Fosfoetanolamina: a novela continua com os retardados de sempre

Os seixos viajantes de Marte
Ciência com o pires na mão... De novo!

Ainda ontem, alguns idiotas estavam falando besteiras sobre a fosfoetanolamina (e já publicamos sobre isso antes), e como as companhias farmacêuticas querem deixas as pessoas sofrendo, enquanto o governo precisa disso para controlar a população, como se ela não fosse idiota o suficiente. A USP foi obrigada, por via de liminares, a entregar esta substância a doentes, pois estas pobres criaturas enganadas se apegam até a última esperança. Eu entendo, mas isso não muda certos fatos: como isso ser uma grossa mentira.

A FIOCRUZ se pronunciou e agora foi a vez da USP.

Como as pessoas são extremamente burras, estúpidas, ignorantes e avessas à Ciência (afinal, somos o país que odeia Ciência), reproduzirei aqui o comunicado da Fundação Instituto Oswaldo Cruz:

Em função de informações equivocadas que estão circulando na imprensa, pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) esclarecem que o medicamento feito a partir da substância química fosfoetanolamina, apresentado como uma alternativa terapêutica para diversos tipos de neoplasias (câncer) por cientistas do Instituto de Química da Universidade de São Carlos (USP), ainda necessita de uma série de estudos para ser considerado eficaz ou seguro para o uso clínico. Em novembro de 2013, a Vice-presidência de Produção e Inovação em Saúde da Fundação realizou uma reunião com a equipe da USP para conhecer o projeto de desenvolvimento do medicamento. Na ocasião, o grupo manifestou a intenção de identificar um laboratório para a produção, em escala industrial, das cápsulas contendo o sal de etanolamina, que já teria sido utilizada em pacientes com diversos tipos de neoplasias e teria apresentado resultados bons resultados.

A Fiocruz ressalta que, para determinar se a substância é ou não uma alternativa terapêutica para o combate a neoplasias ou qualquer doença, são necessários, primeiramente, estudos precedidos de aprovação do Comitê de Ética (Conep), com protocolo de pesquisa clínica aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Portanto, ainda não é possível levantar considerações ou garantias, sem uma série de estudos pré-clínicos e clínicos, sobre a eficácia e a segurança terapêutica do uso clínico de cápsulas com sal de etanolamina no combate ao câncer.

No que se refere à patente da substância, a Fiocruz destaca que não realizou o pedido da mesma aos pesquisadores da USP, não sendo este o procedimento administrativo necessário para a realização dos estudos em questão. Para uma possível produção pública de cápsulas com sais de etanolamina, após a fase de estudos já descritos, o licenciamento da substância poderia ser passado a um laboratório oficial. No entanto, preliminarmente, diferentes problemáticas referentes a propriedade intelectual, que não dizem respeito à uma possível participação da Fiocruz em qualquer parte do processo, devem ser resolvidos pelos pesquisadores da USP e/ou instituições envolvidas no desenvolvimento do medicamento com a substância em questão.

Sem testes clínicos, nada de permissão da ANVISA. Sem permissão da ANVISA, nada de medicamento. Então, se algum juiz foi boçal o suficiente para conceder liminar obrigado a USP a dar o pseudo-medicamento (já vou dizer porque o "pseudo". Nem remédio isso é ainda), ele simplesmente está violando normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, estabelecidas sob a forma de lei, e ninguém é obrigado a fazer nada senão em virtude de lei.

ENTENDERAM???

Não, né?

A USP também divulgou comunicado, o qual segue abaixo:

Os fatos sobre a fosfoetanolamina

Fosfoetanolamina não é remédio

A Universidade de São Paulo (USP) foi envolvida, nos últimos meses, na polêmica do uso de uma substância química, a fosfoetanolamina, anunciada como cura para diversos tipos de cânceres. Por liminares judiciais, a Universidade foi obrigada a fornecer o produto para os que a solicitam. Em respeito aos doentes e seus familiares, a USP esclarece:

Essa substância não é remédio. Ela foi estudada na USP como um produto químico e não existe demonstração cabal de que tenha ação efetiva contra a doença: a USP não desenvolveu estudos sobre a ação do produto nos seres vivos, muito menos estudos clínicos controlados em humanos. Não há registro e autorização de uso dessa substância pela Anvisa e, portanto, ela não pode ser classificada como medicamento, tanto que não tem bula.

Além disso, não foi respeitada a exigência de que a entrega de medicamentos deve ser sempre feita de acordo com prescrição assinada por médico em pleno gozo de licença para a prática da medicina. Cabe ao médico assumir a responsabilidade legal, profissional e ética pela prescrição, pelo uso e efeitos colaterais – que, nesse caso, ainda não são conhecidos de forma conclusiva – e pelo acompanhamento do paciente.

