Empresa cria tecnologia incrível para sequestrar CO2 da atmosfera. Árvores ainda mais baratas e eficientes

Ei, garoto. Vai uma nicotina disfarçada para lhe viciar?
Avó e bisavó tentam matar criança por não ser quem elas queriam

Eu adoro essas ações de “conscientes” prontas a salvar o mundo. E como bem sabemos, muitas dessas “ações” são basicamente uma forma de arrumar dinheiro dando um balão no Imposto de Renda; e isso vale para todo lugar, não só no Brasil. Assim, uma empresoca canadense – que os jornaleiros frisaram ser “financiada pelo bilionário americano Bill Gates”, mas omitindo que a Fundação Bill & Melinda Gates financia inúmeros projetos, sendo a maior organização filantrópica do mundo – veio com lero-lero alegando ter inventado uma tecnologia capaz de remover o CO2 do ar a preços acessíveis.

A tal Carbon Engineering publicou no periódico Joule um estudo dizendo que seu equipamento é capaz de capturar o CO2 por menos de US$100 a tonelada. Para tanto usa uma mistura de hidróxido de potássio e hidróxido de cálcio. Depois, eles reagem com hidrogênio vindo de eletrólise da água, cuja energia vem, segundo alegaram, de usinas hidrelétricas. E para ter usina hidrelétrica, acaba com impacto ambiental, principalmente por ter que alugar uma determinada área (guardem isso na memória)

De acordo com a BBC, este processo (que está descrito no paper, cujo PDF você poderá ler) “captura o CO2 diretamente do ar, basicamente, imitando a ação das árvores”. Eu não sei onde o jornaleiro da BBC estudou, mas onde leciono os alunos sabem que fotossíntese pega o gás carbônico e transforma em glicose entre outras substâncias. Plantas não sintetizam hidróxido de potássio. A não ser que a Carbon tenha umas plantas mutantes. Vai saber.

Aí produz combustível por meio de eletrólise que será queimado e gerará CO2 de novo. Isso sabendo que há perdas e ineficiência energética, já que ainda vivemos sob a tutela da Segunda Lei da Termodinâmica. O mais engraçado é que poderia pegar essa energia elétrica e carregar baterias de carros elétricos. Estou pensando em algo como um Tesla, não aqueles lixos tipo aquela tosqueira do carro do Google. Até os híbridos elétrico-combustível são mais vantagem.

O que fazer com o CO2? Que tal usar um sistema de reciclagem que tem 3 bilhões de anos?

Uma estimativa de custo para revegetação de 01 hectare de área degradada (considerando um espaçamento 3 x 3m), usando 1.112 mudas de 30 cm de altura, 1.112 mudas de cerca de 1 metro de altura e 10 mil m2 de cobertura de grama (fora os itens de apoio, como cercas, arame, adubo e mão de obra) foi orçado entre R$5.998,25 e R$6.718,25. PDF

Já um outro estudo avaliando o custo de implantação florestal na recuperação de área degradada localizada em área de preservação permanente, no município de Alta Floresta, MT, totalizando uma área retangular de 05 hectares foram gastos R$ 10.885,65 por hectare. PDF

Um acre de floresta combateria as emissões de cerca de 13,5 toneladas métricas de gás carbônico em média (isso varia de acordo com as espécies de plantas, além de estações do ano e índice de luz solar).FONTE

Um outro estudo estima que só as florestas tropicais absorvam 1,4 bilhão de toneladas métricas de dióxido de carbono de uma absorção global total de 2,5 bilhões de toneladas métricas, mais do que é absorvido pelas florestas do Canadá, Sibéria e outras regiões do norte, chamadas florestas boreais.FONTE

100 dólares a tonelada métrica de CO2 absorvida? Tá de sacanagem com a minha cara? E depois que absorve fabrica combustível, que será queimado e devolverá o CO2, quando há opções de emissão zero? E para tanto é preciso gastar energia para a produção de hidrogênio, que demandará outros reagentes, catalisadores e instalações?

Então, se eu reflorestar um acre de área, eu gasto cerca de 10 mil reais (mais ou menos 2,7 mil dólares pela cotação de hoje), num gasto único, para depois ter um custo com manutenção ridículo, absorvendo 13,5 toneladas métricas de gás carbônico, retirando-o definitivamente da atmosfera (já descontado o CO2 que volta devido à respiração das plantas). Levando em conta que todas as instalações da Carbon Engineering já estejam disponíveis (o que necessitou dinheiro e não foi pouco), eu gastarei 1.350 dólares e este gasto continuará, produzindo CO2.

Além disso eu tenho que uma floresta melhora as condições microclimáticas da região, protege o solo da deterioração, fixação da água da chuva, proteção de flora e fauna silvestre (os matinhos e florzinhas não entraram nas contas), absorvendo gradiente de calor de luz solar, fazendo muito mais pelo meio ambiente, mesmo sem levar em contas os gastos, do que o sistema da Carbon. Mesmo porque, a área alagada para servir de reservatório de água para a hidrelétrica é área sem cobertura vegetal. E para fechar com chave de ouro, para o caso da Amazônia, pesquisas indicam que uma hidrelétrica lá produziria gases de efeito estufa em maior quantidade que uma termelétrica a carvão.FONTE

Ah, e o mais legal é que o próprio CEO da Carbon, Steve Oldham, disse que mesmo a US$100 por tonelada, não há compradores suficientes de CO2 no momento. Foi por isso que a Carbon decidiu fabricar um combustível líquido – cof… cof… – neutro em carbono, mas que (SIC) custa mais do que um barril de petróleo. FONTE

A notícia que saiu é linda e maravilhosa, mas quando se faz pesquisa paralela e se faz as contas, vê-se que isso é apenas uma forma de mamar verbas e mais verbas, com dinheiro fluindo lindamente, pagando de sustentável e, como falei, dando um balão na Receita Federal.

Ah, sim. Só para finalizar: a maior parte da fixação de gás carbônico vem dos oceanos, por meio de algas azuis. Absorve-se tanto gás carbônico que os oceanos estão acidificando. Não seria, então, mais fácil, cuidar para que os oceanos não sejam poluídos? Não, claro que não. O negócio é pagar de engajado e faturar algum em cima dos otários.

Ei, garoto. Vai uma nicotina disfarçada para lhe viciar?
Avó e bisavó tentam matar criança por não ser quem elas queriam

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!