o auxiliar de Papai Noel

A vida moderna traz sobrecarga de informações ao cérebro
Bactérias são a solução contra o aquecimento global?

Você já está acostumado com o mito do Papai Noel: o velhinho bonachão, de roupinha vermelha, gorro e com um trenó sendo puxado por veadinhos renas, não necessariamente de nariz vermelho. Papai Noel sempre traz um brinquedinho para as crianças boazinhas; mas e o que acontece com as más? Antigamente, o mito tinha uma continuação. Papai Noel tinha um ajudante, e seu nome era Krampus.

Krampus deriva do termo “Krampen” em alemão gótico, que significa “garra”. trata-se do auxiliar do Papai Noel que não veio premiar as criancinhas boas, mas punir as criaturinhas desobedientes. Pela imagem de abertura, vocês poderão deduzir o que aconteceu com o mito, não é mesmo?

A figura acima retrata uma estampa alemã de 1920. Nele podemos ver Krampus, com sua roupinha vermelha básica, chifres, uma língua bifurcada e uma mochila com várias varas, que serviriam para bater no lombo dos fedelhos problemáticos. Se fosse hoje em dia, seria melhor uma .50.

Há alguns séculos, a figura de Krampus era bem popular nas aldeias alpinas. Apesar de sua face horrenda, ele é a lembrança que o mal se curva ao bem; não que ele seja o mal, muito pelo contrário. Krampus estava a serviço de São Nicolau e, por isso, era um servo do Bem. Assim, as crianças más é que finalmente tinham que se render frente ao poder de Nicolau, o precursor do Papai Noel, que tinha total controle sobre Krampus, podendo devolvê-lo para as profundas até que necessitasse dele de novo. Resumindo: ou fica boazinha e ganha uma lembrancinha, ou seja malvada e receba uma “lembrançona” direto das garras de Krampus. Hoje em dia, iriam dizer que Krampus era pedófilo e Nicolau, alcoviteiro. Tempos modernos…

Há muitos séculos, o Natal não era como hoje. Era algo mais parecido com o Halloween, o que tem tudo a ver. Nessa época, os lavradors faziam uma pausa em suas colheitas (completamente debaixo da neve) e festejavam , normalmente em 5 de dezembro.

A figura de Krampus baseou-se em alguns mitos pagãos e, por isso, a gloriosa ICAR resolveu persegui-lo, como fez com outros festejos, alegando que Krampus era o Cramunhão Pé-de-bode Bicho-feio Coisa-ruim de Almeida. Só muito recentemente, retomou-se os festejos de Krampus, com direito a algo semelhante a um bloco carnavalesco, como os nossos “Bate-Bola”. Estima-se que haja cerca de 180 “Blocos do Krampus”. Só fico imaginando se o carnaval de Olinda e Recife imitariam. Além do Homem da Meia-Noite e o Galo da Madriugada, teremos “Krampus é O Cara”. No Rio de Janeiro, será o “Acadêmicos do Krampus”.

Nos tempos que se seguiram pouco antes da eclosão da Segunda Grande Guerra, Krampus foi evocado pela população austríaca, afim de punir as “crianças más”, isto é, os fascistas, como relatou o The New York Times, em 1934.

A partir do Século XIX, os idiotas do Império Sith Vaticaniano marginalizaram o personagem, mas não importa. Hoje, as besteiras religiosas não possuem a mesma força de outrora. As pessoas voltaram a comemorar e se divertir, mediante antigas lendas. Lendas novas, como zumbis crucificados tendem ao esquecimento, já quea única coisa que este proporciona é lamento, dor e culpa. Muito melhor é acreditar numa entidade que coloque crianças más no caminho da verdade, fazendo-as ver o certo, sem prometer-lhes castigo eterno por não acreditarem num zumbi, ainda que tais crianças se comportem bem.


Fonte: National Geographic


Para saber mais: A Verdadeira História do Natal

A vida moderna traz sobrecarga de informações ao cérebro
Bactérias são a solução contra o aquecimento global?

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • Affirma

    Olha o Sorete arranjando um bico pra fazer no Natal se a moda pega… 😈

    Sorete respondeu:

    @Affirma, tu nem imagina o que eu apronto no natal aqui…

    Algum dia contarão lendas de que as típicas brigas familiares natalinas eram incentivadas por um agente do mal que se escondia nas sobras enquanto sussurrava heresias. 😈

  • Renato

    “Lendas novas, como zumbis crucificados tendem ao esquecimento, já que a única coisa que este proporciona é lamento, dor e culpa.”

    HAUAHAAHUHAUHA, o Krampus humilha o zumbi na cruz .

  • Pingback: Feliz Natal! » Ceticismo.net()

  • Mari.

    Eu não conhecia o mito até então. Pesquisei mais, é bem interessante o desenvolver da história, deveria ter continuado, eu teria me esforçado mais pelos bons presentes, ou pelo menos para não levar uma surra no natal. De qualquer modo, há alguma outra fonte que possa embassar as informações na wikipedia que dizem o Krampus preferir punir mulheres e garotas? Achei tão aleatório (para não dizer, WTF?) e não encontrei outras fontes confirmando ou dando base para tal.

    Max_Laguna respondeu:

    @Mari., acho que tal preferência serviria para agradar à machista ICAR, afinal estamos a falar da Europa do século XVIII, não?

    😕

  • Pingback: Ateus de fim-de-semana tem ataque de piti e querem proibir festejos de Natal. Depois vao reclamar… » Ceticismo.net()