Diferente de Soylent Green, Hobbits não eram gente

Nunca chegaram a um consenso com os hobbits, apelido dado a supostos ancestrais do Homem encontrados na Ilha das Flores e, por isso, chamados de Homo floresiensis. O anúncio de sua descoberta foi feito em 2004, embora sua descoberta tenha sido em 2003, mas isso deixou muita gente encucada. Seriam eles realmente nossos ancestrais. Eles eram baixinhos, num lugar onde a fauna era baixinha, também. Por isso os apelidaram de “Hobbits”. Se você conhece a obra de J. R. R. Tolkien, consegue imaginar o motivo.

De acordo com um novo estudo, baseado na análise dos ossos do crânio, ficou comprovado sem sombra de dúvidas  que o pessoal da Ilha das Flores podiam ser qualquer coisa, mas com certeza não pertenciam à espécie dos Homo sapiens.

O dr. Antoine Balzeau é pesquisador do Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS) e do Museu Nacional de História Natural. Ele curte muito uns homens mais velhos, mas não que eu tenha algo com isso, claro. Se ele quer estudara evolução da morfologia de seres humanos pré-históricos, é problema dele e ninguém tem que se meter.

De acordo com a pesquisa do dr. Balzeau, os hominídeos da Ilha das Flores, que foram extintos há cerca de 15.000 anos, não eram Homo sapiens, mas uma espécie diferente. O Homo floriensis vem sendo motivo de debate ao longo desses 13 anos, e nunca chegaram a um consenso quem ou o que eram eles. Antoine examinou detidamente crânios desses sujeitinhos sapecas de que pouco se sabe, mais especificamente o do indivíduo que é chamado Liang Bua 1 (ou LB1). Este rapazinho temo crânio o mais intacto dos nove espécimes conhecidos.

Antes achava-se que eles eram diminutos por causa de algo chamado “nanismo insular”, mas o que diabos é isso? Pense que a Ilha das Flores não tem delivery, McDonald’s não entrega nada lá e conseguir comida não é nada fácil. O isolamento geográfico, em tese, faria com que as espécies lá evoluíssem de uma outra forma, o que é observável em muitos lugares. Só que naquelas condições, a fauna começou a diminuir de tamanho, já que com o passar do tempo, indivíduos menores precisariam de menos recursos.

Chegou-se, inclusive, aventar possibilidade daqueles indivíduos estarem sofrendo de cretinismo, que não é uma doença que lhe faz se tornar um cretino. Cretino bom já nasce feito. Cretinismo é uma deficiência mental provocada por hipotireoidismo congênito. Também aventaram ser casos de microcefalia, mesmo sem ninguém lá ter contraído zyka vírus. Nada disso foi provado.

A única possibilidade plausível atualmente é que nossos queridos “hobbits” sejam uma espécie de “amostra grátis” dos Homo erectus. Não há nenhuma prova que são, nem nenhuma prova que não são.

A pesquisa foi publicada no periódico Journal of Human Evolution.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s