Apple disse que o novo iWatch vem com um ECG. Mas o que ela não nos disse?

As prateadas fases de um satélite natural
O Brasil não deveria ter museus ou a tragédia do Museu Nacional


Nesta casa só aceitamos Ciência!

A Apple, famosa por suas inovações, lançou seus novos preços. Ah, sim, ela anunciou seus produtos, mas o importante é o preço, mesmo, já que os produtos são mais do mesmo, apenas com uma maquiagenzinha, o que é normal em várias empresas (e na Apple principalmente). Daí, me chamou a atenção… ok, não chamou. O que me chamou a atenção foi todo mundo deslumbrado pois os novos iRelógios estão com a incrível capacidade de fazer um ECG direto no seu pulso. Ele vai avisar quando você estiver com arritmia, vai soar alarmes e os Thunderbirds irão lhe resgatar. Uma grande inovação, certo?

Bem, é a tendência Apple inovando como nunca, copiando como sempre, e seguindo marketing exagerado de suas coisas. Mas quando uma empresa comete uma cagada no projeto de seu telefone, deixando-o que nem uma pedra so de segurá-lo, e o seu CEO diz que a culpa é das pessoas por estar segurando errado, o que se pode dizer?

Sentindo palpitações por ver enganação correndo solta, esta é a sua SEXTA INSANA!

Eu vi pessoal comemorando que um simples reloginho de 500 dólares (coisa pouca!) faria o mesmo que um exame eletrocardiograma completo, sem precisar de médicos ou agendar exames caros. Também saíram falando que foi aprovado pelo FDA, e isso mostrava a qualidade da bagaça.


Amazing! Tudo oque você disse está errado!

Antes de eu dizer o motivo, lembremos que aqui é um blog de divulgação científica.

A Alexander Muirhead é atribuído o primeiro exame rudimentar medindo a atividade sinoatrial do coração, tendo anexado fios ao pulso de um paciente febril para obter um registro do batimento cardíaco do paciente em 1872 no Hospital de São Bartolomeu. Augustus Waller, do Hospital St. Mary, em Londres, empregou um eletrocardiógrafo que consistia de um eletrômetro capilar Lippmann fixado a um projetor. O traço do batimento cardíaco foi projetado em uma chapa fotográfica que foi fixada em um trem de brinquedo. Isso permitiu que uma pulsação fosse registrada em tempo real. Mas o primeiro eletrocardiógrafo prático, e mais próximo do que temos hoje, foi criado por Willem Einthoven, em 1901. Einthoven também descreveu as características eletrocardiográficas de vários distúrbios cardiovasculares, e, por isso, ganhou o Prêmio Nobel de Medicina em 1924.

A partir daí, os aparelhos de medição miniaturizaram-se, tendo um brasileiro se especializado nisso.


Você sabe o seu nome!

Pra princípio de conversa: Por que o coração bate? Ele bate por causa de impulsos elétricos que percorrem o coração, fazendo oque qualquer choque faz com um músculo: ele obriga as fibras musculares se contraírem. Passou o fluxo elétrico, os músculos relaxam e se distendem.

Não seja chato. Eu sei que está em modo simples. Não estou escrevendo para cardiologistas. Estou escrevendo para leigos!

O ponto principal de onde sai o impulso elétrico é o nó sinusal que fica no átrio direito. Principal, mas não exclusivo. Se der problema ali, outros pontos serão capazes de assumir a tarefa, mas não com a mesma eficiência. É a mesma coisa que um cardiologista explicando como funciona um coração. Como não temos um disponível, vai André explicar. Dá para explicar mas não com a mesma profundidade, mas sem comprometer. Vocês sobreviverão.

O que o eletrocardiograma (ECG, na sigla em inglês ou EKG na sigla em alemão) é o aparelho que mede o fluxo dessa corrente elétrica. Normalmente, ele é de 12 derivações. Cada derivação é um ponto que o aparelho medirá o diferencial de potencial (a “voltagem”, para saber se os “choquinhos” estão no tempo certo e no fluxo exato). Isso significa que como o coração é um corpo com 3 dimensões, é preciso medir vários pontos para ter um vislumbre do que anda rolando nesse musculão no seu peito.

Dá para fazer com menos pontos? Sim, principalmente em UTI móvel, em que há o problema de espaço e presteza. O socorrista precisa da informação mais geral para fazer o socorro imediato, passando informações em seguida para médicos no hospital, que fará o exame mais aprofundado. Seus aparelhos são de 3 a 4 variações.

Ah, tem vídeo de aula do dr. Enéas (cujo curso era concorridíssimo).


Eu reconheci algumas dessas palavras

Segundo o marketing da Apple, o ECG do iRelógio foi aprovado pela FDA, a ANVISA dos EUA. Não é que não seja isso; é uma meia verdade. E toda meia verdade é acompanhada de uma meia mentira (na verdade, seria menos de um terço de verdade). FDA não autorizou o ECG da Apple.


Como o ECG da Apple funciona

O FDA autorizou a instalação de um aplicativo como uma forma de consulta individual, sem, contudo, fazer qualquer menção que isso substitua ECG de verdade, examinado por um profissional. Não é nada diferente dos aplicativos de pulsação que existem há anos na App Store ou Google Play ou mesmo na lojinha do finado Windows Phone (que a terra lhe seja leve).

Ah, mas isso é medidor de pulsação, o iECG faz um alarme. Inovação!

Eu acho interessante que os produtos da Apple são bons e originais. Os bons não são originais e os originais não são bons. O iRelógio já tinha sistema de ECG de derivação simples (sim, uma única derivação e ainda é assim), por meio de aplicativo para a detecção de arritmia cardíaca, produzido pela AliveCor (que vende um smartwatch por 199 dólares ou o sensor a ser usado com qualquer smartphone por apenas 99 dólares).

Apple inovou algo eu já existia, e o FDA foi taxativo em dizer que as referidas funções são destinadas apenas para uso informativo, ressaltando que NÃO deve ser interpretado ou posto em prática sem consultar um profissional de saúde qualificado, nem pode substituir os métodos tradicionais de diagnóstico ou tratamento e sendo taxativa que o aplicativo de ECG não é destinado a pessoas com menos de 22 anos de idade ou àquelas já foram diagnosticadas com fibrilação atrial. Taqui o documento  em PDF do FDA.

É apenas um appzinho legal para pessoal se divertir com os amigos na night (ou “balada”, em PT-Paulistano), mais nada.

Entretanto, se você ainda acha que um reloginho com app mostrando uma derivação simples (ainda não foi estudado o grau de eficácia mesmo nessas condições) é melhor que aparelhos especializados de 12 variações (tem até de mais variações), boa sorte. Darwin Tecnológico tá só te esperando.

As prateadas fases de um satélite natural
O Brasil não deveria ter museus ou a tragédia do Museu Nacional

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!