As últimas de Ultima Thule

Encontrados defuntos romanos sem cabeça no lugar certo. Algo como brasileiros de hoje
Árvores de Natal viram substâncias diversas nas mãos de químicos (de nada)

Você já ouviu falar do corpo nomeado (486958) 2014 MU69? Ah, tá. Não, né? Você conhece mais pela forma (486958) 2014 MU69, não é mesmo? Também não? Oh, bem, talvez pelo antigo nome: PT1 e 1110113Y? Tá tudo bem, provavelmente você deve ter ouvido falar pelo apelido Ultima Thule, dado pela equipe da New Horizons. Ok, você não sabe nada, João das Neves. Ele é um objeto transnetuniano, pra lá pras bandas do Cinturão de Kuiper, a região do Sistema Solar que se estende desde a órbita de Netuno – a 30 UA do Sol até 50 UA do Sol (1 UA é a distância média entre a Terra e o Sol, aproximadamente 150 milhões de km). Os corpos lá pra depois de Netuno são, então, chamados corpos Transnetunianos, mas também são chamados de KBO (Kuiper belt object).

Ultima Thule tem um diâmetro com cerca de 32 km por 16 km, e dados da sonda New Horizons trouxeram mais informações sobre este corpo.

Pra começar, a análise inicial dos dados não encontrou evidências de anéis ou satélites que chegasse a 2 km de diâmetro em órbita de Ultima Thule. Além disso, não foram encontradas evidências de uma atmosfera; e a cor do Ultima Thule combina com a cor de mundos semelhantes no Cinturão de Kuiper, conforme determinado por medições telescópicas.

Mas ao meu ver, o mais legal talvez seja esta imagem:

Este é um GIF de Ultima Thule feito a partir de duas imagens tiradas com 38 minutos de intervalo, o lobo “Thule” é o mais próximo da espaçonave New Horizons. Como o Ultima Thule é visto girando, dados topográficos podem ser obtidos. As imagens foram tiradas pelo Long-Range Reconnaissance Imager (LORRI) às 4:23 e 5:01 da Universal Time em 1º de janeiro de 2019 em que cada pixel é formado por imagens de 310 por 140 metros.

Esta é a nossa história de aventuras, humanos desbravando fronteiras, recusando-se a ficar no berço, com pés no chão e cabeça nas estrelas. Nossas máquinas maravilhosas trazem um pouco do Universo para nós, enquanto nós mesmos ainda não podemos ver pessoalmente. É um passinho e tanto desde que Tycho Brahe coletava seus inúmeros (e precisos) dados astronômicos apenas olhando pro céu a olho nu


Fonte: Mãe da Criança

Encontrados defuntos romanos sem cabeça no lugar certo. Algo como brasileiros de hoje
Árvores de Natal viram substâncias diversas nas mãos de químicos (de nada)

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας