Brasil exporta técnicas pedagógicas e estados norte-americanos acham que tinta vermelha magoa criancinhas

AVISO!

Este artigo vai falar mal de pedagogos, políticos e idiotas que acham que sociologia é algo diferente de homeopatia ou consultar jogo de búzios. Se você acha que devemos perder tempo ensinando felozofia de boteco ou sociologia ou qualquer merda neste sentido: SUMA DAQUI! Não tenho tempo para discutir com retardado que nunca ensinou algo mais do que como usar controle remoto de TV. Vá ficar lendo a bosta do Paulo Freire.

O Brasil chegou no fundo do poço educacional HÁ SÉCULOS. A bem dizer, no milênio passado, onde o Ensino era excelente lá pelos idos da década de 1960. Curiosamente, Paulo Rónai, pai da Cora Rónai, já havia escrito em "Como aprendi português" que o ensino já não era lá aquelas coisas. Sorte dele que já tinha morrido ou ele teria se matado de desgosto.

No tosco mundo de Hades brasileiro, Educação não é levada a sério. A questão fundamental é que o Estado oferece colégios porque é obrigado, vamos ser sinceros e encarar a realidade. O Estado não é obrigado a dar livros decentes, logo, não só NÃO DÃO, como em alguns lugares mandam queimar livros! Se bem que isso não surpreende no país onde escrever corretamente é preconceito linguístico. Sorte que alguns políticos acharam isso um absurdo. Culpa de quem? Da própria população, que não quer cultura. Quer bolsa-novela.

Em muitos colégios, o uso de canetas vermelhas foram terminantemente proibidas, pois isso traumatiza os alunos. Ideia de quem:? Da ralé formada em pedagogia, e pedagogia está para ensino assim como astrologia está para astronomia e homeopatia está para medicina. Elas querem é justificar a ideia que isso desmoraliza os alunos, mas que na verdade é o simples e básico fato que "Pai não quer dor-de-cabeça.". Pai é cliente e cliente sempre tem razão. Logo, quando vemos algum artigo débil mental dizendo que deve-se ter…

Cuidado, porém, com o uso da caneta vermelha. Especialistas argumentam que ela pode constranger a garotada. Da mesma forma, encher o trabalho de anotações pode significar desrespeito. Tente ser discreto. Faça as considerações à parte ou use lápis, ok?

Onde está essa aberração? Na revista Escola, a equivalente à Super Interessante no cenário educacional. Tirar nota vermelha entristece o aluno? ESTUDASSE! Porque daqui a pouco vão querer que a Sony e a Microsoft coloquem nos seus vídeo-games mensagens como

Ah, meu queridinho, você perdeu? Awwwnnn num fica assim. Fica tistinhu naum. Olha, que enviaremos alguém de nossa empresa ir ai segurar na sua mãozinha. Dá um sorrisinho, dá. Iiiiiiisso.

Agora, claro que em nossos empregos isso jamais acarretaria. Jamais ganharíamos um bilhete em vermelho se fizermos merda no trabalho. No máximo, será um azul

A verdade é que o mundo é competitivo. Competimos .desde por lugar em banco no ônibus até por emprego. Se eu trabalhar mal, duas coisas podem acontecer: 1) Tomar um pé na bunda. 2) Teste do sofá.

Se eu trabalhar direito, uma dessas três coisas podem acontecer: 1) Ganhar uma promoção; 2) NÃO PERDER o emprego ; 3) Perder o emprego para dar lugar ao incompetente que fez o teste do sofá. Se você conta algo ao seu filho sobre o mundo profissional e nunca disse nada disso, você é um péssimo pai.

Agora, dois sociólogos retardados (desculpem o pleonasmo) dizem que o uso de caneta vermelha faz com que os aluninhos fiquem traumatizados e a relação professor-aluno fica comprometida.

(AVISO 2: Vai ficar pior. Pare de ler enquanto é tempo)

Eu estou ME LIXANDO pra relação de amizade professor-aluno. Eu não quero ser amigo de aluno. Eu não quero que aluno seja meu amigo. Sou um profissional. Você contrata um engenheiro e ele irá projetar uma casa para você; não porque está preocupado se você tem um teto para morar ou está engajado com o movimento dos desabrigados. Ele ganha para projetar coisas e quer receber pelo seu conhecimento técnico e trabalho desenvolvido. Temos que parar com essa palhaçada que o professor deve se vestir com vestidinho rodado, aventalzinho e rodopiar, cantando a música da Noviça Rebelde. Se o aluno F-A-L-H-O-U na minha prova foi por culpa dele. Eu dei a aula, eu expliquei, tentei tirar dúvidas (coisa que os alunos não querem, pois eles estão doidos para a aula acabar logo. Assim, ficam caladinhos) e passei exercícios. Teve uma reunião de pais-e-mestres que eu participei em que fui interpelado por um pai perguntando porque eu tinha dado nota 4 na prova do queridinho anjinho dele (Lúcifer também era um anjo, lembrem-se). Resposta minha:

Porque sou um cara muito legal! Ele não fez um exercício, me entregou todos os trabalhos atrasados (e mal-feitos, por sinal), não participa da aula, não fica nem prestando atenção. Olha, eu mesmo estou estupefato de como ele conseguiu tirar 4 na prova.

