O que eu sei sobre a explosão no porto de Beirute

Deu muito ruim em Beirute ontem. Não sanduíche, a capital do Líbano. As notícias que começaram a chegar foi que houve uma enorme explosão. Começaram com um monte de informações desencontradas, como é normal em acontecimentos deste tipo. Achava-se que era algum ataque, você sabe… Líbano, né? Israel disse que não teve nada a ver com aquilo. Hezbollah confirmou que Israel não teve nada a ver com aquilo (sim, pois é). Alguns acharam que era um depósito de mísseis do Hezbollah e um energúmeno que meteu um texto no Google Translator achou que era uma loja de mísseis. Afinal, o que aconteceu?

Aconteceu uma sucessão de erros, foi isso que aconteceu!

Inicialmente, disseram que se tratava de um depósito de fogos de artifício (coisa que eu também imaginei), mas vendo por outros ângulos tinha algo de errado: falta de cores. Vocês sabem: fogos de artifício costumam ser coloridos e as explosões eram vem diferentes do que um armazém de fogos de artifício explodindo.

Com o passar do tempo, descobriram que se tratava de mais de 2.750 toneladas de nitrato de amônio que havia sido confiscado em 2014 (sim, há seis anos!) e estava lá jogado de qualquer jeito. O navio de carga com bandeira da Moldávia MV Rhosus, parou no porto de Beirute com problemas no motor. Os proprietários picaram a mula, a tripulação foi repatriada e sua carga levada para terra para armazenamento. E ficou lá esquecido, jogado de qualquer jeito.

O presidente libanês Michel Aoun disse que era inaceitável que uma quantidade tão grande de material explosivo seja armazenada em um armazém por seis anos sem medidas de segurança. Afinal… Líbano, né? Não é algo muito melhor que o Brasil, com a diferença que depois de 6 anos, não teria um só quilo de nitrato de amônio lá se fosse aqui no Brasil. O primeiro-ministro Hassan Diab disse que detalhes sobre o “armazém perigoso” seriam divulgados.

Mas o que aconteceu?

O nitrato de amônio – NH4NO3 – é um composto com múltiplos usos. É uma rica fonte de nitrogênio e, por isso, utilizado como fertilizante (plantas amam nitrogênio!). Como é uma excelente fonte de oxigênio livre e o nitrato é agente oxidante, o nitrato de amônio é usado na fabricação de explosivo, embora o NH4NO3 per se não seja explosivo. Ele precisa ser combinado com material combustível e, por isso, é misturado com óleo diesel, formando o explosivo ANFO (Ammonium Nitrate, Fuel Oil). Mesmo sob a forma de ANFO, o nitrato de amônio não é aquela nitroglicerina toda, precisando de um iniciador. Mas depois que inicia, você não vai querer chegar junto.

Um exemplo de uso nefasto de ANFO foi o atentado ao prédio do FBI em Oklahoma, Em 19 de abril de 1995. O veterano Timothy McVeigh dirigiu o caminhão para a frente do edifício federal Alfred P. Murrah, assim que seus escritórios abriram. Ele acendeu o pavio de dois minutos. Às 09:02, o prédio foi pelos ares, matando 168 pessoas, incluindo dezenove crianças na creche no segundo andar, e feriu outras 684. Ele não usou bem ANFO, mas 2300 kg de uma mistura de nitrato de amônio e nitrometano.

Repetindo: 2.300 QUILOGRAMAS. No porto de Beirute tinham 2.750 TONELADAS de nitrato de amônio. E posso garantir que ele não explodiu totalmente, o que não significa muita coisa, dada a onda de destruição.

O nitrato de amônio é até “fácil” de se armazenar, desde que se siga recomendações, como não empilhar aquilo de qualquer jeito, deparar camadas de NH4NO3, usar um armazém cujo chão não gere eletricidade estática e seja manuseado com cuidado com empilhadeiras de rodas de borracha, e com pilhas afastadas.

Agora vejamos como estava armazenado o nitrato de amônio naquela bagaça:

Achou ruim? Pois isso só é o começo dos erros. Aquele prédio está próximo de um depósito de cereais (é um porto, lembre-se). Cereais fazem pó, e pó de cereais é altamente explosivo, conforme eu expliquei no artigo Por que silos de cereais explodem. Eles explodem pois a poeira finamente dividida se inflama de uma vez, e isso gera calor, o que faz os gases expandirem, o que aumenta a pressão, o que comprime os gases, que se dilatam com o calor, que gera mais calor, que inflama os pó. Nos vídeos vemos que o nitrato de amônio começa a fazer pequenas explosões, e… (o que irei descrever é o que eu imagino que aconteceu. Não tem relatório ainda nem vai ter tão cedo)… começa uma grande explosão, que serve de iniciador para que todo o nitrato de amônio exploda. Não era para ele explodir daquele jeito, mas isso num mundo ideal. Eu não sei tudo o que tinha ali. É certo que o pó dos cereais se inflamaram e a explosão foi de uma vez só, o que forneceu algo pro nitrato de amônio oxidar.

Lembram que a reação é autocatalítica? Ela gera energia para atiçar mais e mais reações, que vão gerar mais calor e liberar tudo de uma maneira absurda. Neste vídeo de uma testemunha dá pra ver a bola de fogo crescendo

Neste outro vídeo, vemos um outro ângulo da explosão

A explosão fez levantar grande quantidade de poeira, terra, gente desavisada que nem viu como morreu, e se deslocou numa velocidade absurda, o que pode se perceber entre o KABOOM e a onda de choque efetivamente chegando até a testemunha. Essa nuvem branca é exatamente isso: nuvem. É uma região costeira, com grande quantidade de vapor d’água na atmosfera. A compressão da onda de choque fez com que as moléculas de água suspensas na atmosfera fossem comprimidas, ficando mais próximas umas das outras; com isso, o vapor d’água condensou e se transformou em água líquida (nuvem é água no estado líquido, caso não saiba).

As estimativas até agora são que, pela devastação causada, seria o equivalente a 3 mil toneladas de TNT. Usando o Nukemap, podemos estimar o que seria uma bomba nuclear de 3 kilotons, descontando a parte da radioatividade, lógico.

Não é um passeio no parque, mas pelo menos não tem radiação ali para acabar com o dia de vez. Não que isso seja um alívio para as 70 pessoas (contagem até agora) que perderam as suas vidas. Então, vamos ao ponto crucial: O que causou esta catástrofe? Volta lá pra foto do armazenamento do nitrato de amônio. Está vendo aqueles idiotas lá? Vou até postar de novo, para caso a sua preguiça não querer voltar.

Estes idiotas estão usando solda, para fechar a entrada, com medo de assaltos e roubo de carga. Solda é aquilo que usar grande quantidade de calor, gerando um arco elétrico e faíscas. Tá bom pra você?

Então, temos a receita do desastre:

  • Um país que não tem nada de tranquilo
  • Um navio pra lá de suspeito cujo capitão e dono ralaram peito, abandonando o navio
  • A carga é descarregada de qualquer jeito e jogada dentro de um armazém que nem a cara dos estivadores que fizeram isso
  • Incompetência de vários setores públicos que largaram esta porcaria de mão (fora aquela corrupção gostosa)
  • Um bando de pregos que não tiveram o menor treinamento, ou tiveram e ignoraram, como bons idiotas

Lembrando: isso é o que eu sei. Amanhã podem chegar outras informações.

8 comentários em “O que eu sei sobre a explosão no porto de Beirute

  1. A prova cabal que Israel não tem envolvimento são os sensores dos navios da UNIFIL. Pois caso seja um ataque aéreo os sensores dos mais de dez navios certamente detectariam algo. Resta saber o que foi captado eletronicamente.

  2. Carai vei, que aula! Eu achei que eram fogos de artifício, mas quando vi a onda de choque se espraiando em velocidade quase supersônica (ou isso), pensei: nunca que é um amontoado de rojões. Nem sabia que havia mais de duas mil toneladas de nitrato de amônio socada em um galpão caindo aos pedaços desde a época do 1 x 7 em Beirute. Parabéns pela narrativa e esclarecimento dos fatos.

    1. As primeiras imagens dão realmente a entender que eram fogos de artifício, porque não mostram a terceira explosão, só tudo voando pelos ares com as pessoas caindo. Só quando foi tomado vídeos de vários ângulos que se teve noção

  3. Eu tava em dúvida sobre o cogumelo, obrigada. Quanto à sucessão de erros, bem… Darwin cuida, o problema é que não foi só os idiotas fazendo manutenção de forma inadequada =(

  4. As imagens mostram que já havia um incêndio forte e explosões menores por algum tempo ANTES da “super” explosão . Se era um mesmo material queimando em um galpão porque não explodiu tudo logo no início ? Será que não haviam outro material mais “preparado” para funcionar como explosivo que foi atingido posteriormente ?

    1. Se era um mesmo material queimando em um galpão porque não explodiu tudo logo no início ?

      Porque química não é mágica e Hollywood te enganou

      Será que não haviam outro material mais “preparado” para funcionar como explosivo que foi atingido posteriormente ?

      Vc leu a parte que tem um silo de cereais?

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s