Areia, gafanhoto, coronga e brasileiros. 2020 tá ótimo!

Pessoal muito impressionável está tendo ataques de pelanca porque leram que alguns ventos fortes, daqueles bem quentes e intensos, sopraram no deserto do Saara e levantaram areia com tanta força que trouxeram aqui pro Brasil, dando aquela viagem maneira por milhares de quilômetros através do Atlântico.

Todo mundo em estado de alerta, mas . Os fortes ventos quentes sobre o deserto do Saara levantam areia nesta época do ano, assim como costumam levar a poeira por milhares de quilômetros através do Oceano Atlântico para as Américas. Este ano, o pó é o mais denso em meio século, com direito a redução drástica da visibilidade.

Tudo começa com a Célula de Hadley. É um modelo de circulação fechada da atmosfera terrestre predominante nas latitudes equatoriais e tropicais. Esta circulação está intimamente relacionada aos ventos alísios, às zonas tropicais úmidas, desertos subtropicais e correntes de jato.

Focando apenas nos ventos alísios, que é o que nos interessa, são ventos que em regiões sub-tropicais, resultados da ascensão de massas de ar que convergem de zonas de alta pressão nos trópicos, e se deslocando para zonas de baixa pressão na área do equador (o meridiano, não o país).

Sabem quem fica na região equatoriana?

Então, a Amazônia recebe toneladas de areia?

Sim, recebe.

Por que não virou um deserto?

Por causa das plantas.

Se desmatar, então…

É, pois é.

Está achando ruim? Não ache. Se não fosse esses ventos, a Amazônia não receberia as toneladas de sais minerais contidas na areia. Planta não se alimenta de adubo ou matéria orgânica. Fungos e bactérias é que se alimentam. Eles decompõem a matéria orgânica, reduzindo-a a componentes inorgânicos, que serão efetivamente o alimento das plantas, somando-se com a água e gás carbônico do ar. O problema é que mudanças climáticas (aquelas que não existem, mesmo hoje sendo 25 de junho, pleno inverno e com temperatura de 27ºC no Rio de Janeiro) acabaram intensificando esses ventos, carregando muito mais areia e, para juntar o insulto à injúria: gafanhotos!

Sim, eu entendo. Você já está lá em pânico revirando o livro de Êxodo para dar um confere na praga de gafanhotos. Pois, é, realmente estão lá, mas não se preocupe. Eles deram um olé e resolveram picar a mula do Brasil. Ninguém merece ter que ir pro Brasil! Então, não se preocupem, não teremos praga de gafanhotos. Já estamos sofrendo com excesso de brasileiros aqui.

Já começa que desde o início do ano a Somália, junto com outros países africanos,, estava sendo atingida com força por enormes enxames de gafanhotos, apelando para tentar controlá-los com um fungo para atuar como biopesticidas. Sim, falou miseravelmente. Foi uma das piores infestações dos últimos 70 anos, tendo sido muito pior na Somália, como dito, Quênia e Etiópia, com plantações inteiras tendo ido pra vala.

HEY! Mas não recebemos nenhum gafanhoto de lá,certo? Estamos a salvo?

Olha… não. Na fronteira entre Brasil e Argentina houve registros nuvens de gafanhotos nesta semana. Melhor reconsultar o Êxodo. Mas não se preocupem. A hortinha orgânica do seu tio e seus vizinhos e suas fazendinhas comunitárias irão resolver tudo isso. Mas não esqueçam um detalhe:

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s