Projeto de Lei obriga alunos da rede pública a assistir filmes nacionais

cinema.jpgEu sempre fiquei meio com um pé atrás com relação ao Cristóvam Buarque, mas agora ele provou definitivamente que pirou na batatinha, surfou no iogurte e deslizou no purê. Segundo seu projeto de lei, alunos da rede pública de ensino serão OBRIGADAS a assistir a filmes brasileiros, no prazo de um mês, no mínimo 2h!

Esta é sua QUINTA INSANA!

Buarque deve receber comissão de produtores nacionais para ter uma ideia dessas. Segundo ele, essa exibição passa a ser um dos componentes do currículo escolar, com o objetivo de “disseminar a cultura na rede pública a um custo reduzido e despertar nas crianças o interesse pelas produções nacionais”. Para o tolinho, cinema é cultura e escola que se preze tem que passar aquele monte de merda produzida aqui. Com qual intuito? Formar pessoas com gosto pelo cinema? Despertar o desejo pelo aprendizado? Acender a chama que ilumina a fome cultural de cada um? Ou bancar o retardado, pois ele nunca fez nada que preste quando foi ministro? A escolha é de vocês.

Se Cristóvinho fosse professor (o que ele não é, nunca foi e nunca será), ele saberia a merda que é fazer 60 (sim, SES-SEN-TA) alunos sentarem o rabo nas carteiras e ficarem quietos. Isso SE os alunos fizessem isso, só que não fazem. Muito mal se consegue passar o conteúdo (sim… quando se consegue passar alguma coisa). Mas na mente de Cristovinho, os lindos amores estão ávidos pelo saber e, de acordo com discurso transmitido pela Rádio Senado: “Escola sem cultura não é escola. É difícil fazer teatro em todas as escolas, mas cinema é perfeitamente possível. Com isso, a gente vai criar uma demanda para os filmes no futuro. Quando essas crianças crescerem, vão começar a ir ao cinema com mais frequência, entender e gostar mais dos filmes brasileiros”.

Cristóvam, CRISTÓVAM!!! Os moleques JÁ VÃO ao cinema. Alguns até em cinemas pornô (sim, meu filho, adolescente faz sexo, pode ficar horrorizado). Acha que OBRIGANDO os fedelhos a assistirem um monte de filme merda fará o quê? Que eles fiquem fazendo besteira durante a exibição, falarão nos celulares ou encherão o saco do professor (isso se não roubarem o DVD Player e vender o filme na Uruguaiana por dez merréis). Que mente tacanha e despótica que se diz viver numa democracia e quer obrigar os alunos e professores a assistir produções… quais produções? Documentários? Como quais? Semelhantes aos da BBC e da National Geographic? Eu ficaria muito feliz se pudessem passar documentários como Química, uma história volátil, que por respeito a direitos autorais, eu nunca divulgaria nenhum meio de baixar os episódios legendados e em perfeita qualidade. Também nunca divulgaria nenhuma forma de baixar a série completa da BBC Vida, com 10 episódios, mesmo que estivessem com excelente qualidade, devidamente legendados. Eu nunca mencionaria que existe um site só sobre documentários para baixar.

Buarque acha que os alunos ficarão maravilhados com nossa vasta gama de filmes e documentários. Afinal, isso é cultura, apesar das bibliotecas, quando existem, não tem nada que preste e os professores não podem trabalhar, pois os alunos estão praticamente analfabetos, dada as famosas progressões continuadas, que o MEC sugeriu que passasse a ser obrigatória em todas as escolas, tanto públicas quanto particulares.

