Geldingadalir, o vulcão estrelinha

Na Península de Reykjanes, na Islândia, o terreno é extremamente instável. De um lado temos o vulcão Fagradalsfjall, cujo cume mais alto é Langhóll de 385 m. Ao sul temos Geldingadalir outro vulcão, cuja erupção começou em 19 de março deste ano e está lá até agora cuspindo lava. Continuar lendo “Geldingadalir, o vulcão estrelinha”

Afinal, o vidro é líquido ou sólido?

Você deve ter ouvido esta história: a prova que vidros são líquidos altamente viscosos é que os vitrais das catedrais são mais grossos embaixo do que em cima; e a única explicação para isso é que o vidro vai escorrendo muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito lentamente ao longo dos anos, décadas e séculos.

É uma explicação simplista para mentes simplistas.

Continuar lendo “Afinal, o vidro é líquido ou sólido?”

Preguiça de pensar num titulo. Toma um timelapse aê

Eu adoro timelapses, e não canso de falar isso. Também não canso de postar timelapses. Este a seguir, por exemplo, foi gravado durante o ano 2017, ou 3 a.C. (Antes do Coronga). Este vídeo foi composto por fotos tiradas da Estação Espacial Internacional mostrando a Terra à noite.

Continuar lendo “Preguiça de pensar num titulo. Toma um timelapse aê”

A noite sonhadora e bela dos céus da Turquia

Há muitos canais com vídeos em lapso de tempo. De vez em quando, eu vejo um e posto. Eu acho fantástico, mágico. estou em outro continente vendo o céu noturno que eu não poderia ver por motivos de coordenadas geográficas e por causa da nossa pegada humana, vestígios de nosso sucesso como civilização: a luz artificial.

Continuar lendo “A noite sonhadora e bela dos céus da Turquia”

Um eclipse visto de cima

Eclipses são uma maravilha da Natureza entre muitas maravilhas. Um dos motivos é sua raridade. Afinal, pôr-do-sol tem todo dia, Lua cheia, já nem tanto. Eclipses então, são bem mais raros.  Estamos acostumados a vê-los daqui “embaixo”, mas como é a aparência da Terra durante um eclipse solar total?

Continuar lendo “Um eclipse visto de cima”

Um retratinho mágico do Sol

O Sol é uma estrela fascinante. O mais fascinante do Sol é ser uma estrela e estar bem próximo de nós, sem nos queimar de forma horrível. Por isso, podemos apreciá-lo, observá-lo, estudá-lo e, claro, admirar as maravilhas que só uma bolona de átomos sendo fundido a milhões de graus celsius poderia proporcionar. É um mundo só seu, sem ninguém pisar lá ontem, hoje e provavelmente pelo resto dos seus 5 bilhões de anos que ainda lhe restam.

Continuar lendo “Um retratinho mágico do Sol”

Areia, gafanhoto, coronga e brasileiros. 2020 tá ótimo!

Pessoal muito impressionável está tendo ataques de pelanca porque leram que alguns ventos fortes, daqueles bem quentes e intensos, sopraram no deserto do Saara e levantaram areia com tanta força que trouxeram aqui pro Brasil, dando aquela viagem maneira por milhares de quilômetros através do Atlântico.

Todo mundo em estado de alerta, mas . Os fortes ventos quentes sobre o deserto do Saara levantam areia nesta época do ano, assim como costumam levar a poeira por milhares de quilômetros através do Oceano Atlântico para as Américas. Este ano, o pó é o mais denso em meio século, com direito a redução drástica da visibilidade.

Continuar lendo “Areia, gafanhoto, coronga e brasileiros. 2020 tá ótimo!”

O flamejante anel do poder solar

O que está subindo acima do horizonte, erguendo-se majestoso? É o Sol, nosso amigo Sol, que está lá, bem longe daqui. A magnífica estrela tão perto da gente que nos envolve com seu calor esfuziante, mas sem nos torrar severamente graças à nossa atmosfera.Nem sempre o nascer do Sol é com ele redondinho, redondinho. às vezes, apenas um anel, mostrando o quando seu poder esfuziante se faz sentir ainda que uma bela parte dele não apareça.

No início da manhã de 10 de maio de 2013, a Lua estava entre a Terra e o Sol nascente num eclipse magnífico que pôde ser visto na Austrália. O vídeo a seguir foi feito lá e mostra o quão poderoso é o astro-rei.

Continuar lendo “O flamejante anel do poder solar”

As maravilhosas noites celestiais ao redor do mundo

Eu gosto de timelapses do céu noturno. Na verdade, eu gosto de todos os timelapses, mas os do céu à noite são especiais, pois mostra um céu que eu não consigo ver de casa. Um céu cm estrelas e a espinha dorsal da Via Láctea se movendo pelo céu (sim, eu sei).É uma impressão mágica, tão mágico quanto tudo o que está fora do nosso campo de visão.

A grande poluição luminosa obscurece o brilho frio das estrelas de forma injusta e ficamos incapazes de testemunhar essa grandiosidade. Por isso, timelapses como o que você verá a seguir é tão precioso. Nos faz viajar e desejar estar nesses lugares, sentindo-nos tristes por não estar lá, mas grandiosos por termos tecnologia para podermos vê-los mesmo assim.

Continuar lendo “As maravilhosas noites celestiais ao redor do mundo”

Dando o mesmo rolê que nossos avós fizeram, sem chegar junto

Na foto acima estão Fred Haise, Jack Swigert e Jim Lovell. Eles tiraram esta foto um dia antes do lançamento da Missão Apollo 13. A malfadada Apollo 13. Swigert acabara de substituir Ken Mattingly como piloto do módulo de comando depois. Mattingly não pôde ir porque ele fora exposto ao sarampo e a paranóica NASA não quis arriscar (a bem da verdade, ele não contraiu a doença e não apresentou nenhum sintoma). A coisa deu errado e foi ouvido a famosa frase “Houston, a gente tá ferrado, caraio” (paráfrase).

Eles não pousaram na Lua e o regresso foi heróico, apesar das mazelas, como conectores quadrados e redondos se misturando entre diferentes aparelhos, tendo que partirem para gambiarra. Na descida, a URSS, a maior rival dos americanos, ordenou que liberassem as frequências para que não houvesse interferência e a China delicadamente pediu aos seus cidadãos que qualquer americano que caísse lá teria que ser bem tratado, sob pena de irem bater um papinho com Buda da pior maneira possível.

Continuar lendo “Dando o mesmo rolê que nossos avós fizeram, sem chegar junto”