Obviamente, a coordenadora começou a passar paninho quente, pois aluno é igual a receita. Professor, papel higiênico e conta de luz são despesas.

Então, dois merdinhas formados em Sociologia, em que gente mais tola ainda acha que serve para algo, me fala que dar notinha vermelha faz o aluno ficar traumatizado? ÓTIMO! Quem sabe assim ele não passe a estudar? Não estudou? Reprova-se, ora.

ANALOGIA

Você começa um tratamento médico. O médico dá as orientações. Você NÃO SEGUE as orientações. NÃO TOMA os remédios. NÃO FAZ os procedimentos. Em suma, você NÃO FAZ NADA QUE MANDARAM. Quem irá criticar o médico? (o paciente, claro!) O médico fez seu trabalho, se o débil mental não seguiu, é problema do débil mental, ninguém irá dar parte no CRM por causa disso. Mas professor é a classe mais ODIADA por todos. Políticos só falam de professores na época de campanha, para depois votarem leis CONTRA esses mesmos professores. Pais não se importam com os filhos e muito menos se estão traumatizados. Eles não querem é dor de cabeça. Querem que os alunos sejam aprovados, mas em colégio chique para dizer "meu filho é foda", mas que daria no mesmo se matriculasse num estadualzão. O colégio é apenas um lugar ´para fazer dinheiro, da mesma maneira que donos de restaurante não estão preocupados em acabar com a fome no mundo.

O artigo ESTÚPIDO daqueles dois IDIOTAS, que nunca colocaram as patas numa sala de aula, foi publicado no periódico The Social Science Journal  e nem pra limpar a minha bunda serve. Alguns estados norte-amercanos estão amando (do Capeta) e baniram o uso de canetas vermelhas, conforme notícias do Daily Mail [1] [2]. É o Brasil exportando o que tem de melhor: imbecilidade!

E se você ainda acha que Socoiologia serve para algo, você está certo: serve para destruir o Ensino, mas não, né? Ensino cientificista? Bah! Quando eu estiver com prisão-de-ventre, lerei Vigiar e Punir de Foucault. Uma obra que tem tudo a ver com o problema.


Sim, eu escrevi os trechos em vermelho de propósito. Espero ter traumatizado todos vocês, seus moloides!

27 comentários em “Brasil exporta técnicas pedagógicas e estados norte-americanos acham que tinta vermelha magoa criancinhas

  1. Ignorarei a possibilidade de traumas e continuarei a corrigir as avaliações de caneta vermelha, pelo simples motivo de só eu usar caneta dessa cor. Da mesma forma, prova escrita a lápis não tem direito de correção e ainda perde ponto (mais traumas por aí!). O motivo é simples, lógico e por isso não foi aventado pela revista: a caneta vermelha destaca as minhas correções e reduz a possibilidade de confusões posteriores.

    ” Eu dei a aula, eu expliquei, tentei tirar dúvidas (coisa que os alunos não querem, pois eles estão doidos para a aula acabar logo. Assim, ficam caladinhos) e passei exercícios” Você tirou as palavras do meu teclado, a banda toca exatamente dessa forma…ainda mais no ensino noturno!

  2. Tem pedagoRDA que acha que pedagogia é ciência hauahuahuahauhauah

    Conheci uma que dá aula de didática numa universidade estadual muito famosa a qual disse que “o fazer científico da pedagogia deve observar determinados princípios”

    Que princípos?

    A questão é muito simples: nada do que lida com ações humanas pode ser considerado ciência. NADA. Ações humanas pressupõem estados mentais, intencionalidades. E por isso psicologia, história, sociologia, pedagogia utilizam-se de sentenças intensionais (com S mesmo), cujos valores de verdade mudam conforme o contexto.
    Já as ciências utilizam-se de sentenças extensionais, cujos termos podem ser substituídos por outros co-extensivos sem alterar o valor de verdade da sentença.

