Encontrada bactérias no corpo de Ötzi

Lá e de Volta Outra Vez ou "Quando caminhamos em outro mundo"
As misteriosas luvas-garras peruanas

Ötzi era um cara bem legal. Só não se sabe se ele gostava de mulher. Conhecido como o Homem do Gelo, Ötzi deixou-se para a posteridade, tendo hoje 5300 anos, mas com corpinho de 5280. Cientistas o estudam até hoje e, claro, você clicou no link acima apontando para o artigo em que eu falo sobre ele, né? Então vai lá, eu espero.

Foi? Muito bem, bom garoto! Agora, uma biópsia mostrou uma coisinha não tão legal. Ötzi estava com o bicho-ruim dentro do corpo. Não, não era Satanás, era um trecho de DNA que não pertencia a ele. Seriam os reptilianos vindo sorrateiramente para o nosso planeta? Os Invasores de Corpos? Não o que penetrou (Ui!) no corpo do Ötzi foi…

O Treponema denticola. Esta desgraça é uma bactéria anaeróbia gram-negativa, altamente proteolítica, isto é, com alta capacidade e degradar proteínas e considerada um dos principais agentes etiológicos da periodontite. Treponemas, apesar do nome maneiro (eu colocaria o nome de meu cachorro de "Treponema"  e o levaria para passear, apresentando-o a todo mundo), não são coisinhas que você queira ter dentro e você. Aliás, muito poucos seres vivos e gostaria de ter dentro de mim, e nenhum deles é pluricelular.

O dr. Frank Maixner trabalha no Instituto para  Múmias e do Homem de Gelo, no Europäische Akademie Bozen (EURAC), na província autônoma de Bolzano. Ele e sua equipe já tinham sequenciado o genoma de Ötzi, a partir de uma amostra de osso do quadril. No big deal. Só ue em outra amostra, foi encontrada uma sequência que não pertence originalmente a Ötzi. Não pertence nem a um ser humano. É um invasor, o alemão chegou pra abalar!


GOOOOOOOOOOOOOL DA ALEMANHA!!!

A amostra com massa de cerca de 0,1g trouxe evidências da presença de Treponema denticola, o que pode significar que Ötzi, o picolé humano tinha doença periodontal. o que reforçaria o diagnóstico que o Ötzi, o tinha peridontite, feito anteriormente.

O DNA-que-veio-para-jantar pode não dizer tudo, mas nos diz muita coisa. Bactérias são algo que estamos mais que acostumados. Você vive a mais tempo com bactérias do que com seu cônjuge! Elas vivem dentro do nosso corpo, e se não fosse por elas, nós sequer existiríamos, pois elas são muito necessárias em nosso metabolismo. O problema é quando dá uma espécie de desequilíbrio ecológico interior, e elas passam a te atacar, como é o caso das bactérias do gênero Clostridium, que são encontradas na água, flora do trato gastrointestinal do Homem e diversos animais, e que quando surta nos causa muitas doenças. Ainda assim, está lá e é melhor deixá-la em paz. Você não gostará de vê-la irritada.

A pesquisa foi publicada no periódico PloS ONE e pode desempenhar um papel significativo no futuro da conservação da múmia que entrou numa fria, bem como é a nossa interação entre nós e nossas priminhas sem pernas.

Lá e de Volta Outra Vez ou "Quando caminhamos em outro mundo"
As misteriosas luvas-garras peruanas

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!