Instituto do cérebro privilegiando “ciência” de quem não tem cérebro

Eu canso de falar que Ciência no Brasil é brincadeira, mas estava errado. Já está virando caso de manifestação (polícia já pulou fora há tempos!). Mas, claro, manifestante quer ônibus digrátis e não melhor ensino. De qualquer forma, qual país que vivemos? Vivemos num país onde uma comissão aprova proposta que dá poder para igrejas questionarem leis no STF (provavelmente, recebendo comissões), homeopatia é especialidade médica (tem na USP, aquela universidadezinha que vocês adoram lamber a bunda) e núcleo de estudos para anormais, digo, paranormais. Ahm, sim, na Universidade de São Carlos, trata-se paciente com cobertorzinho de led. O que pode piorar?

A piora é o Instituto do Cérebro usar a pseudociência da cromoterapia como meio para a cura de doentes. Show né? E você aí preocupado em vir médicos estrangeiros, como coisa que pode ser pior (sim, pode e não precisamos de gente de fora para isso!)

A notícia veio trazida pelas mãos do Júnior, um dos meus espiões. A fonte é o press release da Subsecretaria de Comunicação Social do governo do estado do Rio de Janeiro (sim, isso existe por aqui). Nele, lemos:

Cromoterapia é a grande novidade dos leitos de UTI pediátricos

Reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma das principais terapias alternativas para a cura de doenças, a cromoterapia é a grande novidade dos leitos de UTI pediátricos do novo Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer. A unidade começa hoje a atender, no centro do Rio, os primeiros pacientes encaminhados pelos municípios para realização de neurocirurgia.

Os quatro leitos individuais de UTI infantil receberam iluminação especial de LED colorida. O pequeno paciente poderá escolher qual a cor do seu quarto. Duas vezes ao dia, haverá ainda sessão de cromoterapia para ajudar na recuperação. Essa é a primeira unidade da rede pública a oferecer o recurso.

O Instituto Estadual do Cérebro ficará a cargo da equipe do renomado neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho. O novo centro vai oferecer o que há de mais moderno no campo da neurocirurgia de alta complexidade, utilizando técnicas inéditas na rede pública, incluindo a possibilidade de confirmação da remoção de tumores via exame de ressonância magnética dentro do próprio centro cirúrgico, tratamento da epilepsia e UTI exclusiva do protocolo do AVC isquêmico.

São mais de 200 leitos entre internação, UTI e estabilização. A previsão é realizar de 8 a 10 cirurgias por dia. O projeto integral deve receber cerca de R$ 80 milhões em investimentos do Governo do Estado.

OMS aprova a técnica.

A cromoterapia é a prática da utilização das cores na cura de doenças. A técnica é utilizada pelo homem desde as antigas civilizações, com o objetivo de harmonizar o corpo, atuando do nível físico aos mais sutis.

O procedimento consta da relação das principais terapias alternativas ou complementares reconhecidas pela Organização Mundial da Saúde desde 1976, de acordo com a Conferência Internacional de Atendimentos Primários em Saúde, realizada no Cazaquistão.

Cromoterapia? Hummm…. Sendo reconhecida, C-L-A-R-O que veremos muitos trabalhos publicados na Science, Nature, no New England Journal of Medicine. e no The Lancet. Vi um resumo que diz que que "pesquisas em cromoterapia são pertinentes para decifrar mecânica quântica do momento dipolo das moléculas de água, como resultado da absorção de cores diferentes, produzindo fenômenos de quantização de carga".

Muitos artigos mostram como a cromoterapia é eficiente levantando o moral dos pacientes. MARAVILHOSO, mas alguém ir vestido de Homem-Aranha num hospital infantil também eleva o moral das crianças. Diabos, eu ADORARIA ser visitado pelo Batman quando estava internado quando criança. Segundo a conclusão tosca dos defensores da cromoterapia, o Batman e o Homem-Aranha também têm poderes curativos. Mas isso é tão-somente efeito placebo. Se cromoterapia funcionasse MESMO ela seria usada em um teste duplo-cego… MESMO, com o paciente com deficiência visual sequer sabendo que estava sendo "tratado" com cores e um médico entrando vestido com um manto preto e uma enorme foice.

A desculpa é que é um tratamento reconhecido pela OMS, que por sinal deve ter inúmeros artigos sobre isso em seu site. Na página da Nature, como visto, só há uma referência a uma reportagem da Scientific American, publicada em 1912. Que ótimo! Brasil usando uma técnica de 100 anos.

