Pesquisa idiota do dia: Pensamento lógico leva ao ateísmo (ou algo assim)

Amonitas, os imortais vencidos
Cientistas fazem vasos sanguíneos humanos em laboratório

Não que eu ache que a religião seja a coisa mais maravilhosa que aconteceu na humanidade. De minha parte, é um pensamento até natural, da mesma forma como assassinatos, escravidão, guerras e outras coisas lindas que vemos acontecer no mundo natural, não sendo exclusividade dos seres humanos (logo, não se sintam especiais por causa disso). Entretanto, vejo algo estranho pesquisas tentando relacionar pessoas que usam mais certas partes do cérebro e comportamentos não-religiosos, como foi o caso de uma pesquisa realizada por cientistas canadenses.

O dr. Ara Norenzayan é professor de Psicologia da Universidade de British Columbia, em Vancouver, no Canadá. Juntamente com o doutorando Will Gervais, também da UBC, Norenzavan demonstrou  interesse nas bases cognitivas da crença religiosa e nos processos cognitivos que poderiam promover a descrença religiosa.

Eu tenho um carinho muito especial por psicólogos, mas que chegam em segundo com relação a pedagogos. O problema dessas duas… classes é quando pretendem entrar em um campo que não entendem muito e já já explicarei o porquê.

Os dois pesquisadores resolveram estipular testes a fim de medir uma relação (a meu ver, inexistente) entre pensamento analítico e a crença religiosa. Então, os dois testaram a hipótese de que o processamento analítico promove descrença religiosa. Ateus de fim-de-semana deverão replicar isso até o século que vem, mas estes também serão a prova que o teste falhou, o que também demonstrarei daqui a instantes. Aguardem (sim, eu sei que terá muita gente me xingando antes do final do artigo. Estou acostumado).

O ponto defendido pelos dois… cahan… psicólogos é que as diferenças fundamentais entre indivíduos propensos à fé religiosa e aos que não são religiosos está no pensamento de forma analítica. Em outras palavras, se você pensa de forma lógica, logicamente você jamais teria um pensamento ilógico como a crença e um ser sobre ou supranatural (deuses, entidades mágicas e coisas correlatas). Um dos testes foi propor 3 perguntas. Transcritas abaixo (versão brasileira, Herbert André, digo, Cet.net Ritchers, digo: eu):

  • Um morcego e uma bola custam US$ 1,10 no total. O morcego custa um dólar a mais que a bola. Quanto custa a bola?
  • Se 5 máquinas demoram 5 minutos para fazer 5 objetos, quantos minutos 100 máquinas demorarão para fazer 100 desses mesmos objetos?
  • Em um lago, há um conjunto de lírios. Todos os dias, o conjunto dobra de tamanho. Se leva 48 dias para que este conjunto de lírios cubra todo o lago, quanto tempo levaria para que somente a  metade do lago fosse coberto?

Resposta no final.

De acordo com a pesquisa, o pensamento não-analítico indicaria tendências religiosas e pessoas que fizeram o teste e acertaram se declararam menos religiosas DEPOIS do teste. Sério que você escreveu isso, Reinaldo? Sério que você escreveu "os voluntários que fizeram as tarefas "analíticas" tiveram menos propensão a se declarar religiosos depois" ? Ou eu desaprendi a interpretar textos, ou a matéria do Reinaldo José Lopes infere que depois de fazer um teste analítico, a pessoa muda de comportamento de religioso para não-religioso. Eu não consigo acreditar que alguém (mesmo um jornalista) tenha realmente tido a ideia de escrever algo tão idiota. Isso soa algo como "vamos fazer as pessoas menos religiosas. PROVA DE MATEMÁTICA PRA TODO MUNDO!

Sério, isso está deixando de ser idiota para se tornar má Ciência. Aliás, corrigindo, não é má Ciência. Isso não é Ciência em absoluto, é pseudociência (se bem que eu sempre achei isso de psicologia, mesmo).

De acordo com a matéria do Reinaldo, vejo algo que me deu vontade de rir e rir MUITO, onde é dito (sic) "sabe-se que o ‘priming’ [uso de um estímulo prévio para que o participante reaja de certa maneira] funciona em contextos educacionais. Se alunos de uma escola da periferia leem, antes de uma prova de ciências, sobre garotos pobres que se tornaram grandes cientistas, tiram notas melhores."

