Monge franciscano escreve um livro que serve de guia sexual

E eu que pensei que o Dia da Insanidade foi ontem, com a notícia do Padre Bultmann, digo, Padre Duarte. Mas, pelo visto, me enganei. Isso porque a ICAR está – segundo me parece – aplicando (ops) no entretenimento caseiro e não estou falando de DVDs e sim no mais antigo divertimento da humanidade: sexo.

Um padre polonês (não, não é Copérnico) escreveu algo como um guia prático e teológico (não pergunte) sugerindo como casais casados (obviamente, nos sagrados matrimônios da Santa Madre Igreja Católica Sacananológica Apostólica Romana) podem melhorar sua vida sexual. O objetivo do padre Ksawery Knotz (eu desafio vocês dizerem este nome cinco vezes seguidas sem errar) ao escrever o livro “Sexo como Você não Conhece – para Casais Casados que Amam Deus” foi acabar com as atitudes excessivamente conservadoras de muitos fiéis. Os mais espirituosos já estão chamando a obra de “Kama Sutra Católico”. Você consegue ficar sério diante disso?

O religioso franciscano explica que sexo no casamento não deveria ser enfadonho, e sim “apimentado, surpreendente e cheio de fantasia”. Isso remete a umas questões interessantes. Tudo bem que ele seria da ordem mais indicada para escrever um livro assim, orientando os caasais a seguirem a Oração de São Francisco, que diz que é dando que se recebe. O problema reside no fato que, em princípio, o cara deveria ser celibatário. Como é que ele tem tanta… hã… competência para dissertar sobre o tema, hein? Não que eu imagine que ele se ordenou virgem.

O livro recebeu o apoio da Igreja Católica da Polônia e é um sucesso de vendas. Afinal, religião e sacvanagem são duas coisas que mais dão dinheiro no mundo. E quando se insere (ops de novo) uma coisa na outra, o lucro é estrondoso; a ponto da editora Sw. Pawel já estar preparando mais cópias depois que 5 mil exemplares foram vendidos em poucas semanas. Eu acho que estou no ramo errado…

“Algumas pessoas, quando escutam falar no caráter sagrado do sexo no casamento, imaginam imediatamente que esse tipo de sexo tem que ser desprovido de alegria, brincadeiras e posições atraentes”, escreveu o Knotz no livro. Ele ainda complementa: “Cada ato – um tipo de carícia, uma posição sexual – com o objetivo de excitar é permitido e agrada a Deus. Durante a relação sexual, casais casados podem demonstrar o seu amor de todas as maneiras, (eles) podem fazer um no outro as carícias mais desejadas.”

Knotz acredita que o sexo é uma forma importante de marido e mulher expressarem o seu amor e ficarem mais perto de Deus: “Casais casados celebram o seu sacramento, sua vida com Cristo, também durante o sexo”, escreveu.

“Chamar o sexo de celebração do sacramento do casamento eleva sua dignidade de uma maneira excepcional. Uma declaração como esta choca pessoas que aprenderam a ver a sexualidade de uma maneira ruim. É difícil para eles entender que Deus também quer que eles tenham uma vida sexual feliz e, por isso, deu a eles este presente.”

O padre Knotz ressalta que o livro não diverge da visão da Igreja sobre o sexo. Ele desencoraja o uso de anticoncepcionais, dizendo que “levam um casal casado para fora da cultura católica e a um estilo de vida completamente diferente”. Mas isso tem um certo probleminha, já que sexo, segundo a tosca visão Chatólica, é somente para reprodução. Fuc-Fuc só para fazer filho. Mas aí é demais para as desculpas furadas para esrever o livro, não é mesmo? Knotz rejeita o argumento dos que colocam em dúvida a competência de um monge celibatário para escrever sobre sexo. Ele diz que sua experiência vem do aconselhamento a casais casados e da administração de um website que oferece conselhos sexuais há quase um ano. Mas eu gostaria de saber como se pode dar conselho sobre algo que não se pratica.

Parece pedagogo querendo “ensinar” professor como se leciona.

Dizem as más línguas (ops) que Knotz pretende fazer um guia no estilo documentário (eu tento não usar de trocadilhos…), que nem do Discovery (se bem que Animal Planet seria mais acertado). De repente, ele contrata o Padreco de Santarém…


Fonte: BBC Brasil

10 comentários em “Monge franciscano escreve um livro que serve de guia sexual

  1. A seguir: numa página pertinha de você! sites pornográficos católicos! desfrute do prazer divino nessas empolgantes manifestações de amor ao próximo!
    .
    PS: jah que padres são feios, virgens e frescos, por que nunca foram considerados nerds? a religião serve de proteção pra isso tbm? :shock:

    Curtir

  2. Que irônico! Olha só a frase aleatória que apareceu no “Inspiração”, aqui pra mim:

    A melhor maneira de garantir que a Terra nunca fique superpovoada é os governos justos e sensatos acabarem com todas as formas de heresia e ateísmo.

    — Robert T. Lee (Society for the Practical Establishment of the Ten Commandments)

    OK, e vão fazer isso como? Promovendo sexo sem preservativo?

    Curtir

  3. No livro tem que ter uns conselhos do Padre Duarte, que entende bem mais do assunto “Sexo e leis Católicas”. Afinal, se sexo é somente para reprodução, o primeiro passo é gravar.

    Curtir

  4. “Cada ato – um tipo de carícia, uma posição sexual – com o objetivo de excitar é permitido e agrada a Deus.(..)
    Uiii, o negócio tá evoluindo, logo(bem mais à frente) a camisnha vai ser liberada… :razz:

    Curtir

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s