Você tá engolindo plástico equivalente a um cartão de crédito. Mas a coisa é mais complicada

Agora, há uma guerra pelos plásticos. Todo mundo se preocupa com plásticos. Plásticos são o mal do mundo. Plásticos vão dar cárie nas pessoas, fazer você ter impotência, trará sua sogra pra morar consigo e matará as tartaruguinhas. De acordo com um relatório ainda não publicado pela WWF (a ONG do pandinha), cada pessoa ingere cerca de 5 gramas de plástico por semana, e jornaleiros correram para estabelecer a ligação com cartões de crédito (o meu pesa 5,85g).

O dr. Thava Palanisami é pesquisador-sênior de microplásticos no Centro Global de Remediação Ambiental da Universidade de Newcastle. Ele ficou responsável por conduzir a pesquisa encomendada pela WWF, e o que ele e seu pessoal descobriu foi que as pessoas consomem até 102 mil pequenos pedaços de plástico ao longo do ano, sendo quase quase 90% da água, tanto engarrafado quanto da bica, é a principal fonte desses plásticos.

Claro, não estamos falando de uma garrafa PET, e sim de pedaços microscópicos de plásticos. O relatório veio com aquele lenga-lenga “plástico destrói o planeta”, só que não há alternativa decente pra isso. Ou teríamos? Sim, temos: vidro. Que tal voltarmos ao tempo da garrafa de vidro? 2 litros de refrigerante pesaria um bocado, na hora de comprar muitas garrafas você fica com um peso absurdo no carro. Garrafas de plástico retornáveis? Pode ser, mas ainda assim você ingere microplástico. Os famigerados canudinhos? Bem, estes foram proibidos no Rio de Janeiro. O que não foi proibido foi copo de plástico, copinho de plástico e sachês diversos.


Pois, é.

Outra incrível preocupação é com as sacolas plásticas. O Reino Unido mandou retirar cerca de 15 bilhões de sacolas plásticas de circulação, impondo um imposto de 5 libras sobre as sacolas e recentemente proibiu as microesferas em cosméticos. Canudinhos também não são mais servidos, exceto (e isso é melhor do que a tosqueira que fizeram aqui) seja solicitado pelos clientes.

Nesse ínterim, o Primeiro-Ministro canadense, Justin Trudeau, que dorme de noite e trabalha o dia todo, anunciou um plano para reduzir a poluição plástica, que incluirá a proibição de plásticos de uso único já em 2021.

O Brasil já tentou proibir sacolinha plástica sendo distribuída em supermercado, em que a alternativa era as ecobags ecológicas, pelas quais você tinha que pagar. O melhor disso? A feitura das ecobags são mais poluentes que o plástico convencional. Mas calma! Tem outra coisa MUITO melhor!

Entre os defensores das sacolinhas, tinha gente explicando para o pessoal que nunca fez compra na vida que sacola de papel rasga se estiver molhada. E basta você comprar qualquer coisa no mercado que estava no freezer para perceber que a umidade do ar se condensa fácil e tudo fica molhado. Não apenas isso, falaram que as pessoas reaproveitavam as sacolas para embalar lixo. A contra-resposta? Basta comprar sacos de lixo.

Adivinhem do que os sacos de lixo são feitos?

A guerra contra os plásticos está tão acirrada que até mesmo o grupo terrorista Shabab, atuante na África Oriental e que se tornou um dos braços da Al Qaeda, mandou dar recado pra comunidade da região da Somália que, em respeito ao meio ambiente, o uso de sacolas plásticas estava terminantemente proibido. Sim, isso mesmo! Um grupo sanguinário está preocupado com as tartaruguinhas. Eu achei fofo. Ah, sim! Eles também proibiram música, cinemas, antenas parabólicas e a chegada de quaisquer organizações humanitárias. Provavelmente essas coisas fazem mal às tartaruguinhas. Vai saber!

Ainda de acordo com a WWF, o Brasil é o 4º maior consumidor de plástico do mundo. Como chegaram neste número, eu não sei, já que nem a pesquisa dos microplásticos ingeridos foi divulgada em periódico científico que preste; mas vamos considerar que sim. Ainda mais que Brasil é a 8ª economia do Mundo e deve gastar muito mesmo, ainda mais com uma população de mais de 200 milhões de habitantes. A população do Canadá está em cerca de 37 milhões de habitantes, e a população do Reino Unido é de cerca de 66 milhões de habitantes. Mais pessoas, mais gasto. Ou não?

A metade de todos os resíduos plásticos do mundo inteiro vem de China, Indonésia (pop.: 264 milhões), Filipinas (pop.: cerca de 105 milhões) e Vietnã (pop.: 96 milhões). O Império do Centro já proibiu em 2008 sacos de plástico finos e aplicou um imposto sobre os mais grossos, calcula-se que ele contribua com mais de 27% de toda a poluição por plástico marinho proveniente da terra. Mesmo assim, sua poluição (em todos os sentidos) surra qualquer outro país do mundo, e plásticos não são uma novidade. Não admira que os países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (Organisation de Coopération et de Développement Économiques – OCDE) tenham menores índices de poluição por plástico. Proibirem sacolinha é apenas uma forma de fingir que estão fazendo algo e minimizar sua culpa intrínseca, quando não dão realmente a mínima. Todos esses países são clientes da China, com várias multinacionais contratando empresas chinesas, como Apple, Samsung etc. fazem, já que o custo de produção lá é ridículo. O motivo é irrelevante para o presente artigo e não será mais tocado este assunto.

Os plásticos são ótimos e péssimos. Não se pode lidar com absolutos. Só Siths lidam com absolutos! O vidro é inerte, mas demanda limpeza e esterilização, o que aumenta mais ainda seu custo. É preciso logística de recolha e substituição. Se países toscos coo o Brasil não conseguem ter um sistema de reciclagem e reaproveitamento decente, não é culpa do plástico. Se o Brasil não tem nem coleta seletiva de lixo e a população tosca joga lixo na esquina pouco depois do lixeiro ter passado, também não é culpa do plástico.

Sim, o plástico é um problema, mas banir sacolinha é irrelevante, não faz diferença; e isso porque é uma solução simples e simplista, enquanto o problema do plástico envolve muitas variáveis complexas, e nunca se resolve um problema complexo com uma solução simples.

As pessoas continuarão usando plástico. As ONGs fofinhas falarão mal e tirarão dados que eu duvido muito. Tipo… 5 gramas de plástico, WWF? De qualquer forma, já se sabe a grande pergunta filosófica feitas por antigos sábios: Por que estamos aqui?


Fontes

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s