ENEM 2010 e as trapalhadas educacionais

Feliz dia de Carl Sagan
O kibe nosso de cada dia

Estamos chegando ao fim. Do ano, do ano letivo, da linha e da noção de ridículo de nossos (seus; eu moro em Tuvalu) políticos e os tecnocratas da nação. A Educação está mais que zoneada e não poderíamos encerrar a gestão do Primeiro Molusco sem mais uma cangancha (calma, ainda temos1 mês e 22 dias apara mais besteiras governamentais). Dessa vez foi com o glorioso ENEM, organizado pela competentíssima equipe do ministério que acha que Educação não leva a nada.

Desde juízas (sim, plural) suspendendo as provas do ENEM até questões ridiculamente mal-feitas e acusações de alunos xingando muito no Twitter durante a prova, temos um real e genuíno (com U e não O) retrato de como as coisas são “organizadas” no Brasil. Não leia a seguir, ou você será infectado pela imprensa golpista que quer que você estude e não faça parte dos membros pró-revolução, quando entraremos no Governo e assumiremos o Planalto. O Snowball já está sendo caçado e será morto assim que nossos cães o encontrarem.

O ENEM, como quase tudo no Brasil, é algo que no papel é lindo e as intenções são as melhores possíveis. Entretanto, nós sabemos onde estão as melhores intenções. O que início foi idealizado para ser um modo de avaliar a Educação no Brasil (tolos que sois), virou um modo ridículo para ajudar aluno a ingressar nas faculdades. Eu sou contra essa segunda parte.

Convenhamos, o Vestibular não é o método de avaliação dos sonhos de ninguém, mas nos atuais moldes é o mais justo. Percebam: é uma mesma prova para todo mundo. Quando eu prestei vestibular era no tempo do Cesgranrio. Não era na base do “vou prestar para UFRJ, ou UFF, ou UERJ etc). Era mais difícil e eu acho que TEM que ser difícil, que se deve cortar por cima. Mas o coitadismo reinante no Brasil diz que devemos fazer os pobres ingressarem na faculdade. Ok, concordo… em parte.

Todos têm o direito de cursar uma universidade. Acho, inclusive, que deveria-se mostrar comprovação de renda para ter direito a uma vaga numa universidade pública. Ou então, pagar uma mensalidade (quer ensino de qualidade? Pode pagar? Taqui o boleto). Mas como um aluno vindo de um colégio estadual pode conseguir passar num vestibular? Não pode. Daí, os GÊNEOS psicopedarretardados tiveram a “brilhante ideia”: melhorar o ensino nos colégios? Claro que não.Criemos maneiras de colocar  pessoal pra dentro (ops). O ENEM também ajuda filhos de ricos a entrarem numa universidade. O que isso nos diz? Se for pobre, estudou em Estadualzão (“estudar” é figura de linguagem), mesmo levando em conta que vierem das maravilhosas aprovações automáticas. Em colégios particulares, também há aprovação automática (se o professor não aprovar, ELE será o reprovado, se me entendem). Com isso, coloca-se pessoas sem a menor condição de frequentar uma faculdade (muitos nem escrever sabem) e o resultado será a evasão. As universidades estão baixando o nível e isso não é bom para ninguém, onde os formados saem sabendo menos do que quando entraram. Isso inclui também alguns idiotas que se julgam OS professores, mas que colocam Ç antes do E e do I (sim, já vi isso e quando apontei, fui xingado, como sempre).

Enquanto Snowball fugia de Napoleão, a prova do ENEM começou e assim deu início ao drama (cortinas caem, luz difusa e personagens para o fundo em meio à penumbra). Alguns alunos alegaram conseguir usar o celular e acessar o Twitter durante a prova, apesar dos fiscais dizerem que ninguém usou aparelho nenhum. O MEC não gostou da história e xingou muito no Twitter dizendo que ia processar estes alunos. Ahan, sei. Nisso, os cabeçalhos dos gabaritos não coincidiam com os cabeçalhos dos cadernos de provas. Mas isso é coisa da Imprensa Golpista Demoníaca, certo? Pode ser, mas o MEC confirmou o caso e alegou não ser nada demais.

A confusão está se transformando numa Ópera Bufa, mas parece que ainda há Juízes em Berlim… e no Ceará também, onde uma juíza fedferal que é cabra-macho resolveu peitar suas fordezas, bateu o martelo (não na cabeça deles, infelizmente) e determinou a suspensão imediata das provas, atendendo recomendação dos jedis do Ministério Público Federal. Obviamente, isso ainda cabe recurso e no final dá sempre no mesmo… Nesse ínterim, o ilustre presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Joaquim José Soares Neto afirmou ontem que as provas aplicadas no último fim de semana, não serão anuladas e ponto final. Afinal, sua fordeza sabe quem realmente manda neste país: ninguém. Aliás, Inep é uma sigla perfeita para um instituto recheado de ineptos. Para Quinzinho, os alunos que receberam o caderno amarelo, com questões faltando e erros de digitação, poderão fazer uma nova prova, que será marcada para o final de novembro ou início de dezembro.