  3. Recem li uma frase do Alckimin dizendo aos professores da rede publica que, caso queiram ganhar mais, que peçam demissão e trabalhem em instituições particulares……o que me faz pensar: a regra das canetas vermelhas também vale para estas?

  4. Como cientista social fiquei chateada com a agressividade deste artigo!

    A forma com que você se refere a Paulo Freire, um dos maiores intelectuais da história deste país é lastimável. Freire sempre tratou seus textos de forma democrática, ou seja, acessível a todos, porém nem todos o compreendem hodiernamente, principalmente na academia.

    O senhor pelo visto não conseguiu aprender nadinha. Faltou-lhe o ensino médio, o cursinho, o vestibular. Chegamos ao fundo do poço e os nossos governantes, já formados nessa merda, dão risada.

    1. Vc NÃO É cientista. Vc nem sabe o que é Método Científico e Paulo Freire é um câncer

      Freire sempre tratou seus textos de forma democrática, ou seja, acessível a todos

      Defendendo luta armada.

      O senhor pelo visto não conseguiu aprender nadinha. Faltou-lhe o ensino médio, o cursinho, o vestibular.

      Eu não estudei em cursinho, minha cara pedaboba. Eu estudei latim, grego, francês e inglês no colégio. Estudei desde as prédicas do Pe Antônio Vieira até Santo Agostinho, passando por Rousseau, Locke, Voltaire etc. Li Platão em grego Koiné, da mesma forma como leio escritos bíblicos em hebraico. Eu estudei desde Pré-Socráticos até seus queridos “felózofos” modernos, desde Descartes até Chaucer. Vc não é NADA perante mim. Vc só soube trocar “textículos” (textos ridículos) na facurdadezinha, sendo que nunca colocou suas patinhas numa sala-de-aula. Eu lecionei desde o Fundamental 1 até Universidades e hoje um dos meus trabalhos é dar capacitação a vocês, pessoas incapacitadas intelectualmente.

      Pega seu cursinho pré-vestibular e enfie no rabo.

      1. @André,
        ” Vc nem sabe o que é Método Científico e Paulo Freire é um câncer”

        Sociólogo estuda método científico na faculdade. Eles têm os autores fundamentais e história da ciência e do método científico.

        O problema é que, ao perceberem que seu método não é o mesmo utilizado pelas ciências naturais, ele começam com o papo de que ciência é puramente ideológica e não lida com o mundo objetivo. É tipo auto afirmação. Infelizmente para a galera das sociais, Alan Sokal e Jean Bricmont já mostraram o quanto a sociologia forte é tosca

        1. Sociólogo estuda método científico na faculdade. Eles têm os autores fundamentais e história da ciência e do método científico.

          O fato de eles terem a aula não significa que estudem.

    2. @IvoneAndrade,

      “cientista social”

      Sociologia não é ciência, pois lida com sentenças intensionais e não extensionais (estou escrevendo um artigo sobre isso)

      “Freire sempre tratou seus textos de forma democrática, ou seja, acessível a todos”

      E por isso é lícito que metamos o pau no que ele escreveu. O cara tá pensando que método de alfabetização serve para ensinar matemática, química e raciocínio mais abstrato?

      “nem todos o compreendem hodiernamente, principalmente na academia.”

      Compreendemos sim, ele faz uma mistura doida de Marx com comunitarismo cristão. Acha que as mentes das crianças têm de ser limpas da ideologia burguesa para que no lugar possamos colocar o que ele acha certo. Um autor que tratava crianças como adultos dizendo que elas devem ser autônomas. Desculpe aí, socióloga, mas criança não PODE ser autônoma. Autonomia é só depois dos 18 (na verdade, eu acho que deveria ser depois dos 21 visto a cabeça dos jovens adultos de hoje)

  5. Pelo que ando vendo,nem nos boletins escolares pode-se colocar mais a nota em vermelho,como na minha época,demonstrando que você “perdeu média” e tem que estudar mais para se recuperar,antes que seja tarde.Tenho que admitir que meu boletim não tinha somente notas azuis,mas era bem melhor dos que esses boletins monocromáticos de hoje.

    1. @Ale,

      Na faculdade, o boletim dos alunos era ordenado por nota da última prova (ou média final) e exposto no mural de recados para todo mundo ver.

      Eu tive um professor na faculdade cujo nome lembrava “sangue”. Na boletim, o nome dele e algumas notas vinham com manchas de sangue e, não só ele ordenava os alunos por notas, como separava (por uma quebra de linha) as categorias de alunos, como que dizendo: passou, passou raspando, refazer os trabalhos e te vejo no semestre que vem.

