De redações, políticos e o mundinho das boas intenções

Deve ser o nome do meu site, não sei. Eu gostaria de algumas vezes tomar um pouco do chazinho de teletubies e ver arco-íris em tudo. Não, sérião! Eu queria muito ver esse mar de rosas que os idiotas as pessoas de bom coração insistem que existe. Eu queria vivenciar (sem o auxílio de entorpecentes lícitos ou ilícitos) esse mundo mágico em que tudo é mudado com um simples tema de redação.

O tema da redação do ENEM deste ano abordava a violência contra a mulher, e foi muito legal em ver como as pessoas são idiotas, mesmo estando em dois lados opostos.

Ontem foi a segunda prova do ENEM, com o seu já recorrente festival de gente burra, estúpida e retardada que não consegue acordar na hora ou porque simplesmente abandonou a prova para ir no show de uma tal de Adriana Grande, que eu não sei quem é e, por gentileza, não façam o desfavor de me contar. Mas a provinha vagaba que agora até dá de presente um certificado de Ensino Médio, mesmo que você não saiba porra nenhuma das disciplinas do Ensino Médio, abordou coisas como igualdade entre os gêneros, mencionando até Simone de Beauvoir, desconhecida de 10 entre 10 dos estudantes.

A citação foi:

Ninguém nasce mulher, torna-se mulher. Nenhum destino biológico, psíquico, econômico define a forma que a fêmea humana assume no seio da sociedade; é o conjunto da civilização que elabora esse produto intermediário entre o macho e o castrado que qualificam o feminino

Eu não vou gastar tempo traçando uma biografia de Simone de Beauvoir. Existe internet. Selecione seu nome e manda o Google pesquisar pra você. O que eu quero apontar foram as reações (imbecis) de ambos os lados, ainda que discordando.

Para gente da laia do Jair Bolsonaro, que entendeu que a questão estava AFIRMANDO que não existe mulher (vamos dar um desconto. Estamos falando do Bolsonaro!), essa questão acaba com a moral e os bons costumes, assim como pensa outro baluarte da ética: o pastor Marcos Feliciano, para quem o PT anda fazendo doutrinação.

Sim, eu sei que vocês acharão estranho um pastor reclamar de doutrinação, mas é uma questão psicológica. Ele não vê o que faz como doutrinação. Sua religião manda converter todo mundo ao cristianismo, e até está pegando leve, pois a versão1.0 mandava matar quem rezasse para um deus diferente, fosse respondão, não aceitasse opinião dos mandatários etc. Não que quase não estamos voltando para isso, mas estou me dispersando. Feliciano e qualquer pastor vê sua missão como sagrada. Não é uma doutrinação, simplesmente. É um dever!

Também evitarei discursar sobre a óbvia figura de linguagem usada pela escritora, e não, ela não estava falando de transgêneros. De qualquer forma, eu recomendo que leiam a obra dela.

Já na redação, o tema era "A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira", que muitos interpretaram como violência doméstica, mas há muitos tipos de violência do que meter a porrada em alguém. Também não falarei sobre isso, pois não é o que eu quero apontar, mais uma vez.

O que André quer apontar? Quero apontar que as pessoas estão criando disse-me-disse com um simples tema de redação. Chega o pessoal e começa a espalhar memes retardados como "Machistas não passarão". Minha filha, deixa eu falar que quando fiz concurso para professor eu falei maravilhas de Paulo Freire. Qualquer pessoa inteligente sabe qual é a regra do jogo e segue a regra, pouco se importando se aquilo é o que realmente pensa. Se está difícil entender isso, pergunte a advogados de defesa o que eles acham disso. Ainda mais que, para escrever o texto, os candidatos ganharam de presente vários dados que evidenciava a violência de gênero, dando uma pista do que ele tinha que escrever na redação. Assim fica fácil!

O pessoal engajado acha que o ENEM abriu algum tipo de discussão e que os jovens saíram de lá refletindo sobre o tema. Não saíram. Acham que esse tema melhorará algo na vida das mulheres. Não melhorará. Acham que problemas de discriminação desaparecerá, pois todos foram iluminados com aquela simples frase que serviu de tema para redação, que aceita até receita de miojo! Então, idiotas, o que vocês estão comemorando? Um sofativismo irresponsável, imbecil e mesquinho, saído de apartamentos confortáveis que procuram externalizar preconceitos quando quem sofre mesmo está num trem tendo suas partes hipodérmicas apalpadas. A verdade é que a redação não vai mudar NADA! Mas o pessoal adora migalhas. Uma vez eu escrevi texto dizendo que o Dia Internacional da Mulher não deveria de existir, pois todos os dias deveriam ser delas. Fui xingado, porque a mediocridade é insuficiente, as pessoas querem ficar abaixo disso, ganhando tapinhas e apertos de mão um dia por ano, enquanto chegam em casa e ganham uma porrada porque fez carne assada e o maridão queria macarrão.

Vi um white knight dizer "redação de vestibular é SIM o momento adequado de se propor a discussão de temas que mobilizam". Sim, claro., Discute-se ali, depois esquece-se. No one cares.

É estúpido querer que um simples tema de redação mude uma sociedade, mas o país medíocre como o Brasil vive de migalhas. Algumas candidatas transexuais reclamam de preconceito durante prova do Enem no RJ. E se formos ver os comentários desta matéria, vemos o quanto o tema da redação fez as pessoas refletirem. Mas isso é  oque se deve esperar de um país em que cultura e algo errado, pensamento crítico é igual a ateísmo e qualquer pessoa que pensa merece ir para campos para reeducação.

Quanto aos alunos que prestaram a prova? Sim, eles refletiram muito. Mas agora se preparam com mil maneiras para esquecer o ENEM e todas as questões que ele levantou.

A ingenuidade patética desses imbecis em achar que vivemos num mundinho mágico só tende a piorar as coisas.

35 comentários em “De redações, políticos e o mundinho das boas intenções

  1. Das duas, uma

    Ou eles realmente vivem numa ampola cercado por unicórnios, onde se acredita que um texto muda o rumo da sociedade,

    Ou foi apenas retórica, numa tentativa vã de mascarar a indiferença dos alunos em relação ao tema abordado.

  2. Povo adora um sensacionalismo, uma catástrofe, um dia memorável, essas coisas. Só não adora pensar um pouco, especialmente antes de postar em redes sociais.

    1. Redes sociais (subentenda-se facebosta) não são feitas para se pensar.

      Quem tem mais de dois neurônios não cria uma conta naquele pardieiro.

  3. Do boçalnaro não dá para esperar nada mesmo. Mas pior que o político são os seus seguidores (daqueles que querem que o néscio seja presidente). Qualquer notícia que saia sobre o boçalnaro, lá vai a placa de Petri defender o político e atacar o autor do texto. Qualquer notícia mesmo, até no sensacionalista.

    E só faltava isso. Politizar redação de prova. Aliás, politizar é o cacete. O que querem é enfiar politicagem.

  4. Realmente! Quando vi a enchurrada de comemorações sobre o tema, as comemorações de que machistas iriam zerar a redação, me lembrei da prova do miojo.
    Também me lembrei das explicação de um dos corretores dessas provas sem sentido. Ele dizia: “Tem começo, meio e fim, foi abordado o tema principal e o português está razoável. A redação atingiu seu objetivo.” Ou seja, não é necessário nem fazer uma redação que concorde com a vioência contra a mulher. Basta fazer uma redação no tema.

    PS.: Ariana Grande

  5. Bem só sendo muito imbecil para pensar que um tema de redação irá fazer o pessoal refletir sobre algo. Essa do pessoal deixando de fazer a prova do Enem para poder ir para show nem é novidade, todo ano rolam dessas coisas e para nós que somos professores nem choca mais, pelo péssimo comportamento e total falta de comprometimento que observamos de alguns alunos em sala.

    1. Saudade do tempo em que movimentos sociais se preocupavam em levar lazer, cultura, educação, geração de renda…. Agora basta xingar ou fazer discurso bonito na internet para se sentir politizado, esses parece ser os maiores focos de muitos que vejo por aí.

  6. Fico imaginando se o tema da redação fosse “Disserte um paralelo entre a migração forçada de sírios em 2015 e o deslocamento involuntário de judeus para campos de trabalho durante o regime nazista”

    Simplesmente iriam derrubar os prédios onde ocorreram as provas, seguido de golpe de estado……..

  7. Daqui a duas semanas essa redação estará esquecida sobre um pilha de novas ”discussões ideológicas da vez” então tanto faz.

  8. Pior quando as pessoas dizem com cara de falsa pena: “Você pensa demais…”
    Pensar demais é crime no Brasil.

  9. O povo passa anos na escola e sai sem saber nem metade do conteúdo, por que razão iriam aprender algo com uma questão ou com uma redação? Ninguém vai deixar de ser machista, homofóbico, racista, intolerante com outras religiões, etc, por ter momentaneamente parado para entender a opinião do outro lado. Realmente estão se contentando com muito pouco. Isso me assusta porque não sei se isso é inocência ou burrice ou ainda incompetência. Senso crítico não se constrói de um dia para o outro.

  10. Sério mesmo que a intenção era “fazer refletir sobre o assunto”? Poxa, deu “serto” pois a rede social (sim, essa mesmo) o fez com louvor, porém, de maneira equivocada.
    Ficaremos no aguardo de um possível vazamento de algumas redações (intencionais ou não) para nos deliciarmos com as pérolas que virão pois ao que tudo indica, coerência, concordância, abordagem de tema e outras competências a serem avaliadas em uma redação ficarão em segundo plano.

  11. Meu caro Salustiano. Eu sei que vocês de Humanas têm problemas de interpretação de texto, mas em todo o artigo eu deixei claro que não ia discutir nada de feminismo, sendo o ponto o modo obtuso dos panfletários em achar que uma merda de redação vai mudar alguma coisa.

  12. Não sei pq vcs ficam reclamando disso. Aff! Seus bobocas alienados!

    Pelo menos com isso agora a galera da fosfoetanolamina se distraiu e tá deixando de vir aqui mimimizar afinal, agora só o que se vê nas redes sociais aí são coisas como o “Show dos Atrasados”[1] [2] [3], memes (criaram até joguinho: “Os portões estão fechando, será que vc consegue chegar a tempo?”), textículos filosóficos e gente dizendo (com orgulho!) que vão ter que fazer a prova pela quinquagésima sétima vez ano que vem…

    1. Pressinto um caos iminente aqui em casa… Vejo projéteis metálicos com cabos de plástico indo de encontro ao crânio de minha pessoa.

      Melhor garantir que as panelas estejam limpas, ao menos…

      1. É só você perguntar pra ela se ela fez alguma coisa na pele:
        “-É que está tão bonita, querida! Vc é linda!”
        ou perguntar se ela emagreceu porque tal roupa está linda nela… Ou então, a melhor de todas:
        Faça brigadeiro de colher pra ela!
        ;)

        True story.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s