Para Fernando Haddad, o incompetente-mor desta celeuma, a Justiça Federal deve reverter a decisão de suspender a prova, já que a consultoria jurídica do MEC conversou com a juíza Carla de Almeida Miranda Maia, responsável pela decisão judicial, para tentar convencê-la a mudar de opinião. A juíza deve decidir até o fim do dia se anula a liminar que suspendeu o exame. Na reportagem que eu li, não falava nada se ela acordou com uma cabeça de cavalo na cama.

Enquanto toda esta confusão brinca nos campos do Senhor, o Grande Irmão declara que isso é meio que uma inveja de parte de pessoas que não se conformam com sucesso do Enem. Como vivemos num mundo democrático, a Democracia agiu e a Polícia do Pensamento investiga a atuação de um jornalista de Pernambuco que, nas palavras do Grande Irmão, "tentou demonstrar que havia uma fraude ou uma fragilidade do sistema". Como vimos acima, tudo correu muitíssimo bem.

Com licença, faremos uma pausa para os dois minutos de ódio.

Sim, amigos, tudo está indo muito bem. Não acreditem na Imprensa Golpista. Isso tudo é para que nosso grande líder Kim Jong-il presidente fique desestabilizado. Não temam, pois a escória do PSDB não adentrará em nada e nenhum de seus membros que tenham atuado em algum governo dos Tucanos do Inferno ganharão um mísero cargo no futuro governo…

Bem, quer dizer, mais ou menos. Ao que parece, Gabriel Chalita, que foi secretário estadual de Educação de São Paulo na gestão do Geraldo Alckmin, voltará. Ele foi cria do ex-governador Franco Montoro e passou 20 anos no PSDB por onde foi vereador e secretário de Educação. Como desde o tempo de Cícero mudar de camisa não é algo estranho à política, Chalitão muda de rumo e vai pro PSB. Aliás, o pessoal do Vermelho.org (não, manés, não foi a Veja quem disse o que será dito a seguir) definiu Chalitão como um fracasso. E “O PSDB nunca chegou a ser um partido. Foi um agrupamento de caciques regionais, que cedeu a legenda à escória que forma a base da política nacional. Entre os caciques, havia homens públicos de experiências diversas. Gianotti e Fernando Henrique Cardoso foram intelectuais representativos da USP. José Serra foi líder estudantil, teve de se exilar, estudou em boas universidades. Mario Covas teve ligações com sindicatos de Santos, foi cassado. Não discuto a política que eles defenderam e praticam. O PSDB deles acabou. O que resta agora é o PSDB de Alckmin, Chalita, da turma de Pindamonhangaba”. Interessante. Como todo bom esquerdista, ataca o PSDB, que é Direita. Nada de se estranhar, pois faz parte do jogo político. Nada contra aqui. Mas imagino que o autor do artigo deve estar estupefato com a notícia que Chalitão está cotadíssimo para ser o próximo ministro da Educação.

PARA TUDO!

Chalita com aquela bobajada de Pedagogia do Afeto e que foi duramente criticado (justamente, por sinal. Ele é uma nulidade em termos de Ensino) será ministro da Educação do próximo governo? Ah, sim… ele se bandeara pro lado de tia Dilma, a ponto de puxar o saco dos católicos, a fim de arrumar votos. E o que sabe Chalitão sobre ensino? NADA! Formado em Direito e Filosofia, dando aula na PUC, qual a experiência de Chalitão e sua palhaçada de abraçar alunos a lá filme da Noviça Rebelde sobre entrar numa sala de aula toda escalavrada numa favela, com 70 alunos, onde muitos deles estão armados e vendem drogas na porta da referida escola? Vai abraçar algum deles, Chalitão? Abraça notícias assim, cara. Ah, sim. Se isso fosse verdade, haveria muitos outros casos, sim?

Faço minhas as palavras do trecho do livro “Formação contínua de professores e fracasso escolar: problematizando o argumento da incompetência”, de Denise Trento Souza, que eu li no Contosdeescola.net:

Aqueles que definem as políticas educacionais e elaboram os programas educacionais parecem tomar emprestadas do universo da literatura acadêmica apenas as idéias e análises mais convenientes, que lhes serão politicamente mais vantajosas, tipicamente aquelas que auxiliarão o desenvolvimento de ações de maior visibilidade para o público em geral, em benefício do governo do momento.

Agora, algum TDM vai me dizer que eu não entendo nada de política, que Chalitão é maravilhoso e que a imprensa golpista está querendo denegrir nosso maior bem, a Educação, que foi responsável por fazer nossa IDH ficar bem baixo. Mas o Lucho está feliz. Não teremos pedágio, como nos tempos do Serra (por mim, azar. Nunca teve governo do PSDB aqui, mesmo). Bem, também não teremos uma Educação de qualidade, o que não importa. Não é preciso ter altos estudos para se tirar carteira de motorista.

Pensem nisso ao atravessar uma rua, sim?

Feliz dia de Carl Sagan
O kibe nosso de cada dia

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας