Por que as águas dos rios Negro e Solimões não se misturam?

Desde pequenos aprendemos fatos básicos de Geografia. Sabemos que o ponto mais alto do Brasil é o Pico da Neblina, como seus 2.993 metros de altura. Sabemos que ele fica no Amazonas, que também é o maior estado brasileiro, o qual também abriga o maior rio em volume de água do mundo, o Amazonas, o qual alguns dizem ser o maior rio em comprimento, embora a maioria concorde que o mais longo é realmente o Nilo (thanks, Raccoon).

Você sabe, porque frequentou colégio, que o Rio Amazonas só recebe este nome depois do encontro como o Rio Negro e o Rio Solimões. E também já ouviu falar que a água dos dois rios não se misturam. É verdade ou farsa do colégio? Só o Livro dos Porquês para responder!

O postulado É VERDADE!

O Rio Negro e o Rio Solimões NÃO se misturam… bem, até se misturam, mas não imediatamente.

Se a tia Teteca se deu ao trabalho de explicar o por que  disso acontecer, você sabe que isso é devido à diferença de densidade entre as águas dos dois rios. Mas, a densidade da água não é uma só?

Seria, se estivéssemos falando de água pura, mas não é o caso. Temos que entender primeiro quem é um e quem é o outro.

RIO NEGRO

Bem, o rio Negro não tem este nome por causa dos escravos vindos da África, ou já teriam mudado o nome para Rio Afro-Brasileiro". Seu nome é Rio Negro, porque, bem, porque ele é negro, mesmo. Pretinho da Silva. Ele nasce na Colômbia, na bacia do Rio Orinoco. É o segundo maior rio em volume de água do mundo (eu já falei quem é o primeiro!) Ele vem pela região leste dos Andes e carrega uma imensa quantidade de matéria orgânica em suas águas. É essa matéria orgânica que dá a cor preta às águas do Rio Negro, e o principal contribuinte, em termos de volume de água, ao Rio Amazonas, que só recebe este nome depois do Rio Negro ter entrado em contato com suas águas. Antes, o Rio Amazonas recebe o nome de….

RIO SOLIMÕES

O Rio Solimões nasce nos Andes Peruanos. Entra no Brasil, pelo município de Tabatinga. Ele carrega grande quantidade de sedimentos, oriundos da erosão do terreno por onde o Solimões passa. Por isso, sua água barrenta se destaca tanto ao se encontrar com o Rio Negro.

Ok, tio, maneiro! Mas por que eles não se misturam?

A resposta é simples: Densidade, mas tem um detalhe. As densidades são diferentes por dois motivos:

1) As diferentes substâncias dissolvidas nos rios farão com que eles tenha densidades diferentes. Se você pegar 500 mL de água e dissolver a mesma massa de açúcar e álcool (um em cada copo, claro), as densidades serão diferentes. Variando a quantidade de material dissolvido na água (digamos, 50 g de açúcar em um e 100 g de açúcar no outro), você também terá diferentes densidades.

2) Quando você varia a temperatura de dois copos com a mesma quantidade de água, você obtém densidades diferentes (a maior densidade´da água pura é a 4 ºC, sob pressão de 1 atm = 1 g/cm3).

No caso, a temperatura média do Rio Negro é de cerca de 28 ºC, fluindo com uma velocidade média de aproximadamente 2 km/h. Já o Rio Solimões, como veio lá dos Andes, tem uma temperatura menor: aproximadamente 22 ºC, percorrendo um terreno mais inclinado, o que lhe dá uma velocidade maior: cerca de 6 km/h.São 6 ºC de diferença. Muito? Não necessariamente, mas o bastante.

A água é um líquido com alto calor específico. Isso significa dizer que ela precisa receber mais energia para aumentar sua temperatura em 1 ºC. Em outras palavras, ela demora a esquentar. Sabe quando o dia tá frio e você quer tomar um café bem quentinho e a água parece demorar uma eternidade? Ela demora a esquentar justamente por causa do seu calor específico. Segure uma peça de metal por uma extremidade e coloque a outra no fogo, e meça o tempo que você sairá gritando com a queimadura, e xingando a minha mãe. Faça o procedimento em dias quentes e frios. Anote o tempo decorrido.

Agora, olhem só que fofo! O tio abaixo pretende explicar porque o ar quente sobe e o ar frio desce. Ele usa um frasquinho com água quente e um gelo colorido. Conforme o gelo vai derretendo, vemos a água azul se depositar no fundo e a água vermelha (quente) fica sobrenadante:


A diferença de temperatura faz a diferença (que frase vagabunda, hein, ô!)

Se prestaram atenção no vídeo, a água azul (fria) fica embaixo e não se mistura com a água em temperatura ambiente. A água quente (vermelha) também não se mistura com a água em temperatura ambiente. Claro, uma hora elas 3 entrarão em equilíbrio e, lentamente, começarão a se misturar.

Os rios Negro e Solimões, por terem diferentes materiais dissolvidos e diferentes temperaturas não se misturam por não terem a mesma densidade. Eles continuam caminhando juntos por uns 6 km, lado-a-lado. Até que suas temperaturas estejam equilibradas e seus materiais acabem indo parar pelo meio do caminho, enquanto catam mais.

O Rio Amazonas é uma beleza natural e o que acontece em suas águas estimula nossa imaginação. Não basta ver, é preciso querer saber mais! É preciso perguntar, ou nunca se saberá as repostas. Olhando de cima, eu me sinto vivo, por só de ver uma simples fotografia como essa a seguir (óbvio que você irá clicar para ampliar, não é?), perguntar "o que está acontecendo?"

Qualquer um pode falar que "as águas dos rios Negro e Solimões não se misturam porque têm densidades diferentes". Isso não explica, é apenas palavrório. O experimento acima pode ser repetido em casa, basta ter um aquário, porque se você não tem aquário, com certeza é gay! Apenas aqui você tem explicações completas que deveriam ser encontradas num livro, explicando todos os porquês.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s