Portanto, não se trata de detalhe burocrático o produto não estar registrado como remédio – ele não foi estudado para esse fim e não são conhecidas as consequências de seu uso.

É compreensível a angústia de pacientes e familiares acometidos de doença grave. Nessas situações, não é incomum o recurso a fórmulas mágicas, poções milagrosas ou abordagens inertes. Não raro essas condutas podem ser deletérias, levando o interessado a abandonar tratamentos que, de fato, podem ser efetivos ou trazer algum alívio. Nessas condições, pacientes e seus familiares aflitos se convertem em alvo fácil de exploradores oportunistas.

A USP não é uma indústria química ou farmacêutica. Não tem condições de produzir a substância em larga escala, para atender às centenas de liminares judiciais que recebeu nas últimas semanas. Mais ainda, a produção da substância em pauta, por ser artesanal, não atende aos requisitos nacionais e internacionais para a fabricação de medicamentos.

Por fim, alertamos que a substância fosfoetanolamina está disponível no mercado, produzida por indústrias químicas, e pode ser adquirida em grandes quantidades pelas autoridades públicas. Não há, pois, nenhuma justificativa para obrigar a USP a produzi-la sem garantia de qualidade.

Os mandados judiciais serão cumpridos, dentro da capacidade da Universidade. Ao mesmo tempo, a USP está verificando o possível envolvimento de docentes ou funcionários na difusão desse tipo de informação incorreta. Estuda, ainda, a possibilidade de denunciar, ao Ministério Público, os profissionais que estão se beneficiando do desespero e da fragilidade das famílias e dos pacientes.

Nada disso exclui, porém, que estudos clínicos suplementares possam ser desenvolvidos no âmbito desta Universidade, essencialmente dedicada à pesquisa e à ciência.

ENTENDERAM, SEUS IGNORANTES ESTÚPIDOS?

È apenas uma substância. Não é remédio, não passou por teste clínico, não passou por teste em seres vivos, nem mesmo num rato de laboratório ela foi aplicada, seus imbecis! No máximo, foi testada in vitro, numa placa de petri. Mas como a população brasileira ODEIA CIÊNCIA, não consegue entender fatos básicos. Uma população de um país que contrata médiuns pra controlar o tempo, premia rezadeiras como patrimônio e distribui cartilhas para um bando de tia semi-analfabeta para trabalhar como parteira só pode causar esse tipo de desinformação.

Porque, "U-AU! Vamos deixar de faturar gazilhões de dólares, ganhar um prêmio Nobel e foder com a concorrência para vendermos aspirina". Tenho plena certeza, seus idiotas, que a Bayer pensa assim. A Glaxo gasta uma caralhada de dinheiro com equipamentos de última geração para fazer remedinho vagabundo, quando podia ferrar com todos os seus concorrentes.

Mas não. Os especialistas interneteiros que não conseguem nem escrever um período simples e uma oração absoluta querem palpitar sobre algo que não entendem. O governo quer manipular e controlar a população? PARA QUE? Ela é tão burra que elege um Jair Bolsonaro, um Marco Feliciano e um Eduardo Cunha. Tenho plena certeza que a bancada religiosa sai com um teco-teco espalhando chemtrails para fazer com que as pessoas fiquem retardadas o suficiente para eleger aquela camarilha.

Controlar o que? A mente das pessoas? Com o cérebro de ervilha que a população exibe, não é preciso muito. Pessoas ignorantes que se informam por vídeo babaca de YouTube, sem fonte alguma, despejando verborragia retardada, dirigida à população conspiracionista que não consegue ler mais que duas frases, já que somos um país em que o analfabetismo funcional impera. Então essa porcaria funciona? Antes de virem comentar, só direi uma coisa:

SHOW ME THE PAPER!

Os seixos viajantes de Marte
Ciência com o pires na mão... De novo!

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • Jan Mozol

    é da outra?Marley acreditava na outra semente!

    NestorBendo respondeu:

    Dafuq did I just read…

    Jan Mozol respondeu:

    leia sobre do que Marley morreu….e vai entender.

    NestorBendo respondeu:

    Nó nas tripas?

  • vc é um pandego! Onde o comunicado da reitoria invalidou o PAPER do cara?Veja as datas, vá no Jornal dos mestrandos…

    A dissertação dos mestrandos é algum teste clínico?

    reconheça, falou asneira.Efetivamente ele completou o mestrado e ainda fez Medicina , além de Quimica, Veja o Lates dele!

    Mas quem pesquisa a ação dela no câncer não é ele. 🙂

    Agora homeopatia…kkk eu também li um sobre reencarnação, aliás, nós , contibuintes, pagamos pesquisas sobre espiritismo e reencarnação….

    Além de cartilhas para parteiras e prêmios para benzedeiras.

    Sou e estou com vc, mas atacar o mestrado do cara não teve fundamento.Não deixe sua emoção sobrepor sua razão.

    Eu não ataquei. Releia, sim?

  • Eu respeito sua opinião, mas, há algumas informações importantes que não foram mencionadas no texto. Por exemplo, a fosfoetanolamina é uma substância encontrada naturalmente em nosso organismo.

    Ácido clorídrico também. Bebe um pouco.

    Ela é comercializada há mais de 50 anos nos EUA na forma de um sal como suplemento de cálcio (chamado EAP-calcium)

    O que é totalmente irrelevante.

    inclusive atualmente ela vem sendo estudada quanto ao seu efeito potencial na esclerose múltipla.

    O que é totalmente irrelevante.

    E foram realizados estudos in vivo sim (ratos), no Google é possível encontrar alguns deles, como este

    Câncer de rato. Agora falta testar em coelhos, cães, primatas e seres humanos. Daqui a uns 20 anos a gente descobre algo.

    Quantos cientistas, pesquisadores e afins não foram chamados de loucos ao mostrarem ao mundo suas invenções?

    Como os que criaram a teoria do flogístico, os sólidos platônicos, a teoria da geração expontânea, astrologia, numerologia, frenologia etc. Newton inventou 7 cores do arco-íris para justificar numerologia e Blaise Pascal era um fanático que tentava atribuir todas as causas a Deus e Einstein inventou uma constante cosmológica porque o Universo tinha que ser como ele queria, Lavoisier insistiu que a luz é um elemento químico, Ponce de Leon tentou achar a Fonte da Juventude, Percival Lowell disse que havia uma civilização em Marte, criacionistas da Terra Jovem insistem que a Terra tem menos de 6000 anos e… quer que eu continue? A lista é grande!

    Eu penso que quem trabalha na área da pesquisa deve ser o exemplo. Não dá pra dizer com certeza se uma substância funciona ou não sem os devidos testes e estudos. Abraços.

    E eu acho que você devia reler o artigo para entender do que ele trata.

  • Fernando W William

    Burro pra caralho, não é bem assim, o produto ja existe a 25 anos e ja foi testado por centenas de pessoas e aprovado em animais e feito por cientistas não por indios. Em certos casos funciona sim. Foda se vc q prefere esperar 15 anos a anvisa aprovar e sua mae morrer disso.

    Pryderi respondeu:

    Só um pedido

    Leandro, o Almeida respondeu:

    Não há evidências científicas de que essa substância seja capaz de ajudar no tratamento contra o câncer, meu filho.
    A menos que vc nos traga estudos sérios e transparentes provando sua segurança e eficácia.

  • “Espiritismo: Ciência e Filosofia”

    Link de publicação científica que é bom, vocês não trazem. Nem podem, já que não tem nenhum teste clínico. Pega seu vídeo de grupo espírita e enfie no rabo

  • Marisa

    Nooooosssaaa, como existem teleguiados aqui!!!! Vocês se acham tão esclarecidos que dá até pena. Mesmo que a Fos não seja tudo o que parece ser, vocês não deveriam menosprezar os depoimentos sinceros e cheio de esperança de pessoas que estão a beira da morte, pois um dia poderão ser vocês, ou seus pais, filhos, maridos, esposa, avós. Pensem nisso.

    Pryderi respondeu:

    Cahan…

    Leandro, o Almeida respondeu:

    Filha, vc e todos que detém da mesma opinião precisa aprender que ceticismo não é arrogância, mas a valorização da dúvida. Se vcs afirmam que a fosfoetanolamina é essa bolacha toda, mostrem à nós os paper’s. Simples

    vocês não deveriam menosprezar os depoimentos sinceros e cheio de esperança de pessoas(…)
    .
    OK. Passarei a acreditar nelas bem como todos os depoimentos dados na IURD. td bem?

    Marisa respondeu:

    Valorização da dúvida é uma coisa, desmoralização por pura ignorância é outra. Não sei se vocês sabem, mas até médicos do Sírio Libanês já prescreveram a Fosfoetanolamina Sintética para seus pacientes. Vou tentar postar.

    Pryderi respondeu:

    Artur Katz? Médico de São Paulo? Bem, ele tem registro no CREMESP, certo? Vamos dar uma olhada no site http://www.cremesp.org.br/?siteAcao=GuiaMedico&pesquisa=proc

    Sim, tirei um screenshot. O registro está diferente.

    Aliás, isso não é uma receita, sua besta. Ademais, NENHUM médico se refere a um PACIENTE como “cliente”, mas deve ser assim que o Bradesco Saude trata as pessoas.

    Aliás, em 2012 tinha processo dessa dona contra o Bradesco Saúde para que este dê provimento de tratamento de quimioterapia. Ou seja, fosfoetanolamina não parece ter ajudado muito, hein? 🙂

    Mas, beleza. Acabei de mandar email pro Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo para ele apurar receita de substância n~]ao aprovada pela ANVISA. Obrigado. Espero mesmo que este médico (?) sofra as penalidades cabíveis.

    Pryderi respondeu:

    Artur Katz? Isso não é uma receita, sua besta. (além do péssimo português) PACIENTE como “cliente”, mas deve ser assim que o Bradesco Saude trata as pessoas.

    Aliás, em 2012 tinha processo dessa dona contra o Bradesco Saúde para que este dê provimento de tratamento de quimioterapia. Ou seja, fosfoetanolamina não parece ter ajudado muito, hein? 🙂

    Mas, beleza. Acabei de mandar email pro Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo para ele apurar receita de substância não aprovada pela ANVISA. Obrigado. Espero mesmo que este médico (?) sofra as penalidades cabíveis.

    Pryderi respondeu:

    Artur Katz? Isso não é uma receita, sua besta. (além do péssimo português) PACIENTE como “cliente”, mas deve ser assim que o Bradesco Saude trata as pessoas.

    Aliás, em 2012 tinha processo dessa dona contra o Bradesco Saúde para que este dê provimento de tratamento de quimioterapia. Ou seja, fosfoetanolamina não parece ter ajudado muito, hein? 🙂

    Mas, beleza. Acabei de mandar email pro Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo para ele apurar receita de substância não aprovada pela ANVISA. Obrigado. Espero mesmo que este médico (?) sofra as penalidades cabíveis.

  • .
    .

    Marisa respondeu:

    Só uma pergunta, você é químico, médico ou biólogo? Meu questionamento é porque, como filha de portador de câncer que faz uso da substância aqui discutida, presenciei os resultados dela; agora você, para denegrir a eficácia da mesma, com tanta propriedade, no mínimo deve ser um “expert”. Por favor, tente dar uma resposta com um certo nível de respeito, é uma pergunta simples de responder.

    Pryderi respondeu:

    Tenho doutorado em Química. Assim como o “cientista” que sintetizou notavelmente essa substância que todo mundo te,m.

    2) Eu já disse que depoimento e nada, para mim, é a mesma coisa.

  • Marisa

    Fico só imaginando o Brasil daqui uns anos com um monte de “sem noção” igual a vocês …

    Leandro, o Almeida respondeu:

    Espero que daqui uns anos as pessoas aprendam a não tomar uma substância sem comprovação científica
    ….

    NestorBendo respondeu:

    Chola mais…

  • Mica

    Muito difícil falar qualquer coisa sobre isso. As suspostas melhorias podem ser frutos da causalidade ou realmente a comprovação da eficácia da substância? Quem pode nos dizer isso? Somente os testes clínicos! O que nos resta é esperar e cobrar das autoridades maior agilidade, e acabar com a dúvida que pode mudar a vida de milhões de pessoas no mundo inteiro ou ser mais uma frustração. Por enquanto estudemos sobre a fosfoetanolamina, senti falta de uma explicação sobre ela neste artigo.
    E não julguemos as atitudes das pessoas acometidos com câncer; acredito que a luta pela vida e o amor pela ciência e pelo próximo devem ser os pilares da humanidade.

    NestorBendo respondeu:

    Há pelo menos sete artigos sobre ela aqui. Pesquise e leia os textos e comentários, pois são tão ricos quanto o corpo dos artigos.

    Mica respondeu:

    Certo.

  • Jefferson Weiller

    Vai aqui um bom DOSSIÊ: http://we.tl/5E2BAXf5Ht
    Termo de Convênio: http://fosfoetanolamina.net.br/termo-de-convenio-de-cooperacao-cientifica-iqsc-e-fundacao-dr-amaral-de-carvalho

    Logo veremos quem tem razão.

    Pryderi respondeu:

    Só tenho um recadinho pra princesa:

  • Wellington Silva

    A Fosfoetanolamina quando ingerida por #Crentelhos tem apresentado melhores resultados. rs

  • Vamos começar com SHOW ME THE PAPER!