FALSO!

Se isso fosse verdade, os alunos não teriam as baixas notas que têm, com este monte de livros paradidáticos. Isso chega a ser absolutamente louco, risível e totalmente estúpido. SE (e apenas SE) isso fosse verdade, ao invés de estimular alunos a estudar estequiometria, eu leria a biografia de Lavoisier. Vamos ensinar sobre eletromagnetismo? Era uma vez um menino pobre que só foi aprender a ler quando começou a trabalhar como encadernador de livros. Então, este menino resolveu assistir a umas palestras de Humphry Davy e pediu para ser seu assistente.  Alguém está de sacanagem com todos os professores, só pode! Eu DESAFIO qualquer um a fazer isso antes de qualquer prova de Ciências: ler a biografia de qualquer criança gênio e ter média superior a 8 (contando de zero a dez, claro).

Aliás, vamos falar de crianças geniais? Gauss, por exemplo. Gauss teve a brilhante ideia alternativa de como somar todos os números de 1 a 100, sem somar todos os números de 1 a 100.

Observação: Gauss não era ateu.

Que tal Pascal? Sim, o genial Blaise Pascal, idealizador do Triângulo de Pascal e estudou a fundo os efeitos da pressão atmosférica. Pascal não era religioso? Não só era como defendeu arduamente o catolicismo, combateu o Jansenismo e criou uma das maiores falácias religiosas de todos os tempos: a Aposta de Pascal.

Kepler, um gênio da matemática: religioso. Galileu? Religioso. Newton? Leibnitz? Alguns sábios gregos? Diofante? Báskara? Malba Tahan? Sério, gente, se as pessoas usam o pensamento imediatista ao invés de raciocinar numa prova de matemática, isso só prova que não estudaram direito. Vamos ao resultado das questões acima?

X é o preço unitário do morcego.
Y é o preço unitário da bola.

Se eu compro um de cada ao preço total de um dólar e 10 cents, eu tenho:

X + Y = 1,10

Eu tenho duas variáveis, sendo que uma é deduzível da outra quando eu digo "o preço dos morcegos é um dólar A MAIS que o preço da bola". Logo, tenho que X = 1 + Y. Então, eu tenho:

(Y + 1) + Y = 1,10

2 Y + 1 = 1,10

2Y = 1,10 – 1 = 0,10

Y = 0,05

Uma criança de 10 anos faria esta conta facilmente e normalmente acreditaria em fadas ou no Papai Noel. Onde trabalho, a professora de matemática do 5º ano dá contas absurdamente grandes com números em que certa vez eu estendi meu braço na lousa para medir e este número era MAIOR que o meu braço, tendo as crianças que dividir aquela monstruosidade por outro de dois algarismos. E elas fizeram! Então, o problema não é a crença religiosa e sim se você estudou direito! (a propósito, essa professora é católica apostólica romana, de rezar terço corretamente, o que é raro)

Segunda questão:

5 Máquinas fazem 5 objetos em 5 minutos. É uma razão e proporção enganosa. Eu poderei ter 100 mil máquinas iguais (e terão que ser iguais, ou a pergunta será sem sentido). A única função direta é o número de objetos produzidos. Uma proporcionalidade múltipla real (o que pode ser chamada de "regra de 3 composta") seria obtida se eu perguntasse algo como "Uma galinha e meia põe um ovo e meio em um dia e meio. Quantos ovos 6 galinhas colocarão em 6 dias?"

APOSTO que muitos não-religiosos, céticos, ateus, cristãos, muçulmanos, macumbeiros irão errar. Mas não. Um bando de ateuzinhos de fim-de-semana sairão papagueando que só porque são ateus eles têm pensamento lógico. Só em afirmarem isso demonstra que não, vocês não têm raciocínio logico, pois não entenderam que  o fenômeno religioso não tem nada a ver com pensamento lógico e/ou racional, já que são processados em duas religiões regiões separadas do cérebro.

O pensamento analítico é vital para a Ciência. Se dissermos que o pensamento analítico é demonstração de ausência de fé religiosa, o que teremos? Teremos um moleque que anda com Deus, um delírio (livro ruim, por sinal) debaixo do braço é mais "inteligente" que Ken Miller? Lemâitre? Todos os sábios da esplendorosa ciência islâmica?

A pesquisa foi publicada na Science (PDF) e mostrou-se com pouco embasamento analítico ao estudarem os experimentos que propuseram. Os pesquisadores devem ser muito religiosos, então.

By the way, a resposta da pergunta 3 é 47 dias. Se virem aí.

Amonitas, os imortais vencidos
Cientistas fazem vasos sanguíneos humanos em laboratório

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • Ao que parece os psicólogos citados buscaram em um fator específico encerrado no indivíduo que determine a religiosidade, no caso lógica, que o André mostrou ser falsa.

    Talvez eles devessem ter se perguntado: há um fator único? Se há, não poderia ser biológico ao invés de lógico? E se for externo, como a cultura na qual o indivíduo nasceu? Há mais de um fator? Aliás, o que seria a religiosidade sem uma cultura que ensinasse sobre alguma divindade específica? Com frequência me pergunto como o primeiro antepassado nosso achou que evento X não poderia ter causa natural. Aliás, o que seria causa natural nesse contexto?

  • carlosband

    Não acho que o pensamento lógico leve ao ateismo.
    Acredito que seja o contrário.
    Sou Agnóstico ( TEÍSTA ), acredito em Deus, pois não consigo encontrar outro raciocínio lógico para a existência, ou melhor, para o PROPÓSITO dela.

    Não acredito nas religiões, porém, por mais que se tente encontrar explicações para a existência da vida, sempre haverá uma pergunta a mais.

    Ser inteligente não é Alegar tudo como se fosse verdade, mas justamente, duvidar de tudo e questionar a sí mesmo o que é VERDADE.

    Tanto o CETICISMO quanto o FANATISMO religioso, exageram em suas CRENÇAS.

    Se perguntado se Deus existe, o correto não seria dizer PROVE, mas simplesmente responder: EU NÃO SEI e nem quero discutir sobre isso.

    Administrador André respondeu:

    Não existe agnóstico teísta, filho.

    Spy respondeu:

    @André,
    Existe, velho. Ateu ou teísta é relativo ao que o indivíduo acredita, agnosticismo é sobre o que o indivíduo sabe. Etimologia não me deixa mentir.

  • Shiroyasha

    Eu vi a noticia e já fiz uma cara de “wtf?”
    Ser religioso ou não nunca foi muito relevante para a ciência (cof, cof Mendel diz “oi”), na verdade, ser religioso nunca impediu ninguém de fazer coisas incríveis.
    Agnóstico teísta? Isso existe?

  • Paulo Gurgel

    Bat, traduzido por morcego, é bastão de beisebol.
    Abraço.
    Blog EntreMentes
    http://blogdopg.blogspot.com

    Administrador André respondeu:

    Obrigado, mas no final das contas não faz muita diferença, né?

    (btw, não entendo nada de baseball)

    Wallacy respondeu:

    Meu pensamento lógico não havia entendido porque diabos um morcego e uma bola estavam sendo vendidos no mesmo contexto.

    Receita de macumba talvez?

    Pegue o morcego, recheie com a bola e…. Faça outra pesquisa cientifica sobre os efeitos de se engasgar com uma bola de 5 centavos e o comércio ilegal de morcegos por 1 dolár, também a ser publicada na Science, que está aceitando de tudo agora.

    Ou uma pesquisa sobre jogadores de baseball, que rebatem a bola com morcegos de verdade. Ainda não me decidi, tenho que manter o padrão Globo Repórter nas minhas pesquisas futuras.

    ANUBIS1313 respondeu:

    @Wallacy, Pô… por esse preço de morcego vai ter muito macumbeiro querendo saber onde tem essa mercadoria para fazer mandingas!!!

  • Agildo Matos

    “Um morcego e uma bola custam US$ 1,10 no total. O morcego custa um dólar a mais que a bola. Quanto custa a bola?”

    Bela pegadinha!

    Aposto US$ 0,05 se não tiver uma porrada de candidatos que respondeu US$ 0,10.

    Administrador André respondeu:

    Não é pegadinha, é equação de primeiro grau.

    Deimos respondeu:

    @Agildo Matos, Ei, eu também aposto! Mas perai! O André já deu a resposta do cálculo, assim qualquer um faz esta aposta também.