Se ao invés de se preocuparem com estas besteiras e implantassem um ensino agressivo e intenso, muita coisa mudaria. Que tal aulas de OSPB, mas não os ufanismos do tempo da Ditadura, que por sinal o Lula está fazendo igual? Sim, porque os alunos chegam no Ensino Médio sem saber a difrerença entre um senador, um deputado, o Cristóvam Buarque e seres humanos, achando que é tudo a mesma coisa. Que tal aulas de Direitos do Consumidor ou Fundamentos da Legislação Trabalhista? Que tal um ensino decente de Ciências? Que tal obrigatoriedade de Vale-Transporte para professores? (pois é, professor paga a passagem do próprio bolso, mesmo ganhando o salário ridículo que ganha). Que tal implantar respeito nos colégios, acabando com disciplinas inúteis tipo Filosofia, que não adianta de nada? Que tal pegarmos os políticos e executarmos em praça pública, televisionando a fim de divertir o povo? Eu tenho ideias muito melhores.

Na reportagem da Folha, foram consultar duas pedagogas retardadas (desculpem pelo pleonasmo) e uma delas disse do alto de sua estúpida idiotice: “O professor precisa aprender a escolher bem os filmes assim como está aprendendo a escolher os livros didáticos. Ele tem que saber da qualidade dos filmes de acordo com a faixa etária com que ele vai trabalhar”.

Se ela não fosse idiota, não seria pedagoga. Acontece, dona Rotta Furanette (nome ridículo para uma pessoa ridícula, especializada numa pseudoprofissão ridícula), que professores NÃO ESCOLHEM os livros didáticos.Os alunos nem tem livros, muitos nem caderno tem (mas chegam nos colégios com “cerurar”, enquanto outros vêm armados, mesmo). Trabalhamos com o que dá. Onde lecionei, nem máquina de xerox tinha, as professoras usavam a moderna tecnologia chamada mimeógrafo! Ademais, quem precisa de livro? Os alunos não conseguem ler mais do que uma linha, mesmo. Isso podemos ver pelos idiotas que caem de para-quedas aqui e em muitos blogs.

No site d’O Globo, os comentários conseguem ser mais imbecis que a notícia, como este: “Que belo retrato da classe média ignorante esses comentários… Vêem sexo, amor e traição, tropa de elite e dois filhos de francisco e acham que conhecem o cinema brasileiro contemporâneo… há um mundo além do que é noticiado no globooline, saibam…”

Mais um bolchevique de shopping criticando a classe média, só porque falam o óbvio: Filme brasileiro é um lixo! Só falta quererem ensinar Mitologia Grega através do filme Fúria de Titãs (que, por sinal, o Kraken não é um personagem da Mitologia Grega e sim Nórdica, senhores produtores).

De minha parte, só falo uma coisa: Ano de eleições: tenho nojo de ti!

20 comentários em “Projeto de Lei obriga alunos da rede pública a assistir filmes nacionais

  1. Comecei a ler e pensei: “ótimo, nenhum pedagogo apareceu, menos mal” mas de repente, *PUFF* surge um pedagogo na matéria e fala merda.

  2. Isto é um absurdo total, mas não é de ficar surpreso, pois já perceberam, os ignorantes neuróticos assumiram o poder. Ao invés de formarmos cidadãos com o aparelho cognitivo-perceptivo mais crítico, passou a lei a reger sobre questões que não é de sua alçada. E digo mais não resolvera jamais o preconceito por decreto ou lei.

    Prisão para quem chamar algum de veado.
    Prisão para quem chamar alguém de preto.
    Sistemas de cotas para negros nas faculdades.
    Abraçar e beijar em praças e etc.. é visto como assédio sexual.
    Chamar uma mulher de gostosa é assédio

    Vai chegar um dia em que haverá a seguinte lei.

    “Não haverá mais fome, analfabetismo, doença e pobreza no brasil.
    E quem fizer alguma reclamação em relações aos itens citados,
    vai preso”.

    Nossos políticos e a nossa sociedade são formados de imbecis e idiotas,
    e a criança do futuro será reflexo disso.

    É uma pobreza absoluta.

  3. Esse país é tão lixo, que eu aprendi bem mais sobre o Brasil com outro país ao invés de com o próprio Brasil. Foi quando assisti ao documentário da BBC, Brazil Brazil.

    Agora, por que diabos o Brasil não cria documentários de qualidade como esse? Será preciso que emissoras estrangeiras contem nossa historia?

