Vencedores da olim-piada de Matemática recebem dinheirão do CNPQ

Gosta de próteses impressas em 3D? Toma mais uma!
Astrônomos observam o que pode ser o início de um planeta

Sim, isso mesmo que você leu. Como o Fantástico não dá direito a pedir música quem vence uma Olimpíada de Matemática, o CNPq ficou solidarizado e resolveu dar um dinheiro para os ganhadores. Sendo assim, o Programa de Iniciação Científica da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP ) dará continuidade à formação matemática dos estudantes medalhistas da OBMEP por meio de um mimo: A concessão de bolsa de Iniciação Científica Junior. Legal né? É o Brasil reconhecendo o potencial de seus futuros cientistas.

Ah, sim. Vocês sabem quanto é, em valores de din-din, uma bolsa de Iniciação Científica Júnior? 100 reais. Isso mesmo. Duas notas de cinquentinha. 5 notas de 20 reais.

Metendo a mão no bolso e sentindo que lá dentro só tem uma ficha telefônica velha, esta é a sua SEXTA INSANA!

Claro, pode ser exagero meu. Afinal, o que se pode fazer com 100 reais?

  • Ir no cinema com sua namorada. Dá para os dois ingressos e um copo de refri, o qual vocês terão que dividir. Passagem de ônibus vai encarecer.
  • 6 almoços no boteco perto da minha casa. Come o quanto quiser (só dois pedaços de carne) e tem um copo de refresco, que você não quer saber a procedência, incluído.
  • Ir no Aquário do Rio de Janeiro a ser inaugurado. Só você, pois o ingresso custará 80 reais.
  • Comprar de crédito telefônico e ficar se lamuriando com seus pais por uns 20 minutos, enquanto eles lhe lembram que você poderia ter trabalhado vendendo o artesanato da tia Etelvina
  • Comprar uma garrafa de tequila vagabunda e ficar se perguntando por que você não tinha aceitado ser soldado de tráfico (alguma coisa sobre continuar vivo).
  • Trocar tudo por moeda de um real e achar que está com mais dinheiro do que realmente está.
  • Dar tudo na Igreja Universal, pois disseram que tudo o que se dá lá, Jesus te dará em dobro, provando que pastor mentiroso é melhor que CNPq.
  • Compra de fim-de-semana é coisa de hipster. Você não cairá nessa armadilha do Capitalismo.

É vergonhoso um dinheiro de valor equivalente a duas pizzas e um refri de 2 litros (ok, sobra troco) para premiar um vencedor de uma olimpíada de matemática e ficar cagando goma como se UAAAAAUUUUU, QUE DINHEIRÃO!

Bem, não se admira muito quando vemos que uma bolsa de doutorado é de R$2200,00, sendo que quem é contemplado com uma bolsa NÃO PODE ter fonte de renda. Se fode aí. Esse valor é mesmo pro doutorado-sanduíche. Eu sempre me questionei se doutorado-sanduíche é para fazer ciência salame. Na verdade, esse nome escroto se refere ao programa de bolsa de estudo no qual o doutorando (aqui no Brasil chamam de “estudante”, já que pesquisa não é o forte e sim ter aulinhas com professor-doutor que lhe fará seu escraviário particular) tem a chance de fazer parte (de alguns meses a um ano) do seu curso de doutorado em outra instituição brasileira ou internacional.

Continua sendo um nome escroto.

A verba de produtividade sênior sai a R$1.500,00. Pós-doutorado sênior sai a R$ 4.400,00 (e você não terá  direito a ele, pois existe “nós” e “eles”). Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora dá a vultuosa quantia de R$ 1.500,00, com adicional de bancada R$ 1.300,00.

Sério, gente! Eu não estou inventando esses valores! No McDonald’s Brasil, os salários variam entre R$ 788 por mês para o cargo de Atendente de Fast Food até R$ 5.851 por mês para o cargo de Gerente de Restaurante (fonte).

De acordo com o SINE, o salário médio de um estoquista trainee de uma empresa pequena é de R$ 927,65. Estoquista master de uma empresa grande tem salário de R$ 1955,77. Um lanterneiro no Rio de Janeiro pode ganhar cerca de R$ 2000. Vai à merda, CNPq. Enfia esse valor de doutorado-sanduíche na bunda!

“Ain, mas pelo menos reconhecemos o valor de nossos estudantes”

PORRA NENHUMA! Isso não é nem esmola. É uma pouca vergonha. Um vendedor de bala em ônibus ganha mais que 100 reais por dia, não fode! E sim, isso me deixa puto da vida. Sim, eu falo palavrão, foda-se!

