Obama quer que você leve seu filho e filha a um laboratório

Os Estados Unidos da América não é um país perfeito e, claro, tem muitos defeitos, como muitas vezes se meter em problemas alheios, normalmente piorando a situação. Mas a despeito de suas loucuras, eles ainda mantém um certo espírito de coletividade (e isso pode ser exagerado, às vezes, mas são outra cultura). Eles têm vários projetos, como o Take Our Daughters and Sons to Work Day. Esta iniciativa estimula que pais e responsáveis levem seus filhos e filhas para um dia de trabalho, para que eles entendam como é um dia do adulto, o esforço que ele tem que fazer para sustentar a família, das responsabilidades e até despertar uma fagulha do que pode ser uma carreira a ser seguida.

Outra coisa que eu admiro é que, diferente do Brasil, eles não têm um ódio patológico pela Ciência em 90% de sua sociedade. Por isso, Obama quer que os pais levem seus filhos a um laboratório.

No país que odeia Ciência, essas iniciativas não servem pra nada. O cara prefere pagar caro por um ingresso de futebol do que 6 reais para ir num museu (se bem que tem muito museu gratuito, também). Diferente da Dilma e sua capacidade de oratória digna de uma criança de 3 anos, Obama-Wan Kenobi propõe uma versão STEM do Take Our Daughters and Sons to Work Day. Um Take Our Daughters and Sons to a Lab Day, estimulando pais a levar seus filhos a laboratórios científicos dos EUA. Quando foi a última vez que você viu anúncio na TV incentivando-o a levar seu guri e sua guria a um museu, a um laboratório, a um centro de pesquisa? No país que odeia ciência, diversão é ir à praia, nem que se faça um piscinão. Espaço cultural é muro para pichação e baile funk enaltecendo traficante.

Obama pretende incentivar os jovens a seguirem carreiras nas áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM). Ele sabe que o que alavanca um país não é um bando de retardados enfiando gelo no cu e dizendo que isso é manifestação social e cultural (clique por sua conta e risco).

Mais de 50 laboratórios nacionais de 20 estados estão abrindo suas portas na próxima semana para aproximadamente 5.000 estudantes elementar, médio e do ensino médio para ajudar a despertar o interesse dessas crianças. Como lá não é aqui, esses lugares não estão fechados por não pagarem os faxineiros. Essas crianças poderão falar com cientistas, engenheiros, técnicos de laboratório e outros profissionais especializados.

Mas isso é num país que não ensina a crianças pequenas que Astrologia é Ciência. É num país que, por mais que tenha a tosqueira do Bible Belt, seus tribunais não aceitam cartas psicografadas coimo provas. É um país que se acontece do programa espacial dar problemas técnicos, não ficam inventando desculpas, nem tem uma ralé ocupando cargos de uma agência espacial que mais parece uma repartição pública.

É um país cujo presidente tem a mais alta conta o trabalho de cientistas e pesquisadores, e este presidente sabe que o “Homo” de “Homo sapiens” não significa o gênero masculino, nem enaltece uma raiz tuberosa como se fosse a maior conquista de uma civilização. É um país em que mulheres são ovacionadas por seus trabalhos em laboratórios e centros de pesquisas e não porque é alguém que tem muitos contatos no Instagram, mesmo sem produzir nada de útil. É um país que não gasta toneladas de verbas para financiar “pesquisas” que dizem que próteses são eugenia. O presidente dos EUA prefere companhias enriquecedoras.

Não, os EUA não são um primor de evolução social ou ápice em termos de cultura. Mas uma coisa ele tem uma vantagem: não é o Brasil. Pois se Homer Hickman tivesse nascido aqui, ainda estaria numa mina de carvão até hoje, ganhando bolsa-família, e sendo enaltecido como homem honesto e trabalhador, ganhando um décimo de salário mínimo e Katherine Johnson seria faxineira.

No final das contas, UMA visitinha sempre faz diferença. Um dia, quem sabe, o Brasil aprenda um pouco sobre o que isso significa


Fonte: AP

16 comentários em “Obama quer que você leve seu filho e filha a um laboratório

  1. Na minha ultima viagem à San Francisco, tive a oportunidade de visitar o Exploratorium, simplesmente o MELHOR museu sobre ciências que eu vi em toda minha vida. O ingresso não era caro (para quem ganha em USD), e eles sempre têm “free days”, às vezes para moradores de determinado zip code, outras por dias específicos, etc. Eu entrei de graça no “día de la ingeniería” (Latino Engineering Day), junto com centenas de outras famílias de todas as nacionalidades que estavam por lá. Recomendo a quem estiver pela cidade, VÁ visitar este museu, é fenomenal. O California Academy Of Sciences também é uma ótima opção – inclusive eles têm um Pêndulo de Foucault -, com várias exposições bacanas e o fenomenal aquário subterrâneo.

  2. Escolas deveriam fazer visitas á laboratórios com mais frequência, quem puder tirar um dia de folga pra levar o filho por contra própria aproveite.

  3. No geral, a educação no país não é levada serio. Não é só em relação à aulas de ciência, na verdade tudo está sendo empurrado com a barriga. Está na hora de mudar tudo drasticamente e não é apenas questão estrutura, mas de repensar toda a forma como a educação tem sido feita. Saímos da escola com um conhecimento tão raso, aprendemos o “suficiente” para entramos numa universidade e não levamos aquele conhecimento para a vida. Sinceramente, eu não lembro de muita coisa que aprendi na escola e pior que até gostava de estudar, de aprender coisas novas e compreender o mundo. Mas uma hora cansa as greves, as paralisações, a falta de boa estrutura, a falta de interesse dos colegas, as vezes até dos professores…

  4. Aqui no Rio tem um museu maravilhoso, lindo, reformado há poucos anos, com um jardim belíssimo e uma réplica do sistema solar EM ESCALA REAL que ocupa quase todo o complexo: O Museu de Astronomia e Ciências Afins.

    É de doer o coração ir lá e ver o livro de visitantes com um risco horizontal, porque uma página dá para dois dias.

    Em compensação, aqui do lado, em Buenos Aires, no Museu Interativo de Ciências, tive de ficar na fila para ver determinadas atrações.
    Não era EUA nem Europa, onde os museus são abarrotados de turmas (em Londres, diversos vestidos com uniformes dignos de Griffindor), era Argentina, gente simples como nós e um país BEM mais pobre que o nosso.

  5. Obama é esperto, sabe o que as pessoas querem ouvir. Se ele fosse sincero, diria que as crianças deveriam aprender a pilotar drones pra matar inocentes do outro lado do mundo. E ainda poderiam ganhar um nobel com isso.

          1. Você só está aceitando provas que vc acha que dizem o que vc quer. A loista de fontes do artigo da Wikipédia não falam nada de 90%

          2. Precisa ser 90% pra ser absurdo? Você quer um artigo da Nature ou Science sobre isso? Debater com crentes malucos te fez mal.

          3. Precisa ser 90% pra ser absurdo?

            Você disse 90%. Se não tem como sustentar o que fala, não diga. UMA morte é errado. mas tem ENORME diferença entre uma morte e 90% dos casos.

            Você quer um artigo da Nature ou Science sobre isso?>/i>

            Sim.

            Debater com crentes malucos te fez mal.

            Você é apenas mais um deles.

            Preciso dizer que aqui não comenta mais?

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s