A verdade é que o uso de cores mexem com nossa auto-estima, e a maioria dos médicos babacas de hoje arrumaram a "virose" do século XXI: psicossomático. Você est´´a com dor no joelho? Psicossomático. Seu estômago está desarranjado? Psicossomático. Espinhela caída, nó na tripa e outras doenças tão atuais quanto a cromoterapia? Psicossomático. Vá num psicólogo e ele resolve seu problema, mesmo que demore alguns anos.

Como comentário final, do jeito que o buraco negro da corrupção suga todos os recursos da Saúde, nossa condição aqui está preta.

15 comentários em “Instituto do cérebro privilegiando “ciência” de quem não tem cérebro

  1. Fui promovido a espião!! \o/ hehe Fico grato por colaborar, André. Taí mais uma aberração tanto no sentido científico, quanto de desperdício do nosso dinheiro. Quero ver alguém se lembrar disto na hora de levar um cartaz pras ruas…

  2. Para ver que a idiotice também atinge as mais “belas mentes do universo”, a OMS. Todas estas supra-entidades globais, TODAS, estão infestadas de ratos e não é de hoje (ou vocês acham que corrupção é coisa exclusiva de políticos brasileiros?), cada um procurando o seu devido sustento, sem dar a mínima para a grande população científica mundial, que ficam como crianças atrás do Papai Noel. Não sou conspiracionista mas estas entidades são umas FARSAS, sinto nojo de um dia ter acreditado e procurado uma delas.
    Apesar das cretinices experimentais da USP, ela ainda continua sendo uma excelente representante nacional, está entre as 20 melhores do mundo (bom, não sou eu que digo: http://www.webometrics.info/en/world mas nem Franz Kafka explica isso) graças a alguns dinossauros que ainda acreditam na ciência nacional – não sei até quando o mundo vai aguentar.

    1. Apesar das cretinices experimentais da USP, ela ainda continua sendo uma excelente representante nacional, está entre as 20 melhores do mundo

      Para vocês verem como as coisas aqui andam uma sonora merda.

      1. @André, Não é só por aqui não, várias instituições mundiais apontam a USP como uma excelência em pesquisa (OH GOD!) e outras premiam o Lula, pelo mundo afora. A nossa merda está sendo exportada, mas credo!

  3. Mesmo existindo essa “epidemia” de psicossomática será que existem casos em que o paciente realmente precise de uma terapia, e que ela funcione?

    1. Ter, tem. Mas não da forma que médico vagabundo prega. Porque aí é mais fácil: manda procurar um terapeuta e pega a grana da consulta sem fazer força. Assim, até eu.

  4. Nesses tempos de “Cura Gay”, temos visto muito nas manchetes que “a OMS tirou o homossexualismo da lista de doenças desde 1990”. Do jeito que anda a OMS, esse argumento (falacioso) perde um pouco da credibilidade que já não tinha.
    É claro que ser gay não é doença, mas se eu fosse Feliciano ou Malafaia eu já tava me aproveitando da situação pra dizer que a OMS não é referência pois aprova até cromoterapia heuhaueheuhbr

  5. Que isto minha gente, seus céticos de meia pataca não leram que “fenômenos de quantização de carga” isto explica tudo, só que não. Rsss :mrgreen: :razz:

  6. Eu estava aqui me lembrando que quando meu filho nasceu pré-maturo, recebeu por vários dias uma iluminação azul. Não me lembro o que era e nem para que servia. Podia deduzir que se tratava de doses ínfimas de ultra-violeta para, sei lá, estimular a produção de vitamina D ou algo assim. Agora que eu li este artigo, penso que poderia ser simplesmente essa merda de cromoterapia. Vou me informar com o pediatra na próxima vez, mas se alguém souber me responder do que se trata, agradeço.

    Se for, imagina o quanto um plano de saúde pode encarecer por incluir imbecilidades como essa no “tratamento” de doenças.

    1. @Fernando Lorenzon, O mais certo é que seu filho tenha tido icterícia neo natal,muito comum em que bebes prematuros e e causada pelo excesso de bilirrubina no sangue ,que da uma coloração amarelada na pele.O tratamento é feito com luz ultravioleta que converte a bilirrubina impregnada na pele em outra substancia,deixando a pele com a coloração normal.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s