      Ele aplicava 6 provas ao longo do semestre e 6 trabalhos gigantes. Antes de 1998 as provas eram para serem entregues no dia seguinte (as infames provas de 24 horas). Obviamente, a correção durava meses e, com o aumento das turmas, ele viu-se obrigado a limitar a cobrança nas provas e o tempo para 6 horas.

      Qual o curso? Sociologia, pedagogia? Engenharia, obviamente.

      1. Meu professor de Física 2 chegou no primeiro dia (ok, noite), cumprimentou e começou a tascar matéria no quadro. Na saída, um dos alunos levantou-se e disse: “Mestre, o senhor só esqueceu de dizer seu nome”. Resposta dele sem o mínimo de paixão ou simpatia: “Meu nome é Almeida, mas podem me chamar do que quiserem que eu estou pouco me importando com vocês”.

        Foi o melhor professor de Física que eu tive.

        [corta]

        Na aula de Didática, a “professora” não ensinou nada que prestasse, mas ficava preocupada em tirar ponto se vc não colocasse pingo no “I” ou no “J”.

      2. @Magno,

        Não gosto de sociologia, mas admito que sociólogo lê bastante. Você pode gostar disso ou não.

        E engenheiro, já que és tão foda e vive a lidar com números me responda: o que é um número? Uma abstração criada pela mente humana ou algo que existe no mundo e descobrimos por meio da pura razão? Resolve esse milenar problema da filosofia da matemática?

        É gente escrota como você, que acha que só existem 3 profissões no mundo, engenharia, medicina e direito, que me dá vontade de vomitar

        1. Não gosto de sociologia, mas admito que sociólogo lê bastante. Você pode gostar disso ou não.

          Não é uma questão de quantidade e simn de qualidade. Vc prefere ler a saga Crepúsculo um único livro da Karen Armstrong?

          E engenheiro, já que és tão foda e vive a lidar com números me responda: o que é um número? Uma abstração criada pela mente humana ou algo que existe no mundo e descobrimos por meio da pura razão? Resolve esse milenar problema da filosofia da matemática?

          Masturbação mental. Não importa o que é um número. É uma entidade matemátioca com a qual eu interajo com o mundo e tenho respostas. Sem números, não teríamos treliças. Sem treliças, não teríamos pontes, por exemplo. Sem saber o que é “eu”, eu sontinuo sendo eu e posso criar remédios, compósitos, ligas etc.

          É gente escrota como você, que acha que só existem 3 profissões no mundo, engenharia, medicina e direito, que me dá vontade de vomitar

          Na verdade existe mais uma e esta é dominante: A QUÍMICA! Nos lhe demos desde o seu computador até o tecido de suas cuecas. Você depende dos químicos para comer, beber, dar descarga no banheiro, vestir, dirigir, viajar, medicar, dormir, se comunicar, trabalhar etc. Então, manezinho, acho melhor você meter na sua cabecinha oca uma coisa: Sua filosofia é MERDA. Vc não tem competência pra dois dedos de diálogo sem cair em falácias, coisa que sua filosofia deveria ter ensinado a não fazer.

          Frente a tudo isso exposto, o que os sociólogos nos deram? Nada. A Ciência deu e vc, mona, corre pra primeira farmácia quando está com dor, maldizendo o ensino tecnicista, nao é? É que nem estes comunistinhas que andam de carro e usam tênis Nike, iPhone e bebem coca-cola.

          Seu lugar não é aqui e sim no maravilhoso e socialmente preocupado do blog do Sakamoto. Passar bem, aqui não comenta mais. Usuário expulso!

        2. @Rei Childerico (Rei Criança Rica?), já que o André te baniu, eu acho que você não vai poder fazer uma tréplica, mas vamos lá.

          Não gosto de sociologia, mas admito que sociólogo lê bastante. Você pode gostar disso ou não.

          Eu também leio bastante, qualidade variada. Desde literatura infanto-juvenil como a série Shipbreaker, livros mais adultos como Game of Thrones e até livros consagrados como “O Mundo Assombrado pelos Demônios”, 1984, A Revolução dos Bichos, etc.

          E engenheiro, já que és tão foda e vive a lidar com números me responda: o que é um número? Uma abstração criada pela mente humana ou algo que existe no mundo e descobrimos por meio da pura razão? Resolve esse milenar problema da filosofia da matemática?

          Eu até penso um pouco em filosofia, como hobby, mas este não é o objetivo da Engenharia. Eu gosto de definir Engenharia como a ciência/arte de resolver problemas. O conhecimento de um engenheiro e sua capacidade de lidar com os números é um ferramental para resolver os problemas a que ele se propõe resolver.