    Agildo Matos respondeu:

    @Deimos, Mas eu tirei a conclusão antes de ver a resposta, e sem formular a equação, não sem antes cometer um erro que com certeza muitos incautos cometeriam.

    De fato aqui dificilmente alguém irá errar, mas estou me referindo aos voluntários da pesquisa.

  • Mari.

    A frase “já que são separados em duas religiões diferentes do cérebro”, está certo? Sério, só para confirmar mesmo :/

    Mas por que demonstrar os cálculos? ._. as respostas são tão simples que a demonstração chega a parecer estranha.

    E uma dúvida, quem te faz perder mais as palavras, um psicólogo ou um antropólogo? Porque você, por tantas vezes no texto, se conteve para não dizer sinônimos 😀

    Administrador André respondeu:

    Regiões! Regiões, André, seu estúpido!

  • Apocalyptica

    Sergio Carvalho e Weber Campos, que são teístas, escreveram dois livros excelentes de lógica.

    Meu cerebro não conseguiu ver a lógica de como os autores de lógica são teístas, logo ,se não consigo entender uma lógica tão básica quanto essa, com certeza devo ser teísta também. Bom, pelo menos eu acho. Ou quem sabe o livro deles seja ruim.

  • Andre_Pacheco

    No Estadão publicaram essa pesquisa também, mas como complemento à uma pesquisa feita no Brasil onde mostra que jovens conciliam bem religião e ciência . Como a pesquisa indicou uma proporção meio a meio quanto a questão evolutiva do homem, não sei não se essa inferência pode ser feita. E como falei sobre a questão evolutiva mais um link sobre seu ensino no Brasil e a mistura entre religião e ciência.

    GusC respondeu:

    @Andre_Pacheco, O problema é que 90% desses jovens são religiosos e USAM a ciência de forma distorcida para tentar explicar milagres, eventos fantásticos, etc.

    Administrador André respondeu:

    Como Ken Miller?

    Andre_Pacheco respondeu:

    @GusC, Não concordo com a relação que só porque são religiosos eles usam a ciência de forma distorcida para explicar o que quer que seja. Dos mais de 70% de religiosos, 44% deles aceitam que todas as espécies têm um ancestral comum e 43% que o surgimento da vida se deu naturalmente por processos químicos de materiais inorganicos para organicos, isto tomando como base o estudo informado na reportagem. Como disse, não creio que dá para falar que a juventude aceita bem a religiosidade e ciência, mas meio caminho andado é melhor que nenhum.

    GusC respondeu:

    @Andre_Pacheco, Respondo seu comentário com a pergunta do André: Ken Miller. Até tem uns desses aqui no Brasil em certos blogs, mas nem vou citar pra não dar “ibope”.

    Administrador André respondeu:

    Eu cito Ken Miller pq ele foi alvo da ateuzada insana por ser católico, onde imbecis esqueceram de sua atuação no Julgamento de Dover.

  • [Off-topic]
    André, acho que você vai gostar disso: http://bitaites.org/no-mundo-da-lua/obviamente-demasiado-sol/
    [/Off-topic]

  • Vamos ponderar sobre a questão número dois:

    “Se cinco máquinas produzem cinco objetos em cinco minutos, quantos objetos produzirão cem máquinas em cem minutos?”

    A questão está incompleta. O autor dela esqueceu de informar se essas máquinas trabalham paralelamente ou em conjunto para produzir os objetos, e também se todas as máquinas são iguais (podemos inferir que sim, pois elas são citadas como um grupo e Navalha de Occam é meu pastor.) Se trabalham paralelamente, é seguro afirmar que uma máquina levaria os mesmos cinco minutos para produzir um objeto, se não, devemos considerá-las como um conjunto que não produziria bolas individualmente, mas em grupos de cinco, para cinco máquinas, em cinco minutos (duh).

    Tanto faz para a pergunta, afinal, os valores utilizados, já que não terminam em frações (como o exemplo citado elo &&ré). Se as máquinas trabalham paralelemente, tanto faz se são cinco, cem ou um milhão – qualquer conjunto de máquinas demorará cinco minutos para produzir a quantidade de bolas equivalente ao número delas. Se elas trabalham em conjunto, vinte conjuntos de cinco máquinas produzirão vinte conjuntos de cinco bolas em cinco minutos. Em ambos os casos o tempo será o mesmo.