    Aquele progaminha ridiculo chamado globo reporter já deveria ter acabado há muito tempo. Sendo que muitas vezes é exibido produções de outros países. Agora eles querem obrigar os alunos a verem filmes nacionais? Por que não novela, então? Daria no mesmo.

    E falando de documentários, eu recomendo bastante aos poucos que possuem cérebro, a assistir esse Química uma historia volátil. E também Sangue e Vísceras a história da cirurgia.

    Deus, preciso logo ressuscitar meu blog. Maldito curso demorado!

  4. Já existe conteúdo fornecido pelo governo que os alunos deviam assistir. Devo ser um dos poucos mortais que assiste, mas pulando de canal e canal, às vezes, paro na TV Escola. Já vi muitos documentários interessantes que superam até os documentários do History Channel, Discovery e Nacional Geographic – estes, na minha opinião, estão cada vez mais indo na direção do gosto popular por idiotices.

    Como não sou professor, acho uma chatice os comentários referentes ensino, conversas dos professores como “explorar” um vídeo e outras coisas pedagógicas. Mas acho que a TV Escola é o modelo certo e deveria existir maior investimento nela – principalmente se a TV digital realmente vingar e permitir que exista um canal de documentários independente.

    Em relação aos filmes, acho que a “A Dama da Lotação” seria uma ótima escolha para estudo da política de trânsito brasileira.

    1. Há muito tempo, fizeram uma série que eu chamo “Cosmos Com Sérias Restrições Orçamentárias” de nome OLHANDO PARA O CÉU. Vale muio a pena ver.

      Os documentários do History e do Discovery tem hora que são uma lástima que chega a dar raiva, mesmo pq são canais que visam audiência e divulgam um monte de insanidades como UFOs, Paranormalidade e outras bobagens. Gosto dos documentários da NatGeo, mas nem todos (não se pode agradar 100%) e os da BBC tbsão ótimos (apesar que o A História de Deus foi um verdadeiro lixo).

  5. Quando eu estava no colégio, algum gênio inventou um negócio chamado “hora da leitura”…que não era 1 hora claro, eram uns 20-30 minutos em que todas as aulas eram suspensas para que os alunos pudessem ler alguma coisa…mas a gente era OBRIGADO a estar portando um livro, senão vinha a punição, não valia revistas, quadrinhos (ta bom, não são livros, mas é leitura não é?)e as apostilas/livros didáticos igualmente PROIBIDAS!

    Meu, que merda, cinema nacional é uma bosta, e ficam inventando, agora os alunos vão ser obrigados a verem filmes nacionais…meu, pra você ver o “niví” do nosso cinema, só obrigado mesmo, ou com sessões a 2 reais!

  6. Desculpe meu comentário, mas agora todos saberão quem é Rita Cadilac e companhia…. Não enxergo alunos assistindo filmes brasileiros… O cinema nacional é pobre. Se muito houver, é isso que tende a acontecer. Me desculpem.

  7. Pelo que eu entendi, seria obrigação da escola OFERECER o filme (brasileiro). Se o aluno vai assistir ou não, é escolha dele. Pelo menos foi o que ele disse no twitter:

    1. @filipesmg,
      É o que ele está dizendo, agora, mas o que está no projeto dele?
      Vamos ver a redação da emenda que altera o PL nº 185, de 2008:

      ……………
      “§ 7º A exibição de filmes de produção nacional constituirá componente curricular complementar integrado à proposta pedagógica da escola, sendo a sua exibição obrigatória por, no mínimo, duas horas mensais. (NR)”


      Na justificativa do projeto dele ele não fala nada sobre a possibilidade de “assistir quem quiser”, mas da formação de “uma massa de cinéfilos que invadam nossos cinemas”; agora que os críticos estão batendo nele, ele tenta fugir pelos cantos.
      A exibição é obrigatória, isso fica claro; se ele queria dizer que comparecer às projeções é opcional, poderia ter utilizado uma melhor técnica legislativa, para deixar isso claro… o que lembra que esse povo NÃO é claro quando quer.