          Um engenheiro pode se especializar em resolver problemas completamente práticos (como coordenar uma obra), e nunca precisar de mais conhecimento matemático que um formando do Ensino Médio.

        3. @Rei Childerico
          Não esqueça da (sim, separada da matemática) computação (e suas derivadas) sem as quais, você estaria lambendo as botas de algum cara de bigode quadrado nessas alturas, e nem poderia ter vindo defecar por aqui essas bobagens.

  6. Desisto!
    :roll:

    Noto neste site um forte teor cientificista e neo-positivista… como se ciências como geografia, antropologia, psicologia fossem uma farsa inútil.

    Vocês não sabem nada do que ocorre na pedagogia e na academia. Todo mundo que frequenta a universidade sabe que o que ocorre é justamente o inverso do que você diz, o curso de pedagogia é esvaziado de teoria. Falta tudo no curso, principalmente leitura dos clássicos.

    A atividade pedagógica deve ser a de “cortejamento” entre professor e aluno. Há uma atividade erótica freudiana entre alunos e educadores!
    Esse é o segredo da boa atividade pedagógica, o que leva ao êxito da relação entre professor e aluno e ao sucesso de cada um dos envolvidos na relação.

    1. Noto neste site um forte teor cientificista e neo-positivista… como se ciências como geografia, antropologia, psicologia fossem uma farsa inútil.

      Na verdade não. Só a pedagogia, mesmo, Polly.

      Mas na hora da dorzinha de cabeça: FARMÁCIAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!

      Vocês não sabem nada do que ocorre na pedagogia e na academia.

      Eu sei: Masturbação mental.

      Todo mundo que frequenta a universidade sabe que o que ocorre é justamente o inverso do que você diz, o curso de pedagogia é esvaziado de teoria.

      De teoria científica, principalmente.

      Ah, e nenhuma prática. Pedagogo não dá aula.

      Falta tudo no curso, principalmente leitura dos clássicos.

      E até vergonha na cara.

      A atividade pedagógica deve ser a de “cortejamento” entre professor e aluno. Há uma atividade erótica freudiana entre alunos e educadores!

      HAHAHAHAHAHAHAHAUHUAHUASHUSAHUAHUAHUAHUAHUAHAHAHAH
      AAHUAHUAHUAHUSHUAHHAHUAHU… COF COF COF… HAHAHAHAH
      HAHAHAUHAUSHUAHUAAAAAAAAAHHHHHHHHHH HAHHUASSHUSAHUAHA

      vou mandar isso para todos os meus amigos! Sério!

      Esse é o segredo da boa atividade pedagógica, o que leva ao êxito da relação entre professor e aluno e ao sucesso de cada um dos envolvidos na relação.

      Desculpe, não quero comer nenhum dos meus alunos. Só quero que eles aprendam a minha matéria.

      PS. Pedofilia é crime, caso não saiba.

      1. @André, André ilustrou muito bem a minha reação quando li o comentário da distinta IvoneAndrade:

        HAHAHAHAHAHAHAHAUHUAHUASHUSAHUAHUAHUAHUAHUAHAHAHAH
        AAHUAHUAHUAHUSHUAHHAHUAHU… COF COF COF… HAHAHAHAH
        HAHAHAUHAUSHUAHUAAAAAAAAAHHHHHHHHHH HAHHUASSHUSAHUAHA

  7. Sociólogos, filósofos, pedagogos (arrgh!) e outras coisas parecidas são os que tem filhos que ficam traumatizadinhos por causa de letras vermelhas em seus trabalhos ou boletins. Não é a toa que a sociedade está idiotizada.
    Ah! também não podem ler Monteiro Lobato, é muito feio.

  8. Não sei se perdi algum post mais antigo que trate do assunto. Se sim, me desculpe pela impertinência.

    Tenho visto muitos posts bons sobre a péssima situação da educação no País. O que eu não consigo enxergar é o que nós cidadãos de bem e pessoas conscientes podemos fazer para mudar isso? Não vai ser possível que cada um de nós mate um pedagogo…. ou ainda, não vai ser produtivo…

    O quê podemos fazer?

    _____
    42

  9. o pior de tudo e o sistema educacional publico..moro em uma cidade pequena e so tem uma escola estadual aqui. fui a uma reuniao de pais e professores e o diretor foi bastante enfatico…..ensinem seus filhos em casa pois na escola esta proibido que os alunos reprovem. nao precisam estudar, nao precisam apresentar trabalhos. so precisam ir as aulas e chatear quem quer aprender.
    a coisa ta feia….

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s