Ideia Idiota da Semana: Vegetais sintéticos com cloroplastos naturais

O que é gramática? (Primeira parte)
Os 101 magníficos gêiseres de Enceladus

Existe a Santíssima Trinade Infernal. Já tínhamos Pedagogos, Jornalistas e agora temos os Designers. O círculo cármico dos idiotas está completo. Um estudante de graduação em design teve um sonho, uma ideia, uma VISÃO REVOLUCIONÁRIA! Que tal criar uma planta sintética, capaz de fazer fotossíntese de forma eficiente, com o intuito da NASA usar em seus projetos, porque plantas normais não crescem em gravidade zero.

Em que ele poderia estar errado?

1. Ele não criou uma planta sintética do zero.
2. Fotossíntese é menos eficiente do que vocês pensam. A planta só se dá bem porque ela não para de fazer as reações bioquímicas enquanto tiver luz. Ficou escuro por muito tempo, a planta se ferra!
3. Não existe gravidade zero, seu ignorante!
4. A NASA não vai usar esta bagaça porque PLANTAS CRESCEM em ambiente e microgravidade.

Como assim? Você não sabia? Não, que isso; é mentira minha!

[1] [2] [3] [4] [5] [6] [7] [8] [9] [10]

 

Mas Julian Melchiorri, um estudante de engenharia biotecnologia botânica física, bioquímica design diz que plantas não crescem no espaço. Isso aqui deve ser miragem:


Plantas na ISS, motherfucker!

A ideia do zé ruela é extrair todos os cloroplastos das folhas de uma planta, colocar numa fibra sintética e produzir uma folha que faz fotossíntese. Apontem o absurdo!

Esta ideia idiota se baseia no fato (que só existe para quem não sabe escrever plants+in+space no Google) que é impossível cultivar plantas em gravidade zero (não riam), e esse “projeto”, segundo o estudante preguiçoso, ajudaria a dar oxigênio para as viagens espaciais (ok, concordo em parte, se fosse uma floresta) e ajudaria a filtrar o ar na fachada de prédios (o que é uma grande bobagem). Algo mais ou menos como isso aqui:


Clique na imagem para ver esta tristeza melhor

Não é como se não tivéssemos prédios com revestimentos vegetais. Mesmo porque, isso seria muito mainstream. Tão mainstream quanto um prédio grandão, cheio de jardins suspensos. Só um grande idiota construiria algo assim. Tal coisa jamais fara sucesso.

O que eu fico impressionado é que este bando de retardados e sus plantbooks, biolamps, sacos de plástico para carregar água etc ganham prêmios, sei lá do quê.  Ficam inventando merda para os cientistas resolverem, e se não á, culpa da Ciência

Eu tinha falado no twitter que apostava que a Info, Gizmodo e o0 G1 iriam correndo publicar esta baboseira. O Avelino fez o favor de provar que, mais uma vez, eu tenho razão. E sim, a bosta do Olhar Digital publicou. VIROU EBOLA!!!!

O problema (além de todos os demais) é que como lembraram o Átila Lamarino  (sim, eu sei que o sobrenome dele começa com “I”) e o Carlos Hotta, mesmo no caso de absorção de cloroplastos pela Elysia chlorotica, esses cloroplastos precisam de centenas de proteínas vindas do núcleo da célula. De onde o distinto dizáiner vai tirar estas proteínas? Do seu querido reto?

Ademais, a eficiência de absorção de gás carbônico nem é tanta assim. plantas só são um sucesso graças à sua imensa quantidade, e eu nem vou tocar no assunto que essas folhas pseudoartificiais teriam que ser iluminadas sempre com luz ultravioleta. Mas 3D Studio é que nem papel: aceita qualquer porcaria.

Agora é ficar aguardando a escalada de um monte de idiotas republicando esta besteirada e eu ter que aturar um monte de acéfalos vindo felizes compartilhar isso comigo. Deus, ó, Deus!


Fonte: Dezeen via Cardoso

O que é gramática? (Primeira parte)
Os 101 magníficos gêiseres de Enceladus

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας