As viagens do Sol, meu querido Sol

O chato de brincar com o texto é que em 99% das vezes as pessoas não captam a brincadeira. Se bem que minha filha percebeu e achou muito engraçado o texto sobre a aparência do Sol. Bem, isso é o que vale. O viajante em chamas que não está em chamas brilha em nosso céu diariamente, todos os dias, salvo os nublados, por motivos mais que óbvios. Seu movimento aparente foi a base da contagem de tempo de muitos povos, pois até os egípcios dividiam o ano em 365 dias, mas os romanos acharam que eram mais do que a Natureza e apenas dividiam em 360 dias. Precisou Júlio César colocar ordem na bagunça.

Com o passar do tempo, vemos que o Sol nunca está na mesma posição à mesma hora, e os árabes sabiam disso, mas esqueceram de contar para alguns pobres coitados que ainda acham que a Terra não gira ao redor do Sol.

A foto a seguir não é uma foto de um sistema planetário esquisito com vários sóis. É a Terra e o nosso Sol, em várias fotos sobrepostas. As fotos foram tiradas no Equinócio da Primavera (ou Solstício de Inverno do hemisfério norte), mais precisamente do dia 29 de setembro de 2011 até 09 de setembro de 2012, na região da cidade de Kitzeck, Áustria.


Clica que cresce.

A curva descrita é chamada Analemma e mostra os vários pontos do Sol, que são bem compreendidos quando examinamos todos os movimentos da Terra ao passar do ano. Na parte superior, temos o Solstício de Verão (para eles. Para nós é Equinócio de Primavera)

Nossos dias, aqui embaixo, ficarão maiores. Veremos o Sol mais cedo e o cumprimentaremos até mais tarde. Ele estará mais presente em nossas vidas, até que no solstício de inverno ele fique mais frio e distante de nós, mortais, embora ele não precise ficar nos paparicando sempre, e isso é o mais legal de tudo.

Para finalizar, nosso Sol é realmente fantástico, mas não é o único. Abaixo, um vídeo me trazido pelo @lealcy mostrando que nosso Sol não é tão grande assim:


Fonte: APOD

11 comentários em “As viagens do Sol, meu querido Sol

  1. Nossa, aquele vídeo sobre a Terra não girar ao redor do Sol é “super científico”… Pior que o herege lá se atreveu a usar Greensleaves de música de fundo. Ótimo artigo!

  2. Quão egocêntricos somos em achar que temos alguma posição de destaque no universo. Embora o vídeo em questão trate apenas de dimensões, o que para mim não significa tanta coisa, tendo em vista até a quantidade de matéria do cosmo, faz refletirmos um pouco sobre como somos pequenos.

  3. Não é por nada não, André, mas se no Hemisfério Norte é SOLSTÍCIO de Verão, no Sul não é Equinócio de Primavera e sim SOLSTÍCIO de Inverno.

    Regra básica: Equinócio/Equinócio e Solstício/Solstício.

    1. @marciel,
      Acho que o André quis dizer que a altura do Sol quando é Solstício de Verão na região de Kitzeck, Áustria e igual a altura do Sol quando é Equinócio da Primavéra aqui na região Sudeste.

      1. @Victor Hugo, Victor,a latitude da cidade austríaca é de aproximadamente 47,5 N.No dia do solstício de verão no hemisfério norte,o sol se encontra sobre o trópico de câncer,isto é 23,5N.Portanto o sol nesse dia está 24 graus ao sul do meridiano local de Kitzeck(47,5-23,5).No equinócio,seja ele de primavera,ou outono,o sol se encontra sobre o equador celeste(0 grau).Aqui em BH,por exemplo estamos a 20 graus de latidude sul.No dia do equinócio,o sol estará a 20 graus ao norte do meridiano local da minha cidade.Portanto,a diferença entre as alturas do sol nessa comparação entre as duas cidades,está em 44 graus(24+20).

  4. Andre,acho que você trocou as bolas.Se temos o solstício de verão para eles no hemisfério norte,teremos então o solstício de inverno no hemisfério sul.E se for equinócio de primavera no norte,teremos equinócio de outono no sul.

  5. Nunca me aprofundei muito, mas já vi mapas astrológicos onde o Sol e outros astros giram em torno da Terra. Talvez um dia eu pesquise o porquê desta representação (Será que eles os humanos são a razão de tudo?)

    Ah, Sirius A é tão linda.

    1. @Apocalyptica, a retrogradação aparente dos astros (aka. Planetas) em contraposição aos “luminares” (Sol/Lua) já era um indício de que o modelo geocêntrico não funcionava na prática.

      E a tentativa de Ptolomeu de tentar combinar a visão aristotélica do geocentrismo com os dados que mostravam o movimento aparente de retrogradação foi um tremendo FAIL que perduraria durante séculos entre os “pensadores”.

      1. @marciel, Certa vez expliquei isso usando o exemplo de Marte para um Engenheiro. Além de ficar boiando ele me falou que eu só sabia disso pq gostava do assunto. E disse isso em um tom muito estranho, parece até que eu tinha culpa de saber disso. :shock:

  6. Depois que eu finalmente li o básico do Hawking, nada mais me surpreende em tamanho no universo. Somos nada, mero grão de areia em uma praia qualquer.

    A foto em questão é muito interessante e divertida. Da para pensar que a terra está em uma gangorra observando o sol :)

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s