UNESP fará exame para saber quem negro de verdade

Cotas é o tipo de coisa que eu sempre achei idiota. Não porque eu ache que pobre não pode ter acesso ao Ensino Superior. Sou um democrata, e acho que todos têm que ter chance; por isso, eu prefiro o vestibular, que é igualitário: uma prova para todo mundo. Sendo assim, era preciso um ensino que prestasse. Mas, ok, implantaram as cotas. Terão tempo de melhorar o ensino, certo? Errado! Tiveram, mas não melhoraram. Toma mais cota aí! (Entenderam por que eu sou contra?)

O problema é que as cotas por etnia dependem… bem, da etnia. E a etnia é autodeclarada. Começou o problema. Como garantir que a pessoa não vai declarar uma etnia que não pertence? Bem, a UNESP parece ter resolvido o problema. E de forma imbecil!

A UNESP vai contar com a denúncia de outras pessoas que apontem para determinada pessoa que se autodeclarou negro ou pardo, e como na melhor das democracias, esta pessoa passará por uma rigorosa entrevista.

– Bem, mr. Anderson, o senhor se declara negro.
– Pardo.
– Com o que o senhor não é negro de verdade?
– Não. Eu entrei para as cotas por ser pardo.
– Entendi. Então seu pai…
– É um negão como Luke Cage. Ele chamou minha mãe prum café…
– E sua mãe?
– Olha, ela é a Jessica Jones.
– Branca, elitista, cis-hetero, neo-liberal e opressora.
– NÃO! Ela é do Piauí. Jéssica Jones Hemernegilda da Silva Camargo
– Cante uma música da Alcione.
– Péra. Eu não sei samba. Não nasci no Rio.
– Ok. Canta um rap aí
– Rap? Eu não sei Rap!
– É pardo e não sabe samba nem rap… hummm
– PÉRAÍ! Beth Carvalho e Eminem são brancos!
– NÃO MUDE DE ASSUNTO! Só falta você dizer que não é escocês!
– Mas como mingau!

Senão, vejamos. Não dá para a Polícia do Pensamento verificar cada um dos alunos cotistas, então, uma denúncia servirá de acusação. Preciso dizer o que vai acontecer?

Vai acabar num problema que nem o caso do médico que prestou concurso e acusaram de ele não ser negro ou pardo escocês, e eu garanto que muitos desafetos serão denunciados e muitas denúncias serão ignoradas.

De qualquer forma, eu acho que deve ser feito, não uma autodeclaração. Que tal algo mais científico, como se costumava-se fazer para se tomar decisões similares? Tipo esta:


Fonte: G1

5 comentários em “UNESP fará exame para saber quem negro de verdade

  1. E a USP implantou cotas agora…
    50% para estudantes de escola pública e 37,5% desses 50 é para pele negra/parda.

    Se já estava ruim, agora ficará pior, pois qualquer zé ruela vai entrar sem precisar ir (muito) bem no vestibular.

  2. Toda vez que vejo esta discussão, lembro que não sou oficial PM do RJ, e, consequentemente não adquiri minha tão sonhada estabilidade financeira, por ter sido imbecil o suficiente para não me declarar Negro.

    Tirei 7.5 de média, e o pessoal que se declarou negro/índio passou com 6.2, nada absurdo…

    As vezes fico bem depressivo por lembrar que o esforço de uma vida pode ter sido inútil pelo fato de ter nascido com uma coloração de pele mais clara, ou seja, racismo as avessas.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s