Cientista acerta no cúrio do meteorito

Contemplem a tabela periódica. Está tudo lá. Só que de todos os elementos que existem, apenas 92 são encontrados naturalmente. Vai até o Urânio e só, acabou, caput. Daí pra frente só elementos sintetizados, criados, fabricados pelo Homem. O que vem além disso são os chamados “elementos transurânicos”. Um deles é o cúrio, elemento batizado em homenagem ao casal Curie, descoberto em 1944 por Glenn Seaborg, Ralph James, e Albert Ghiorso, por meio de bombardeamento do plutônio com partículas alfa. É um elemento tóxico e muito radioativo. Quem tem cúrio, tem medo.

Daí você pensa que só porque ele foi produzido artificialmente ele não pode ser encontrado na Natureza. A Química dá uma risadinha e diz “só porque você quer, kerydinho!” Vestígios de cúrio foram encontrados durante a análise de isótopos de urânio num meteorito de 4,6 bilhões de anos.

O dr. Francois Tissot é pesquisador do Departamento de Ciências Planetária, da Terra e Atmosférica do MIT. Ele trabalha com Geoquímica e Cosmoquímica, que é tudo Química, logo, o dr. Tissot é abençoado por Ilúvatar em pessoa… Se Ilúvatar fosse uma pessoa, claro.

Ao medir as proporções de diferentes isótopos de urânio em uma inclusão dentro de um meteorito que  data do tempo que o Sistema Solar foi formado, Tissot e seus colaboradores encontraram vestígios do raríssimo Cúrio-247, que não possui uma meia-vida muito grande.

Pense que você certa quantidade de Mixórdium, um elemento químico puramente inventado. Sua meia-vida é de 1 mês. Assim, quando você separar um quilograma de Mixórdium em janeiro, em fevereiro você terá 500g. Em março, terá 250g. Em abril, 125g, em maio, 62,5g e assim sucessivamente. cada vez que passa o tempo, a massa sofrerá decaimento radioativo, em que um elemento se transformará em outro, e a cada mês a massa do Mixórdium cairá à metade.

No caso do cúrio, a meia vida do Cm247 é 1,56 x 107 anos (ou 15.600.000 ou 15,6 milhões de anos). Assim, tomando por base um meteorito com mais de 4 bilhões de anos, como é que se conseguiu encontrar traços de Cúrio-247? Sim, não conseguiram. Não tinha cúrio ali. Deu nó na cabeça? Não sabe como descobriram isso? Usaram médiuns? Não, Ciência.

Sabe-se que o Cúrio-247 sofre decaimento radioativo para Urânio-235, então, rochas com uma maior concentração de Urânio-235 têm um forte indício que ali havia Cúrio-247 no tempo que o mineral foi formado. Mas a diferença é muito pequena para diferenciar do urânio natural que ocorre em rochas. Isso mistificou cientistas ao longo dos anos.

Foi preciso décadas para desenvolver um espectrômetro de massa suficientemente sensível para detectar algum excesso de Urânio-235 que não deveria estar ali. Lembre-se: estamos falando de quantidades realmente diminutas, mesmo para padrões de análise química. Com o novo equipamento, Tissot e seu pessoal conseguiu determinar que havia cerca de 6% a mais de Urânio-235 do que seria esperado, mediante análise de vários meteoritos e outros minerais aqui na Terra, com uma conclusão óbvia: Havia a presença de Cúrio-247 na época da formação desse meteorito há muito, muito tempo.

A descoberta foi publicada no periódico Science Advances e você poderá ler tudinho, digrátis.

Um comentário em “Cientista acerta no cúrio do meteorito

  1. François Tissot e seus colaboradores não encontraram Cúrio-247 em um meteorito datado de 4,6 bilhões de anos. Eles encontraram certa quantidade de Urânio-235 neste meteorito e provavelmente fizeram a comparação com a quantidade de Urânio-235 encontrados em outros meteoritos ou rochas datados. Tissot e seus colaboradores provavelmente usaram a lei do decaimento radioativo quando concluíram que o Urânio-235 estava em uma quantidade 6% maior do que eles esperavam, então, eles concluíram que o Cúrio-247 existia neste meteorito datado de 4,6 bilhões de anos. Mas, o Cúrio-247 existia neste meteorito apenas se ele e o Urânio-235 decaírem de acordo com a lei do decaimento radioativo, e isto ninguém sabe se acontece, então, ninguém sabe se o Cúrio-247 estava ou não neste meteorito.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s