Quando vemos que jogadores que ganharam Copa do Mundo recebeu 100 mil reais de presente do governo, fica claro o que eu falo sempre.

BRASIL ODEIA CIÊNCIA!


Fonte: CNPq do Inferno, via @Cardoso

Gosta de próteses impressas em 3D? Toma mais uma!
Astrônomos observam o que pode ser o início de um planeta

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • NestorBendo

    Rapaz, depende da formação. Eu tô doidinho pra bancar minha carteira de motorista, arranjar um carro preto bacana e partir pro Über, porque a Engenharia Civil tá pra jacu.

    Mas, estamos no Brasil, onde oferecer serviços de qualidade a preço justo é crime. Vamos ver quanto tempo eu duro com essa minha honestidade mórbida.

    Urdnot Huex respondeu:

    parece que uber já não é tão vantajoso, fora o escândalo de descobrirem que ele fica te geolocalizando e deixando registrado, os taxistas estão tentando entrar com um processo sindical pra fazer os “ubeiros” pagarem as mesmas taxas que eles, inclusive ter que usar placa vermelha.

    fonte: taxista que eu conversei semana passada.

  • Narciso L. Junior

    Dá desanimo só de pensar em tentar seguir nessa área, imagine com que cara o professor vai indicar esse rumo aquele aluno interessado em ciências.

    Urdnot Huex respondeu:

    meu primo fez geografia e agora tá fazendo bico em lojinha que monta micro o dia todo.

  • EiligKatze

    Depois o pessoal fica se perguntando porque temos sempre que comprar tecnologia a preço de ouro da gringalhada

  • Pingback: Gosta de proteses impressas em 3D? Toma mais uma! | Ceticismo.net()

  • Urdnot Huex

    ciência não dá audiência na TV, não dá pra vender produto boticário e jequiti.

  • Why

    Esse “auxílio” já existe há anos.

    Fui medalhista da OBMEP em vários anos quando estava no ensino fundamental e médio. Pra dizer que não era só esse trocado que recebíamos, no decorrer do curso do PICJr. ficávamos um sábado por mês, das 8h às 17h, estudando com docentes das próprias instituições de matemática, com direito a lanches e almoço num restaurante por quilo. Para quem não fosse da cidade havia até transporte pago pela organização. Eramos divididos em níveis, conforme nossa série escolar e também se já tinhamos feito o PIC antes. Além disso, havia o fórum online onde realizávamos tarefas obrigatórias referentes às matérias passadas nos encontros. Dependendo do desempenho no fórum, havia também uma outra premiação interna do programa, em que alunos do Brasil todo eram selecionados para um encontro de 1 semana, como se fosse um congresso de matemática, chamado Encontro do Hotel de Hilbert. Então, apesar de precário, ainda era estimulante e dava para tirar um bom aprendizado e experiencia junto aos colegas, professores e universidade.

    Entretanto, a partir de 2014 a situação começou a mudar. Começou que gastos menos prioritários foram cortados, com o corte de alguns materiais escolares e didáticos que recebíamos e a mudança do almoço para um restaurante mais barato dentro da universidade. Depois, em 2015, de 10 encontros anuais planejados, tiveram 6 na minha região. E pelo o que fiquei sabendo, no PIC desse ano não houveram mais encontros presenciais para “veteranos” (pessoas que já tinham feito o PIC mais de 2 vezes) e os encontros presenciais dos novatos passaram a ser somente no período da manhã, sendo a maior parte das atividades realizadas precariamente no ambiente online. O EHH anual foi suspenso. A participação e o interesse diminuiram consideravelmente.

    Fico triste em pensar que quem entrar no PIC agora não vai fazer ideia do quanto era um programa valioso, mesmo com todos os defeitos. É realmente uma merreca o que se ganha, mas conheço gente que graças ao PIC conseguia pagar transporte para estudar numa escola de uma cidade vizinha, tendo acesso a uma educação melhor, e que posteriormente entrou na universidade. Vi vidas sendo mudadas pelo programa, gente que teve acesso à universidade e à ciência por meio dele e que foi motivada a participar de outros eventos, atividades e olimpíadas do ramo, além de estabelecer laços entre pessoas com interesses comuns. Faço Física hoje e não é a toa.

    E pensar que a gente sonhava com o dia em que a gente tivesse melhorias, uma bolsa melhor, mais encontros, melhor infraestrutura para receber mais interessados, só que ocorreu justamente o contrário. Só se manteve o valor da bolsa e, pra isso, o número de vagas deve ter diminuído.

    Ah sim, quem ganha medalha na OBMEP também tem garantida uma bolsa de IC em matemática quando cursa o superior. E olha só que legal, o valor quadriplica, 400 reais… Dinheirão.