      Notícia do Senado Federal:
      http://www.senado.gov.br/jornal/noticia.asp?codNoticia=96789&dataEdicaoVer=20100525&dataEdicaoAtual=20100525&codEditoria=22&nomeEditoria=Comiss%C3%B5es
      Projeto para consulta, no Senado Federal:
      http://www.senado.gov.br/sf/atividade/materia/detalhes.asp?p_cod_mate=85084

      1. @Joseph K,
        É verdade, se “constinuirá componente curricular”, é porque é obrigatório para o aluno. Se for assim, eu também não concordo. De qualquer forma, acho interessante ele perguntar o que as pessoas acham no twitter.

        O que eu gosto do Cristóvam Buarque é que ele reconhece que temos que mudar a educação para o país progredir. Acho que deveria ser a prioridade número 1 dos governos, e não é nem 1ª, nem 2ª, etc.

        1. @filipesmg,
          Educação é importante. Fato.
          O que é educação?

          Balé, cinema, literatura, artes plásticas, poesia, escultura, música… educação ou cultura? Onde está a linha separatória?
          Vivência e opções pessoais ou imposição estatal?

          No meu modo de ver a situação, o problema, em si, não é a obrigação de se assistir “Grande Sertão Veredas”, mas a mania do Estado (leia-se, políticos e seus “técnicus”) de praticarem a ingerência (leia-se, meter o bedelho) na vida das pessoas. Leis sobre como educar seus filhos, como se comportar…

          Lidar (conviver) com o assistencialismo e paternalismo não é fácil.
          2010: ano de votos, memória refrescada, povo.

  8. Muito bom artigo, se superou, os artigos sobre educação daqui são muito bons porque mostra o ponto de vista do professor.

    […]Que tal aulas de Direitos do Consumidor ou Fundamentos da Legislação Trabalhista? Que tal um ensino decente de Ciências? Que tal obrigatoriedade de Vale-Transporte para professores?[…]

    Apoiado, eles poderiam melhorar e muito o sistema de ensino, falta muito interesse mesmo, afinal, sabe assinar o nome, já pode votar. (e é mais fácil de enganar)

    Só uma observação para alguns erros de digitação
    Quarto parágrafo: […]carteiras e ficarem quitos.[…]
    Quinto parágrafo: […]Acha que OBRIGADO os fedelhos a assistirem[…]
    Sétimo parágrafo: […]obrigatoriedade de Vwele-Transporte para professores?[…]

  9. Cara, muito bom texto. Você descreveu perfeitamente a situação que nós professores vivemos na rede pública. Salas lotadas, alunos analfabetos no ensino médio, pressão por aprovação desses paquidermes. E ainda tem os pedabobos com suas lindas e brilhantes teorias que só se aplicam ao seu mundo de faz de contas. Só não concordo com o que voce disse sobre a Filosofia, pois ela foi o berço de todas as Ciências. Quanto ao Cristovam, apesar de ser um político (o que já levanta fortes suspeitas contra ele), vejo-o como um dos raros dessa classe que se preocupam com a questão da Educação no Brasil.

    1. Concordo que muito, muito tempo atrás, a Filofia n]ao era apenas o berço da Ciência, era a própria essência científica, já que Filosofia significa, etimologiamente, amizade à sabedoria. A chamada “Moderna Filosofia” tornou-se algo vazio. Um monte de pseudointelectuais citando um monte de outros pseudointelectuais perdidos no tempo. Isso vai de encontro ao que o próprio Voltaire proclamava: PENSEM POR SI MESMOS!

  10. Hora, pessoal sem graça!
    Teremos muito mais alunos interessados nas aulas!
    Imaginem seus filhos de 13 anos sabendo muito sobre anatomia(a feminina, é claro) após assistirem Ariella,Jeitosa ou Super fêmea. :mrgreen:
    Vai ser difícil haver faltas nos dias da “sessão nacional”…é uma forma de combater a evasão escolar! :cool:

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s