  • Leandrus Felix

    André, não há nada ou ninguém que se salve na psicologia?

    Administrador André respondeu:

    Assim como nem todo religioso é retardado, nem todo psicólogo é imbecil. Gosto, por exemplo, dos trabalhos de Milgram.

    Pedagogos não têm salvação.

  • alessandro

    Bom, li um livro do Reinaldo (Além de Darwin). Até legal, mas achei o final do livro um tanto quanto apelativo, pois ele fez um depoimento fervoroso de sua crença religiosa. Considerei desnecessário.

    Agora, fiquei sem entender. Reinaldo virou a casaca ou tentou ser moderninho e imparcial mostrando assim seu total comprometimento com a ‘verdade’?

    OBS: Não consigo fazer a conta 3. Santo deus!

    Administrador André respondeu:

    Eu sempre gostei dos textos dele do Visões da Vida, mas devemos lembrar que jornalista vive de notícias. O que ele fez nesta foi dar total ênfase a uma boçalidade.

    Btw, a 3º questão é tão somente progressão geométrica. Pense no enunciado.

    Apocalyptica respondeu:

    @alessandro, Existe um tanque de 1000 litros de água.
    No dia um retiro a metade da água existente no tanque.
    No dia dois retiro a metade do que sobrou no primeiro dia.
    No dia três retiro a metade do que sobrou no 2º dia.

    Indo neste ritmo quando esvaziarei o tanque?

    Altair5 respondeu:

    @Apocalyptica, nunca,apesar de ser uma série geométrica convergente você precisaria de um tempo infinito.

    alessandro respondeu:

    @Altair5, Paradoxo de Zenão?

    Altair5 respondeu:

    @alessandro, Negativo,pois aqui não se trata de movimento…

    Nihil Lemos respondeu:

    @alessandro,

    Em um lago, há um conjunto de lírios. Todos os dias, o conjunto dobra de tamanho. Se leva 48 dias para que este conjunto de lírios cubra todo o lago, quanto tempo levaria para que somente a  metade do lago fosse coberto?

    Ora, 47 dias. Se conjunto dobra de tamanho a cada dia e se em 48 dias cobre todo o lago…

    alessandro respondeu:

    @Nihil Lemos, Obrigado por ajudar. Ocorre que o resultado eu já sabia, eu disse, na verdade, que não conseguia fazer a conta, ou seja, a representação matemática.

    Que no dia anterior havia metade eu já tinha percebido. O próprio André já tinha dado a resposta, né? Bom, não posso deixar de dizer… DÃÃRD. 😆

    BlackPardal respondeu:

    @alessandro, assuma que x é a área dos lirios no primeiro dia. então X multiplicado por 2 elevado a quadragésima oitava potência é igual a Z ( área total do lago). Então Z dividido por dois elevado a Y(onde este é a quantidade de dias em que os lírios ultrapassaram a metade) é igual a Z dividido por dois.
    Resolva a equação.

    BlackPardal respondeu:

    @BlackPardal, assim por extenso fica difícil mas no papel achei fácil>. 😉

  • GusC

    Engraçado ler esse post agora, pois recém terminei de ler o Thinking Fast & Slow do Daniel Kahneman (recomendo!). Ele comenta, dentre outras coisas, essa questão do raciocínio analítico ser “preguiçoso” e jogar a responsabilidade para o emotivo (rápido).

    Enfim, por “coincidencia” o sujeito que escreveu esse livro é psciólogo e ganhou um nobel de Economia (não conseguiria ganhar um Nobel no seu ramo, creio eu).

  • Antigamente os ateus queriam mostrar que merecem respeito porque são tão humanos quanto os religiosos. Os ateus de hoje querem mostrar que são melhores que os religiosos.

    Querem combater o preconceito, mas se mostram tão intolerantes quanto… 😐

  • reinaldo

    Ao ler este artigo, tive confirmada minha suspeita de que existe pesquisador que gasta a verba da pesquisa em mulher e bebida, e depois se vê obrigado a publicar qualquer asneira para explicar o sumiço da verba….. 😀

  • Davide

    Ateus fundamentalistas são tão irritantes quanto cristãos fundamentalistas.