    Cadê os artigos CIENTÍFICOS dele? Vídeo ele pode enfiar no rabo e mimimi emotivo é coisa de gente retardada

    Ademais… Facebook de Anonymous? Francamente!

  • Gerhard Erich Boehme

    Fosfoetanolamina Sintética – Incompetência brasileira!

    De um lado muitos interesses em jogo, de outro o princípio da precaução, que deve ser utilizado sempre no desenvolvimento de medicamentos, cosméticos e alimentos. Os interesses, inclusive fazendo uso da ANVISA, atrasaram muito as pesquisas e a confirmação do uso deste medicamento.

    A Fosfoetanolamina Sintética deve passar por muitos testes antes de ser aprovada, isso é fundamental, já que os protocolos da área da saúde devem ser seguidos.

    Embora tenha sido utilizada, é dito que a substância nunca foi efetivamente testada em humanos. Mas há estudos de seu uso desde 2004. Sabemos que ela foi distribuída durante anos pela USP de São Carlos. E ela teve sua distribuição suspensa por decisão judicial. Com os testes, somente com eles, os pesquisadores terão uma ideia da eficácia da droga.

    Este medicamento foi desenvolvido há muito tempo, e tem sido lamentável o fato dos atrasos nos estudos por falta de um consenso da Secretaria Estadual da Saúde, Ministério da Saúde e os pesquisadores da USP de São Carlos. Deve ser destacado a falta de apoio de nossos governos à questão.

    E pasmem, o investimento total para os testes é algo irrisório, considerando o que é gasto e o número de doentes, aproximadamente entre R$ 2 a 10 milhões, o que exige que pacientes sejam monitorados continuamente por uma equipe multiprofissional com experiência em testes clínicos, no Instituto do Câncer de São Paulo Octavio Frias de Oliveira (Icesp)..

    é importante que se entenda que a necessidade, ou a vontade, mesmo a política, não pode atropelar as pequisas necessárias, é assim no mundo inteiro. Antes de uma pesquisa ser oferecida a um paciente, muitas etapas deve e são cumpridas para garantir a segurança do paciente. Um projeto de pesquisa é analisado por várias comissões que envolvem diferentes profissionais a fim de assegurar a questão ética e legal da pesquisa. Muitas vezes, participar de uma pesquisa acaba sendo uma oportunidade de receber um tratamento inovador para o controle do câncer.

    A produção da substância ficará sob responsabilidade da Fundação para o Remédio Popular (Furp).

    No inicio, adotando uma metodologia padrão, 10 pessoas recebem a substância. Nela são avaliados os efeitos colaterais graves, que também são estudados, nos dois casos o estudo continua. Progressivamente, a inclusão de novos pacientes continuará até atingir o máximo de 1 mil pessoas.

    O importante é que se estude e se dê prioridade à segurança dos pacientes. Por isso, nesse primeiro momento, a pesquisa vai avaliar se a droga é segura e se há evidência de sua eficácia contra o câncer.

    O lamentável neste tempo todo foi a esperança que muitos depositaram no medicamento, que pode ser eficaz ou não. Eis a questão. Entre erros e acertos, ele foi distribuído pela USP de São Carlos por causa de decisões judiciais, a Fosfoetanolamina Sintética é alardeada como cura para diversos tipos de câncer, mas não, por conta da incompetência destas entidades não passou por esses testes em humanos, por isso não é considerada um remédio.

    Ela não tem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e seus efeitos nos pacientes são desconhecidos.

    E quando falo em incompetência, é fundamental que se crie a cultura no Brasil do entendimento de que todos somos incompetentes, pois ela exige superação e está pautada do entendimento do que de fato é e deve ser competência.

    E o que é competência?

    Eu defino como a soma de quatro palavrinhas:

    (1) educação, tanto a educação que devemos receber em casa pela família (Ver Artigo 229 da Constituição), a qual não pode ser terceirizada, como a escolarização, a educação formal, obtidas através de entidades supervisionadas pelas secretarias municipais e estaduais de educação, e no nível superior pelo MEC – Ministério da Educação.

    (2) formação (treinamentos, estágios, visitas técnicas, on-the-job training, hangouts, congressos, seminários, encontros, painéis, etc.),

    (3) habilidade (saber-fazer e saber-ser) e

    (4) experiência.

    Pryderi respondeu:

    Vou aprovar este texto DESSA VEZ. Leia a porra da política de comentários.

    E não, fosfoetanolamina não é merda de medicamento nenhum. Não passou nem pela fase de cobaias, cobaias primatas e humanos.